Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Indicador de Confianca do Empresario

314 views

Published on

Os empresários belo-horizontinos estão pessimistas em relação à economia do país e aos próprios negócios para os próximos seis meses, como mostra pesquisa feita pela CDL/BH.

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Indicador de Confianca do Empresario

  1. 1. Indicador de Confiança MARÇO/2016 Setor de Economia, Pesquisa e Mercado Empresários Belo Horizonte
  2. 2. INDICADOR DE CONFIANÇA TENDO EM VISTA A NECESSIDADE DO VAREJO DE UM INDICADOR DE TENDÊNCIA ECONÔMICA, QUE SINTETIZE A OPINIÃO DOS EMPRESÁRIOS DE BELO HORIZONTE QUANTO AOS ASPECTOS DA CONJUNTURA ECONÔMICA ATUAL, E QUE SIRVA DE NORTEADOR DE DECISÕES FUTURAS, A CDL/BH CRIOU UM INDICADOR DEINDICADOR DE CONFIANÇACONFIANÇA. O INDICADOR DE CONFIANÇA TEM COMO OBJETIVO: ICE-BH: identificar a percepção dos empresários de Belo Horizonte sobre o cenário macroeconômico atualcenário macroeconômico atual e as finanças do seu próprio negóciofinanças do seu próprio negócio.
  3. 3. INDICADOR DE CONFIANÇA O INDICADOR DE CONFIANÇAINDICADOR DE CONFIANÇA É COMPOSTO POR SUB-INDICADORES SOBRE A CONDIÇÃOCONDIÇÃO GERALGERAL (ECONOMIA BRASILEIRA E FINANÇAS EMPRESA) E EXPECTATIVAEXPECTATIVA (ECONOMIA BRASILEIRA E FINANÇAS EMPRESA) , CONFORME APRESENTADO NO ESQUEMA ABAIXO: INDICADOR DE CONFIANÇA INDICADOR DE EXPECTATIVA INDICADOR DE CONDIÇÕES GERAIS ECONOMIA BRASILEIRA FINANÇAS DO PRÓPRIO NEGÓCIO ECONOMIA BRASILEIRA FINANÇAS DO PRÓPRIO NEGÓCIO O INDICADOR DE CONFIANÇAINDICADOR DE CONFIANÇA, BEM COMO OS SUB-INDICADORES VARIAM ENTRE ZERO E 100, SENDO ZERO A INDICAÇÃO MAIS PESSIMISTA E 100 A MAIS OTIMISTA POSSÍVEL.
  4. 4. INDICADOR DE CONFIANÇA RESULTADO EMPRESÁRIO BELO HORIZONTE INDICADOR DE EXPECTATIVA INDICADOR DE CONDIÇÕES GERAIS INDICADOR DE CONFIANÇA IND. CONDIÇÕES ECONOMIA BRASILEIRA IND. CONDIÇÕES PRÓPRIO NEGÓCIO 15,5 25,0 IND. EXPECTATIVA ECONOMIA BRASILEIRA IND. EXPECTATIVA PRÓPRIO NEGÓCIO 40,7 48,7 20,2 44,7 34,2
  5. 5. INDICADOR DE CONFIANÇA INDICADOR DE CONFIANÇA 34,2 O Indicador de Confiança dos empresários de BH continua demonstrando que os empresários entrevistados permanecem pouco confiantes com as condições econômicas do país e de seus negócios, pois o resultado segue abaixo do nível neutro de 50 pontos. RESULTADO EMPRESÁRIO BELO HORIZONTE
  6. 6. INDICADOR DE CONFIANÇA CONDIÇÕES ECONOMIA BRASILEIRA A percepção sobre a economia brasileira em comparação aos últimos 6 meses, observou-se que a grande maioria (93,1%) acredita que houve piora na economia, notada principalmente pelo aumento da inflação, índice de inadimplência dos consumidores e aumento da taxa de juros.
  7. 7. INDICADOR DE CONFIANÇA CONDIÇÕES PRÓPRIO NEGÓCIO Quando o empresário avalia o próprio negócio. Para a maioria, 74,7% houve piora na condição financeira da sua empresa nos últimos 6 meses, justificada pela queda nas vendas e nas suas margens de lucro.
  8. 8. INDICADOR DE CONFIANÇA EXPECTATIVA ECONOMIA BRASILEIRA A maior parte dos empresários de Belo Horizonte (47,4%) está pessimista em relação a expectativa para ECONOMIA para os próximos 6 meses. A falta de propostas e medidas efetivas do governo para tentar reverter a crise econômica acaba gerando um ciclo vicioso de descrédito na economia do país.
