Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Indicadores Industriais | Julho 2014 | Divulgação 04/09/2014

534 views

Published on

Após quatro meses consecutivos de queda, a atividade industrial voltou a crescer em julho. As horas trabalhadas na produção aumentaram 2,6% e o faturamento da indústria cresceu 1,2% em julho frente a junho, na série livre de influências sazonais. As informações são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta quinta-feira, 4 de setembro.

Published in: News & Politics
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Indicadores Industriais | Julho 2014 | Divulgação 04/09/2014

  1. 1. 1 A atividade industrial voltou a crescer em julho, ainda que moderadamente, após quatro meses seguidos de retração. O indicador dessazonalizado de horas trabalhadas na produção subiu 2,6%, na passagem de junho para julho, enquanto o faturamento real cresceu 1,2% no mesmo tipo de comparação. Com o crescimento no ritmo de operação, a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) avançou 0,6 ponto percentual (p.p.), alcançando 81,0% em julho. Deve-se atribuir parte do crescimento desses indicadores ao menor número de dias úteis afetados pela Copa do Mundo em julho na comparação com junho. Mesmo com o crescimento das horas trabalhadas, do faturamento e do uso do parque fabril, o quadro na indústria ainda é de desaquecimento. O mercado de trabalho registrou a quinta baixa consecutiva em julho, com o emprego e a massa salarial real caindo 0,2%. Indústria cresce em julho Deflator: IPA/OG-FGV O resultado atual é 5,1% inferior ao apurado em julho do ano passado JULHO 2014 Variação frente a junho – com ajuste sazonal Faturamento real Dessazonalizado - Índice base: média 2006 = 100 Crescimento de 2,6% Horas trabalhadas na produção Crescimento de 0,6 p.p. Utilização da capacidade instalada Queda de 0,2% Emprego Queda de 0,2% Massa salarial real Crescimento de 0,1% Rendimento médio real Crescimento de 1,2% Faturamento real Baixa de 1,7% na comparação dos primeiros sete meses de 2014 com o mesmo período de 2013 INDICADORES INDUSTRIAIS Indicadores CNI ISSN 1983-621X • Ano 16 • Número 7 • Julho de 2014 O faturamento real dessazonalizado subiu 1,2% em julho, mas isso não foi suficiente para reverter a tendência de queda no ano
  2. 2. Indicadores Industriais ISSN 1983-621X • Ano 16 • Número 7 • Julho de 2014 Retomada do crescimento após quatro meses de queda Resultado de julho interrompe sequência negativa Julho marca a quinta queda consecutiva Horas trabalhadas na produção Utilização da capacidade instalada Emprego As horas trabalhadas na produção (indicador dessazonalizado) subiram 2,6% em julho frente a junho, rompendo com uma sequência de quatro quedas seguidas. Na comparação com o ano passado, no entanto, o resultado ainda é negativo. O indicador atual é 2,3% inferior ao apurado há 12 meses e mostra queda de mesma intensidade ao se comparar os primeiros sete meses de 2014 com igual período de 2013. A indústria operou, em média, com 81,0% da capacidade instalada em julho — segundo o dado dessazonalizado —, 0,6 p.p. acima do registrado em junho. Essa foi a primeira alta depois de quatro meses seguidos de retração da UCI. Mesmo com o crescimento no mês, o indicador está 1,4 p.p. abaixo do nível apurado em julho de 2013. O crescimento da atividade não foi suficiente para frear a redução no quadro de trabalhadores da indústria. O indicador dessazonalizado de emprego caiu 0,2% em julho frente a junho, marcando a quinta queda consecutiva. Na comparação com julho do ano passado, o resultado é ainda mais negativo, com retração de 0,6%. No acumulado do ano, contudo, nota-se crescimento do emprego, de 0,7%. Dessazonalizado (Índice de base fixa: média 2006 = 100) Dessazonalizado (percentual médio) Dessazonalizado (Índice de base fixa: média 2006 = 100) 81%
  3. 3. Indicadores Industriais ISSN 1983-621X • Ano 16 • Número 7 • Julho de 2014 INDICADORES INDUSTRIAIS | Publicação Mensal da Confederação Nacional da Indústria - CNI | www.cni.org.br | Diretoria de Políticas e Estratégia - DIRPE | Gerência Executiva de Política Econômica - PEC | Gerente-executivo: Flávio Castelo Branco | Gerência Executiva de Pesquisa e Competitividade - GPC | Gerente-executivo: Renato da Fonseca | Análise: Fábio Bandeira Guerra | Estatística: Edson Velloso | Informações técnicas: (61) 3317-9472 - Fax: (61) 3317-9456 - email: indicadores.industriais@cni.org.br | Design gráfico: Carla Gadêlha | Assinaturas: Serviço de Atendimento ao Cliente Fone: (61) 3317-9992 - email: sac@cni.org.br | Autorizada a reprodução desde que citada a fonte. Documento elaborado em 03 de setembro de 2014. Veja mais Mais informações como série histórica e metodologia da pesquisa em: www.cni.org.br/indicadoresindustriais Trajetória cadente se mantém pelo quinto mês Comportamento estável se repete em julho Massa salarial real Rendimento médio real A piora no mercado de trabalho da indústria também é percebida na evolução da massa salarial real, que caiu 0,2% entre junho e julho — feito o ajuste sazonal —, estendendo a série de baixas para cinco meses. Com isso, o indicador atual situou-se em nível 0,2% inferior ao apurado em julho do ano passado. Dessazonalizado (Índice de base fixa: média 2006 = 100) Dessazonalizado (Índice de base fixa: média 2006 = 100) 1 Deflator: IPA/OG-FGV - 2 Deflator: INPC-IBGE Indústria de Transformação Jul14/ Jun14 Dessaz. Jul14/ Jul13 Jan-Jul14/ Jan-Jul13 Faturamento real1 1,2 -5,1 -1,7 Horas trabalhadas 2,6 -2,3 -2,3 Emprego -0,2 -0,6 0,7 Massa salarial real2 -0,2 -0,2 3,2 Rendimento médio real2 0,1 0,4 2,5 Indústria de Transformação Jul14 Jun14 Jul13 Utilização da capacidade instalada - Dessazonalizada 81,0 80,4 82,4 Utilização da capacidade instalada 81,4 79,7 82,8 INDICADORES INDUSTRIAIS - JULHO 2014 Variação percentual Percentual médio Deflator: INPC-IBGE Deflator: INPC-IBGE O rendimento médio real do trabalhador subiu 0,1% em julho frente a junho, ou seja, o indicador dessazonalizado mostra estabilidade. Comparado com o rendimento médio registrado há 12 meses, verifica-se que o dado atual é 0,4% maior. Embora ainda seja positiva, essa taxa desacelerou fortemente nos últimos quatro meses. i

×