Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução

11,542 views

Published on

Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução

  1. 1. LEI DE REPRODUÇÃO
  2. 2. POPULAÇÃO DO GLOBO <ul><li>A primeira indagação do Codificador é a propósito da reprodução dos seres vivos como lei da Natureza. E os Espíritos Reveladores respondem que o mundo corporal pereceria sem a reprodução deles. </li></ul><ul><li>Entretanto, diante da preocupação com a possibilidade de a população do Globo tornar-se excessiva, respondem eles, sempre amparados na lógica, que a tudo Deus provê, mantendo em tudo o equilíbrio da vida, pois coisa alguma Ele faz inútil. Nós, os homens, é que temos o hábito de observar a Natureza por partes, e quase nunca em seu conjunto. </li></ul>
  3. 3. SUCESSÃO E APERFEIÇOAMENTO DAS RAÇAS <ul><li>Constitui este um outro aspecto da lei de reprodução. E ao falar de raças humanas, que evidentemente decrescem, indaga Kardec em nome da Doutrina Espírita se ocorrerá um momento, na História, em que estarão elas desaparecidas. </li></ul><ul><li>E os Espíritos informam que assim acontecerá de fato, pois que outras raças, um dia, deverão tomar o lugar das que hoje existem. </li></ul><ul><li>Mas, esclarecem, em face da questão 689, que serão os mesmos Espíritos que voltarão a aperfeiçoar-se em novas indumentárias físicas, embora ainda imperfeitos. </li></ul>
  4. 4. A REPRODUÇÃO <ul><li>A reprodução é uma lei natural. Devido a esta lei se entranhar na mente humana temos costumes que são marcos na marcha evolutiva da sociedade, como por exemplo, o casamento monogâmico. </li></ul><ul><li>Por outro lado, existem costumes que denotam a nossa inferioridade e mostram o quão distantes estamos da perfeição tanto moral como espiritual: métodos contraceptivos . </li></ul>
  5. 5. OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO <ul><li>Há basicamente dois tipos de obstáculos à reprodução humana: os naturais ou cármicos, decorrentes de faltas cometidas no passado, e os artificiais, fruto da ação do homem, que para isso estabeleceu diversos métodos ou medidas anticoncepcionais. </li></ul><ul><li>No tocante aos obstáculos naturais ou cármicos à reprodução, diz Emmanuel que, no quadro de interpretações da Terra, podem indicar situações de prova para as almas que se encontram em experiências edificadoras; </li></ul>
  6. 6. OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO <ul><li>todavia, se considerarmos a questão no seu aspecto espiritual, somos obrigados a reconhecer que a esterilidade não existe para o Espírito que, na Terra ou fora dela, pode ser fecundo em obras de beleza, de aperfeiçoamento e de redenção. (O Consolador, pergunta 40.) </li></ul><ul><li>Kardec perguntou aos Espíritos: “São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?”. Responderam os imortais: “Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral”. (LE, 693 .) </li></ul>
  7. 7. OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO <ul><li>Joanna de Ângelis, tratando do assunto, diz que o homem pode e deve programar a família que deseja e lhe convém ter, como o número de filhos e o período propício para a maternidade, mas nunca se eximirá aos imperiosos resgates a que faz jus, tendo em vista o seu próprio passado. Os filhos não são realizações fortuitas. Procedem de compromissos aceitos antes da reencarnação pelos futuros genitores, de modo a edificarem a família de que necessitam para a própria evolução. </li></ul>
