March, 2013Abril, 2013IV Conferência SetorElétrico Brasil SantanderWilson Ferreira Jr
2Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros deacordo com ...
AgendaO setor elétrico brasileiroFinancialsA CPFL Energia e os seus segmentos de negócio• Cenário atual• Perspectivas3
O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia...
O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia...
CPFL PaulistaCPFL Santa CruzCPFL Leste PaulistaCPFL JaguariCPFL Sul PaulistaCPFL MococaCPFLPiratininga 55%15%5%26%1) Ajust...
Oportunidades• Custo de O&M abaixo dafaixa apresentada para arenovação das concessõesvincendas (MP 579):oportunidades de p...
O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia...
3.68.1 9.113.117.68.513.0 14.018.424.92001 2004 2008 2012 2017 (e)BiomassaCarvãoNuclearÓleo, Diesel e GásCondições Energét...
Hoje Pós-AP Modelo ajustadoESS deve ser rateado entre todos osagentes do setor• Métricas utilizadas para o rateio aindapen...
O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia...
Decreto 7.945/2013 | Medidas para aumento da liquidez dasdistribuidoras em 2013 e mudança no limite de sobrecontratação1) ...
O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia...
Garantia física x Energia gerada | GW médios1 Não houve quebra de contrato Risco relativo à exposição nos meses seguinte...
15Liderança entre as empresas privadas do Setor Elétrico, com um portfoliode negócios relacionados a energia diversificado...
161616CPFL Energia | Plano Estratégico de Longo PrazoCOMERCIALIZAÇÃO• Liderança em comercializaçãono mercado de clientes l...
20082009201020112012628829 8091,0371.167Geração Renovaveis• Concessões de Longo Prazo• Maior portfolio de energia renováve...
201620131.153582CPFL Renováveis | Portfólio atual (Março/13)18Capacidade InstaladaTotal: 5.535 MWSPP19%Em operação(Mar-13)...
GERAÇÃO• Excelência operacional com amaior rentabilidade do setor• Crescimento em capacidadeinstalada em projetoshidráulic...
26%44%16%14%20082009201020112012Segmento de Distribuição• 7,2 milhões de clientes• 569 municípios• Elevado potencial de co...
1) De acordo com Despacho Aneel no 930/2013. 2) Inflação no período: 29%.Movimentação EBITDA Regulatório | R$ milhões60217...
SERVIÇOS• Maior empresa de serviços dosetor elétrico• Crescimento forte de vendasGERAÇÃO• Excelência operacional com amaio...
232323Segmento de comercialização• 231 clientes livres• Atuação em todo o território nacional, com 4escritórios regionais•...
2424• Modernização das construções de redes (CCM)• Construção da maior Usina Solar do país (Tanquinho)• Integração de serv...
CPFL Energia | Dados consolidados25Margem EBITDA3EBITDA (R$ milhões)²Lucro Líquido (R$ milhões)Receita Líquida (R$ milhões...
1) Média do período. 2) Exclui fundo de pensão.26Iniciativas de redução de custos | resultados de 2012ouPessoal:MSO:PMSO 2...
27Endividamento e AlavancagemCaixa 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019+3.3881.8952.238 2.131 2.392 2.218 2.3154.451Cobertur...
Volume médio diário naBM&FBovespa + NYSE| R$ milhõesDesempenho das ações na BM&FBovespa12 meses1Desempenho das ADRs na NYS...
IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13

637 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
637
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
159
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13

  1. 1. March, 2013Abril, 2013IV Conferência SetorElétrico Brasil SantanderWilson Ferreira Jr
  2. 2. 2Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros deacordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional. Essas declarações estão baseadasem certas suposições e análises feitas pela Companhia de acordo com a sua experiência e o ambienteeconômico, as condições de mercado e os eventos futuros esperados, muitos dos quais estão fora do controle daCompanhia. Fatores importantes que podem levar a diferenças significativas entre os resultados reais e asdeclarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros incluem a estratégia de negócios da Companhia, ascondições econômicas brasileira e internacional, tecnologia, estratégia financeira, desenvolvimentos da indústria deserviços públicos, condições hidrológicas, condições do mercado financeiro, incerteza a respeito dos resultados desuas operações futuras, planos, objetivos, expectativas e intenções, entre outros. Em razão desses fatores, osresultados reais da Companhia podem diferir significativamente daqueles indicados ou implícitos nas declarações deexpectativas sobre eventos ou resultados futuros.As informações e opiniões aqui contidas não devem ser entendidas como recomendação a potenciais investidores enenhuma decisão de investimento deve se basear na veracidade, atualidade ou completude dessas informações ouopiniões. Nenhum dos assessores da Companhia ou partes a eles relacionadas ou seus representantes terá qualquerresponsabilidade por quaisquer perdas que possam decorrer da utilização ou do conteúdo desta apresentação.Este material inclui declarações sobre eventos futuros sujeitas a riscos e incertezas, as quais baseiam-se nas atuaisexpectativas e projeções sobre eventos futuros e tendências que podem afetar os negócios da Companhia.Essas declarações podem incluir projeções de crescimento econômico, demanda, fornecimento de energia, além deinformações sobre posição competitiva, ambiente regulatório, potenciais oportunidades de crescimento e outrosassuntos. Inúmeros fatores podem afetar adversamente as estimativas e suposições nas quais essas declarações sebaseiam.
