Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

40 dias para formar Jesus

62 views

Published on

40 días para formar a Jesús

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

40 dias para formar Jesus

  1. 1. "A Quaresma é um tempo propício para intensificar a vida do espírito através dos meios santos que a Igreja nos oferece: o jejum, a oração e a esmola. Na base de tudo está a Palavra de Deus, que neste tempo nos convida a escutar e a meditar com maior frequência". Papa Francisco Ler a espiritualidade como um processo de crescimento na fé e no amor do Senhor, implica uma vivência cada vez maior da mensagem de Jesus, refletida em uma experiência profunda de oração e ações concretas que contribuam na construção do Reino de Deus. Esta mesma leitura tem de levar-nos a assumir que o caminho de crescimento se abre passo a passo ao assumir a cruz do Senhor e a descobrir nele o espírito de entrega que busca redimir o ser humano de sua condição de pecado e levar-lhe a viver a liberdade. Na perspectiva de São João Eudes, a cruz, a entrega e o amor são três palavras que não podem desligar-se, pois através delas se experimenta a presença de Deus em nossa vida, que nos salva e convida a encarná-las. Evidentemente, se descobrimos que no acontecimento da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus se faz visível o amor pessoal de Deus, nossa vida tem que se orientar para ser sinal desse mesmo amor a quem nos rodeia. Ao ser, para outros, instrumentos de uma salvação integral, continuamos e completamos a vida e a morte de Jesus. Morrer a tudo, para que Jesus seja nosso todo! Quaresma é sensibilizar o coração para experimentar a salvação de Deus, e formar-se em tal experiência com o propósito de ajudar a que outros a vivam. É dispor a vida em adoração, e descobrir nesta atitude a docilidade ao Espírito Santo, que ainda no sofrimento e na aflição nos leva a vislumbrar um projeto de amor que abre os caminhos de Deus em nós. Quaresma é formar Jesus corante e evangelizador, que nos chama a permanecer "vigilantes" e a viver com alegria e autenticidade a palavra que tens semeado em nós. A Igreja nos convida ao jejum, a oração e a penitência. Um jejum que nos leve a renúncia do mundo e de nós mesmos, uma oração que se faça vida em tudo o que fazemos e uma penitência, que não deve ser assumida como uma carga, senão uma chamada ao amor. Junto ao padre Eudes, vivamos estes quarenta dias de transformação espiritual, e permitamos a Deus que sensibilize e forme nosso coração para Ele.
  2. 2. O Batismo: Graça e santidade de Deus em nós A Escritura chama o batismo de regeneração e renascimento: é o banho batismal e da re- generação (T t 3, 5). Aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus (Jo 3, 5). Esta geração e nascimento tem como protótipo e exemplar a geração eterna do Filho de Deus no seio de seu Pai e sua geração e nascimento temporal nas entranhas virginais de sua mãe. Pois, assim, como em sua geração eterna o Pai comunica a seu Filho seu ser, sua vida e todas suas divinas perfeições, assim, em nosso batismo, este mesmo Pai nos dá, por seu Filho e em seu Filho, um ser e uma vida, Santos e divinos. “Desde quarta-feira de cinzas até o primeiro domingo, honramos o Batismo de Jesus no Jordão e a manifestação que dele faz a voz do Pai: “E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” (Mt 3, 17) e do Espírito Santo que baixa sobre ele em forma de pomba, junto com o testemunho que sobre ele dá João Batista”. (O. C. I, 317) 1. Recorda 2. Leiamos João Eudes Ademais, como o Espírito Santo foi enviado para formar o Filho de Deus nas entranhas da Santa Virgem, assim é também enviado para formar-lo e fazê-lo nascer pelo batismo em nosso ser e para incorporar-nos e unirmos a ele, fazendo-nos nascer e viver nele: Há que nascer de água e do Espírito. Como batizados, devemos mostrar a verdade destas palavras: Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. (Col 3, 3). Mas apresentaivos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. (Rm 6, 13), como ressuscitados levamos sobre a terra uma vida celestial e Santa, adornada de todas as virtudes, em exercício contínuo de amor, de adoração e de louvor a Deus e da caridade para com o próximo. São João Eudes (O. C. II, 182 - 184)