  8. 8. OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO <ul><li>É lícito aos casais adiar a recepção de Espíritos que lhes são vinculados, impossibilitando mesmo que se reencarnem por seu intermédio, mas as Soberanas Leis da Vida dispõem de meios para fazer que os rejeitados venham por outros processos à porta dos seus devedores ou credores, em circunstâncias talvez mui dolorosas, complicadas pela irresponsabilidade desses cônjuges que ajam com leviandade, em flagrante desconsideração aos códigos divinos. (Após a Tempestade, cap. 10, obra psicografada por Divaldo P. Franco.) </li></ul>
  9. 9. CASAMENTO, DIVORCIO, CELIBATO, MONOGAMIA E POLIGAMIA
  10. 10. CASAMENTO “ ... constitui um dos primeiros atos de progresso nas sociedades humanas, porque estabelece a solidariedade fraterna ...” (LE Questão 696 )
  11. 11. CASAMENTO <ul><li>Solidariedade fraterna </li></ul><ul><li>Regime de vivência pelo qual duas criaturas se confiam uma a outra, no campo da assistência mútua. </li></ul><ul><li>As Leis divinas permitem que seja dado um coração para outro coração, na criação e desenvolvimento de valores para vida. </li></ul><ul><li>Regime de interdependência com vínculos afetivos e sexuais profundos que exige responsabilidade </li></ul>
  12. 12. CASAMENTO <ul><li>Companheiros evolutivos </li></ul><ul><li>Contrato espiritual de consciência para consciência onde surgem compromissos mútuos: materiais, afetivos, morais, espirituais e cármicos, determinando responsabilidades intransferíveis de apoio mútuo. </li></ul><ul><li>... Progresso na marcha da Humanidade .. </li></ul>
  13. 13. CASAMENTO <ul><li>Formação do lar </li></ul><ul><li>através do casamento haverá a formação do grupo familiar, permitindo que novos Espíritos mergulhem nos fluidos do planeta, para avançarem em sua fieira evolutiva. A poligamia permitiria a reprodução, mas sem estrutura do lar, indispensável ao crescimento espiritual da criatura. </li></ul><ul><li>Permuta afetiva </li></ul><ul><li>a instituição do casamento vai tornar harmônica e sadia a relação entre os casais, permitindo a troca de valores energéticos, através da permuta de vibrações simpáticas. </li></ul>
  14. 14. CASAMENTO <ul><li>Aprimoramento sexual </li></ul><ul><li>o casamento é um dos elementos mais efetivos no burilamento do instinto sexual. Com o passar dos anos, haverá um natural arrefecimento do interesse sexual entre os cônjuges, e eles estarão aprendendo a se alimentarem do afeto do parceiro através de métodos mais espiritualizados. Aprende, igualmente, o casal a conduzir a sua energia erótica para outras atividades, sublimando a sua função hedonista. </li></ul>
  15. 15. TIPOS DE CASAMENTO <ul><li>Martins Peralva [Estudando a Mediunidade] apresenta uma divisão didática dos diferentes tipos de casamento em 5 tipos distintos: </li></ul><ul><li>Afins </li></ul><ul><li>São aqueles formados por parceiros simpáticos, afins, onde há uma verdadeira afeição da alma. Geralmente, eles sobrevivem à morte do corpo e mantém-se em encarnações diversas. Pouco comuns na Terra. </li></ul>
  16. 16. TIPOS DE CASAMENTO <ul><li>Transcendentais </li></ul><ul><li>São casamentos afins entre almas enobrecidas, que juntas, vão dedicar-se a obras de grande valor para a Humanidade. </li></ul><ul><li>Provacionais: </li></ul><ul><li>São uniões entre almas mutuamente comprometidas, que estão juntas para pacificarem as consciências ante erros graves perpetrados no passado e simultaneamente desenvolverem os valores da paciência, da tolerância e da resignação. São os mais comuns </li></ul>
