PRÁTICA DO TODO E DAS PARTES
Fábio R F Gomes
Teoria da prática partes versus todo (Naylor e Briggs, 1962 e 1963).
Complexidade e organização fornece uma base para toma...
Teoria da prática partes versus todo (Naylor e Briggs, 1962 e 1963).
Complexidade e organização fornece uma base para toma...
O QUE É PARTE?
Prática do todo e prática das partes: (Singer, 1980)

ORGANIZAÇÃO DA TAREFA

ALTA

MÉDIA

BAIXA

método do
todo

combinaçã...
OUTRAS CARACTERÍSTICAS DA HABILIDADE
DISCRETA

SERIADA
Magill (1989), devem haver habilidades que estejam em estágios
intermediários de um continuum, em que a combinação dos tip...
PÚBLIO e TANI (1993)
Aprendizagem das habilidades motoras da ginástica olímpica

Investigaram a prática por partes e pelo ...
Experimento 2
Grupo do todo (GT): A+B+C+D
Grupo por adição (GA): A; A+B; A+B+C; A+B+C+D
Resultados

Experimento 1: GP > GC...
MURRAY (1981)
Efeito do método de treinamento do todo e partes na
transferência de aprendizagem
Investigar o treinamento p...
FOCO:

ESPECIFICIDADE DO CONTEXTO
EA
APRENDIZAGEM DOS GOLPES DO JUDÔ

 L U TA

DE JUDÔ
Aprendizagem dos golpes de Judô:
 Uchi-komi

Ambiente Estável

situação de luta

Ambiente Instável
GOMES, MEIRA Jr, FRANCHINI, TANI (2002)

Especificidade de prática na aquisição do golpe de judô O soto gari

Resultados e...
Todos os golpes de Nague-waza no Judô são divididos em três partes:

1º Kuzushi: Desequilíbrio;

2º Tsukuri: Encaixe ou pr...
Deixar o oponente desequilibrado é primordial para o sucesso das partes
subseqüentes do golpe executado (ADNET, 1993; FRAN...
TAREFA MOTORA

+

EFEITO

FALSO KUZUSHI
GOMES, MEIRA Jr, BASSO, FRANCHINI, TANI (2005)

Análise do kuzushi na aprendizagem do golpe

o soto gari: Tradicional X Mo...
PROBLEMA

Que tipo de prática proporciona uma aprendizagem mais eficaz do
kuzushi nos golpes de Judô?
Prática partes versus todo (Naylor e Briggs, 1963)

Complexidade e organização fornecem uma base para tomada de decisão:

...
OBJETIVO
Investigar a aprendizagem do kuzushi nos golpes de Judô o soto gari e

tai otoshi, comparando a prática tradicion...
DELINEAMENTO EXPERIMENTAL
o soto gari e tai otoshi

A aquisição dos golpes ocorreu em quatro condições:

• GTE, Grupo trad...
DELINEAMENTO EXPERIMENTAL
o soto gari e tai otoshi

Total de 6 sessões experimentais:

1ª sessão: Pré-teste, 3 tentativas;...
ANÁLISE DE DADOS
o soto gari e tai otoshi
Foram analisadas as somatórias das três tentativas executadas nos testes
filmado...
METODOLOGIA

Experimento 1
O soto gari

Golpe de Ashi-waza

 Queda rasa ou baixa;
 Não envolve giro (golpe frontal);
 M...
Experimento 1 o soto gari

METODOLOGIA
 Participantes: 62 crianças;
 Faixa etária: (9,19 anos de idade, e ±1,41 de desvi...
Experimento 1 o soto gari
RESULTADOS

Intra-grupo

Na Configuração total do golpe e Tarefa motora todos os grupos
apresent...
Experimento 1 o soto gari
RESULTADOS

Inter-grupo

Não houve diferença entre os grupos em nenhuma das fases do
experimento...
Experimento 1 o soto gari

DISCUSSÃO
 O GTE não aprendeu o item Efeito do kuzushi. Aprendizagem da forma do
movimento do ...
METODOLOGIA

Experimento 2
Tai otoshi
Golpe de Te-waza.

