Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Estratégia para minimizar a infeção causada por Phythophthora cinnamomi

318 views

Published on

Presentación llevada a cabo por Ana Cristina Marcelino de INIAV Portugal en el FORO INIA TEMÁTICO DE COLABORACIÓN PÚBLICO-PRIVADA No 18: LA SECA celebrado el 3 de Julio de 2014 en la sede de CICYTEX en Mérida.

Published in: Science
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Estratégia para minimizar a infeção causada por Phythophthora cinnamomi

  1. 1. Foro I+D+i Ana Cristina Moreira Av. da República, Quinta do Marquês, 2784-505 Oeiras, Portugal
  2. 2. Os resultados indicam que existem factores que influenciam a ocorrência de P. cinnamomi:  Tipo de solo (texturas com elevados níveis de argila e limo)- solos esqueléticos e com baixos a muito baixos níveis de nutrientes (fósforo e MO);  Situação do povoamento/montado (exposição a sul influencia a actividade de P. cinnamomi e a expressão do declínio e morte nas árvores);  O estracto sob-coberto (muitas espécies presentes nestes povoamentos encontram-se infectadas, embora não apresentem sintomas);  Entre 1995-2005 observou-se um aumento frequência do patogénio, em particular nas regiões do sul. ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS EM PORTUGAL ASSOCIADOS A Phytophthora cinnamomi INIAV-UALG
  3. 3. ESTUDOS DE PATOGENICIDADE E DA INFECÇÃO POR Phytophthora cinnamomi NOS TECIDOS DE SOBREIRO E AZINHEIRA  A infecção conduz à destruição das raízes por intensa invasão do cilindro vascular nas duas espécies;  A azinheira é mais susceptível à infecção por P. cinnamomi do que o sobreiro. O patogénio coloniza com maior rapidez e com maior número de hifas as raízes da azinheira, atingindo o cilindro vascular em 24 horas. Hifas de P. cinnamomi INIAV
  4. 4. IMPACTO DE P. CINNAMOMI NA SOBREVIVÊNCIA DE PLÂNTULAS DE SOBREIRO NUM SOLO NATURALMENTE INFESTADO APFSC-INIAV2004
  5. 5. 2013  Os resultados mostram que existem factores locais que podem influenciar a incidência da doença:  Existem diferenças significativas entre as parcelas, quer no desenvolvimento das plantas, quer no número de plantas sobreviventes.  A proveniência das plantas também evidenciou influência no seu comportamento. IMPACTO DE P. CINNAMOMI NA SOBREVIVÊNCIA DE PLÂNTULAS DE SOBREIRO NUM SOLO NATURALMENTE INFESTADO
  6. 6. SNI+CVEG SNI+MYC SNI HOLM OAK SNI SNI+MYC SNI+CVEG CORK OAK EFEITO DO COMPOSTO VEGETAL E DE FUNGOS MICORRÍZICOS NA SOBREVIVÊNCIA DE PLÂNTULAS DE SOBREIRO E AZINHEIRA NUM SOLO NATURALMENTE INFESTADO COM P. CINNAMOMI  No solo com o composto as plantas evidenciaram um melhor desenvolvimento e a % da mortalidade foi menor;  Os fungos micorrízicos testados (Pisolithus tinctorius e Scleroderma verrucosum) não melhoraram a sobrevivência das plantas quando comparada com as plantas do solo naturalmente infestado (SNI);  A mortalidade dos sobreiros aumentou ao longo do tempo INIAV
  7. 7. PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO DE MONTADO (ALENTEJO-OURIQUE) ACPA-INIAV (Equipa pluridisciplinar) Objectivo principal: Recuperar uma área de 652 ha de Montado localizada no Baixo Alentejo-Ourique. •aumento da densidade do arvoredo existente •recuperação vegetativa das árvores adultas Esta área possui : •Leptossolos / Regossolos (solos derivados de xistos e / ou grauvaques) áreas planas de menor declive •Luvissolos Férricos (solos avermelhados de "ranãs“) Solos com baixa capacidade produtiva
  8. 8. PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO DE MONTADO (ALENTEJO-OURIQUE)- PARCELAS 1- M-V-VM-T 2- T-M-V-VM 3- VM-T-M-V 4- V-VM-T-M 5- M-V-VM-T 6- V-VM-T-M 7- M-V-VM-T 8- T-M-V-VM 9- VM-T-M-V 10- V-VM-T-M 1- T-VM-V-M 2- VM-V-T-M 3- M-VM-V-T 4- V-T-M_VM 5- VM-M-T-V 6- VM-M-V-T 7- T-V-M-VM 8- V-M-T-VM 9- M-T-VM-V 10- M-VM-V-T 1- M-V-VM-T 2- VM-V-M-T 3- M-T-VM-V 4- VM-V-M-T 5- VM-V-M-T 6- V-VM-T-M 7- V-T-VM-M 8- VM-M-V-T 9- M-T-V-VM 10- V-VM-T-M Plot I Plot II Plot III A-S. Martinho Amoreiras-Ourique B- Ourique C- Garvão-Ourique Luvissolos férricos Regossolos háplicos /Leptossolos 95,0% 82,5% 67,5% T-Control;VM-Compost+Mycorrhizae M-Mycorrhizae;V- Compost; Regossolos háplicos /Leptossolos  Correcção geral dos solos (CaCO3 e P)  Aplicação de composto nas arvores adultas (10kg/arv)  Sementeira forrageira (aveia x ervilhaca)- 5kg/ha/ano;  Instalação de parcelas experimentais em 3 solos infestados com P. cinnamomi:  Sementeira com bolota  Ectomicorrizas (pastilhas)  Vermicomposto (2kg/arv)
  9. 9. PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO DE MONTADO (ALENTEJO-OURIQUE) Com a fertilização geral observou-se:  Regossolos (Px e Px(d)  Ligeiro aumento pH  MO aumentou ligeiramente nalguns casos e noutros ficou igual  Tendência para que o teor de P2O5 fique <10 mg/kg.  Melhoria do teor de K2O.  Luvissolos Férricos (Sr)  Melhoria ténue do pH  MO sem alteração (por vezes reduziu)  Teores de P2O5 muito baixos  Redução do teor de K2O Germinação/sobrevivência Plot 1- 95,0% Plot 2- 67,5% Plot 3- 82,5% 2012-2014
  10. 10. InstitutoNacionaldeInvestigaçãoAgráriaeVeterinária,I.P. Av. da República, Quinta do Marquês, 2780-157 Oeiras, Portugal Tel: (+ 351) 21 440 35 00 - Fax: (+ 351) 21 440 36 66 www.iniav.pt

×