Biocombustivel......

3,558 views

Published on

o biocombustivel

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,558
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
61
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Biocombustivel......

  1. 1. Biocombustíveis Resumo Temático | Energia e Clima
  2. 2. Resumo Ao longo da história a bioenergia tem sido Bioenergia - Biocombustíveis - Biomassa importante para satisfazer as necessidades humanas. Bioenergia é a energia produzida através da matéria Hoje em dia, é orgânica (biomassa). principalmente utilizada para aquecimento e Biocombustíveis são os combustíveis líquidos, sólidos confecção de alimentos, nos ou gasosos derivados da biomassa, quer sejam de Introdução países em desenvolvimento. organismos vivos, quer através dos seus processos Mas enquanto os líderes metabólicos. A biomassa refere-se ao “material mundiais estão a meditar sobre a estrutura pós-Quioto, orgânico proveniente das plantas e animais”1. A está a ser dada muita atenção a novas e modernas produção de biomassa e de biocombustíveis tem de formas para a utilização da bioenergia. A substituição ser sustentável de modo a equilibrar o ciclo do dos combustíveis fósseis por biomassa nos sistemas de carbono, a mantê-lo intacto e assegurar que os aquecimento e energia pode ter um papel importante impactes ambientais e sociais da sua produção sejam na estabilização das emissões de carbono. Ao mesmo aceitáveis. tempo que os líderes começam a discutir a redução das emissões de carbono em 50% até 2050, os Para saber mais sobre a biomassa, faça o download do resumo temático sobre Biomassa biocombustíveis podem ter um papel importante na em:www.wbcsd.org/web/biomass.htm ou mitigação de emissões no sector dos transportes. www.bcsdportugal.org (versão portuguesa) Para além da importância das alterações climáticas, a crescente preocupação sobre o aumento dos preços dos combustíveis fósseis para transporte, assim como sobre a segurança energética, está a fazer com que muitos países encarem os biocombustíveis como um elemento Esta publicação temática foca, de forma resumida, a chave para a estratégia nacional de energia. Embora de utilização dos biocombustíveis no sector dos transportes. forma menos eficiente do que quando utilizados para Embora estejam a ser encarados como uma alternativa aquecimento, para produção de electricidade ou no possível aos combustíveis fósseis, actualmente a maioria fabrico de produtos derivados da floresta, os dos biocombustíveis disponíveis para motores têm biocombustíveis podem, ainda assim, ser uma escolha custos de produção por unidade de energia produzida da sociedade. De qualquer modo, os biocombustíveis mais elevados do que os combustíveis derivados do são actualmente uma alternativa que está a ser petróleo. activamente promovida em muitas partes do mundo. hydrogen from renewable resources in the UK to 2050: a technical analysis”. E4tech (UK) Ltd. 2003. Fonte: Adaptado do E4Tech, David, Ausilio Bauen, Adam Chase, Jo Howes. “Liquid biofuels and Figura 1: Caminho dos biocombustíveis Recursos Tecnologia de conversão Combustível Culturas anuais Colza oleaginosa Compressão/esterificação Biodiesel Transesterificação enzimática Trigo Milho Etanol Beterraba Batatas Hidrólise/Fermentação Metanol Herbáceas Perenes Miscanthus Erva de pastagem DME Colmo Gaseificação Floresta Diesel FT Espécies florestais de crescimento rápido Pinho/abeto Hidrogénio Pirólise Resíduos + desperdícios Resíduos gordos e óleos Bio-petróleo Resíduos florestais Palha Digestão Biogás Resíduos sólidos urbanos2
