Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
   Alvará confirmando certa concessão para o estabelecimento de uma    feitoria em Cabo Negro para o comércio livre da es...
   Alvará para Gonçalo Lopes dar a Pedro Vaz, corregedor da comarca de    Trás-os-Montes, um escravo de preço de 8.000 ré...
   Carta de Margarida de Palma ao secretário de estado António Carneiro    pela qual manda buscar um escravo seu a casa d...
   Carta do Dr. Simão Afonso a D. João III em que lhe dá conta em como se    tinha dado outra sentença sobre o negócio de...
   Alvará da rainha D. Catarina para se darem a Pedro Fernandes, porteiro    que foi da câmara do príncipe, seu filho, um...
dito ofício, haja o mesmo mantimento que tem os outros ferreiros.1523-01-24.    Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológic...
   Certificado do escrivão da fazenda, Fernão Nunes, em que atesta que um    escravo do porteiro da Fazenda, Manuel Ferna...
   Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar a um escravo que serve na    ferraria, 15 mãos de arroz para seu mantimento.1...
caravelas, com as condições nela declaradas.1530-12-14.                       Portugal, Torre do Tombo,    Corpo Cronológi...
   Obrigação de Antão de Lordelo por que se obrigou ao rei pagar-lhe a    quantia de 3200 réis precedidos de 2 moios de t...
   Provisão para o almoxarife dos escravos que vêm da Guiné dar a Jorge de    Vasconcelos um escravo de preço de 10.000 r...
   Doação ao Hospital de Todos-os-Santos de 1 escravo de cada caravela    que viesse da Guiné. Portugal, Torre do Tombo, ...
navio, sem fazer testamento, nem ser casado, nem ter herdeiros, vindo da    Ilha do Príncipe.1520-05-15. Portugal, Torre d...
   Alvará (traslado da) que o rei D. Manuel I fez ao hospital de Todos-os-              Santos de um escravo por cada car...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Tráfico de escravos

  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Tráfico de escravos

  1. 1.  Alvará confirmando certa concessão para o estabelecimento de uma feitoria em Cabo Negro para o comércio livre da escravatura.1807-08-18. Portugal, Torre do Tombo, Leis e ordenações, Leis, mç. 9, n.º 101. Alvará pelo qual a rainha D. Catarina mandou que os seus contadores levassem em conta ao seu tesoureiro, um escravo de nome António.1562-07- 01. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 104, n.º 133 Alvará pelo qual a rainha D. Catarina mandou que os seus contadores levassem em conta ao seu tesoureiro um escravo de nome Francisco, que servia as damas, por ter falecido.1562-07-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 104, n.º 140. Mandado da rainha D. Catarina para os seus contadores levarem em conta a Afonso de Zuniga um escravo que morreu e 4 côvados de tafetá, que houve de quebra em todas as peças que recebeu. 1570-09-12. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 109, n.º 23. Alvará de D. Manuel I para se dar a Luís, fidalgo cavaleiro em Alcácer Ceguer, um escravo de valor de 6.000 réis de mercê.1512-02-15. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 11, n.º 8. Ordem de Afonso de Albuquerque para se entregar a Diogo Correia um escravo que servia no hospital.1512-10-09. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 12, n.º 14. Alvará para se dar a Brás Gomes um escravo, de preço 6.000 réis. 1513-01-24. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 12, n.º 65. Alvará de D. Manuel I para se entregar a Jorge Pereira um escravo de preço de 7.000 réis. 1513-03-14. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 12, n.º 87. Alvará de D. Manuel I para se entregar a Pedro de Alpoim um escravo de preço de 9.000 réis. 1513-07-13. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 17 Alvará de D. Manuel I para se entregar a D. Catarina de Albuquerque um escravo, no valor de 8.000 réis.1513-08-26. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 47. Alvará de D. Manuel I para se dar a João Sanches Badajoz um escravo, que custa 8.000 réis.1513-09-19. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 57. Alvará de D. Manuel I para se dar a Mateus de Fontes, mestre da capela real, um escravo, pelo preço de 8.000 réis.1513-09-19. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 58. Alvará de D. Manuel I para se dar à Vila Castim um escravo, com o preço de 8.000 réis de mercê. 1513-09-19. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 59. Decreto para se entregar de mercê a Diogo Álvares Teles um escravo, pelo preço de 6000 réis.1513-10-08. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 66. Decreto para se dar a D. Pedro de Castro um escravo, com o preço de 8.000 réis de mercê.1513-10-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 77. Decreto para se dar a Nuno Vaz Leitão um escravo, pelo preço de 7000 réis.1513-10-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 78. Decreto para se dar a Lopo Fernandes um escravo, pelo preço de 7000 réis.1513-10-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 13, n.º 79.