 Golpe com giro usando um desequilíbrio
comum a vários golpes;
...
Experimento 2 tai otoshi

METODOLOGIA
 Participantes: 32 crianças;

 Faixa etária: (8,63 anos de idade, e ±0,99 de desvi...
Experimento 2 tai otoshi
RESULTADOS

Intra-grupo

Na Configuração total do golpe e Tarefa motora todos os grupos
apresenta...
Experimento 2 tai otoshi
RESULTADOS

Intra-grupo

Efeito

 O grupo GTMP apresentou diferença do pré-teste para o pós-test...
Experimento 2 tai otoshi
RESULTADOS

Inter-grupo

Configuração total do golpe

GTMP > GTE e GTM no pós teste

GTMP > GTE, ...
Experimento 2 tai otoshi
RESULTADOS
Inter-grupo
Tarefa motora

Não houve diferença

Efeito
GTMP > GTE no pós teste

GTMP >...
Experimento 2 tai otoshi

DISCUSSÃO

 O GTMP foi superior aos outros grupos na Configuração total do
golpe e Efeito do ku...
DISCUSSÃO GERAL

 Em ambos experimentos todos aprenderam, porém em patamares diferentes;

 GTE não apresentou diferença ...
CONCLUSÕES

 Maior instabilidade gera melhor qualidade na
aprendizagem do kuzushi nos golpes em
comparação à prática trad...
OBRIGADO
Fracionamento da prática II - Prática do Todo e Das Partes
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Fracionamento da prática II - Prática do Todo e Das Partes

2,225 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,225
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
995
Actions
Shares
0
Downloads
47
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fracionamento da prática II - Prática do Todo e Das Partes