  9. 9. INDICADOR DE CONFIANÇA EXPECTATIVA PRÓPRIO NEGÓCIO Em relação à própria empresa o nível de otimismo e pessimismo está equilibrado, 33,7% está otimista e 36,2% pessimista. Isto indica que, apesar da expectativa para economia brasileira não ser tão favorável, boa parte dos empresários acredita que o quadro irá melhorar nos próximos 6 meses. Isso é explicado pelo fato de que muitos acreditam que uma gestão eficiente de sua própria empresa, pode ajudar a enfrentar as dificuldades impostas pela crise.
  10. 10. INDICADOR DE CONFIANÇA Indicador segue demonstrando baixa confiança dos empresários de BH com as condições econômicas do país. O indicador registou apenas 34,2 pontos, em out/2015 o resultado foi de 39,3 pontos. Apenas 4,9% observaram melhora no desempenho do seu negócio nos últimos seis meses. RESULTADO EMPRESÁRIO BELO HORIZONTE   out/15 mar/16 Indicador de Confiança 39,3 34,2 Ind. de Condições Gerais 20,0 20,2 Ind. Condições Gerais - Brasil 16,8 15,5 Ind. Condições Gerais - Finanças próprio negócio 23,2 25,0 Indicador de Expectativa 53,7 44,7 Ind. de Expectativa - Brasil 50,1 40,7 Ind. de Expectativa - Finanças próprio negócio 57,4 48,7
  11. 11. INDICADOR DE CONFIANÇA Os empresários de micro e pequena empresa foram os mais impactados pelas mudanças no cenário macroeconômico nos últimos seis meses. Além disso, esses empresários estão pouco confiantes com o futuro do seu negócio em curto prazo. RESULTADO EMPRESÁRIO BH POR PORTE
  12. 12. INDICADOR DE CONFIANÇA Em out/2015 todos os empresários estavam confiantes com o futuro do seu negócio e o cenário econômico do pais, porém essa confiança foi abalada nos últimos meses e os que mais sentiram o impacto foram os empresários de Micro e Pequeno porte. É importante salientar que, os empresários de médio e grande porte se mantiveram com os mais confiantes. RESULTADO EMPRESÁRIO BH POR PORTE
  13. 13. INDICADOR DE CONFIANÇA O atual cenário econômico apresenta um recorrente aumento do desemprego, queda na renda das famílias, aumento da inflação e uma consequente queda das vendas na capital -1,72% (acumulado do ano 2016) o que afeta diretamente a vida dos empresários. Devido a falta de confiança no que se refere ao ambiente político-econômico, eles optam por cautela antes de qualquer investimento. A falta de perspectiva a longo prazo causa esse ambiente de incertezas e dentro deste contexto o empresário, com sua margem de lucro já sacrificada, acaba por “enxugar” os custos. Diminuir investimento e em última alternativa cortar um percentual do seu quadro de funcionários para aliviar a folha de pagamentos, acarreta no aumento do índice de desemprego, além da diminuição da renda disponível em circulação. Deve-se se ressaltar que os empresários de micro e pequenas empresas são os mais impactados pelas mudanças no cenário macroeconômico nos últimos meses, pois possuem menos recursos para fazer investimentos e, por isso ficam mais vulneráveis em meio à crise. Além disso, esses empresários estão pouco confiantes com o futuro do seu negócio em curto prazo, conscientes de uma tendência de vendas menos aquecida, e consumidores mais cautelosos com as compras. CONCLUSÃO
  14. 14. Setor de Economia, Pesquisa e Mercado Equipe Técnica: Ana Paula Bastos – Economista Sarah Ribeiro – Estatística André Correia – Analista de Economia Amanda Santos – Técnico de Pesquisa

×