O papel da atenção básica no
controle da epidemia de HIV/aids

30 ANOS DO PROGRAMA ESTADUAL DE AIDS DE SÃO PAULO

Arnaldo ...
População no Estado de São Paulo - 2012
• 42.156.767 habitantes
• 10.663.087 habitantes em 570 municípios com
menos de 100...
Alguns números da Atenção Básica no
Estado de São Paulo ...
• 4.400 unidades básicas de saúde
• Cobertura de 78% no Estado...
Alguns números da Atenção Básica no
Estado de São Paulo ...
Profissional
.. Clínico Geral
.. Gineco Obstetra
.. Médico de ...
Cenário assistencial na Atenção Básica

• Diversidade de modelos assistenciais
–Modelo “tradicional” (predominante)
–Saúde...
Cenário assistencial na Atenção Básica
• Heterogeneidade na capacidade assistencial
das UBS
• Heterogeneidade na formação ...
Diretriz: Modelo de atenção
• Território sanitário
• Incorporação do ACS nas UBS que não
contam com a Estratégia de Saúde ...
Diretriz: Modelo de atenção
• Acesso à atenção ambulatorial
especializada a partir da Atenção Básica
• Incorporação do ate...
Sistema em Redes de Atenção
Rede de atenção à saúde
organizada a partir de
Porta de entrada
necessidades de saúde:
Perfil...
Atenção Básica resolutiva
• Ações do promoção à saúde individual e
coletiva, no território
• Rastreamento e detecção preco...
Situações de alta prevalência na AB
• Portadores de Hipertensão e Diabetes
• Condições associadas ao envelhecimento
• Idos...
DSTs na Atenção Básica
• Sífilis – Especial atenção na detecção e
tratamento da gestante e do parceiro durante
o pré-natal...
HIV/aids na Atenção Básica
• Testagem e aconselhamento em todas as
oportunidades de contato com a UBS
• Encaminhamento par...
HIV/aids na Atenção Básica
• Considerar a capacidade técnica dos
profissionais, a qualidade e a resolubilidade
na atenção ...
HIV/aids na Atenção Básica
• Considerar a questão da garantia de sigilo em
situação na qual os profissionais (incluindo os...
Obrigado!
Arnaldo Sala
asala@saude.sp.gov.br

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

30anos | As ações da Atenção Básica e a Saúde Sexual e Reprodutiva | Arnaldo Sala

578 views

Published on

Apresentação de Arnaldo Sala na Mesa Redonda
Mesa Redonda: O Papel da Atenção Básica no Controle da Epidemia de HIV/Aids

Programa de Tuberculose do Estado de São Paulo - Laedi Alves Rodrigues Santos
As Ações da Atenção Básica e a Saúde Sexual e Reprodutiva – Arnaldo Sala,
Área Técnica de Atenção Básica, Secretaria de Estado da Saúde-SP

Doenças Sexualmente Transmissíveis – Valdir Monteiro Pinto - Centro de Referência e
Treinamento DST/Aids-SP

Coordenação: Ademar Arthur Chioro, Conselho de Secretários Municipais de Saúde-SP

Programação Completa do Evento em http://goo.gl/J59jsY

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
578
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
83
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

30anos | As ações da Atenção Básica e a Saúde Sexual e Reprodutiva | Arnaldo Sala

  1. 1. O papel da atenção básica no controle da epidemia de HIV/aids 30 ANOS DO PROGRAMA ESTADUAL DE AIDS DE SÃO PAULO Arnaldo Sala 30/10/2013
  2. 2. População no Estado de São Paulo - 2012 • 42.156.767 habitantes • 10.663.087 habitantes em 570 municípios com menos de 100 mil habitantes • 31.493.680 habitantes em 75 municípios com mais de 100 mil habitantes • Metade dos 645 municípios possuem população inferior a 12.280 habitantes Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  3. 3. Alguns números da Atenção Básica no Estado de São Paulo ... • 4.400 unidades básicas de saúde • Cobertura de 78% no Estado – Varia de 69% a 100% nos 17 DRS • Saúde da Família – com 3.800 ESF (2012) cobrindo 27% da população (1 ESF para 3 mil habitantes) Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  4. 4. Alguns números da Atenção Básica no Estado de São Paulo ... Profissional .. Clínico Geral .. Gineco Obstetra .. Médico de Família .. Pediatra Enfermeiro Auxiliar de Enfermagem Técnico de Enfermagem Nº 8.234 Equivalente a 10.800 4.461 profissionais com jornada de 40 horas 4.274 semanais 5.343 10.545 7.167 6.958 Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  5. 5. Cenário assistencial na Atenção Básica • Diversidade de modelos assistenciais –Modelo “tradicional” (predominante) –Saúde da Família –Agentes Comunitários de Saúde –Especialidades na Atenção Básica Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  6. 6. Cenário assistencial na Atenção Básica • Heterogeneidade na capacidade assistencial das UBS • Heterogeneidade na formação e qualificação dos profissionais que atuam na Atenção Básica • Heterogeneidade na gestão de pessoas Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  7. 7. Diretriz: Modelo de atenção • Território sanitário • Incorporação do ACS nas UBS que não contam com a Estratégia de Saúde da Família • Acolhimento na Unidade de Saúde com classificação de vulnerabilidade e risco Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  8. 8. Diretriz: Modelo de atenção • Acesso à atenção ambulatorial especializada a partir da Atenção Básica • Incorporação do atendimento às urgências de pequena complexidade como ação integrante da Atenção Básica • Garantia de um padrão de ambiência para as UBS Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  9. 9. Sistema em Redes de Atenção Rede de atenção à saúde organizada a partir de Porta de entrada necessidades de saúde: Perfil epidemiológico e Porta de entrada demográfico Intervenção eficaz e efetiva Porta de entrada Relevância percebida Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  10. 10. Atenção Básica resolutiva • Ações do promoção à saúde individual e coletiva, no território • Rastreamento e detecção precoce de agravos à saúde • Atenção às situações de controle de saúde e de agravos mais frequentes/ prevalentes na população do território • Referência e contra-referência na Rede Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  11. 11. Situações de alta prevalência na AB • Portadores de Hipertensão e Diabetes • Condições associadas ao envelhecimento • Idosos • Crianças • Mulheres – Gestantes • DST • ... Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  12. 12. DSTs na Atenção Básica • Sífilis – Especial atenção na detecção e tratamento da gestante e do parceiro durante o pré-natal – Garantir o tratamento na própria UBS! • Demais DSTs – Estratégias de acolhimento e de atendimento às urgências básicas que viabilizem o diagnóstico e o tratamento das DSTs, incluindo o(a) parceiro(a) Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  13. 13. HIV/aids na Atenção Básica • Testagem e aconselhamento em todas as oportunidades de contato com a UBS • Encaminhamento para Centro de Referência dos casos HIV , para avaliação e acompanhamento • Atendimento na UBS, nas demais demandas dos portadores do HIV Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  14. 14. HIV/aids na Atenção Básica • Considerar a capacidade técnica dos profissionais, a qualidade e a resolubilidade na atenção às pessoas com HIV – Complexidade da atenção a saúde às pessoas com HIV – Situação epidemiológica de baixa prevalência/ baixa demanda – Incorporação na AB em situações de maior prevalência da infecção no território da UBS ? Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  15. 15. HIV/aids na Atenção Básica • Considerar a questão da garantia de sigilo em situação na qual os profissionais (incluindo os ACS) pertencem ao mesmo território do indivíduo com infecção pelo HIV Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  16. 16. Obrigado! Arnaldo Sala asala@saude.sp.gov.br Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

×