  3. 3. Resumo Para que os custos destes combustíveis venham a cumulativo da implementação de políticas nacionais descer serão necessários importantes consideradas em 2005. Actualmente, um número desenvolvimentos e investimentos governamentais, considerável de países chave estão a meditar sobre de forma a melhorar a produção e a tecnologia de objectivos mais agressivos para a produção de distribuição. biocombustíveis. O AIE está a estudar cenários políticos mais fortes para a discussão durante as Os biocombustíveis incluem um número considerável negociações pós-Quioto. de diferentes produtos e muitas formas de produção (ver Figura 1). O biocombustível mais utilizado, o A produção mundial de biocombustíveis chegou aos etanol, é actualmente produzido, em grande parte, a vinte milhões de toneladas de petróleo equivalente partir da cana-de-açúcar do Brasil e do milho dos EUA. (Mton) em 2005, representando cerca de 1% do No entanto, o maior produtor de biodiesel é a consumo total de combustível para transporte por Alemanha, onde o combustível é produzido a partir de estrada. O Brasil e os EUA em conjunto são colza. Cada caminho, desde o recurso utilizado até à responsáveis por quase 80% do fornecimento tecnologia de conversão para combustível, tem a sua mundial (ver Figura 2). A produção de etanol está a pegada de carbono distinta.2 aumentar rapidamente em muitas partes do mundo em resposta aos preços altos do petróleo, e é apoiada A nossa principal fonte de dados para 2005, bem através de incentivos governamentais e regulamentos como as referências para 2030, foi a Agência para a mistura de combustíveis. De igual modo, a Internacional de Energia (AIE) World Energy Outlook produção de biodiesel é também altamente (AIE 2006). As projecções para 2030 têm como base concentrada, com a União Europeia responsável por “Cenário Político Alternativo” (CPA) da AIE; 2030 é o 75% do total de produção de biocombustíveis (ver ano que foi escolhido para projectar o impacte Figura 3). Figura 2: Produção de combustível de etanol mundial eFonte: Dados de 1975-2003 retiradas da AIE. Biofuels for transport: Anhttp://www.ethanolrfa.org/industry/statistics/#E. Fonte original: F.O regional (1990-2006)International Perspective. 2004. Dados de 2004-2006 citados em Milhões de litros 50,000 40,000 Brasil Mundo EUA e Canadá UE 30,000 20,000 10,000 0 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005Licht. Consulting Company, personal communication, 31 de Julho de 2007. Risks”. Agriculture for Development Policy Brief. Fonte original: F.O Licht Figura 3: Produção mundial de biocombustível em 2006 Fonte: Citado no Banco Mundial (2007). “Biofuels: The Promise and the (6,6 mil milhões de litros) Estados Unidos 13% União Europeia Outros 75% 12% 3
  4. 4. Resumo A “primeira geração” de hidrólise/fermentação e de prensagem/esterificação. biocombustíveis diz Nos países da OCDE, a maior parte do etanol é respeito aos combustíveis produzido a partir de culturas amiláceas, como o derivados de matérias- milho, trigo e cevada. Nos países tropicais como o primas, pela sua Brasil, o etanol é essencialmente produzido através constituição em açúcar, da cana-de-açúcar. Primeira amido e óleo, podendo estes ser convertidos geração utilizando tecnologias de A “segunda geração” de As matérias-primas de celulose podem crescer com biocombustíveis refere-se menos fertilizante e água e em solos de baixa aos produzidos através de qualidade comparativamente àquelas que são biomassa lenho-celulósica actualmente utilizadas para as culturas de produção de plantas herbáceas e de etanol convencionais. Além disso, os custos das perenes, através de culturas de celulose podem ser consideravelmente Segunda tecnologias de mais baixos, quando comparados com as culturas de hidrólise/fermentação, cereais e sementes actualmente utilizadas na Europa geração gaseificação ou pirólise. e nos Estados Unidos. Não existe produção industrial de biocombustíveis a partir deste tipo de A Figura 4 mostra os actuais custos da produção de biomassa, mas está a ser desenvolvida uma biocombustíveis, dos quais é esperado um investigação que foca a produção em larga escala decréscimo com o avanço da tecnologia, processos em particular nos Estados Unidos, Canadá, de conversão e melhores economias de escala. As Alemanha, Suécia, China e Brasil. políticas agressivas no sector energético e os rendimentos antecipados dos mercados de carbono O sucesso da tecnologia da celulose vai permitir estão a levar ao investimento em biocombustíveis. O tecnicamente a utilização de uma grande