  3. 3. AgendaO setor elétrico brasileiroFinancialsA CPFL Energia e os seus segmentos de negócio• Cenário atual• Perspectivas3
  4. 4. O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia asseguradaJan/13
  5. 5. O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia asseguradaJan/13
  6. 6. CPFL PaulistaCPFL Santa CruzCPFL Leste PaulistaCPFL JaguariCPFL Sul PaulistaCPFL MococaCPFLPiratininga 55%15%5%26%1) Ajustado por ativos e passivos regulatórios e não-recorrentes; não considera eliminações; 2) 24MW de capacidade instalada, <1% da capacidadeinstalada total da CPFL Energia de 2.961MW; 3) As demais concessões, tanto de geração quanto de distribuição, vencem a partir de 2027.69%30%1%PCHs renovadas2GeraçãoconvencionalCPFLRenováveis< 3% do EBITDA da CPFL Energia foi alcançada pela Lei 12.783 (antiga MP579)3Novas tarifas das concessões renovadas não impactaram a parcela B (remuneração) dasdistribuidorasConsolidado14.625MP 579 | Impacto nulo para a CPFL EnergiaBreakdown do EBITDA ajustado¹ - 2012R$ milhões | %Comercialização e Serviços287 | 6%Geração1.672 | 36%Distribuição2.678 | 58%RGE6
  7. 7. Oportunidades• Custo de O&M abaixo dafaixa apresentada para arenovação das concessõesvincendas (MP 579):oportunidades de participaçãodos leilões dos ativos que nãotiveram suas concessõesrenovadas• Ambiente mais competitivopara a comercialização:oportunidades de consolidaçãopara a CPFL BrasilEfeito positivo para o cenário macroeconômicoEstimativa LCA Consultores (em %)MP 579 | Benefícios e oportunidades7
  8. 8. O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia asseguradaJan/13
  9. 9. 3.68.1 9.113.117.68.513.0 14.018.424.92001 2004 2008 2012 2017 (e)BiomassaCarvãoNuclearÓleo, Diesel e GásCondições Energéticas do Sistema | Risco de racionamento em 2013 estáafastadoNível dos reservatórios no SIN | % volume útilCapacidade Instalada de Térmicas no SIN | GW1) Considera todas termelétricas acionadas até final de abril. ENA do SIN projetada: 68% MLT (jan), 89% MLT (fev), 77% MLT (mar) e 91% MLT(abr). Nos cálculos de fev-abr foi considerada uma redução de 1,0 GW na capacidade térmica devido à falha de algumas usinas. 2) PMO de março.Visão Janeiro Visão Fevereiro Visão Março Visão Abril9.0%4.3%0.0% 0.0%Risco de Racionamento de Energia em 20131PSR• “Bandeiras tarifárias” (aprovado para 2014)• Leilões regionais de energia (em discussão)• Contratação de térmicas pelo critério dequantidades para despacho na base (emdiscussão)Medidas aprovadas e em discussão92020406080100Dec Jan Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec2001 2002 2008 20092012 2013 2013 (ONS)/12
  10. 10. Hoje Pós-AP Modelo ajustadoESS deve ser rateado entre todos osagentes do setor• Métricas utilizadas para o rateio aindapendentes de definição• Geradoras e Comercializadorasnegativamente afetadasEfeito estimado da alteração da CAR sobre oPLD SE/CO 2 (R$/MWh) | 2013• Incorporação de mecanismo de aversão aorisco nos modelos computacionais• Fase de transição (abril a julho):50% ESS atual vai para o PLD por metodologiaespecífica (R$ 87,50/MWh na 1ª semana Abr-13)• CAR (Curva de Aversão ao Risco) passará a ter5 anos (em audiência pública)• Redução do custo do ESS 20131:R$ 900 milhões (de R$ 6 bi para R$ 5,1 bi)1) Estimativa PSR; 2) Projeção CPFL Energia – Médias dos PLDs modelo Newave, deck ONS de abril de 2013250300350400450500Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov DezCAR 5 anos CAR 2 anosTransição para o novo PLDPLD está sendo alterado para refletir o risco hidrológicoe aumentar a segurança do sistema elétricoNova metodologia do PLD | Resolução CNPE no 3Pontos de Definição:10
