Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
GERENCIAMENTODE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO     CIVILProfª. Nelma Mirian C. de Araújo
IntroduçãoA gestão do meio ambiente, temsido um desafio atual e temadiscutido sob o ponto de vistaambiental e econômico p...
IntroduçãoA construção civil é um setor cujaatividade produz grandes impactosambientais, percebidos desde aextração das m...
IntroduçãoNão faz parte, ainda, dacultura do setor, preocupaçõescom a questão ambiental, masque não pode mais serdespreza...
IntroduçãoA Indústria daConstrução Civil (ICC),como geradora deresíduos, tem um papelrelevante na construçãodo futuro, di...
IntroduçãoO novo paradigma da construçãocivil fundamenta-se na integraçãodos seus principais agentes.                    ...
IntroduçãoIntegrar significacompartilhar responsabilidades;recursos humanos e financeiros;conhecimento e tecnologia;instr...
IntroduçãoA gestão dos resíduosnos canteiros de obraprioriza segregar, reduzircustos do construtor com aremoção do entulh...
LegislaçãoVisando disciplinar os impactoscausados pela indústria daconstrução, o Governo Federaldeu passos importantes co...
LegislaçãoA Resolução CONAMA nº307/2002 prevê, nagestão, ações educativas,visando sensibilizar osatores envolvidos parase...
Importante !!!A Resolução nº. 307 do CONAMA foialterada pelas seguintes resoluções,também do CONAMA:                 nº. 4...
Normas ABNTNBR 15112 •Resíduos da construção civil e          resíduos volumosos – Áreas de          transbordo e triagem ...
Normas ABNTNBR 15114 •Resíduos sólidos da construção civil          – Áreas de reciclagem – Diretrizes          para proje...
Normas ABNTNBR 15116 •Agregados reciclados de resíduos          sólidos da construção civil –          Utilização em pavim...
Alguns ConceitosRESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL –Resíduos provenientes de construções, reformas,reparos e demolições de obra...
Alguns ConceitosGERADORES – Pessoas físicas ou jurídicas,públicas ou privadas, responsáveis por atividades ouempreendimen...
Alguns ConceitosTRANSPORTADORES – Pessoas, físicas oujurídicas, encarregadas da coleta e do transportedos resíduos entre ...
Alguns ConceitosGERENCIAMENTO DE RESÍDUOS – Sistema degestão que visa reduzir, reutilizar ou reciclarresíduos, incluindo ...
Política dos 3Rs            1. REDUÇÃO    máxima dos resíduos   3. RECICLAGEM                          3Rs    2. REUTILIZA...
Classificação dos Resíduos                (Resolução nº. 307)Classe A - reutilizáveis ourecicláveis como agregados;Classe ...
Classe A- de construção, demolição, reformas e reparos depavimentação e de outras obras de infra-estrutura,inclusive solos...
Classe BPlásticos, papel/papelão, metais, vidros,madeiras e gesso.                                  Profª. Nelma Araújo
Classe CResíduos para os quais não foramdesenvolvidas tecnologias ou aplicaçõeseconomicamente viáveis que permitam a suar...
Classe DTintas, solventes, óleos e outros, ouaqueles contaminados ou prejudiciais àsaúde oriundos de demolições, reformas...
Cenário LocalA Lei Municipal nº. 11.176/2007, da PrefeituraMunicipal de João Pessoa (PMJP), tem por objetivodisciplinar a...
Cenário LocalEssa lei também responsabiliza os geradorespelos resíduos das atividades da construção,reformas, reparos e d...
Cenário LocalA gestão de resíduos em pequenos volumes deveser efetuada por intermédio do Programa Municipalde Gerenciamen...
Ecopontos            Profª. Nelma Araújo
Cenário LocalSegundo dados da PrefeituraMunicipal de João Pessoa (PMJP),a Usina de Beneficiamento dosResíduos da Construç...
Cenário LocalTodos os resíduosoriundos dos ecopontossão levados à Usina(Usiben) com custo zero,com o intuito de serecicla...
Cenário LocalA usina funciona da seguinte forma:recebe o resíduo, faz uma triagem eprocessa os resíduos classificados com...
EntravesDesconhecimento total ou poucoconhecimento da legislaçãopertinente à gestão dos RCDs(Resoluções CONAMA nº. 307,34...
EntravesAtuação incipientedos órgãosfiscalizadores documprimento daslegislações pertinentesà gestão dos RCDs;            ...
EntravesAtuação incipiente daPMJP, através da SEMAM(Secretaria Municipal doMeio Ambiente) quanto àdivulgação e fiscalizaç...
