Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Extensão rural

  • Be the first to comment

Extensão rural

  1. 1. Alessandra Barros Carlos Robério Thiago Senna Kelen Cristina
  2. 2.  AIA – Associação Americana para o desenvolvimento Social e Econômico  Criação da ETA – Projeto Técnico de Agricultura
  3. 3.  ACAR (1948) – Associação de Crédito e Assistência Rural  ANCAR (1954) – Associação Nordestina de Crédito e Assistência Rural  ABCAR - Associação Brasileira de Crédito e Assistência Rural  EMATER/MG (1976) – Empresa de Assistência e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais
  4. 4.  1. Ater para o Desenvolvimento Rural Sustentável;  2. Ater para a diversidade da agricultura familiar e a redução das desigualdades;  3. Ater e políticas públicas;  4. Gestão, financiamento, demanda e oferta de serviços de Ater;  5. Metodologia e abordagens de extensão rural.
  5. 5. Incorporação da construção social das últimas décadas, especialmente em relação a conceitos como agricultura familiar, participação, relações de gênero, enfoque multidisciplinar, interdisciplinar e intercultural, pedagogia construtivista, transição agroecológica, etnia, geração, gestão social, acesso a renda e agregação de valor
  6. 6. Perspectivas para o desenvolvimento Rural Perfis do produtor
  7. 7. A situação de exclusão estrutural dos setores periféricos aparece mais clara ainda ao se considerar os dados de assistência técnica e de infra-estrutura existentes na agricultura familiar na época que começou o PRONAF.
  8. 8. Apenas 16,7 % dos agricultores familiares tinham assistência técnica na época que começou o PRONAF , e quase a metade deles trabalhava com uso apenas de força manual, ou seja, "na enxada". Guanziroli(2007)
  9. 9. Orientação técnica e nível de instrução do produtor Segundo IBGE (2006), a orientação técnica continua muito limitada, sendo praticada em 22,0% dos estabelecimentos, os quais, entretanto, ocupam 46,0% das terras.
  10. 10. Fonte: IBGE, Censo Agropecuário 2006.
  11. 11. Fonte:ASBRAER (reprodução))
  12. 12. Perspectivas para o Desenvolvimento Rural Ruraltins
  13. 13. O Instituto de desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins - Ruraltins, órgão oficial de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER),criado em 1989 1. Objetivo : assegurar aos agricultores, em especial familiares e pequenos produtores rurais a sobrevivência por meio da promoção da inclusão social, produtiva e ambiental, tornando-os auto-sustentáveis. 2. órgão tornou-se uma instituição governamental importantíssima para o desenvolvimento socioeconômico do Estado. 3. Sua atuação representa uma força essencial para o setor da agricultura, 4. em especial entre os agricultores familiares existentes no Tocantins, os quais são os clientes potenciais e prioritários do Ruraltins e sua estrutura organograma já não condiz com a realidade atual.
  14. 14. Entraves na área de assistência técnica e extensão rural oficial no Tocantins • Grande número de Agricultores familiares: Mais de 122 mil agricultores familiares vivem no campo • Estabelecimentos Rurais: Grande número de estabelecimentos rurais, sendo 42.899 da agricultura familiar e 13.688 entre outros. • Quadro de Servidores/Lotação: Insuficiente para atender as demandas e má distribuição dos servidores por unidades. • Estrutura física: Frota em más condições de uso, tendo muitos veículos com mais de 10 anos de uso e outros sem manutenção; Equipamentos de informática na sua maioria obsoletos e sucateados; Estruturas dos escritórios inadequadas para abrigar os servidores
  15. 15. A orientação técnica de origem governamental atinge 43,0% dos estabelecimentos assistidos. IBGE (2006).
  16. 16.  Assegurar, com exclusividade aos agricultores familiares, assentados por programas de reforma agrária, extrativistas, ribeirinhos, indígenas, quilombolas, pescadores artesanais e aquiculturas, povos da floresta, seringueiros, e outros públicos definidos como beneficiários dos programas do MDA/SAF, o acesso a serviço de assistência técnica e extensão rural pública, gratuita, de qualidade e em quantidade suficiente, visando o fortalecimento da agricultura familiar;
  17. 17.  Estabelecer um modo de gestão capaz de democratizar as decisões, contribuir para a construção da cidadania e facilitar o processo de controle social no planejamento, monitoramento e avaliação das atividades, de maneira a permitir a análise e melhoria no andamento das ações.
  18. 18.  Orientar estratégias que permitam a construção e valorização de mercados locais e a inserção não subordinada dos agricultores e demais públicos da extensão no mercado globalizado, visando gerar novas fontes de renda.
  19. 19.  Desenvolver ações que levem à conservação e recuperação dos recursos naturais dos agro ecossistemas e à proteção dos ecossistemas e da biodiversidade;  Apoiar ações específicas voltadas à construção da equidade social e valorização da cidadania, visando à superação da discriminação, da opressão e da exclusão de categorias sociais, tais como as mulheres trabalhadoras rurais, os quilombolas e os indígenas
  20. 20. Lei 12.188/ 2010 Institui a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER) e o Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária (Pronater).
  21. 21. • O modelo de agricultura ainda praticado continua a causar impactos negativos como a perda de solo, erosão genética, contaminação do solo e da água. • Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural – PNATER •governos das unidades federativas e suas instituições, assim como os segmentos da sociedade civil, •lideranças das organizações de representação dos agricultores familiares e dos movimentos sociais comprometidos com o desenvolvimento rural sustentável.
  22. 22.  Política Nacional e a recomposição do Sistema Nacional de Ater revigoram a Ater, com a perspectiva de um trabalho em rede:  movimentos sociais;  organizações não-governamentais;  Prefeituras Municipais;  Sindicatos;  universidades;  escolas agrotécnicas.
  23. 23.  A Ater foi implantada como um serviço privado ou paraestatal, com o apoio de entidades públicas e privadas  governo do presidente Juscelino Kubitschek  40% do total dos recursos orçamentários das Emater, alcançando até 80% Alteração da Desistência Técnica
  24. 24.  A participação financeira do Governo Federal, desde os anos 90, caiu abruptamente, passando a ser irrisória em relação ao orçamento das empresas de Ater do setor público ainda existentes,que gira em torno de R$ 1 bilhão por ano. Alteração da Desistência Técnica
  25. 25.  A participação financeira do Governo Federal, desde os anos 90, caiu abruptamente, passando a ser irrisória em relação ao orçamento das empresas de Ater do setor público ainda existentes,que gira em torno de R$ 1 bilhão por ano. Alteração da Desistência Técnica

×