Importancia da leitura

57,478 views

Published on

Formação do dia 03 de junho de 2013, turma B - Araucária - PR.
http://despactando.blogspot.com.br/

Published in: Education
25 Comments
22 Likes
Statistics
Notes
  • Boa tarde Camila Ribeiro minha amada manda esse material para mim. Por favor estou precisado ele é belíssimo. Sou OE no Piauí.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Boa tarde Camila, estou aqui me deliciando com os seus estudos e encantada com tão rico material. Sou pedagoga também aqui no interior de MInas Gerais e gostaria de ter acesso aos seus materiais. Não estou conseguindo baixar nem pelo seu blog. Será que você me permite usálos. Favor me dar devolutiva pelo meu e-mail: heslem.franco@adventistas.org.br. Já agradeço sua atençã.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • @Simone Soares Olá, Simone. Tenho um BLOG onde centralizo muitas informações, atividades entre outros sobre o PNAIC. Passa lá. despactando.blogspot.com.br
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Olá camila como vai? vc pode passar seu email? o meu é simonearsoares@gmail.com. Sou ATP do Observatório de Educação e gostei muito de seu trabalho. Temos aqui vários orinetadores do PNAIC e eles gostarma muito tb. abç
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • @edilaniapaivasilvaneiva Olá, ela está aberta. Por favor me avise se não conseguir ainda salvar que te mando por email.
    beijos
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
57,478
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
49,267
Actions
Shares
0
Downloads
254
Comments
25
Likes
22
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Importancia da leitura

  1. 1. Atividade de Casa: Planejar uma aula inspirada na experiência relatada na seção “Compartilhando”, utilizando o livro didático. APRESENTAÇÃO DE 3 ATIVIDADES
  2. 2. UNIDADE 3 – PARTE 2 A IMPORTÂNCIA DA LEITURA ORIENTADORA - CAMILA RIBEIRO
  3. 3. A CASA SONOLENTA
  4. 4. A CASA SONOLENTA BARALHO NARRATIVO – ASPECTOS MORFOSSINTÁTICOS REGRAS DO JOGO: ORGANIZAR A SALA EM 4 GRUPOS. CADA GRUPO RECEBE UM CONJUNTO DE FICHAS. AS CRIANÇAS BARALHAM OS DIVERSOS GRUPOS E TENTAM FORMAR SEQUÊNCIAS, RELACIONANDO INICIALMENTE DOIS GRUPOS DE FICHAS E ACRESCENTANDO AOS POUCOS, NOVOS GRUPOS ATÉ ALCANÇAR A SEQUÊNCIA COMPLETA. PERSONAGEM – AÇÃO – LOCAL – TEMPO - ESPAÇO
  5. 5. A leitura deve fazer parte da rotina de sala, independentemente das outras atividades que acontecerem. É extremamente recomendável criar o hábito cotidiano do momento da leitura, para que as crianças ouçam, conversem e recontem livremente as histórias. (Trilhas para aprender a ler e escrever, 2012, p.10). •Ler por prazer. •Ler para aprender. A importância da leitura
  6. 6. . Aprender com textos é muito diferente de aprender com palavras soltas. Um texto caracteriza-se por um conjunto de palavras ou frases que tratam do mesmo assunto, portanto, pode-se dizer que ele possui coerência. Além disso, um texto apresenta continuidade, organização e progressão nas informações que contém. Em um texto, as expressões não são postas ali de forma aleatória, mas, pelo contrário, todos os elementos presentes estão a serviço da coesão. Ou seja, deve haver integração tanto no conteúdo abordado quanto na forma como é escrito. (Trilhas para aprender a ler e escrever, 2012, p.7). EFde9anos.pdf O texto como unidade de ensino-aprendizagem
  7. 7. Os textos estão nos livros, e estes funcionam como seu suporte. A apresentação de obras impressas para as crianças ajuda que aprendam conceitos, tais como autor, ilustrador, capa e título, entre outros. Trata-se dos chamados conceitos letrados, que são aprendidos em contato com o mundo da escrita. Para ajudar na introdução a esse universo, é importante conversar, desvendar a lógica dos livros, nomear seus elementos (capa, título, ilustração...), falar de estrutura de narrativa (personagem, ação, começo, final) e de atitudes comuns ao leitor habitual, mas ainda desconhecidas pelas crianças (onde olhar e como manusear os livros, por exemplo). (Trilhas para aprender a ler e escrever, 2012, p.13) Por que sistematizar com literatura?