EntravesElaboração de Projetos de Gerenciamentode Resíduos da Construção Civil de formasuperficial pelos geradores de res...
EntravesFalta de logística fornecidapela PMJP quanto àclassificação dos RCDs, hajavista todos serem coletadossem qualquer...
EntravesFalta de conscientização dosempresários quanto àimportância da gestão dosRCDs nos canteiros de obra, aqual é enco...
EntravesPercepção equivocadapor parte dos gestoresdos empreendimentosquanto à possibilidade deutilização da política dost...
EntravesSubutilização da Usiben;                             Profª. Nelma Araújo
EntravesFiscalização deficientequanto ao transporte dosRCDs, principalmente noque diz respeito àdisposição final dosresíd...
Soluções para os                       entravesQue a gestão dos RCDs seja entendidacomo uma responsabilidade de todos osi...
Soluções para os                       entravesQue, no caso de impossibilidade dedeterminação do gerador do resíduo, ares...
Soluções para os                      entravesQue o gerador de resíduos elabore oPGRCC (Projeto de Gestão de Resíduos daC...
Soluções para os                       entraves- a promoção da reutilização de resíduos(em aterros, por exemplo) e a incor...
Soluções para os                      entraves- a implantação na obra de um sistema deacondicionamento adequado que permit...
Soluções para os                      entraves- a aplicação, na obra, uma metodologia detriagem de RCDs ou, quando esta nã...
Soluções para os                       entraves- a manutenção, na obra, dos RCDs pelomínimo tempo possível, principalmente...
Resultados Possíveis- redução de custos da limpeza urbana erecuperação de áreas degradadas;- geração de emprego e renda;- ...
Resultados Possíveis- redução de energia;- melhoria da imagem daempresa construtoraperante à sociedade e aosórgãos fiscali...
Considerações FinaisEm João Pessoa-PB, apesar da existênciade legislações que abordem o gerenciamentodos RCDs nos canteir...
Considerações FinaisA implantação de uma gestão diferenciadados RCDs permite a obtenção de resultadosconcretos, com vista...
Considerações FinaisPara que haja mudanças no atual cenário, quanto àgestão dos RCDs nos canteiros de obras deedificações...
“Quanto mais as pessoasacreditam em uma coisa, quanto  mais se dedicam a ela, mais    podem influenciar no seu        acon...
Obrigada !!! nelmamca@gmail.com     8812 8945     9184 4721                 Profª. Nelma Araújo
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Gerenciamento de Resíduos Sólidos

15,726 views

Published on

Palestra Prof.ª Nelma Miriam Chagas de Araújo Meira. 1ª Semana da Construção Civil

Published in: Education
  • Be the first to comment

Gerenciamento de Resíduos Sólidos

  1. 1. GERENCIAMENTODE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVILProfª. Nelma Mirian C. de Araújo
  2. 2. IntroduçãoA gestão do meio ambiente, temsido um desafio atual e temadiscutido sob o ponto de vistaambiental e econômico para asindústrias, empresas e sociedade,deixando de ser considerado comocusto para ser uma oportunidadede redução do passivo ambientalque compromete a qualidade devida no planeta. Profª. Nelma Araújo
  3. 3. IntroduçãoA construção civil é um setor cujaatividade produz grandes impactosambientais, percebidos desde aextração das matérias-primasnecessárias à fabricação de seusprodutos, passando pela execuçãodos serviços nos canteiros de obra,até a destinação final dos resíduosgerados, provocando uma grandemudança na paisagem urbana. Profª. Nelma Araújo
  4. 4. IntroduçãoNão faz parte, ainda, dacultura do setor, preocupaçõescom a questão ambiental, masque não pode mais serdesprezada, pela exigência douso racional dos recursosnaturais. Profª. Nelma Araújo
  5. 5. IntroduçãoA Indústria daConstrução Civil (ICC),como geradora deresíduos, tem um papelrelevante na construçãodo futuro, disseminando acultura daresponsabilidade com apreservação do meioambiente. Profª. Nelma Araújo
  6. 6. IntroduçãoO novo paradigma da construçãocivil fundamenta-se na integraçãodos seus principais agentes. Profª. Nelma Araújo