  2. 2.  Alvará para Gonçalo Lopes dar a Pedro Vaz, corregedor da comarca de Trás-os-Montes, um escravo de preço de 8.000 réis e recibo em como o recebeu.1513-12-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 14, n.º 29. Mandado de D. Manuel I para que Gonçalo Lopes, almoxarife dos escravos, entregue a Diogo Gomes um escravo, no valor de 5.000 réis, com recibo do mesmo em como o recebeu.1514-01-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 14, n.º 47. Alvará de D. Manuel I para se levar em conta a António do Porto um escravo de preço de 10.000 réis, por outro que se fez mercê a Diogo Mendes de Oliveira.1514-05-12. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 15, n.º 33. Alvará de D. Manuel I para António do Porto, recebedor da Casa dos Escravos, dar ao prior e frades do Convento de Nossa Senhora da Serra 7.000 réis de esmola, para comprar um escravo. 1514-05-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 15, n.º 44. Alvará para se dar a Vasco Serrão um escravo de 5.000 réis de mercê. 1515- 10-02. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 18, n.º 117. Alvará para se dar à prima do rei um escravo, no valor de 10 000 réis.1515- 07-08. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 18, n.º 33. Alvará para se dar ao Mosteiro de Jesus de Setúbal um escravo de esmola.1515-07-15. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 18, n.º 37. Decreto para se dar a D. Margarida Henriques, camareira da rainha, um escravo de mercê.1515-08-15. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 18, n.º 64. Alvará para se dar a Jorge de Melo um escravo, de 9000 de mercê.1515-08-16. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 18, n.º 66. Alvará para se dar a André Pires um escravo.1515-08-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 18, n.º 69. Alvará para se dar a Brites Pereira um escravo, no valor de 9000 réis de graça e parada.1516-02-23. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 19, n.º 125. Alvará para se dar a João Corte Real um escravo, no valor de 7 mil réis . 1515-10-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 19, n.º 4. Alvará real para se dar vestiaria a Luís, seu escravo.1493-12-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 2, n.º 101. Alvará real para Rui Gil dar vestiaria a João, seu escravo. 1493-01-30. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 2, n.º 3. Alvará real para Rui Gil dar vestiaria ao escravo João da Mina. 1493-08-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 2, n.º 47. Carta de António Pires a António Carneiro, secretário de estado, remetendo-lhe duas escravas e um escravo de mimo.1517-05-26. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 21, n.º 110. Alvará para se dar a Cristóvão de Carvalho um escravo, pelo preço de 7 réis[!!!?...]1520-07-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 26, n.º 39. Alvará para se entregar a Afonso Monteiro um escravo, por 8.000 réis para o serviço do jardim debaixo e dar-lhe conhecimento como aos do jardim de cima. 1521-06-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 27, n.º 19. Alvará de D. João III para o mestre Nicolau entregar um escravo confeiteiro ao guarda-reposte da rainha.1526-03-07. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 33, n.º 108.
  3. 3.  Carta de Margarida de Palma ao secretário de estado António Carneiro pela qual manda buscar um escravo seu a casa do secretário, por este lho mandar dizer.1528-03-16. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 39, n.º 82. Carta de André Gonçalves ao secretário de estado sobre um escravo que pertencia à mulher de Diogo de Alcáçova.1528-03-26. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 39, n.º 93. Lei de D. Manuel I para que nenhum escravo possa comer em taberna ou outra qualquer venda e para que estas não estejam abertas depois do sino corrido. 1502-03-22. Portugal, Torre do Tombo, Leis, mç. 1, n.º 89. Alvará de D. João III em que manda Vasco Fernandes entregar a João Pacheco, almoxarife do Hospital de Todos-os-Santos desta cidade, o escravo que em sua petição faz menção para o efeito de se curar.1528-10-12. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 41, n.º 76. Carta do bispo de Tânger dando parte ao rei que D. Isabel que tinha fugido por culpa de um escravo já está presa e recolhida em Santa Clara para o mesmo senhor mandar o que fosse do seu serviço.1531-07-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 46, n.º 124. Mandado para que o almoxarife de Tavira não constranja João de Sousa, morador na mesma cidade, por 5.000 réis dos 10 mil réis por que lhe deu um escravo fiado e porque o escravo morreu lhe quita rei os ditos 5.000 réis.1530-10-20. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 46, n.º 3. Carta do juiz de fora de Montemor expondo ao rei D. João III que o rei Xarafo o avisou de que um mouro seu escravo se tinha refugiado numa igreja dizendo que se queria fazer cristão com intento de ficar foro. 1533-09- 23. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 51, n.º 88. Alvará de D. João III para Manuel Velho, tesoureiro, dar vestiaria a António, escravo preto da cozinha, de que lhe faz mercê. 1534-03-28. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 52, n.º 101. Alvará de D. João III de vestiaria ao escravo João.1534-04-18. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 52, n.º 116. Alvará de D. João III para Manuel Velho dar certa vestiaria ao escravo varredor da Fazenda Real.1535-01-23. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 54, n.º 55. Alvará de vestiaria a um varredor escravo do infante D. Duarte. 1535-08-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 55, n.º 119. Alvará de vestiaria a António, escravo que serve na reposta. 1535-04-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 55, n.º 6. Alvará de vestiaria ao escravo Pedro.1535-06-09. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 55, n.º 73. Alvará de D. João III para que Manuel Velho dê a um escravo que anda na Fazenda Real a vestiaria que se declara.1535-12-16. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 56, n.º 106. Alvará de D. João III para que Manuel Velho dê a Duarte, escravo branco[!!!..], e a António, escravo preto da sua estrebaria, a vestiaria que no mesmo se declara.1536-02-26. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 56, n.º 163. Alvará de D. João III para que Manuel Velho dê a um escravo que serve no jardim dos Paços de Lisboa outro vestido como por seu mandado deu aos escravos que servem na tapeçaria e que o entregue ao almoxarife Francisco Lopes na forma que nele se declara.1535-09-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 56, n.º 41.