  11. 11. O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia asseguradaJan/13
  12. 12. Decreto 7.945/2013 | Medidas para aumento da liquidez dasdistribuidoras em 2013 e mudança no limite de sobrecontratação1) Déficit estimado; 2) CPFL Paulista: abril/13; RGE: junho/13; CPFL Piratininga: outubro/13234Mudança estruturalAltera o limite de repasse da sobrecontratação de energia de 3% para 5% Menor risco para o segmento de distribuição Estímulo à contratação de novos empreendimentosMedidas para 2013 | Repasse da CDE e déficit estimado de CCEARs por disponibilidade(R$ milhões)12
  13. 13. O setor elétrico brasileiroRenovação das concessões(MP 579)Risco de racionamentoDecreto 7.945/2013Sazonalização da energia asseguradaJan/13
  14. 14. Garantia física x Energia gerada | GW médios1 Não houve quebra de contrato Risco relativo à exposição nos meses seguintes era elevado para geradoras 100% contratadas Ainda não há ganhadores ou perdedores em 2013 (incerteza quanto ao PLD) Alto risco de inadimplência em janeiroSazonalização da energia assegurada51 5255 565048 48 48 4946 464346 45464243 45 44 44 45 46 4647 48 48 476150494845 45 45 4647 47 46 46Dec-11Jan-12Feb-12Mar-12Apr-12May-12Jun-12Jul-12Aug-12Sep-12Oct-12Nov-12Dec-12Jan-13Feb-13Mar-13Apr-13May-13Jun-13Jul-13Aug-13Sep-13Oct-13Nov-13Dec-13p/ gráfico Geração Garantia físicaEm 26/mar, a Aneel decidiu pela manutenção da sazonalização informada pelos agentes paraliquidação e cobrança dos valores relativos a janeiro1) Fev/13 a Dez/13 – considera perdas de 3%14
  15. 15. 15Liderança entre as empresas privadas do Setor Elétrico, com um portfoliode negócios relacionados a energia diversificado1515CPFL Energia | Plano Estratégico de Longo PrazoCOMERCIALIZAÇÃO• Liderança em comercializaçãono mercado de clientes livres• Maximização darentabilidade, dadas as novascondições de mercadoGERAÇÃO• Excelência operacional coma maior rentabilidade do setor• Crescimento em capacidadeinstalada em projetoshidráulicos e térmicos• Líder em fontes renováveis(> 4 GW em 2020)DISTRIBUIÇÃO• Líder de mercado, dobrandoo market share no Brasil nospróximos anos• Excelênciaoperacional, utilizandoinovação e novas tecnologiasSERVIÇOS• Maior empresa de serviços dosetor elétrico• Crescimento forte de vendas
  16. 16. 161616CPFL Energia | Plano Estratégico de Longo PrazoCOMERCIALIZAÇÃO• Liderança em comercializaçãono mercado de clientes livres• Maximização darentabilidade, dadas as novascondições de mercadoGERAÇÃO• Excelência operacional coma maior rentabilidade do setor• Crescimento em capacidadeinstalada em projetoshidráulicos e térmicos• Líder em fontes renováveis(> 4 GW em 2020)SERVIÇOS• Maior empresa de serviços dosetor elétrico• Crescimento forte de vendasDISTRIBUIÇÃO• Líder de mercado, dobrandoo market share no Brasil nospróximos anos• Excelênciaoperacional, utilizandoinovação e novas tecnologiasLiderança entre as empresas privadas do Setor Elétrico, com um portfoliode negócios relacionados a energia diversificado
  17. 17. 20082009201020112012628829 8091,0371.167Geração Renovaveis• Concessões de Longo Prazo• Maior portfolio de energia renovávelda América Latina• Fontes Renováveis: > 93%IFRS1.1791.672CAGR = 27,7%2º Market share: 2,3%2004 2008 2012 2016 (e)8541,7042,9613,32725%Segmento de Geração Convencional e RenováveisCAGR = 12%EBITDA (2012) | R$ bilhões¹41,8%EDPDukeAES TieteCPFLCespCemigTractebelEletrobras1) Eletrobrás considera EBITDA ajustado, expurgando efeitos da lei 12.783/201317