  7. 7. IntroduçãoIntegrar significacompartilhar responsabilidades;recursos humanos e financeiros;conhecimento e tecnologia;instrumentos; e esforços,minimizando os impactosambientais da cadeia produtivada indústria da construção. Profª. Nelma Araújo
  8. 8. IntroduçãoA gestão dos resíduosnos canteiros de obraprioriza segregar, reduzircustos do construtor com aremoção do entulhoreciclável (papelão, vidro,plástico etc.) e reduzir odesperdício. Profª. Nelma Araújo
  9. 9. LegislaçãoVisando disciplinar os impactoscausados pela indústria daconstrução, o Governo Federaldeu passos importantes com aResolução CONAMA nº 307, de05 de julho de 2002,estabelecendo diretrizes,critérios e procedimentos para agestão dos resíduos daconstrução civil. Profª. Nelma Araújo
  10. 10. LegislaçãoA Resolução CONAMA nº307/2002 prevê, nagestão, ações educativas,visando sensibilizar osatores envolvidos parasegregar e reduzir osresíduos desde a suageração. Profª. Nelma Araújo
  11. 11. Importante !!!A Resolução nº. 307 do CONAMA foialterada pelas seguintes resoluções,também do CONAMA: nº. 431/2011 nº. 348/2004 nº. 448/2012 Profª. Nelma Araújo
  12. 12. Normas ABNTNBR 15112 •Resíduos da construção civil e resíduos volumosos – Áreas de transbordo e triagem – diretrizes para projeto, implantação e operação.NBR 15113 •Resíduos sólidos da construção e resíduos inertes – Aterros – Diretrizes para projeto, implantação e operação Profª. Nelma Araújo
  13. 13. Normas ABNTNBR 15114 •Resíduos sólidos da construção civil – Áreas de reciclagem – Diretrizes para projeto, implantação e operação.NBR 15115 •Agregados reciclados de resíduos sólidos da construção civil – Execução de camadas de pavimentação – Procedimentos. Profª. Nelma Araújo
  14. 14. Normas ABNTNBR 15116 •Agregados reciclados de resíduos sólidos da construção civil – Utilização em pavimentação e preparo de concreto sem função estrutural – Requisitos. Profª. Nelma Araújo
  15. 15. Alguns ConceitosRESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL –Resíduos provenientes de construções, reformas,reparos e demolições de obras de construção civil,e os resultantes da preparação e da escavação deterrenos, tais como: tijolos, blocos cerâmicos,concreto em geral, solos, rochas, metais, resinas,colas, tintas, madeiras e compensados, forros,argamassa, gesso, telhas, pavimento asfáltico,vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica etc.,chamados de entulhos de obras, caliça ou metralha. Profª. Nelma Araújo
  16. 16. Alguns ConceitosGERADORES – Pessoas físicas ou jurídicas,públicas ou privadas, responsáveis por atividades ouempreendimentos que geram resíduos deconstrução civil, reforma, reparos e demolições deestruturas e estradas, bem como por aquelesresultantes da remoção de vegetação e escavaçãode solos. Deve-se priorizar a não geração deresíduos; ou a redução; reutilização; reciclagem; e adestinação final adequada. Profª. Nelma Araújo
  17. 17. Alguns ConceitosTRANSPORTADORES – Pessoas, físicas oujurídicas, encarregadas da coleta e do transportedos resíduos entre as fontes geradoras e os locaisde disposição final. Profª. Nelma Araújo
  18. 18. Alguns ConceitosGERENCIAMENTO DE RESÍDUOS – Sistema degestão que visa reduzir, reutilizar ou reciclarresíduos, incluindo planejamento,responsabilidades, práticas, procedimentos erecursos para desenvolver e implementar as açõesnecessárias ao cumprimento das etapas previstasem programas e planos. Profª. Nelma Araújo
  19. 19. Política dos 3Rs 1. REDUÇÃO máxima dos resíduos 3. RECICLAGEM 3Rs 2. REUTILIZAÇÃO máxima possível dos resíduos geradosdo que não foi possível reutilizar CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL
  20. 20. Classificação dos Resíduos (Resolução nº. 307)Classe A - reutilizáveis ourecicláveis como agregados;Classe B - recicláveis paraoutras destinações;Classe C - não permitem a suareciclagem/recuperação;Classe D - perigosos oriundosdo processo de construção. Profª. Nelma Araújo
  21. 21. Classe A- de construção, demolição, reformas e reparos depavimentação e de outras obras de infra-estrutura,inclusive solos provenientes de terraplenagem;- de construção, demolição, reformas e reparos deedificações: componentes cerâmicos (tijolos,blocos, telhas, placas de revestimento etc.),argamassa e concreto;- de processo de fabricação e/ou demolição depeças pré-moldadas em concreto (blocos, tubos,meios-fios etc.) produzidas nos canteiros de obras. Profª. Nelma Araújo