  1. 1. PRÁTICA DO TODO E DAS PARTES Fábio R F Gomes
  2. 2. Teoria da prática partes versus todo (Naylor e Briggs, 1962 e 1963). Complexidade e organização fornece uma base para tomada de decisão:  Complexidade: Refere-se ao número de componentes ou quantidade de partes;
  3. 3. Teoria da prática partes versus todo (Naylor e Briggs, 1962 e 1963). Complexidade e organização fornece uma base para tomada de decisão:  Organização: Que é determinada pela relação entre os componentes; O QUE É PARTE?
  4. 4. O QUE É PARTE?
  5. 5. Prática do todo e prática das partes: (Singer, 1980) ORGANIZAÇÃO DA TAREFA ALTA MÉDIA BAIXA método do todo combinação parte / todo método das partes BAIXA MÉDIA ALTA COMPLEXIDADE DA TAREFA
  6. 6. OUTRAS CARACTERÍSTICAS DA HABILIDADE DISCRETA SERIADA
  7. 7. Magill (1989), devem haver habilidades que estejam em estágios intermediários de um continuum, em que a combinação dos tipos de prática pode ser mais eficiente. Não é fácil tomar a decisão, pois existe alguns grupos intermediários: Fracionamento; Segmentação; Simplificação. Wightman & Lintern (1985) em Magill (2000) e Park, Wilde e Shea (2004).
  8. 8. PÚBLIO e TANI (1993) Aprendizagem das habilidades motoras da ginástica olímpica Investigaram a prática por partes e pelo todo no aprendizado de uma seqüência de movimentos da ginástica olímpica. Dois experimentos fizeram parte desse estudo: Experimento 1: Grupo por partes (GP): A; B; C; D; A+B+C+D Grupo por combinação (GC): A; A+B; C; A+B+C; D; A+B+C+D Grupo por adição (GA): A; A+B; A+B+C; A+B+C+D
  9. 9. Experimento 2 Grupo do todo (GT): A+B+C+D Grupo por adição (GA): A; A+B; A+B+C; A+B+C+D Resultados Experimento 1: GP > GC e ao GA Experimento 2: GA < GT
  10. 10. MURRAY (1981) Efeito do método de treinamento do todo e partes na transferência de aprendizagem Investigar o treinamento por partes e pelo todo e verificar a transferência de aprendizagem em relação: queda, desempenho na luta, competição, conhecimento da técnica. GT e GP Método da Simplificação Os grupos foram equivalentes estatisticamente. O professor deve decidir como aprender observando o grupo em que vai trabalhar, por que a prática do todo oferece mais riscos para acidentes no Zempo-Kaiten Ukemi (queda para frente com rolamento).
  11. 11. FOCO: ESPECIFICIDADE DO CONTEXTO EA APRENDIZAGEM DOS GOLPES DO JUDÔ  L U TA DE JUDÔ
  12. 12. Aprendizagem dos golpes de Judô:  Uchi-komi Ambiente Estável situação de luta Ambiente Instável
  13. 13. GOMES, MEIRA Jr, FRANCHINI, TANI (2002) Especificidade de prática na aquisição do golpe de judô O soto gari Resultados e Conclusões A condição de prática cujas características são similares à luta de judô (grupo movimento) proporcionou desempenho superior nos testes.
  14. 14. Todos os golpes de Nague-waza no Judô são divididos em três partes: 1º Kuzushi: Desequilíbrio; 2º Tsukuri: Encaixe ou preparação; 3º Kake: Ataque ou finalização. O kuzushi é fundamental para o sucesso do golpe
  15. 15. Deixar o oponente desequilibrado é primordial para o sucesso das partes subseqüentes do golpe executado (ADNET, 1993; FRANCHINI, 2001; GOMES, MEIRA JR, BASSO, FRANCHINI e TANI, 2005) Processo ensino-aprendizagem tradicional  Somente o tsukuri e kake são realmente utilizados, o kuzushi não é enfatizado  Apesar dos instrutores entenderem que ele esteja implícito nesse tipo de prática
  16. 16. TAREFA MOTORA + EFEITO FALSO KUZUSHI
  17. 17. GOMES, MEIRA Jr, BASSO, FRANCHINI, TANI (2005) Análise do kuzushi na aprendizagem do golpe o soto gari: Tradicional X Movimento Conclusões O kuzushi não foi aprendido: Tarefa motora e Efeito
  18. 18. PROBLEMA Que tipo de prática proporciona uma aprendizagem mais eficaz do kuzushi nos golpes de Judô?
  19. 19. Prática partes versus todo (Naylor e Briggs, 1963) Complexidade e organização fornecem uma base para tomada de decisão: PARTES PROGRESSIVAS OU ADIÇÃO
  20. 20. OBJETIVO Investigar a aprendizagem do kuzushi nos golpes de Judô o soto gari e tai otoshi, comparando a prática tradicional em dois ambientes (ESTÁVEL e INSTÁVEL) com a prática que envolve preparação (deslocamentos) para o kuzushi.