  8. 8. • A familiaridade da criança com o texto que vai ler é fundamental para que possa interagir na leitura. Conhecer melhor o que vai ler favorece a autonomia leitora, a fluência, a compreensão, o desenvolvimento do vocabulário e o gosto por aprender. • Os livros de fácil memorização ajudam as crianças a entender como a escrita funciona, a aprender sobre estrutura de histórias e a reconhecer palavras, além de representar uma fonte de prazer e informação. (Trilhas para abrir o apetite poético, 2012, p.16).
  9. 9. . Livros de fácil memorização Textos rítmicos Textos de repetição Textos com padrão básico de oração Textos de duas partes Justaposição Acumulação Subtração
  10. 10. . Textos rítmicos Permitem às crianças realizar antecipações de algumas das palavras. Por exemplo, os livros Não confunda (Eva Funari, Editora Moderna) e Duas dúzias de coisinhas à toa que deixam a gente feliz (Otavio Roth, Editora Ática).
  11. 11. . Textos de repetição Repetição por justaposição: um ou mais personagens realizam ações sucessivas e que se repetem. Por exemplo, Cabritos, Cabritões, (presente no acervo de livros); Repetição por acumulação: a cada parte da história repete-se continuamente o texto da página anterior, somando uma nova linha. Por exemplo, O grande rabanete, A casa sonolenta e Uma girafa e tanto (também presentes no acervo); Repetição por subtração: vão-se eliminando personagens ao longo da história. Por exemplo, Eram cinco (Ernst Jandl, Editora Cosac Naify) e Dez sacizinhos (Tatiana Belinky, Editora Paulinas). As partes do texto que se repetem facilitam a memorização da criança e favorecem uma leitura autônoma de partes da história.
  12. 12. . Textos com padrão básico de oração Com textos com padrão básico de oração, que por sua estrutura dão um apoio ao leitor. Esse padrão básico poderia ser representado por “Esta é __________” que está repetido em todos os versos com variações na primeira parte da oração (a casa, a farinha, o gato etc.). A história A casa que Pedro fez, presente no livro Histórias de contar (Editora Companhia das Letrinhas), é um exemplo desse tipo de história.
  13. 13. . Textos de duas partes Com textos de duas partes, como, por exemplo, Bruxa, Bruxa, venha à minha festa. Esse tipo de texto promove uma leitura próxima a uma conversação, na qual uma pergunta é feita em uma página do livro e se determina a resposta na página seguinte.
  14. 14. . • Em grupos (4 grupos). • Contar a história do livro, de maneira criativa.
  15. 15. . • VAMOS TOMAR UM CAFÉZINHO???? 15 MINUTOS
  16. 16. . Conhecendo o livro vocetroca_EF.ppt
  17. 17. . 1. Conhecer o livro e brincar com as ilustrações • Olhar atento sobre as ilustrações, explorando detalhes, conversando sobre o que é possível existir ou não. • Questionar sobre personagens conhecidos que aparecem na história rimada, como o Gato de Botas, a Chapeuzinho, o Lobo. Será que são os mesmos das histórias clássicas?
  18. 18. . • Brincar como em um jogo da memória, tentando encontrar os pares de figuras que rimam. 2. Fazer pares com as ilustrações.
  19. 19. . • VOCÊ TROCA? • Você troca um gato contente • Por um pato com dente? • Você troca um canguru de pijama • por um urubu na cama? • Você troca um coelho de chinelo • Por um joelho de cogumelo? • Você troca um leão sem dente • Por um dragão obediente? 3. Observar e localizar palavras que rimam (interna e externa). • Você troca um ratinho de camisola • Por um passarinho na gaiola? • Você troca uma taturana molhada • Por uma banana descascada? • Você troca um espião com preguiça • Por um ladrão de salsicha? • Você troca um tutu de feijão • Por um tatu de calção?
  20. 20. . • Você troca um rato assustado • Por um gato amarrado? • Você troca um lobinho delicado • Por um Chapeuzinho malvado? • Você troca um pinguim fantasiado • Por um patim alucinado? • Você troca um mamão bichado • Por um bichão mimado? 3. Observar e localizar palavras que rimam (interna e externa). • Você troca um gato de bota • Por um sapo boboca? • Você troca um varal de feiticeira • Por um final de brincadeira?