  3. 3. O Batismo: Graça e santidade de Deus em nós Dica de amor: O Batismo de Jesus e a manifestação do Pai: “Tu és meu elegido” (Mt 3, 17). Unidade de Espiritualidade Eudista. Link: https://youtu.be/RnhRSX4Kn6s 3. Dica para a semana Pela graça do Espírito Santo adquirimos a capacidade de aderir-nos a Jesus. De que ma-neira trabalharei neste tempo da quaresma para renunciar a tudo que não pertence a Jesus, e viver de sua vida, de seu amor e de seu Espírito? No Batismo, afirma São João Eudes, Deus Pai nos comunica a vida de seu Filho. Como estou perfilando minha Espiritualidade, para que o Coração de Cristo dado pelo Pai, seja o que mova minhas ações e construa minhas relações? Oração final P. 20 4. Jaculatória para a semana São João Eudes nos recomenda realizar orações repetitivas, assim nosso coração permanecerá em Jesus. Façamos vida esta oração: Jesus, faz meu coração semelhante ao teu! 5. Perguntas e respostas para formar Jesus
  4. 4. “A Quaresma é um tempo propício para abrir a porta a qualquer necessitado e reconhecer nele ou nela o rosto de Cristo” Papa Francisco Existem diversas maneiras de compreender e viver a experiência de oração, se bem que pode assumir-se como um exercício cotidiano e que ocupa certa importância na vida do cristão, é fundamental descobrir nela três aspectos que nos ajudarão neste caminhar quaresmal: 1. a oração como chamado, 2. a oração como linguagem do amor, 3. a oração como continuação da vida e a missão de Jesus. Viver a espiritualidade como um caminho de crescimento implica reconhecer, aceitar e viver que a proposta de Jesus não é uma carga, senão que é a base da liberdade que Nele descobrimos, isto é, a capacidade de amar e sentir-nos amados. O convite do Senhor é claro e contundente, quando exorta a permanecer em oração: "Velem e orem, para que possam afrontar a prova; pois o espírito está bem-disposto, mas a carne é débil" (Mt 26, 41). O cristão que assume a oração com o propósito de cuidar e acrescentar sua relação com o Senhor, está disposto a renúncia e a entrega, aspectos nos quais São João Eudes é enfático. A oração: viver no coração de Deus, um tesouro para amar. Na perspectiva do padre Eudes é muito contado uma experiência de oração que tende ao amor e a entrega: "Entrego-me a ti, amor irresistível, e me abandono inteiramente ao teu poder, vem, vem a mim e destrói tudo quanto te desagrada; estabelece plenamente teu celestial domínio". Se aceitamos a oração como um chamado, nosso coração se disporá cada vez mais a entrega e ao amor. Deus enamora o coração humano, quando se descobrem mutuamente na oração. Este enamoramento tem de transformar a linguagem com a qual nos dirigimos a Deus. Já não prevalecerão os pedidos e as súplicas, senão os atos de amor e de louvor, como no padre Eudes: Deus do meu amor! Tu és todo amável, todo amante, todo amor e todo amor por mim. Que também eu seja todo amor por ti. “Que o céu se converta em uma pura chama de amor por ti". Finalmente, um coração entregue e enamorado de Deus, quer continuar a oração de Jesus, na terra, quer dizer orientando seus pensamentos e atos para dar glória a Deus.
  5. 5. São Paulo nãos ensina que para realizar Santamente nossas ações devemos fazê-las em nome de Jesus Cristo. E Cristo nos assegura que o Pai nos concederá tudo quanto lhe peçamos em seu nome (...). Mas, que significa orar em nome de Jesus Cristo? (...). É continuar a oração de Jesus Cristo na terra. Porque como membros seus que formamos seu corpo, segundo nos ensina São Paulo, nos fazemos por sua vez na terra e o representamos; e, pelo mesmo, devemos fazê-lo tudo em seu nome, em seu espírito, com suas disposições e intenções, como Ele mesmo agiu quando estava no mundo e como atuaria si estivesse no nosso lugar (...). “En la primera semana de cuaresma honramos la vida solitaria de Jesús en el desierto”. (O.C. I, 317) San Juan Eudes 1. Recorda 2. Leiamos João Eudes Por isso, quando te disponhas fazer oração, lembrese de que vais continuar a oração de Jesus Cristo, orando como oraria Ele, si estivesse em seu lugar; quer dizer, com as disposições com que tem orado e segue orando não céu e em nossos altares, onde acha-se em constante exercício de oração a seu Pai. Para este fim, unete ao amor, a humildade, a pureza e a Santi-dade e demais disposições com as quais Ele ora. A oração é a felicidade perfeita e o verdadeiro paraíso na terra. Graças a ela, o cristão se une a seu Deus, seu centro, seu fim e soberano bem. Na oração, o cristão possui Deus, e Deus apodera-se dele. Pela oração, lhes damos nossas homenagens, adorações e afetos e re- cebemos suas luzes, suas bênçãos e as inumeráveis provas de seu amor infinito. São João Eudes (O. C. I, 200-201. 192) A oração: viver no coração de Deus, um tesouro para amar.