  21. 21. DELINEAMENTO EXPERIMENTAL o soto gari e tai otoshi A aquisição dos golpes ocorreu em quatro condições: • GTE, Grupo tradicional (uchi-komi parado); • GTM, Grupo tradicional (uchi-komi em movimento); • GTMP, Grupo do todo com preparação; • GPPP, Grupo por partes progressivas (adição) com preparação.
  22. 22. DELINEAMENTO EXPERIMENTAL o soto gari e tai otoshi Total de 6 sessões experimentais: 1ª sessão: Pré-teste, 3 tentativas; 2ª até 5ª sessão: Aquisição, 40 tentativas; 5ª sessão: teste final, 3 tentativas; 6ª sessão: teste de retenção, 3 tentativas;
  23. 23. ANÁLISE DE DADOS o soto gari e tai otoshi Foram analisadas as somatórias das três tentativas executadas nos testes filmados, duas listas de checagem para cada golpe: 1º Kuzushi ( Tarefa motora e Efeito) Em cada item atribuiu-se notas 0 (zero) e 1 (um) em cada tentativa, assim totalizando de 0 (zero) a 3 (três) pontos 2º Configuração total do golpe (Desempenho) As notas variaram de 2 (dois) e 8 (oito) em cada tentativa, assim totalizando de 6 (seis) a 24 (vinte e quatro) pontos
  24. 24. METODOLOGIA Experimento 1 O soto gari Golpe de Ashi-waza  Queda rasa ou baixa;  Não envolve giro (golpe frontal);  Muito utilizado na iniciação;
  25. 25. Experimento 1 o soto gari METODOLOGIA  Participantes: 62 crianças;  Faixa etária: (9,19 anos de idade, e ±1,41 de desvio padrão);  Sujeitos inexperientes;  Foram distribuídos aleatóriamente nos grupos experimentais;  Instrução e prática para 5 sujeitos ao mesmo tempo;  Teste de retenção um dia após à última sessão.
  26. 26. Experimento 1 o soto gari RESULTADOS Intra-grupo Na Configuração total do golpe e Tarefa motora todos os grupos apresentaram diferença do pré-teste para o pós-teste e o teste de retenção; No Efeito somente o grupo GTE não apresentou diferença entre as três fases do experimento.
  27. 27. Experimento 1 o soto gari RESULTADOS Inter-grupo Não houve diferença entre os grupos em nenhuma das fases do experimento, e em nenhum dos tipos de avaliações.
  28. 28. Experimento 1 o soto gari DISCUSSÃO  O GTE não aprendeu o item Efeito do kuzushi. Aprendizagem da forma do movimento do golpe e não sua função;  Notas em patamar baixo;  Sujeitos não tinham nenhum tipo de experiência anterior com o Judô; Estágios inicias de aprendizagem;
  29. 29. METODOLOGIA Experimento 2 Tai otoshi Golpe de Te-waza.  Golpe com giro usando um desequilíbrio comum a vários golpes;  Não carrega o uke nas costas.
  30. 30. Experimento 2 tai otoshi METODOLOGIA  Participantes: 32 crianças;  Faixa etária: (8,63 anos de idade, e ±0,99 de desvio padrão);  Sujeitos experientes em golpes com giro;  Foram distribuídos nos grupos experimentais à partir dos escores obtidos no pré-teste;  Instrução e prática para 1 sujeito de cada vez;  Teste de retenção dois dias após à última sessão.
  31. 31. Experimento 2 tai otoshi RESULTADOS Intra-grupo Na Configuração total do golpe e Tarefa motora todos os grupos apresentaram diferença do pré-teste para o pós-teste e o teste de retenção;
  32. 32. Experimento 2 tai otoshi RESULTADOS Intra-grupo Efeito  O grupo GTMP apresentou diferença do pré-teste para o pós-teste e o teste de retenção;  Já os grupos GTM e GPPP apresentaram diferença somente do préteste para o pós-teste;  O GTE não apresentou diferença entre as três fases do experimento.
  33. 33. Experimento 2 tai otoshi RESULTADOS Inter-grupo Configuração total do golpe GTMP > GTE e GTM no pós teste GTMP > GTE, GTM e GPPP no teste de retenção
  34. 34. Experimento 2 tai otoshi RESULTADOS Inter-grupo Tarefa motora Não houve diferença Efeito GTMP > GTE no pós teste GTMP > GTE, GTM e GPPP no teste retenção
  35. 35. Experimento 2 tai otoshi DISCUSSÃO  O GTMP foi superior aos outros grupos na Configuração total do golpe e Efeito do kuzushi;  Igualdade dos grupos na Tarefa motora;  Somente o GTE não aprendeu o Efeito do Kuzushi.
  36. 36. DISCUSSÃO GERAL  Em ambos experimentos todos aprenderam, porém em patamares diferentes;  GTE não apresentou diferença no Efeito do kuzushi;  Todos os grupos aprenderam a Tarefa motora;
  37. 37. CONCLUSÕES  Maior instabilidade gera melhor qualidade na aprendizagem do kuzushi nos golpes em comparação à prática tradicional;  O uchikomi parado sem a projeção do oponente, proporciona melhora somente na forma do movimento.
  38. 38. OBRIGADO

×