  21. 21. 4. Fazer uma lista de palavras rimadas. • A partir: • de palavras do texto. • de nomes dos colegas. • de objetos da sala. • de palavras aleatórias com o objetivo de produzir um novo livro.
  22. 22. 5. Trocar as palavras que rimam por outras. “Você troca um bujão bem quente por um peão com pente?”
  23. 23. . 6. Escrever novas palavras a partir de um mesmo morfema. • Bichado • Bichão • Bicho • Bichinho • Bicharada
  24. 24. . O que mais podemos explorar a partir do texto deste livro?
  25. 25. . • Nosso livro de hoje fala sobre “trocar”. O que costumamos trocar?
  26. 26. . • Também podemos trocar algo que não precisamos ou não usamos mais. Você já trocou alguma coisa desse tipo com alguém?
  27. 27. . Você sabia que existem pessoas que fazem anúncios de trocas?
  28. 28. .
  29. 29. .
  30. 30. . • Nascida em Roma, na Itália, em 15 de novembro de 1948, Eva Furnari vive no Brasil desde os três anos de idade. É escritora e ilustradora de livros infantis, já tendo publicado mais de 30 livros. Durante sete anos publicou pequenas histórias semanais no suplemento infantil do jornal Folha de S.Paulo. A partir de 1980, começou a escrever seus livros. Ao longo de sua carreira, Eva Furnari recebeu diversos prêmios, como ilustradora e escritora. Você conhece a Eva Furnari?
  31. 31. Algumas obras de Eva Furnari
  32. 32. O gesto de responder o livro de Eva Furnari, mostra que Marcos França além de alfabetizado é letrado. videosvocetroca.avi
  33. 33. “[...] devemos estar atentos para o fato de que ter alcançado uma hipótese alfabética não é sinônimo de estar alfabetizado. Se já compreendeu como o SEA funciona, a criança tem agora que dominar as convenções som-grafia de nossa língua. [...] A consolidação da alfabetização, direito de aprendizagem a ser assegurado nos segundo e terceiro anos do primeiro ciclo, é o que vai permitir que nossas crianças leiam e produzam textos, com autonomia.” (Unidade 3, Livro Azul, p.16). reivencao_alfabetizacao_MS.pdf SER ALFABÉTICO X SER ALFABETIZADO
  34. 34. 1. atividades que envolvem o domínio de correspondências som-grafia; 2. atividades que envolvem o reconhecimento e o uso de diferentes tipos de letra; 3. atividades que envolvem a utilização do espaço em branco para separar as palavras do texto. É PRECISO DESENVOLVER ATIVIDADES (Unidade 2, Livro Laranja, p.21)
  35. 35. . 1. atividades que envolvem o domínio de correspondências som- grafia; (Idem, p.11).(Idem, p.11). -BINGO DOS SONS INICIAIS - CAÇA-RIMA - DADO-SONORO - TRINCA-MÁGICA *ampliados em sala de aula por meio de atividades complementares de reprodução escrita das palavras contidas no jogo, gerando outras reflexões sobre o registro gráfico. -BINGO DOS SONS INICIAIS - MAIS UM - TROCA LETRAS - PALAVRA DENTRO DE PALAVRAS * Contribuem de forma direta para o estabelecimento das relações entre pauta sonora e registro gráfico.
  36. 36. As coleções de livros didáticos de alfabetização, aprovadas nas últimas edições do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), em geral, apresentam propostas interessantes para a inserção, de maneira gradativa, do reconhecimento e uso dos diferentes tipos de letra pelos alunos. (Idem, p.11).(Idem, p.11). 2. atividades que envolvem o reconhecimento e o uso de diferentes tipos de letra; Apresentação de textos em letra cursiva, como bilhetes, por exemplo, e solicita-se aos alunos identificar os locais em que a letra cursiva aparece. O mesmo pode ser feito com a imprensa maiúscula e minúscula. Apresentar textos curtos – parlendas, cantigas, trava-línguas ou poesias - em formato de letras diferentes. Nesse tipo de atividade, os comandos podem levar os alunos a estabelecer comparações entre os textos apresentados e, podem também, solicitar pesquisas com os tipos de letra em destaque na atividade.