  4. 4.  Carta do Dr. Simão Afonso a D. João III em que lhe dá conta em como se tinha dado outra sentença sobre o negócio de Sua Alteza acerca do interesse dos cento e vinte e seis escravos, de que já tinha escrito a Sua Alteza, que estavam sentenciados e tapados à razão de 5 ducados por cada escravo, que montavam neles 630 ducados e de como João Fernandes tinha apelado da dita taxa.1537-06-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 58, n.º 104. Carta de Fernando Lopes dando parte ao rei que, chegando àquela ilha de Santa Helena, Gonçalves Fernandes Ferreira, cavaleiro de sua Casa, lhe deixara para o serviço da gente das naus um escravo, no qual achara tais circunstâncias que o obrigavam a Sua Alteza o mandasse pagar ao dito e lho desse para seu companheiro naquele trabalho.1538-05-23. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 61, n.º 96. Alvará para que Simão Pinto, criado do conde de Castanheira, possa trazer por grumete no caravelão que anda na Mina para Achém um seu escravo mulato, por nome Joane, o qual entrara na vagante dos providos antes desta.1538-10-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 67, n.º 56. Carta do imperador Carlos V para Luís de Mendonça, seu embaixador na corte portuguesa, pedir ao rei que mandasse a D. João de Meneses, capitão da Fortaleza de Mazagão, que entregasse a Luís Bibram um seu escravo chamado Gabriel, que lhe tinha tomado.1541-04-13. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 69, n.º 93. Mandado por que a rainha D. Catarina ordena a Álvaro Lopes, seu tesoureiro, dê a Duarte Fróis, índio, escravo da dita senhora, 8.000 réis para sua vestiaria. 1552-02-01. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 87, n.º 78. Mandado da rainha D. Catarina para os contadores da sua fazenda levarem em conta a Álvaro Lopes, tesoureiro da mesma senhora, 1875 réis que deu a Francisco Araújo, para despender num vestido, para um escravo que serve as damas.1552-10-03. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 88, n.º 138. Alvará da rainha D. Catarina por que mandara a Álvaro Lopes, pagasse a mestre Luís, cirurgião 1.000 réis pela cura que fizera a João escravo. 1552-11- 30. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 89, n.º 27. Alvará de D. Manuel I para o recebedor dos escravos dar a Francisco de Abreu um escravo do valor de 6.000 réis.1510-11-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 9, n.º 103. Alvará para se desse ao prior de S. Mateus de Soure um escravo de 7.000 réis de preço.1511-01-30. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 9, n.º 125. Alvará da rainha para se entregarem a Henrique Velho, seu reposteiro, 10.920 réis para vestiaria dos varredores e de um escravo que servia as damas. 1553-09-16. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 91, n.º 16. Alvará da rainha D. Catarina para se levarem em conta, a seu tesoureiro, 21.810 réis que despendeu em várias compras a saber, um escravo para serviço das damas, vestidos e outros.1553-09-09. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 91, n.º 8. Alvará da rainha D. Catarina para se darem a Pedro Fernandes, escravo seu varredor, 2.000 réis de mercê.1554-06-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 92, n.º 152.
  5. 5.  Alvará da rainha D. Catarina para se darem a Pedro Fernandes, porteiro que foi da câmara do príncipe, seu filho, um escravo por nome Sebastião de que lhe fazia mercê.1554-04-07. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 92, n.º 80. Alvará da rainha D. Catarina para Álvaro Lopes dar a Baltasar Cornejo um escravo, por nome Francisco, atendendo ao serviço que lhe fizera no ofício de guarda-reposte.1554-10-12. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 93, n.º 138. Atestação de Diogo Velho em que declara ser verdade que um escravo por nome Cristóvão, que entregou Álvaro Lopes, morrera.1556-01-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 97, n.º 60. Alvará da rainha D. Catarina em que manda aos contadores de sua casa, que por este, sem mais conhecimento ou mandado, levar em conta a Álvaro Lopes, seu tesoureiro, um escravo varredeiro por nome Cristóvão, que faleceu, pelo que mostra na certidão inclusa.1556-02-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 97, n.º 71. Mandado de Pedro de Nhaja, capitão-mor de Sofala, para o feitor Manuel Fernandes entregar a Afonso Ribeiro, almoxarife dos mantimentos, um escravo de idade de 20 anos para o ajudar no serviço de seu ofício. 1505-12- 06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 10, n.º 89. Mandado de D. Luís de Meneses para o feitor-mor da armada, Jorge Pereira, dar ao provedor do hospital de Ormuz um escravo dos que tem em seu poder.1522-06-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç.101, nº 138. Conhecimento em que se declara que o provedor do hospital de Ormuz recebeu de Jorge Pereira, feitor das presas da armada de D. Luís de Meneses, um escravo para serviço do dito hospital.1522-06-20. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç.101, nº 152. Mandado de D. Luís de Meneses para Jorge Pereira, feitor da sua armada, não carregar em receita a Roque de Sousa um escravo, que se tomou na vinda de Chaul, porque lhe fugiu.1522-07-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç 102, nº 116. Mandado de D. Luís de Meneses, capitão-mor de Ormuz, para o feitor da sua armada, Jorge Pereira, dar a António Rodrigues Cabral um escravo sobre seu soldo. 1522-07-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç 102, nº 23. Alvará do vedor da Fazenda da Índia, Dr. Pedro Nunes, pelo qual em virtude de um escravo de mestre Vinel, chamado Simão, ter servido 5 anos de “lavrar de machado” sem soldo nem vencimento, determina que o mesmo escravo haja o mesmo mantimento mensal dos oficiais.1522-10-16. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 104, n.º 92. Mandado do Dr. Pedro Nunes, vedor da Fazenda na Índia, para que um escravo de Francisco Álvares, chamado Jorge, haja de mantimento 1 vintém por dia do seu trabalho de torneiro, como os outros oficiais do mesmo oficio.1522-11-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 105, n.º 31. Treslado de um alvará do governador da Índia em que ordena ao vedor que faça pagar mantimento a João Francisco, calafate que trabalha na Ribeira, escravo de Pedro Anes, calafate.1523-01-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 106, n.º 17. Alvará do capitão-geral e governador das Índias, D. Duarte de Meneses, determinando que um escravo de Diogo Fernandes, ferreiro, que serve o
