Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

Laboratórios de Inovação no Cuidado das Condições Crônicas do CONASS

Ad

Inovação na Atenção Ambulatorial
Especializada
CONASS DEBATE
Brasília, 6 de agosto de 2015

Ad

CONTEXTO

Ad

REDE/PLANIFICAÇÃO DA APS 2009 2011
CONASS - apoiar a qualificação das
equipes estaduais das Secretarias
de Saúde para o cu...

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Loading in …3
×

Check these out next

1 of 17 Ad
1 of 17 Ad

Laboratórios de Inovação no Cuidado das Condições Crônicas do CONASS

Download to read offline

CONASS Debate - Inovação na Atenção Ambulatorial Especializada - Brasília, 6 de agosto de 2015
Apresentação da coordenadora de Núcleos Técnicos do CONASS, Rita Cataneli, a respeito dos Laboratórios de Inovação no Cuidado das Condições Crônicas do CONASS e das experiências exitosas na Atenção Especializada.

CONASS Debate - Inovação na Atenção Ambulatorial Especializada - Brasília, 6 de agosto de 2015
Apresentação da coordenadora de Núcleos Técnicos do CONASS, Rita Cataneli, a respeito dos Laboratórios de Inovação no Cuidado das Condições Crônicas do CONASS e das experiências exitosas na Atenção Especializada.

Advertisement
Advertisement

More Related Content

Slideshows for you (19)

Viewers also liked (18)

Advertisement

More from Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS (20)