  22. 22. Classe BPlásticos, papel/papelão, metais, vidros,madeiras e gesso. Profª. Nelma Araújo
  23. 23. Classe CResíduos para os quais não foramdesenvolvidas tecnologias ou aplicaçõeseconomicamente viáveis que permitam a suareciclagem ou recuperação. Profª. Nelma Araújo
  24. 24. Classe DTintas, solventes, óleos e outros, ouaqueles contaminados ou prejudiciais àsaúde oriundos de demolições, reformas ereparos de clínicas radiológicas, instalaçõesindustriais e outros, bem como telhas edemais objetos e materiais que contenhamamianto ou produtos nocivos à saúde. Profª. Nelma Araújo
  25. 25. Cenário LocalA Lei Municipal nº. 11.176/2007, da PrefeituraMunicipal de João Pessoa (PMJP), tem por objetivodisciplinar a gestão dos RCDs, instituindo o Sistemade Gestão Sustentável de Resíduos da ConstruçãoCivil e Demolição e o Plano Integrado deGerenciamento de Resíduos da construção Civil eDemolição, de acordo com o previsto na ResoluçãoCONAMA nº. 307. Profª. Nelma Araújo
  26. 26. Cenário LocalEssa lei também responsabiliza os geradorespelos resíduos das atividades da construção,reformas, reparos e demolição. Estabelece que osRCDs gerados no município constituirão o sistemade gestão integrada do RCD, visando à triagem,reutilização, reciclagem, reservação ou destinaçãomais adequada, conforme a Resolução CONAMA nº.307. Profª. Nelma Araújo
  27. 27. Cenário LocalA gestão de resíduos em pequenos volumes deveser efetuada por intermédio do Programa Municipalde Gerenciamento de Resíduos da Construção Civile Demolição que tem como diretrizes técnicas:a melhoria da limpeza urbana; a possibilidade doexercício das responsabilidades dos pequenosgeradores, por meio de pontos de captaçãoperenes; fomentar a redução, a reutilização, areciclagem e a correta destinação desses resíduos. Profª. Nelma Araújo
  28. 28. Ecopontos Profª. Nelma Araújo
  29. 29. Cenário LocalSegundo dados da PrefeituraMunicipal de João Pessoa (PMJP),a Usina de Beneficiamento dosResíduos da Construção Civil eDemolição (Usiben) tem quatroanos de existência e capacidadede processar, aproximadamente,25 toneladas de entulho por hora; Profª. Nelma Araújo
  30. 30. Cenário LocalTodos os resíduosoriundos dos ecopontossão levados à Usina(Usiben) com custo zero,com o intuito de sereciclar 90% destes eevitar a deposição dosmesmos em locaisimpróprios, agredindo anatureza; Profª. Nelma Araújo
  31. 31. Cenário LocalA usina funciona da seguinte forma:recebe o resíduo, faz uma triagem eprocessa os resíduos classificados comoClasse A (telhas e tijolos cerâmicos,argamassa, concreto, por exemplo),transformando-os em matéria-prima paraser utilizada na construção de casaspopulares e na pavimentação de praças, ruase avenidas. Profª. Nelma Araújo
  32. 32. EntravesDesconhecimento total ou poucoconhecimento da legislaçãopertinente à gestão dos RCDs(Resoluções CONAMA nº. 307,348, 431 e 448, normas da ABNTe Lei Municipal nº. 11.176/2007,por exemplo) por parte dosgestores dos canteiros de obra.gestão dos RCDs; Profª. Nelma Araújo
  33. 33. EntravesAtuação incipientedos órgãosfiscalizadores documprimento daslegislações pertinentesà gestão dos RCDs; Profª. Nelma Araújo
  34. 34. EntravesAtuação incipiente daPMJP, através da SEMAM(Secretaria Municipal doMeio Ambiente) quanto àdivulgação e fiscalizaçãodo cumprimento da LeiMunicipal nº. 11.176/2007; Profª. Nelma Araújo
  35. 35. EntravesElaboração de Projetos de Gerenciamentode Resíduos da Construção Civil de formasuperficial pelos geradores de resíduos(empresas construtoras), sem levar emconta as características e especificidadesde cada obra, utilizando, na maioria dasvezes, um projeto padrão com pequenasalterações para cada obra; Profª. Nelma Araújo
  36. 36. EntravesFalta de logística fornecidapela PMJP quanto àclassificação dos RCDs, hajavista todos serem coletadossem qualquer distinçãoclassificatória (A, B, C ou D),dificultando, inclusive oreaproveitamento e areciclagem do RCD; Profª. Nelma Araújo