  6. 6. dito ofício, haja o mesmo mantimento que tem os outros ferreiros.1523-01-24. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 106, n.º 88. Mandado de Pedro Ferreira Fogaça, capitão da cidade de Quiloa e Fortaleza de Santiago, para o feitor Fernando Cotrim dar um escravo a Mafamede Orcone, rei da dita cidade. 1506-11-14. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 11, n.º 175. Mandado de Pedro Ferreira Fogaça, capitão da cidade de Quiloa e fortaleza de Santiago, para os contadores levarem em conta a Fernando Cotrim, feitor da dita fortaleza, um escravo que morreu. 1506-08-20. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 11, n.º 83. Conhecimento em que se declara que o feitor da fortaleza de Chaul, Jorge Lopes de Andrade, recebeu do feitor e tesoureiro da armada de D. Luís de Meneses, Jorge Pereira, um escravo que tinha de uma presa.1523-12-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 112, n.º 52. Mandado de D. Duarte de Meneses para o almoxarife dos mantimentos de Cochim, Simão do Amaral, receber um escravo de que se lhe faz mercê.1524-01-28. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 113, n.º 33. Mandado de D. Duarte de Meneses para o almoxarife dos mantimentos de Cochim, Simão do Amaral, receber um escravo de que se lhe faz mercê.1524-01-28. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 113, n.º 38. Certidão de Gonçalo Fernandes de onde consta pôr-se verba no título de D. Francisco de Meneses, para se descontar de seu soldo, um escravo que houve do feitor da armada de D. Luís de Meneses.1524-06-19. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 116, n.º 43. Mandado do feitor para o almoxarife de Ormuz dar a um escravo, que serve na ferraria, o mantimento dos meses de Agosto e Setembro.1524-09-26. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 119, n.º 105. Mandado de Pedro Ferreira Fogaça, fidalgo da Casa Real, comendador de Puços e Maçãs, capitão de Quilôa e Fortaleza de S. Tiago, por que ordena a Fernando Cotrim, feitor dela, que dê ao mouro que trouxe o escravo de João da Nova um fambule[?..] pequeno. 1506-12-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 12, n.º 20. Mandado de Nuno Vaz Pereira, fidalgo da Casa Real e capitão de Sofala com poderes de vice-rei, para que Fernando Cotrim, feitor da Fortaleza de S. Tiago de Quiloa, dê a Xeque Timão um escravo para ir num zambuco[embarcação asiática]levar pedra a Sofala.1507-01-18. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 12, n.º 61. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar 15 mãos de arroz para mantimento de um escravo que servia na ferraria.1524-11-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 120, n.º 192. Provisão para o almoxarife do armazém de Guiné de Lisboa tirar para si 29$ réis de seu mantimento e 9$ réis de ordenado[!!]para um escravo.1524- 10-18. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 120, n.º 86. Mandado do vedor da Fazenda de Cochim para o feitor da fortaleza pagar a um escravo do porteiro da Fazenda, Manuel Fernandes, 300 réis por mês de seu mantimento.1524-12-30. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 122, n.º 132. Mandado para o almoxarife (de Ormuz), dar a um escravo que serve na ferraria, 30 mãos de arroz de seu mantimento de dois meses.1525-01-26. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç.123, n.º 115.
  7. 7.  Certificado do escrivão da fazenda, Fernão Nunes, em que atesta que um escravo do porteiro da Fazenda, Manuel Fernandes, serviu de varredor durante 3 meses.1525-03-17.Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 124, n.º 100. Alvará do vedor da Fazenda nas partes da Índia, Nuno Mexia, para se pagar 600 réis, ao calafate João Pires escravo do carpinteiro Gonçalo Pires.1525-03-07. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 124, n.º 73. Alvará do vedor da Fazenda da Índia para o seu feitor dar a um escravo de Nuno Mendes, mestre dos caldeireiros, 600 réis em cada mês, de seu mantimento como malhador de ferro.1525-04-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 125, n.º 11. Certidão em que se atesta que João Pires, escravo de João Farinha, recebeu o seu mantimento como oficial de calafate.1525-04-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 125, n.º 12. Mandado para o almoxarife (de Ormuz), dar para um escravo, que serve na ferraria, 15 mãos de arroz para seu mantimento.1525-05-03. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 125, n.º 87. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar a um escravo 15 mãos de arroz de seu mantimento.1525-07-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 126, n.º 70. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar ao mestre da ferraria 15 mãos de arroz para mantimento de um escravo que serve na dita ferraria. 1525-07-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 126, n.º 71. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar a um escravo que serve no navio Santiago 15 mãos de arroz de seu mantimento.1525-08-16. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 127, n.º 103. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar ao mestre da ferraria 15 mãos de arroz para mantimento de um escravo que serve na dita ferraria. 1525-08-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 127, n.º 110. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar ao despenseiro da fusta S. Lourenço mantimento de arroz para sete canarins e um escravo que servem na fusta.1525-08-01. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 127, n.º 20. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar 15 mãos de arroz a um escravo que serve no navio Santiago. 1525-09-12. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 128, n.º 101. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar ao mestre da ferraria 15 mãos de arroz para mantimento de um escravo que serve na dita ferraria. 1525-09-19. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 128, n.º 129. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar mantimento de arroz a 7 canarins e um escravo que servem na fusta S. Lourenço.1525-09-01. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 128, n.º 33. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar a um escravo que serve com o armeiro 15 mãos de arroz de mantimento.1525-09-04. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 128, n.º 58. Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar para mantimento de 8 canarins e 1 escravo 135 mãos de arroz, e 4 mãos de azeite para gasto da fusta S. Lourenço.1525-10-29. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 135. Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar 135 mãos de arroz, para mantimento de 8 canarins e um escravo que servem na galeota Santa Cruz.1525-11-02. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 156.