Advertisement

Laboratórios de Inovação no Cuidado das Condições Crônicas do CONASS

  1. 1. Inovação na Atenção Ambulatorial Especializada CONASS DEBATE Brasília, 6 de agosto de 2015
  2. 2. CONTEXTO
  3. 3. REDE/PLANIFICAÇÃO DA APS 2009 2011 CONASS - apoiar a qualificação das equipes estaduais das Secretarias de Saúde para o cumprimento de seu papel de apoio técnico aos municípios no fortalecimento da APS: 1. Oficinas com as equipes estaduais para discussão teórica e metodológica da oficina de Rede e das 11 oficinas de Planificação da APS. 2. Apoio à aplicação pelas SES das oficinas de planificação nos municípios. 2015 Planificação da Atenção Primária à Saúde nos Estados Um Olhar sobre a Planificação da APS no estado do Pará
  4. 4. Os Laboratórios de Inovação foram definidos como espaços de produção de evidências de boa gestão, a partir de práticas inovadoras desenvolvidas pelos gestores do SUS e de outros países. Tem como objetivo produzir e disseminar conhecimentos com foco em soluções práticas e instrumentos inovadores, valorizando- os, resgatando e analisando os processos, as práticas, as ferramentas e os instrumentos que foram desenvolvidos A iniciativa do Laboratório de Inovação sobre crônicas na APS fixa‐se na busca de solução para o problema universal que se defrontam os sistemas de saúde, de como enfrentar, com efetividade, eficiência e qualidade, as condições crônicas. LABORATÓRIOS DE INOVAÇÃO
  5. 5. SMS CURITIBA - LABORATÓRIO DE INOVAÇÕES DE ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE - 2010. Implantar o modelo de atenção às condições crônicas no contexto das RAS, visando à melhoria da atenção primária à saúde, investindo e produzindo resultados nas áreas de gestão do conhecimento e produção de evidência.
  6. 6. “LIACC MACC na APS em Curitiba”  Secretaria de Estado da Saúde do Paraná  Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba CONASS Opas Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) - desenho da pesquisa avaliativa proposto para avaliar a implantação do MACC, em especial o estudo de caso em desenvolvimento na UBS Alvorada. 2012 Como desenvolvimento metodológico foram previstas duas etapas, uma de acompanhamento do desenvolvimento de tecnologias inovadoras do modelo de crônicas e outra etapa de produção e difusão dos conhecimentos.
  7. 7. Estudo de Caso UBS Alvorada Vídeo 1 – Condições Crônicas: um desafio aos sistemas de saúde Vídeo 2 – Laboratório de Inovação na Atenção às Condições Crônicas no Brasil Vídeo 3 – Modelo de Atenção às Condições Crônicas: a experiência de Curitiba Vídeo 4 – Auto Cuidado Apoiado Vídeo 5 – Cuidado Compartilhado Vídeo 6 – Laboratório de Inovações na Atenção às Condições Crônicas no Brasil
  8. 8. Junho 2013 “LIACC MACC SANTO ANTONIO DO MONTE/MG”  Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais – APS e VS  Prefeitura Municipal de Santo Antonio do Monte/Secretaria Municipal de Saúde  Fundação Dr. José Maria dos Mares Guia  CONASS Opas Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG/IPEAD
  9. 9. Modelo de Atenção às Condições Crônicas (MACC) - Fluxo Atenção Contínua Centro Integrado - Hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus, gestação e crianças de até um ano de idade. CENTRO HIPERDIA VIVA VIDA DE SANTO ANTONIO DO MONTE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  10. 10. CONASS – apoio à SES MG para:  Oficinas de Macro e Micro processos  Tutoria  Implantação de novas tecnologias (autocuidado apoiado, cuidado compartilhado, gestão de caso, atenção contínua, atenção compartilhada a grupo, grupo de pares, novas relações entre especialistas e generalistas
  11. 11. 2014 “LIACC TAUÁ”  CONASS  SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO CEARÁ  ESP – ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA/CE  SMS – SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE TAUÁ  FIOCRUZ/CEARÁ  UNIFOR
  12. 12. LABORATÓRIO EM ATENÇÃO PRIMÁRIA NO MUNICÍPIO DE TAUÁ - CE FASE 1 – Curso de Especialização em Planificação da APS envolvendo todos os profissionais da APS das UBS municipais – 530 participantes CONASS:  Membro do Grupo Gestor  Qualificação dos facilitadores locais  Facilitadores para aplicação das oficinas  Capacitação dos tutores
  13. 13. LABORATÓRIO EM ATENÇÃO PRIMÁRIA NO MUNICÍPIO DE TAUÁ - CE 2015 - FASE 2 – Integração da APS com a Atenção Especializada O modelo da organização fragmentada do Posto de Atenção Médica1 O modelo da organização em redes de atenção à saúde - o Modelo do Ponto de Atenção Secundária Ambulatorial 2 Fonte: Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Brasília, Organização Pan-Americana da Saúde, 2011 / O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília, Organização Pan-Americana da Saúde, 2012 Os fundamentos da organização da Atenção Ambulatorial Especializada (AAE) nas Rede de Atenção à Saúde (RAS) O princípio da suficiência  Numa RAS não deve haver redundâncias ou retrabalhos entre a APS, os pontos de atenção secundários e terciários e os sistemas de apoio.  Esse princípio garante a atenção no lugar certo e com o custo certo nas RAS. Fonte: Francesc JM et al. La gobernanza em las redes integradas de servicios de salud (RISS): contextos, modelos y actores em America Latina. Washington, Organizacion Panamericana de la Salud, 2011 O princípio da coordenação da atenção: os papéis da APS nas RAS2 A responsabilização pela população adscrita A resolução dos problemas mais frequentes A coordenação da atenção em todos os pontos das RAS. Fonte: Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Brasília, Organização Pan- Americana da Saúde, 2011
  14. 14. O Modelo do Ponto de Atenção Secundária Ambulatorial Uma forma de organizar a AAE como um ponto de atenção à saúde em RAS, comunicando-se organicamente com a APS, com os sistemas de apoio e com os sistemas logísticos e operando segundo modelos de atenção baseados em evidência a fim de agregar valor para as pessoas usuárias. Fonte: Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília, Organização Pan-Americana da Saúde, 2012
  15. 15. “LABORATÓRIO DE GOVERNANÇA DE REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE ”  Secretaria de Estado da Saúde do Paraná  15° REGIONAL DE SAÚDE DE MARINGÁ CONASS Fundação Dom Cabral - desenvolver estudo para discutir o tema da governança em rede de maneira geral e, em particular, sua aplicação na área da saúde, mais especificamente no SUS Paraná 2014
  16. 16. LIÇÕES APRENDIDAS O protagonismo das Secretarias Estaduais de Saúde é fundamental para o fortalecimento da APS e determinante para a integração da APS com a AAE. As Secretarias Estaduais de Saúde somente serão protagonistas se os níveis central e regional estiverem em sintonia. O envolvimento do gestor político do município é fundamental para o fortalecimento da APS e para sua integração com a AAE.

×