  18. 18. 201620131.153582CPFL Renováveis | Portfólio atual (Março/13)18Capacidade InstaladaTotal: 5.535 MWSPP19%Em operação(Mar-13)Em construção 2016 EmdesenvolvimentoPortfolio total100%com PPA´s• 2 UTE´s (biomassa): Coopcana e Alvorada• 13 parques eólicos: Macacos I, Campodos Ventos II e Atlântica328 MW• 9 parques eólicos:Campo dos Ventos e São BeneditoBiomassa7%PCH17%Eólico76%1.7353.8005.535Capacidade Instalada | MWProjetos em construção – Start-up254 MWFim de 2016:Éolica: 1.038 MWBiomassa: 370 MWPCH: 327 MWSolar: 1 MWp
  19. 19. GERAÇÃO• Excelência operacional com amaior rentabilidade do setor• Crescimento em capacidadeinstalada em projetoshidráulicos e térmicos• Líder em fontes renováveis(> 4 GW em 2020)191919CPFL Energia | Plano Estratégico de Longo PrazoCOMERCIALIZAÇÃO• Liderança em comercializaçãono mercado de clientes livres• Maximização darentabilidade, dadas as novascondições de mercadoDISTRIBUIÇÃO• Líder de mercado, dobrandoo market share no Brasil nospróximos anos• Excelênciaoperacional, utilizandoinovação e novas tecnologiasSERVIÇOS• Maior empresa de serviços dosetor elétrico• Crescimento forte de vendasLiderança entre as empresas privadas do Setor Elétrico, com um portfoliode negócios relacionados a energia diversificado
  20. 20. 26%44%16%14%20082009201020112012Segmento de Distribuição• 7,2 milhões de clientes• 569 municípios• Elevado potencial de consumo percapitaIFRS recorrenteCAGR = 8,8%1º Market share: 13%2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012IndustrialComercialResidencialOutros1) Desconsidera vendas na CCEE. Números de 2010 ajustados devido à Resolução CAT 97. Números de 2012 com ajustes de calendário defaturamento de clientes livres e permissionárias da RGE. 2) Fonte: EPECAGR = 5,7%13,9%20
  21. 21. 1) De acordo com Despacho Aneel no 930/2013. 2) Inflação no período: 29%.Movimentação EBITDA Regulatório | R$ milhões602175 (168)609342 (278)(18) 65421Valores Propostos pela Aneel1 (em R$ milhões)Base de Remuneração Bruta (A) 7.421Taxa de Depreciação (B) 3,76%Quota Reintegração Regulatória (C = A x B) 279Base de Remuneração Líquida (D) 3.310WACC antes dos impostos (E) 11,36%Remuneração do Capital (F = E x D) 375EBITDA Regulatório (G = C + F) 655Capex total nociclo tarifário2:R$ 2,7 bilhões3º Ciclo de Revisão Tarifária | CPFL Paulista
  22. 22. SERVIÇOS• Maior empresa de serviços dosetor elétrico• Crescimento forte de vendasGERAÇÃO• Excelência operacional com amaior rentabilidade do setor• Crescimento em capacidadeinstalada em projetoshidráulicos e térmicos• Líder em fontes renováveis(> 4 GW em 2020)222222CPFL Energia | Plano Estratégico de Longo PrazoDISTRIBUIÇÃO• Líder de mercado, dobrandoo market share no Brasil nospróximos anos• Excelênciaoperacional, utilizandoinovação e novas tecnologiasCOMERCIALIZAÇÃO• Liderança em comercializaçãono mercado de clientes livres• Maximização darentabilidade, dadas as novascondições de mercadoLiderança entre as empresas privadas do Setor Elétrico, com um portfoliode negócios relacionados a energia diversificado
  23. 23. 232323Segmento de comercialização• 231 clientes livres• Atuação em todo o território nacional, com 4escritórios regionais• Sinergia com a CPFL Renováveis1º Market share: 10%2008 2009 2010 2011 2012305 298 290252 25980 74129 1412312008 2009 2010 2011 2012CAGR = 30,4%17952Dentro da área deconcessãoFora da áreade concessão1) Inclui Serviços em 2008 e 2009.2,4%Corrente: 10,3 GWmPotencial : +6,4 GWmMercado livreno Brasil