  8. 8.  Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar a um escravo que serve na ferraria, 15 mãos de arroz para seu mantimento.1525-11-08. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 190. Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar 15 mãos de arroz, para mantimento de um escravo.1525-11-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 205. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar para um escravo canarim que serve no navio Santiago, 15 mãos de arroz de seu mantimento.1525-10-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 54. Mandado para o almoxarife de Ormuz dar 120 mãos de arroz para mantimento de 7 canarins e 1 escravo, que servem na fusta S. Lourenço.1525-10-02. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 8. Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar para um escravo que serve 15 mãos de arroz de mantimento, com o armeiro da fortaleza.1525-10-14. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 81. Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar 270 mãos de arroz para mantimento de 8 canarins e um escravo do rei que servem na fusta St.ª Cruz.1525-10-15. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 129, n.º 87. Mandado para o almoxarife (de Ormuz) dar 30 mãos de arroz, para mantimento de um escravo do rei.1526-01-02. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 130, n.º 181. Mandado do vedor da Fazenda para o feitor de Goa, Miguel do Vale, entregar ao almoxarife do Armazém de Cochim, um escravo armeiro para limpar as armas de el-rei.1526-03-03. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 132, n.º 123. Conhecimento de Cosme Fernandes, provedor do Hospital de Goa, em como recebeu do feitor Miguel do Vale, 1 escravo pertencente ao rei.1526-10- 06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 136, n.º 61. Mandado de Nuno Mexia para se pôr verba no título de um escravo calafate, de António da Fonseca, para não se lhe dar nenhum despacho enquanto não der conta dos 3 quartéis de marfim.1527-01-07. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 138, nº 92. Arrecadação de Gil de Morais de um escravo que trouxera da ilha da Madeira. 1529-01-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 153, nº 66. Arrecadação e conhecimento do almoxarife da vila da Ribeira Grande da ilha de Santiago passada a requerimento de Miguel Fernandes morador em Lisboa que leva da vila da Ribeira Grande um escravo que foi de Gonçalo Afonso do qual tinha pago os direitos a Sua Majestade.1529-02-29. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 154, nº 32. Conhecimento de Pedro Neto, feitor das ilhas em Lisboa por que recebeu do almoxarife de Cabo Verde uma peça de escravo.1529-09-04. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 158, nº 75. Procuração em pública-forma que fez Sebastião Boga, escudeiro da duquesa de Bragança, a João Martins, capelão do conde de Vimioso, para que por ele e em seu nome pudesse meter entre a tripulação de barco navegando de S. Tomé para S. Jorge da Mina um escravo seu, receber e arrecadar todos os seus ordenados, que pelo regimento lhe forem devidos.1530-01-20. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 161, nº 27. Procuração que fez Isabel Dias a Manuel de Lemos para receber os salários de um seu escravo que envia para a ilha de S. Tomé trabalhar nas
  9. 9. caravelas, com as condições nela declaradas.1530-12-14. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 166, nº 23. Conhecimento e obrigação do feitor Pero Álvares Gentil de como fez procuração a João Álvares para receber dois pardaus[moeda antiga da Índia no valor de 30 centavos] de um escravo seu chamado João.1531-04- 03/1532-06-21. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç.168, n.º 9. Procuração de Isabel Nunes para Pantaleão Álvares e Francisco Anes cobrarem na ilha de São Tomé o soldo de um seu escravo. 1532-02-10/1532-11- 23. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç.173, n.º 131. Mandado de Afonso de Albuquerque a Lopo Álvares, almoxarife em Cananor, dar a Vasco Fernandes um escravo dos que pertenceram ao rei na tomada da nau Mori.1510-09-08. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 23, n.º 108. Mandado de Afonso de Albuquerque a Lopo Álvares, almoxarife dos mantimentos em Cananor, dar a Gaspar de Paiva um escravo que pertenceu ao rei na tomada da nau Miguel, sendo-lhe descontado no seu soldo cinco cruzados em que o dito escravo foi avaliado.1510-09-09. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 23, n.º 112. Mandado de Afonso de Albuquerque a Lopo Álvares, almoxarife dos mantimentos em Cananor, dar a Rodrigo Rebelo, capitão da Fortaleza de Cananor, um escravo e se lhe haver de descontar 5 cruzados em seu ordenado em que o dito escravo foi avaliado.1510-09-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 23, n.º 124. Mandado de Afonso de Albuquerque a Lopo Álvares, almoxarife em Cananor, dar a Francisco de Magalhães um escravo dos que pertenceram ao rei na tomada da nau Mori sendo-lhe descontado no seu soldo seis cruzados em que o dito escravo foi avaliado.1510-09-18. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 23, n.º 138. Mandado de Afonso de Albuquerque a Lopo Álvares, almoxarife em Cananor, dar a Pedro Afonso, enfermeiro do hospital de Cananor, um escravo para servir no dito e uma pipa de vinho para lavatórios e coisas necessárias para os doentes.1510-09-18. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 23, n.º 139. Ordem de Diogo Correia, capitão da Fortaleza de Cananor, em que manda dar a Lopo Álvares, almoxarife de Cananor, para Pedro Afonso, enfermeiro do hospital, um escravo da Costa de Melinde que foi de Jorge Fogaça, para servir no dito hospital. 1511-05-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 26, n.º 156. Mandado de Diogo Mendes de Vasconcelos, capitão de Goa, para Francisco Corvinel, feitor de Goa, dar um cruzado a João Fernandes, alcaide do mar, um cruzado para quem prender um escravo que fugiu da nau de Diogo Fernandes.1511-10-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 28, n.º 116. Mandado de D. Pedro de Castro para Gonçalo Lopes, almoxarife dos escravos, dar a João Pires de Évora um escravo, de preço de 6 mil réis de que tinha um desembargo.1511-09-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 28, n.º 57. Carta de António Carneiro, secretário, para se dar uma peça de escravo a Afonso Gonçalves, carpinteiro, por certa obra do seu ofício.1512-09-10. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 34, n.º 19.