  37. 37. EntravesFalta de conscientização dosempresários quanto àimportância da gestão dosRCDs nos canteiros de obra, aqual é encontrada também nosgestores dos seusempreendimentos(engenheiros, tecnólogos etécnicos); Profª. Nelma Araújo
  38. 38. EntravesPercepção equivocadapor parte dos gestoresdos empreendimentosquanto à possibilidade deutilização da política dostrês Rs nos canteiros; Profª. Nelma Araújo
  39. 39. EntravesSubutilização da Usiben; Profª. Nelma Araújo
  40. 40. EntravesFiscalização deficientequanto ao transporte dosRCDs, principalmente noque diz respeito àdisposição final dosresíduos. Profª. Nelma Araújo
  41. 41. Soluções para os entravesQue a gestão dos RCDs seja entendidacomo uma responsabilidade de todos osintervenientes do setor produtivo daconstrução civil, desde a extração damatéria-prima até a geração do resíduo noscanteiros, passando, inclusive, pelos órgãosexecutivos, sindicatos e associações; Profª. Nelma Araújo
  42. 42. Soluções para os entravesQue, no caso de impossibilidade dedeterminação do gerador do resíduo, aresponsabilidade pela respectiva gestãorecaia sobre o seu detentor; Profª. Nelma Araújo
  43. 43. Soluções para os entravesQue o gerador de resíduos elabore oPGRCC (Projeto de Gestão de Resíduos daConstrução Civil) para cadaempreendimento, buscando:- a redução/eliminação do desperdício emtodos os processos construtivos quecompõem a execução da obra; Profª. Nelma Araújo
  44. 44. Soluções para os entraves- a promoção da reutilização de resíduos(em aterros, por exemplo) e a incorporaçãode reciclados de RCDs na obra (agregadosna confecção de argamassas e concretos,por exemplo); Profª. Nelma Araújo
  45. 45. Soluções para os entraves- a implantação na obra de um sistema deacondicionamento adequado que permita agestão seletiva dos RCDs (utilização debombonas e/ou baias, por exemplo); Profª. Nelma Araújo
  46. 46. Soluções para os entraves- a aplicação, na obra, uma metodologia detriagem de RCDs ou, quando esta não forpossível, de acondicionamento e/ouencaminhamento do RCD para um“ecoponto” ou diretamente para a Usiben oupara o Aterro Sanitário; Profª. Nelma Araújo
  47. 47. Soluções para os entraves- a manutenção, na obra, dos RCDs pelomínimo tempo possível, principalmente dosresíduos das classes C e D. Profª. Nelma Araújo
  48. 48. Resultados Possíveis- redução de custos da limpeza urbana erecuperação de áreas degradadas;- geração de emprego e renda;- incentivo à redução da geração de resíduosnas etapas construtivas da obra;- preservação das paisagens urbanas;- redução dos impactos provenientes deexploração de jazidas naturais de agregadospara a construção; Profª. Nelma Araújo
  49. 49. Resultados Possíveis- redução de energia;- melhoria da imagem daempresa construtoraperante à sociedade e aosórgãos fiscalizadores. Profª. Nelma Araújo
  50. 50. Considerações FinaisEm João Pessoa-PB, apesar da existênciade legislações que abordem o gerenciamentodos RCDs nos canteiros de obras, as açõespositivas das empresas construtoras nessesentido ainda deixam a desejar,restringindo-se a ações pontuais por partede alguns geradores; Profª. Nelma Araújo
  51. 51. Considerações FinaisA implantação de uma gestão diferenciadados RCDs permite a obtenção de resultadosconcretos, com vistas a uma política dedesenvolvimento urbano sustentável, impondoaos municípios um caráter regulador,principalmente aprimorando instrumentosjurídicos para que novos procedimentos degestão se consolidem; Profª. Nelma Araújo
  52. 52. Considerações FinaisPara que haja mudanças no atual cenário, quanto àgestão dos RCDs nos canteiros de obras deedificações verticais, deve haver uma atuação maisforte por parte da SEMAM quanto à fiscalização documprimento da legislação vigente sobre o temaaqui abordado, principalmente no que diz respeito aintegrar os Projetos de Gerenciamento de Resíduosda Construção Civil (elaborados pelos geradores deresíduos) e o Programa Municipal de Gerenciamentode Resíduos da Construção Civil (deresponsabilidade da PMJP). Profª. Nelma Araújo
  53. 53. “Quanto mais as pessoasacreditam em uma coisa, quanto mais se dedicam a ela, mais podem influenciar no seu acontecimento”. (Dov Éden) Profª. Nelma Araújo
  54. 54. Obrigada !!! nelmamca@gmail.com 8812 8945 9184 4721 Profª. Nelma Araújo

×