  6. 6. A oração: viver no coração de Deus, um tesouro para amar Dicas de amor: A vida solitária de Jesus no deserto. Unidade de Espiritualidade Eudista. Link: https://youtu.be/njckR-pIrQE 3. Dica para a semana Para São João Eudes a oração tem que ser a primeira e mais importante ocupação de um cristão, com o objetivo de chegar a viver a mesma oração de Jesus. Como estou vi-vendo a oração, para que esta tenha as mesmas intenções e sentimentos de Cristo, e possa concretizarse com ações e frutos concretos? São João Eudes afirma que na oração o cristão possui Deus. Permito que minha oração se fortaleça cada vez mais através da leitura da Palavra e da participação nos sacramen-tos? Faço de minha oração um exercício cotidiano que me permita refletir em meus atos e pensamentos a vida de Jesus? Oração final P. 20 4. Jaculatória para a semana São João Eudes nos recomenda realizar orações repetitivas, assim nosso coração permanecerá em Jesus. Façamos vida esta oração: Jesus, manso e humilde de coração, tem misericórdia de nós! 5. Perguntas e respostas para formar Jesus
  7. 7. "A Quaresma é o tempo propício para renovar- se no encontro com Cristo vivo em sua Palavra, nos sacramentos e no próximo. O Senhor que nos quarenta dias que passou no deserto venceu os enganos do Tentador nos mostra o caminho a seguir". Papa Francisco A Missão: Deus fala em nossos atos e palavras “De agora em diante Jesus será meu mundo, minha glória, meu tesouro, minhas delícias e meu tudo. Não quero ver nada senão Jesus. Fechem-se aos demais, meus olhos, porque só Ele merece teus olhares. Não me importa agradar senão a Jesus e não quero coração nem afeto senão para Ele. Quero alegrar-me em seu amor e no cumprimento de sua vontade; não quero sentir tristeza senão do que a Ele lhe ofende e do que se opõe ao seu divino amor”. Exercício de amor para a semana
  8. 8. Pregar é fazer Deus falar. Pregar é fazer Deus falar, o qual, depois de dirigirse aos homens pelos profetas no antigo Testamento, e por seu Filho na nova lei, quer falar-nos também agora pelos membros de seu Filho, para darnos a conhecer sua vontade e convidar-nos a cumprirla. Pregar é distribuir aos Filhos de Deus o pão da vida eterna, para manter, fortalecer e aperfeiçoar neles a vida divina que receberam do Pai celestial pelo novo nascimento do batismo. Tu tens palavras de vida eterna (Jo 6, 69). “Na segunda semana, honra sua vida pública e o tratamento com os homens, desde a idade de trinta anos até sua morte” (O. C. I, 317) 1. Recorda 2. Leiamos João Eudes A origem da pregação apostólica encontra-se no seio de Deus, de onde saiu o Verbo, a Palavra eterna e o primeiro de todos os pregadores, Jesus Cristo, nosso Senhor. Dessa fonte trouxe todas as verdades que veio pregar na terra. O fim e objeto desta função celestial é dá nascimento e formar Jesus Cristo nos corações dos homens, é fazê-lo viver e reinar neles; é dissipar dos espíritos as trevas infernais e irradiar neles as luzes celestiais; é combater e des-truir o pecado nas almas e abrir nelas a porta da graça divina; é expulsar por terra a tirania de Satanás no mundo e estabelecer o reino de Deus; é reconciliar os homens com Deus e fazê-los seus filhos. Há que adorar Nosso Senhor Jesus Cristo nas Santas disposições com que pregava quando estava na terra; renunciar fortemente a si mesmo; dar-se a Ele de todo coração, implorando-lhe que nos abaixe e se estabeleça Ele em nós, para que seja Ele quem pregue por nossa boca, já que só a Ele pertence o anunciar da palavra de seu Pai; aceita por seu amor as con-fissões e mortificações que nos possam ocorrer; e também dar nossa memória ao Pai, nosso entendimento ao Filho e nossa vontade ao Espírito Santo. São João Eudes (O. C. IV, 12-16. 21) A Missão: Deus fala em nossos atos e palavras