  17. 17. TIPOS DE CASAMENTO <ul><li>Sacrificiais: </li></ul><ul><li>São aqueles que se caracterizam por uma grande diferença evolutiva entre os cônjuges. Um Espírito de mais alta envergadura que aceita o consórcio com outro menos adiantado para ajudá-lo em seu progresso espiritual. </li></ul><ul><li>Acidentais: </li></ul><ul><li>São os casamentos que não foram programados no mundo espiritual. Obedecem apenas à afeição física, sem raízes na afetividade sincera. </li></ul>
  18. 18. DIVÓRCIO <ul><li>“ A indissolubilidade do casamento é uma lei humana muito contrária a lei natural.” (LE) </li></ul><ul><li>“ As vossas leis nesse particular são erradas, pois acreditais que Deus vos obriga a viver com aqueles que vos desagradam.” (LE) </li></ul><ul><li>“ O divórcio é uma lei humana cuja finalidade é separar legalmente o que já está separado de fato. Não é contrária a Lei Natural, pois só virá reformar o que os homens já fizeram.” (ESE) </li></ul>
  19. 19. DIVÓRCIO <ul><li>A explicação dos Espiritos deixa-nos serenos para afirmar que o Espiritismo não é contrário à instituição do divórcio, embora não venha a estimulá-lo, nem tampouco incitá-lo nos casais com problemas de relacionamento . </li></ul><ul><li>A este respeito, apresentamos a opinião de andré luiz – Chico Xavier em Evolução em Dois Mundos : </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  20. 20. DIVÓRCIO <ul><li>Quanto ao divórcio, somos de parecer que não deva ser facilitado ou estimulado entre os homens, porque não existem na Terra uniões conjugais, legalizadas ou não, sem vínculos graves no princípio da responsabilidade assumida em comum. </li></ul><ul><li>Mal saídos do regime poligâmico, os homens e as mulheres sofrem-lhe ainda as sugestões animalizantes e, por isso mesmo, nas primeiras dificuldades da tarefa a que foram chamados, costumam desertar-se dos postos de serviço em que a vida os situa, alegando imaginárias incompatibilidades e supostos embaraços, quase sempre atribuíveis ao desregrado narcisismo de que são portadores. </li></ul>
  21. 21. CELIBATO <ul><li>“ Todo o sacrifício pessoal praticado em prol da Humanidade,tendo em vista o bem e sem qualquer idéia egoísta, eleva o homem acima da sua condição material.” (LE. Questão 699) </li></ul><ul><li>Burilamento ou serviço no curso de determinada encarnação. </li></ul><ul><li>Abster-se da comunhão afetiva com o propósito de se fazer mais útil ao próximo </li></ul>
  22. 22. MONOGAMIA E POLIGAMIA <ul><li>“ Na poligamia nada mais há que sensualidade.“ </li></ul><ul><li>Allan Kardec, examinando a resposta dos Espíritos, vai lembrar que a abolição do casamento seria um retorno à infância da Humanidade, à vida dos animais, porque a monogamia é um sinal indicativo do progresso da civilização. </li></ul>
  23. 23. MONOGAMIA “ A monogamia é o clima espontâneo do ser humano, de vez que dentro dela realiza, naturalmente, com a alma eleita de suas aspirações a união ideal do raciocínio e do sentimento, na constituição do binário de forças, capaz de criar não apenas formas físicas, para a encarnação de outras almas na Terra, mas também as grandes obras do coração e da inteligência, suscitando a extensão da beleza e do amor que vertem da Criação Divina.” Evolução em Dois Mundos.
  24. 24. POLIGAMIA <ul><li>Poligamia é lei humana, cuja abolição marca um progresso social. </li></ul><ul><li>Na poligamia não há afeição real, só sensualidade. </li></ul><ul><li>O ser humano pouco espiritualizado possui acentuado instinto sexual, fundamental à perpetuação da espécie no planeta. </li></ul>
  25. 26. BIBLIOGRAFIA <ul><li>O Livro dos Espíritos. </li></ul><ul><li>O Consolador, de Emmanuel -Chico Xavier, pergunta 40. </li></ul><ul><li>Após a tempestade, de Joanna de Ângelis - Divaldo Pereira Franco. </li></ul><ul><li>Ação e Reação - André Luiz - Chico Xavier. </li></ul>

×