  10. 10.  Obrigação de Antão de Lordelo por que se obrigou ao rei pagar-lhe a quantia de 3200 réis precedidos de 2 moios de trigo dos dízimos das ilhas a que hipotecou umas casas térreas, outras sobradadas, um escravo por nome Francisco e outorgou também seu filho Bernardo de Ornelas.1513-01- 13. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 36, n.º 191. Mandado de Afonso de Albuquerque, capitão-geral e governador das Índias, por que ordena a Francisco Corvinel, feitor de Goa, pague a Duarte de Melo 20 pardaus por um escravo Abexim que lhe comprou para o dar ao embaixador do Preste João.1512-12-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 36, n.º 60. Mandados de Afonso de Albuquerque governador da Índia , para Francisco Corvinel, feitor de Goa, dar das primeiras presas que se fizerem a Artur Vaz, Álvaro Fernandes, Pedro Godinho, Heitor Rodrigues, Antão Nogueira, Rui Pereira, Pedro Soares, Sebastião Rebelo, Afonso Lopes Galeano, Simão Velho, Rodrigues Álvares e Cristóvão de Barros a cada um seu escravo.1513-02-05. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 37, n.º 28. Procuração que Jorge Pereira, fidalgo da Casa Real, faz a Fernão de Miranda, seu cunhado, para receber de Gonçalo Lopes, almoxarife dos escravos do rei, um escravo que lhe foi desembargado.1513-05-23. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 38, n.º 141. Alvará de D. Manuel I para o almoxarife dos escravos, que vêem da Guiné para Lisboa, dar a Martim Albernaz um escravo de 800 réis por mercê. 1513- 09-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 41, n.º 178. Alvará de D. Manuel I para que Gonçalo Lopes dê a Mem Rodrigues de Vasconcelos, um escravo pelo preço de 6.000 reis de que lhe faz esmola e outros.1513-10-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 42, n.º 215. Ordem de Afonso de Albuquerque para Lopo Álvares, almoxarife desta fortaleza para que se em seu poder tiver algum escravo de Jorge Fogaça o entregue a Jorge Nunes, capitão em São Cristóvão, e em caso de impedimento o informe. 1513-12-22. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 43, n.º 194. Procuração em pública forma de Jorge Rodrigues a João de Castro para que em seu nome possa receber de Gonçalo Lopes, almoxarife dos escravos do dito senhor, um escravo de que o rei D. Manuel I lhe fez mercê.1513-11-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 43, n.º 54. Ordem de Afonso de Albuquerque para o almoxarife Lopo Álvares entregar a Rui Gonçalves, capitão da ordenança, um armeiro escravo de D. Manuel I, com seu aparelho.1513-11-20. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 43, n.º 97. Carta de António Carneiro a seu primo em que lhe diz “dê a Estêvão Gomes, mestre da nau em que vai Afonso Vaz, uma boa peça de escravo ou escrava de que lhe faz mercê”.1514-01-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 44, n.º 19. Carta de António Carneiro a seu primo em que lhe diz “lhe mande outra peça de escravo ou escrava”.1514-01-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 44, n.º 21. Procuração de Luís Fidalgo a Rui Lopes para receber do almoxarife dos escravos de D. Manuel I, 1 escravo ou 6.000 réis por ele que sua majestade lhe fizera mercê.1514-02-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 45, n.º 62.
  11. 11.  Provisão para o almoxarife dos escravos que vêm da Guiné dar a Jorge de Vasconcelos um escravo de preço de 10.000 réis. 1514-04-25.Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 46, n.º 117. Provisão do rei D. Manuel por que mandou ao recebedor dos escravos que vêm de Guiné, desse a Francisco Velho, escrivão do armazém da Índia, um escravo de preço maior de seu ordenado.1514-07-12. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 49, n.º 69. Provisão de D. Manuel I para o recebedor do tesouro Rui Leite dar ao mestre Diogo, cirurgião, 7.000 réis para um escravo de que lhe faz mercê.1514-08-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 50, n.º 35. Provisão de D. Manuel I para o almoxarife ou recebedor da Casa dos Escravos dar do contrato de Arguim a Pedro Rodrigues de Carvalho, 6 mil réis para um escravo de que lhe fez mercê.1514-08-07. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 50, n.º 37. Provisão para Rui Leite, recebedor do tesoureiro, dar a Henrique, escravo varredor, um vestido de capa pelote e calças de pano e gibão de chamalote.1514-08-25. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 51, n.º 6. Recibo de Cristóvão de Faria de como recebera de Diogo de Alcáçova a peça de escravo conteúdo.1515-01-21. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 54, n.º 105. Mandado de Afonso de Albuquerque para Manuel da Costa, feitor das presas, dar a Álvaro Leitão um escravo. 1515-01-29. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 54, nº 130. Obrigação por que Pedro Gonçalves, morador em Calecute, se constituiu devedor a Francisco Nogueira, fidalgo da Casa Real e capitão da mesma fortaleza, de 8 pardaus procedidos de um escravo que lhe comprou para o que lhe consignou o seu soldo à dita divida.1515-08-18. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 59, n.º 188. Mandado de D. Aleixo de Meneses, capitão-mor da cidade de Ormuz, para o feitor dela dar a Álvaro Leitão um escravo das presas ou o seu valor, em virtude de um alvará de Afonso de Albuquerque que para isso lhe apresentou. 1516-06-17. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 65, n.º 52. Procuração bastante de Manuel de Sousa para Francisco Índio, seu escravo, e Belchior Rodrigues, receberem do almoxarife ou recebedor de Aveiro 157.377 réis que lhe eram devidos.1516-12-03. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 67, n.º 57. Conhecimento em que se declara que Francisco Gonçalves, mestre da galé S. Pedro, recebeu de António Carvalho, feitor da Fortaleza de Cananor, um escravo por nome Anage.1519-09-14. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 84, n.º 139. Conhecimento em que se declara que João Meirinho, piloto da caravela Santa Maria da Luz, recebeu de António Portocarrero um escravo e uma escrava para entregar aos oficiais da Casa da Mina.1519-10-06. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 85, n.º 53. Mandado do governador da Índia, Diogo Lopes de Sequeira, para o feitor de Goa, Francisco Corvinel, pagar a Pedro Gomes Teixeira, ouvidor, 6 mil réis que deu a Henrique do Touro por 1 escravo que o mesmo governador lhe mandou tomar.1520-01-20. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç. 87, n.º 28.