  9. 9. Dicas de amor: A vida pública de Jesus: desde seus trinta anos até sua morte. Unidade de Espiritualidade Eudista. Link: https://youtu.be/XNa8N9zVwrs 3. Dica para a semana São João Eudes afirma que a pregação não há de ter outro propósito se não que fazer viver e reinar Jesus no Coração humano. De que maneira em minha vida cristã tenho sentido o chamado para evangelizar e a ser Jesus para os demais? Como edifico minhas relações com outras pessoas para formar Jesus no meio delas? Oração final P. 20 4. Jaculatória para a semana São João Eudes nos recomenda realizar orações repetitivas, assim nosso coração permanecerá em Jesus. Façamos vida esta oração: Eu te amo amantíssimo Jesus! Amo-te bondade infinita, amo-te com todo meu coração e mais e mais quero te amar! 5. Perguntas e respostas para formar Jesus A Missão: Deus fala em nossos atos e palavras
  10. 10. “Oremos uns pelos outros para que, participando da Vitória de Cristo, saibamos abrir nossas portas aos débeis e aos pobres. Então viveremos e daremos um testemunho pleno da alegria da Páscoa”. Papa Francisco Formar Jesus, um processo de renúncia e adesão. Sê tu, divino amor, a vida de minha vida, a alma de minha alma e o coração de meu coração. Que já não viva senão em ti e de ti. Que não subsista senão por ti. Que já não tenha pensamento, nem diga palavra, nem realize ações senão por ti e para ti. Exercício de amor para a semana
  11. 11. Quando te sobrevenha uma aflição do corpo ou do espírito, ajoelha-se de imediato aos pés daquele que disse: Tudo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. (Jo 6, 37); Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.(Mt. 11, 28). 1.Adora sua divina vontade. 2. Humilha-te ante Ele a vista de teus pecados, que são a causa de todos os males. 3. Oferece-lhe tua aflição. 4. Pede-lhe sua graça para sobre levá-la Santamente. 5. Reconcilia-te com Ele mediante a confissão e a comunhão. “Honremos a vida penitente de Jesus em suas humilhações interiores e exteriores”. (O. C. I, 318) 1. Recorda 2. Leiamos João Eudes Porque si não estás em sua graça e em seu amor, todos os martírios do mundo seriam inúteis para glória de Deus e para tua Santificação: privarias Deus de uma grande honra que poderias tributar-lhe no momento da tribulação e tu perderias inestimáveis tesouros da graça e da glória. São João Eudes (O. C. I, 456). Formar Jesus, um processo de renúncia e adesão.
  12. 12. Dicas de amor: Humilhações interiores e exteriores da vida de Jesus. Unidade de Espiritualidade Eudista. Link: https://youtu.be/xErdwpBgRp4 3. Dica para a semana A dificuldade para um cristão não pode converter-se em um obstáculo para sua fé, pelo contrário tem que funcionar como um potenciador, através do qual possa descobrir a ação de Deus que se apropria do coração humano e o transforma na profundidade de seu amor. Assumo minhas dificuldades como uma oportunidade para potenciar minha fé e minha oração, de modo que, possa descobrir o propósito de Deus não meio dela? São João Eudes propõe realizar um gesto de reconciliação com Deus no momento da aflição. Quais são as coisas que me impedem de ser fiel a Jesus? Aproxima-te ao sacra-mento da reconciliação. Oração final P. 20 4. Jaculatória para a semana São João Eudes nos recomenda realizar orações repetitivas, assim nosso coração permanecerá em Jesus. Façamos vida esta oração: Coração imenso, que em todas partes me amas, que eu te ame em todas partes e em todas as coisas! 5. Perguntas e respostas para formar Jesus Formar Jesus, um processo de renúncia e adesão.