  37. 37. . (Idem, p.11). 3. atividades que envolvem a utilização do espaço em branco para separar as palavras do texto. A identificação dos espaços em branco entre as palavras pode ser realizada quando na contagem dos espaços em branco e, por conseguinte, da quantidade de palavras de um enunciado, se solicitar aos alunos pintarem esses espaços e identificarem também letras iniciais e finais de cada palavra. Pode-se sugerir que os alunos pintem cada palavra de uma cor diferente ou que delimitem com um traço o início e fim das palavras. Ainda pode ser solicitada a reescrita do texto com a inserção dos espaços em branco entre as palavras, apresentando-se seja em formato de texto corrido seja em caixas referentes à quantidade de palavras do texto para serem preenchidas.
  38. 38. . (Idem, p.11). CANTINHO DA LEITURA É imprescindível que desde o início a criança se torne leitora, pois, a vida cotidiana está repleta de oportunidades e situações de leitura. Como o próprio nome já diz, o cantinho da leitura é um lugar reservado a leitura de contos, de gibis, de revistas, além de outros. O objetivo desse "cantinho" é produzir o hábito de leitura, a interação entre os alunos, o aprendizado coletivo, o respeito (silêncio quando o colega estiver lendo ou contando a história)
  39. 39. . (Idem, p.11). CANTINHO DA LEITURA - CAIXA
  40. 40. . (Idem, p.11). CANTINHO DA LEITURA – DE PAREDE
  41. 41. . (Idem, p.11). CANTINHO DA LEITURA – DE VARAL
  42. 42. . (Idem, p.11). CANTINHO DA LEITURA
  43. 43. ASSIM... • Domínio da escrita alfabética em palavras. 1º ANO • Leitura e escrita de palavras, frases e pequenos textos. 2º ANO • Consolidação do processo de compreensão do SEA • Autonomia na leitura e produção de textos. 3º ANO
  44. 44. Que outros recursos temos para auxiliar nosso aluno a avançar na compreensão do SEA? acervoscomplementares_2013_site.pdf acervos_obras_complementares1.pdf
  45. 45. LIVROS DIDÁTICOS DE ALFABETIZAÇÃO Os efeitos positivos do livro didático nas escolas não dependem apenas de uma boa escolha do livro, mas também de um uso adequado desse instrumento em sala de aula. 1970 1980 1990 2004 PNLD PRÁTICAS DE LETRAMENTO
  46. 46. • Animação: http://revistaescola.abril.com.br/gestao- escolar/diretor/historia-livro-didatico-mec-pnld- 532344.shtml LIVROS DIDÁTICOS
  47. 47. Auxilia no planejamento e na gestão das aulas. Favorece a aquisição de conhecimentos, assumindo o papel de texto de referência. Equilibra as atividades que favorecem o letramento com aquelas que possibilitam a apropriação SEA. Contribui na formação didático- pedagógica. LIVRO DIDÁTICO
  48. 48. TAREFAS DE CASA Escolher uma das obras complementares e planejar uma sequência didática; desenvolver a sequência a fim de discutir no próximo encontro. (lista disponível no Blog -Livros)
  49. 49. FERREIRO, E. Reflexões sobre alfabetização. São Paulo: Cortez, 1985. MACEDO, L.; PETTY, A. L. S.; PASSOS, N. C. Aprender com jogos e situações problema. Porto Alegre: Artmed, 2000. MAREC-BRETON, N.; GOMBERT, J. E. A dimensão morfológica nos principais modelos de aprendizagem da leitura. In: MALUF, M. R. (org). Psicologia educacional – questões contemporâneas. São Paulo: Casa do psicólogo, 2004. MORAIS, A. G. Sistema de Escrita Alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012. PRO-LETRAMENTO. Fascículo 06. Brasília: MEC, 2012. TRILHAS PARA APRENDER A LER E ESCREVER TEXTOS. Caderno 3. Brasília: MEC, 2012. VAL, M. da G. C. (Org.) Alfabetização e Língua Portuguesa: Livros Didáticos e Práticas Pedagógicas. Belo Horizonte: Autêntica Ceale/Fae/UFMG, 2009. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

×