  24. 24. 2424• Modernização das construções de redes (CCM)• Construção da maior Usina Solar do país (Tanquinho)• Integração de serviços de arrecadação• Consolidação das operações de Call Center do Grupoe início das negociações com o mercadoCarteira de Projetos• Aeroporto de Viracopos – construção de subestação, LT e usina back-up• Indústrias Morlan – construção de subestação• CCM Automatizado – início das operações nas empresas do Grupo CPFL• SAMM – construção de 53 km de anel ótico na cidade de Campinas• CET Santos – substituição das lâmpadas semafóricas por módulos de Ledem toda a cidade de Santos• Banco ITAU – prospecção e gestão de 2.000 pontos Itaú Pague Aqui• Gás Brasiliana – Call Center fora do Grupo CPFL2010 2011 201215263742,1%Portfolio diversificadoEBITDA - ServiçosSegmento de Serviços2010 2011 201210413215819,8%Receita Líquida - Serviços
  25. 25. CPFL Energia | Dados consolidados25Margem EBITDA3EBITDA (R$ milhões)²Lucro Líquido (R$ milhões)Receita Líquida (R$ milhões)132,9% 34,5%2011 20121) Exclui receita de construção; 2) 2011 e 2012 exclui Entidade de Previdência Privada (Instrução CVM 527/12); 3) Ajustado por Ativos ePassivos Regulatórios e Itens Não Recorrentes25+22,7%+16,9%+7,4%ajustado2 ajustado2ajustado22009 2010 2011 2012 2011 201210.742 10.980 11.63413.70411.47613.4192009 2010 2011 2012 2011 20123.453 3.350 3.852 3.898 3.7704.6252009 2010 2011 2012 2011 20121.689 1.560 1.6241.2571.560 1.676+17,8%CAGR = 8,5% CAGR = 4,1% +1,2%-22,6%
  26. 26. 1) Média do período. 2) Exclui fundo de pensão.26Iniciativas de redução de custos | resultados de 2012ouPessoal:MSO:PMSO 2012 (real)PMSO | R$ Milhões1,406 (113) (125) 1.644451 2.096 (100) (618 )1.379+27,4%-1,9%Âmbito Corporativocentralização da gestão, reduçãode 10% (em km rodados) no Grupoestudo de nível ótimo decorte, plano de ação diferenciado para cadasegmento de clientesimplantação da Contapor email, mudanças de layout/tipo depapel, alinhamento dos valores cobrados pelos bancospara todas as DistribuidorasÂmbito OperacionalIniciativas de Valor• Melhora na gestão de comprade passagens aéreas:• Consumo de Papel:• Uso de Licença de Software:26
  27. 27. 27Endividamento e AlavancagemCaixa 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019+3.3881.8952.238 2.131 2.392 2.218 2.3154.451Cobertura do caixa: 1,8xamortizações de curto-prazo(12M)Prazo médio: 4,6 anosCurto-prazo1 (12M): 12,2% do total2010 2011 1T12 2T12 3T12 4T127.610.0 10.111.8 12.7 12.6Alavancagem1 | R$ bilhõesDívida Líquida ajustada1/EBITDA ajustado33.151 3.665 3.782 4.264 4.315 4.377EBITDA ajustado2R$ milhões3,63x:Considerandocontabilizaçãopelo critério IFRS2.42 2.73 2.67 2,76 2.94 2.89CDIPrefixado(PSI)IGPTJLPComposição da dívida bruta5Cronograma de amortização pro forma3 da dívida4 | R$ milhões1)Em consonância com metodologia de cálculo dos covenants financeiros. 2) EBITDA recorrente últimos 12 meses. 3) Considerando debêntures de R$ 910milhões, desembolsadas em fev/13. 4) Desconsidera encargos de dívidas (CP=R$ 238 milhões; LP=R$ 62 milhões),hedge (efeito líquido positivo de R$ 487 milhões) e Marcaçãoa Mercado (R$ 95 milhões). 5) Dívida financeira (+) entidade de previdência privada (-) hedge.
  28. 28. Volume médio diário naBM&FBovespa + NYSE| R$ milhõesDesempenho das ações na BM&FBovespa12 meses1Desempenho das ADRs na NYSE12 meses1-26,6%10,3%-12,1%-18,6% -21,3%IEE IBOVCPFE3-12,6%1T12 1T1315,3 20,020,3 18,4+8,3%35,538,42.5123.935+56,7%Bovespa NYSE Volume médio diáriona BM&FBovespaCPLDow JonesBr20Dow JonesIndex8o ano consecutivoComposição de 2013:• 37 companhias• 16 setoresBM&FBovespa | ISECPFL ingressou na 1acarteira do Índice DowJones SustainabilityEmerging MarketsDJSI Emerging Markets28Desempenho das ações1) Considera o período de 12 meses terminados em Mar-13 Fonte: Economática

×