  13. 13. “Jesus é o amigo fiel que nunca nos abandona, porque inclusive quando pecamos espera pacientemente que voltemos a Ele, e com esta espera manifesta sua vontade de perdoar”. Papa Francisco Formar Jesus: nossa tarefa como cristãos. A experiência do discípulo que caminha junto a Jesus, tem duas grandes etapas: enamoramento e formação. A primeira etapa se desenvolve progressivamente, na medida que o discípulo experimenta o amor e a obra do Pai em sua vida, ali descobre a si mesmo como necessitado de Deus, e a sua vez, chamado a viver em fidelidade e alegria, para ser sinal desse mesmo amor. Ser sinal do amor de Deus para humanidade, implica um processo formativo no qual Jesus apresenta as indicações. Claramente, São João Eudes sabe muito bem qual é a primeira e mais importante: "Continuar e completar a vida de Jesus". A primeira vista, isto poderia entender-se como uma ideia abstrata ou impossível, mas o mesmo padre Eudes nos dá pistas para alcançá-lo. Na perspectiva do santo francês, Jesus faz- se vida em nós, quando inspira o que somos e o que fazemos. O que somos e fazemos se evidencia na maneira como pensamos, sentimos, percebemos a realidade e nos acercamos dele. Quando Jesus inspira nossas ações, nosso coração se orienta em duas grandes virtudes da vida cristã: Dar glória a Deus e a caridade com o próximo. Nossa oração tem de ser mais afiançada quando a inspira o Espírito Santo e evoca em nós a linguagem do amor, o trabalho, o estudo, as relações com os demais, se Jesus permanece no centro, terá fruto abundante em favor dos demais. Desta maneira, Jesus faz-se vida em nós.
  14. 14. São Paulo chama a humildade, a virtude mais característica de Jesus Cristo. É por conseguinte, a virtude própria do cristão, sem a qual é impossível chegar a sê-lo. Ela é o fundamento da vida e Santidade cristã, a guardiã de todas as demais graças e virtudes. Ela nos traz toda classe de bênçãos, porque é nos humildes que o imenso e humildíssimo Jesus encontra seu descanso e suas delícias, segundo sua palavra: mas para esse olharei, para o pobre e abatido de espírito, e que treme da minha palavra. (Is. 66, 2). É a humildade, acompanhada do amor, que se faz Santos e grandes Santos. “Honremos a vida penitente de Jesus em suas privações exteriores e interiores”. (O. C. I, 318) 1. Recorda 2. Leiamos João Eudes É verdade que nosso Senhor Jesus Cristo nos ensina a ajudar, a dar esmola e a orar em secreto. Mas, São Gregório nos aclara que se trata da intenção e não da ação, quer dizer que o Senhor não proíbe que as façamos em público, já que nos disse em outra parte: Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. (Mt. 5, 16). Ele quer que nossa intenção mantenha-se secreta e escondida e que realizemos nossas ações exteriores não para agradar aos homens ou buscando vãos aplausos, se não para agradar a Deus e procurar sua glória. Finalmente, a verdadeira humildade de coração que nosso Senhor nos inculca com seu exemplo consiste em ser humildes como foi Cristo na terra. São João Eudes (O. C. I, 214. 224-225). Formar Jesus: nossa tarefa como cristãos.