  12. 12.  Doação ao Hospital de Todos-os-Santos de 1 escravo de cada caravela que viesse da Guiné. Portugal, Torre do Tombo, Gaveta 2, Parte II, mç. 2, nº 62. Conhecimento em que se declara que o despenseiro do navio Stª Maria de Guadalupe, Pedro Lopes, recebeu de João Nunes, almoxarife do armazém de Malaca, um escravo carpinteiro.1521-01-11. Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, mç 93, nº 116. A Nuno, escravo, de cerca de nove anos de idade, filho de Catarina, que também foi escrava de Vasco da Gama, morador na vila de Olivença, confirmação da alforria.1501-06-21. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 17, f. 53. Aos escrivães do Armazém da Guiné e Índia da cidade de Lisboa, querendo ordenar prémio e interesse pelo continuado trabalho que levavam, sem outro algum proveito nem percalço, somente o mantimento que por carta da Fazenda tiravam, lhes fazia mercê, desde Janeiro de 1504 em diante, em cada um ano, de um escravo de preço maior e, de cada pessoa a que desse o mestrado de um navio, até 100 toneladas, houvessem um cruzado de ouro, e passando as 100 toneladas, por cada 50 toneladas mais, outro cruzado.1503-12-22. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 21, f. 30v. A Cosme Negro, escravo de Luís Vaz, morador em Lisboa, foi dada carta de perdão. 1496-02-24. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 26, f. 63v. Pero Gonçalves, moço da câmara, e Diogo de Barros, seu irmão, filhos de Pero Gonçalves da Clara, moradores na Ilha da Madeira, porque João Ramos, alcaide na Ribeira Brava, lhes tomara uma espada a seu escravo Jerónimo, foram, após a missa, com dois escravos, com suas lanças a casa do alcaide questioná-lo sobre a tomada da espada.1496-01-15. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 32, f. 45v. A Daniel, escravo de Apariço Gonçalves, morador na ilha da Madeira, perdão por ter furtado 2 cruzados e uma jóia que valia 2.1501-09-13. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 37, f. 37. A António, escravo de João Fernandes, morador na vila de Santarém, perdão por, com fúria, ter dito ao seu senhor que descria de Deus, pelo que andava amorado[descrente].1502-12-29. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 37, f. 59v. A Branca Pires, mulher de Lopo Garcia, ferrador, morador em Braga, perdão por, com outras mulheres, tentarem que o alcaide pequeno dessa cidade, João de Ponte, não prendesse João, escravo de Álvaro Pires, cónego na Sé dessa cidade, pelo que andava amorado.1501-11-22. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 37, f. 79. A frei[!!] Álvaro Carvalho, morador em Castelo da Vide, perdão por ter vendido um seu escravo para os reinos de Castela.1502-01-18. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 37, f. 84. A Estêvão, escravo de D. João de Menes[es], conde de Tarouca, prior do Crato, do Conselho do Rei, mordomo-mor, perdão por lhe ter tomado uma camisa, avaliada em 200 reais, pelo que fora preso.1521-06-21. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 37, f. 90. A Estêvão Pais, criado que fora de Pedro de Anhaia, mercê, por se assim é, de metade de um escravo por nome António, que ficara de Pero Fogaça, preto forro, natural de Benim, o qual falecera, vindo para o reino em um
  13. 13. navio, sem fazer testamento, nem ser casado, nem ter herdeiros, vindo da Ilha do Príncipe.1520-05-15. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 38, f. 26. João Preto, escravo forro, que fora de Beatriz Gonçalves, viúva de João Roiz, azeiteiro, enviou dizer que Brites Gonçalves, à hora de sua morte, o deixara forro e isento, e que Pero Eanes, seu filho, morador nessa cidade, por o fazer seu cativo, denunciara dele dizendo que, sendo seu senhor, pusera as mãos nele, iradamente, e lhe fizera uma arranhadura na mão, pelo que o fizera prender.1496-05-05. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 40, f. 117. Gonçalo, escravo negro de Mem Gonçalves, cavaleiro e cidadão, morador em Lisboa, enviou dizer, por sua informação que fora condenado a ser açoutado publicamente, com pregão na audiência, pelas ruas de Santarém, e lhe cortassem as orelhas, por se dizer contra ele que lançara mão de uma mulher solteira[boa!]que andava de eira em eira, segundo na sentença de condenação se continha.1501-11-15.Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 46, f. 108v. João Pegas, cavaleiro da casa do rei e morador em Beja, enviou dizer, por sua petição que Álvaro Fernandes Farrabães (sic), aí morador, querelara de um seu escravo, por nome Fernando, dizendo que saltara com um outro, dele quereloso, por nome Joane, de propósito, e lhe dera duas feridas: uma pela parte direita de seu corpo, e outra por um pé. 1517-01-04. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 46, f. 153. João Alvares, meirinho e carcereiro que fora em Almada, enviou dizer que lhe fora entregue preso um João Nunes, criado de Afonso Eanes, almoxarife da Alfândega da cidade de Lisboa, por ferir um escravo de Isabel Serrão, moradora na Amora, termo de Almada, à porta de sua casa.1501-07-07. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 46, f. 36v. Diogo Leitão, cavaleiro da casa do rei e Tesoureiro da Infanta sua Senhora e Madre (D. Brites), enviou dizer que Diogo, seu escravo, fora preso na Ilha da Madeira por se dizer que, com outro, ferira um homem, o qual logo fora seu amigo, e do outro.1501-09-20. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 46, f. 50. João Luís, morador em Povos, enviou dizer, por sua petição, que um dia de Janeiro desse ano de 1501, estando ele, suplicante, na praça da vila falando com outros homens, o alcaide João Afonso lançou mão de um escravo negro de Martins Coelho, aí morador, para o prender. 1501-08-26. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 46, f. 55. Fernando Alvares, morador em Povos, enviou dizer, por sua petição, que um dia de Janeiro desse ano de 1501, estando ele, suplicante, em uma rua dessa vila, falando com outros homens aí moradores, o alcaide João Afonso lançou mão de um escravo de Martim Coelho, morador nessa vila.1501-08-26 Portugal, Torre do Tombo. Chancelaria de D. Manuel I, liv. 46, f. 55. André Afonso, escravo de Diogo Nunes, morador em Alcácer do Sal, enviou dizer por sua informação que fora com outros ao mato e lá lhe fora necessário fazer fogo para cear.1501-11-22. Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Manuel I, liv. 46, f. 99. Mandado ao almoxarife dos escravos para que dê um escravo do preço de 10 mil reais de esmola[!!]ao Mosteiro de Santa Maria de Pena.1515. Portugal, Torre do Tombo, Fragmentos, cx. 7, mç. 2, n.º 4B.
  14. 14.  Alvará (traslado da) que o rei D. Manuel I fez ao hospital de Todos-os- Santos de um escravo por cada caravela que viesse da Guiné.1520-10-04. Portugal, Torre do Tombo, Gavetas, Gav. 2, mç. 2, n.º 62.  Alvarás régios fazendo mercê ao Hospital de um escravo ou escrava de cada navio ou caravela que proveniente da Guiné.1515-09-17. Portugal, Torre do Tombo, Hospital de São José, cx. 273, mç. 1, n.º 3ª.  Alvarás régios fazendo mercê ao Hospital de um escravo ou escrava de cada navio ou caravela que proveniente da Guiné.1515-09-17. Portugal, Torre do Tombo, Hospital de São José, cx. 273, mç. 1, n.º 3ª.  Alvarás régios fazendo mercê ao Hospital de um escravo ou escrava de cada navio ou caravela que proveniente da Guiné.1515-09-17. Portugal, Torre do Tombo, Hospital de São José, cx. 273, mç. 1, n.º 3.  Réu: Manuel Saloio, Homem Preto, Escravo de Joaquim José dos Reis; Autor: Francisco da Costa.1790. Portugal, Torre do Tombo, Feitos Findos, Processos-Crime, Letra M, mç. 86, n.º 5, cx. 193.  Auto cível de soldadas em que é autor Manuel da Fonseca e Silva, possuidor de um escravo de nome José, cozinheiro do navio “Pérola do Mar” e réu António Pereira Coelho.1797. Portugal, Torre do Tombo, Feitos Findos, Juízo da Índia e Mina, mç.85, n.º 9, cx 85.  Autos de justificação de Joaquim dos Santos, que foi senhor dum escravo chamado Mateus dos Santos que lhe fugiu para a Índia sem sua autorização. Foi rematado na forma do Decreto de Sua Majestade e o seu produto se acha no cofre do depósito geral e porque na certidão da receita consta esta verdade.1779/1780. Portugal, Torre do Tombo, Feitos Findos, Juízo da Índia e Mina, Justificações Ultramarinas, Oriente, mç. 7, n.º 18.  Carta de João Machado da Costa para Gaspar Gonçalves de Araújo denunciando o negro José, escravo de Domingos Alves Pereira.1729-04- 24/1729-07-30. Portugal, Torre do Tombo, Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 15484.  Denúncia de Francisco escravo de Francisco Pereira.1728-03-23. Portugal, Torre do Tombo, Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 14577.  Carta de denúncia contra o escravo António o Marimba.1782-09-15/1782-11-03. Portugal, Torre do Tombo, Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 14686.  Carta de denúncia contra João Vieira da Silva, escravo de António de Seixas Correia. 1798-11-13/1801-03-23. Portugal, Torre do Tombo, Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 16141.  Ratificação da confissão de Manuel de Andrade, escravo de D. Maria Teresa de Andrade, contra o escravo Francisco.1731-06-14. Portugal, Torre do Tombo, Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 16479.  Certidão dos autos de sumário a que se procedeu em Calumbo, pelo crime de asilar e vender escravos fugidos de diversas pessoas de Luanda, em que é autor o Ministério Público e réus Francisco de Assis Esquiate de Meneses e seu cunhado Francisco dos Santos e Domingos, escravo do primeiro réu.1854. Portugal, Torre do Tombo, Viscondes de Vila Nova de Cerveira, cx. 47, n.º 11.Arquivo Nacional da Torre do Tombo

×