  15. 15. Dicas de amor: As privações interiores e exteriores de Jesus. Unidade de Espiritualidade Eudista. Link: https://youtu.be/iRCpE9HLaIA 3. Dica para a semana São João Eudes assegura que o cristão está chamado a atuar em nome de Jesus, por tal razão, é possível concluir que tudo o que façamos em benefício de nosso irmão, tem de ser em nome do Senhor. De que maneira permito que minhas ações evangelizadoras e cotidianas sejam luz e sal para a sociedade? Para São João Eudes o objetivo da vida cristã é dar glória a Deus em tudo, isto se logra vivendo com autenticidade a humildade a pureza de intenção em nossos atos. Em minha família, minha comunidade ou grupo de oração, o serviço que realizo está focado em dar glória a Deus? Como devo seguir fortalecendo para chegar a tal objetivo? Oração final P. 20 4. Jaculatória para a semana São João Eudes nos recomenda realizar orações repetitivas, assim nosso coração permanecerá em Jesus. Façamos vida esta oração: Jesus, Faz meu coração semelhante ao teu! 5. Perguntas e respostas para formar Jesus Formar Jesus: nossa tarefa como cristãos
  16. 16. “A Palavra de Deus é uma força viva, capaz de suscitar a conversão do coração dos homens e orientar novamente a Deus. Fechar o coração ao dom de Deus que fala tem como efeito fechar o coração ao dom do irmão”. Papa Francisco Coração de Maria: um coração quaresmal São João Eudes não concebeu uma vivência plena da vida cristã sem a Virgem Maria, para o Santo francês ela é modelo fundamental para formação de Jesus nos cristãos, concretamente em três aspectos: 1. Seu amor de mãe, 2. Sua qualidade de discípula, 3. Sua virtude de oração. O ponto central da admiração e amor do padre Eudes pela Virgem Maria é sua maternidade. Jesus tens entregou à humanidade sua própria mãe, com o propósito de que seja ela quem instrua o caminho da santidade, ensinando-nos a importância de aproximar o amor a Deus e ao próximo, de modo que, nossos pensamentos e atos se orientem unicamente para glória de Deus. O padre Eudes compreende que a vida de Maria é um Evangelho vivente, pois tudo o que ela reflete a vida de Jesus. Ela é discípula porque constantemente nos convida a ser testemunhas da obra do Senhor. No entanto, aprender a amar, a viver misericordiosamente e a ser testemunha da palavra de Jesus, requer o acompanhamento e a inspiração da oração. Maria nos ensina a orar, porque desde o momento da Encarnação, seu coração contemplava a Palavra que estava em silêncio.
  17. 17. Jesus, Filho único de Deus, Filho único de Maria, ao escolher, entre todas as criaturas, esta incomparável Virgem para ser sua Mãe, sua nodriza (ama) e sua governante; e pois em sua infinita bondade deu-a como Mãe e refúgio em todas as necessidades, quer que a venere-mos, a honremos e a amemos como ela a ama. O amabilíssimo Coração da Mãe do Salvador tem cooperado com ele, sob diversas formas, no início e no progresso da obra de nossa salvação. (O. C. VI, 155) 1. Recorda 2. Leiamos João Eudes A exaltou e honrou sobre todos os homens e os anjos; quer igualmente que lhe rendamos mais respeito e veneração que a todos os anjos e a todos os homens. Pois ele é nossa Cabeça e nós seus membros, animados por seu espírito, devemos seguir suas inclinações, caminhar por suas trilhas, continuar sua vida na terra e praticar as virtudes que praticou, quer que nossa devoção a sua divina Mãe seja continuação da sua. Quer dizer, que tenhamos os sentimentos de honrar, de submissão e de amor que ele teve aqui na terra e que lhe tem eternamente no céu. Ela ocupou e ocupará para sempre o primeiro posto em seu coração. São João Eudes (O. C. VI, 17-18) Coração de Maria: um coração quaresmal
  18. 18. Dicas de amor: Coração de Maria - Coração de Jesus Unidade de Espiritualidade Eudista Link: https://www.youtube.com/watch? v=BkY_SdR6t6w 3. Dica para a semana De que maneira as virtudes, o amor e a misericórdia que contemplo no Coração de Maia me permitem fazer viver e reinar Jesus em meu coração? Para São João Eudes, o Coração de Maria é fiel imagem da vida e o Reinado de Jesus: Que devo formar em minha vida cristã para ser uma imagem autêntica da vida e o Reinado de Jesus a exemplo de Maria? Oração final P. 20 4. Jaculatória para a semana São João Eudes nos recomenda realizar orações repetitivas, assim nosso coração permanecerá em Jesus. Façamos vida esta oração: Mãe de amor, ama a teu Filho por mim, e faz-me partícipe do amor que lhe tens. 5. Perguntas e respostas para formar Jesus Coração de Maria: um coração quaresmal

×