conhecimento adquirido pela prática vai levar ao quantidade de matérias-primas, bem como de decréscimo dos custos de produção. Durante as resíduos agrícolas ou urbanos e plantações próximas décadas, é esperado que o etanol específicas de celulose, tal como relvados e árvores contribua em grande parte para o aumento da de rápido crescimento. utilização de biocombustível a nível mundial, tal como é também previsto que os custos de produção baixem mais rapidamente do que os do biodiesel e de outros biocombustíveis. Figura 4: Custos de produção actuais e futuros de etanol comparados com osDoornbosch, Richard e Ronald Steenblik. “Biofuels: Is the Cure Worse than the Disease?” recentes preços/litro de gasolina equivalente (sem impostos).Fonte: Citado em Organização para a Cooperação Económica e Desenvolvimento. Preço ou custo de produção (dólares por litro) 1.2 2005 2030 1.0 0.82007. Adaptado da AIE. World Economic Outlook. 2006 Biodiesel: 0.6 síntese FT Preço dos diesel sem impostos* sem impostos* Preço gasolina 0.4 Etanol: Etanol: Biodiesel: Etanol: açúcar de trigo Biodiesel: óleo vegetal milho beterraba gordura animal 0.2 Etanol: Etanol: bio massa lenhosa cana-de-açúcar 0 *Gasolina sem impostos e preços de diesel (Jan. 2000 - Julho 2006). Com base na média mensal de preços de importação de crude na região da AIE, preços de importação de crude variando entre os 20 e os 70 dólares por barril neste período. Nota: O custo estimado exclui os subsídios relacionados com as colheitas ou com o próprio biocombustível. 4
  5. 5. Resumo De acordo com a AIE, está Fonte: AIE. World Energy Outlook. 2006 Figura 5: Consumo mundial de biocombustíveis, cenários previsto um aumento políticos alternativos considerável na procura de combustíveis no sector dos transportes rodoviários Previsão para a durante as próximas 160 Mton produção de décadas, especialmente nas regiões em 140 biocombustíveis desenvolvimento. Está 120 Mundo previsto que os 100 Brasil Chinabiocombustíveis contribuam para o crescimento da 80 UE Estados Unidostaxa de utilização de recursos para ir de encontro a 60esta procura. Para suportar os 7% de aumento da 40procura de combustíveis para transportes de estrada,é esperado que a produção aumente a uma taxa de 208,3% ao ano, alcançando 73 milhões de toneladas 0 2004 2010 2015 2030em 2015 e 147 milhões de toneladas em 2030 (verFigura 5)3.Anteriormente, acreditava-se que as tecnologias desegunda geração de biocombustíveis não estariamdisponíveis no mercado até 2030; contudo, os apoiosgovernamentais podem alterar esta situação. Vão sernecessários avanços no desenvolvimento destastecnologias antes que estas possam sercomercialmente utilizadas em larga escala. É possívelque este progresso possa ocorrer num futuro maispróximo, conduzindo a um desenvolvimento maisrápido de produção de biocombustíveis do que eraesperado anteriormente. 5
  6. 6. Questões Para determinar o A energia necessária para o processamento dos equilíbrio dos gases com combustíveis é também uma parte importante na Pegada de efeito de estufa (GEE) avaliação do ciclo de vida. Por exemplo, o etanol da carbono/eficácia associados aos diferentes cana-de-açúcar do qual o bagaço é utilizado como fonte tipos de biocombustíveis, de energia, tem menos emissões de CO2 do que o etanol da mitigação de é essencial considerar as feito a partir do milho, onde a energia utilizada no emissões de emissões aociclo dede - todo o seu longo vida processo de fabrico provém normalmente dos hidrocarbonetos. GEE desde a alteração da utilização dos solos para A Figura 6 retirada do relatório Mobilidade Sustentável produção agrícola até ao processamento e para 2030 ilustra a análise “Do poço à roda” (WTW - combustão dos combustíveis (avaliação do ciclo de Well-to-Wheel). A WTW não só considera os GEE vida). A maioria dos estudos que utilizam este tipo produzidos quando um combustível é utilizado num de análise, incluem as emissões de dióxido de veículo (“Do Tanque à Roda” - TTW - tank-to-wheel), carbono bem como de outros gases com efeito de mas também os GEE emitidos pela produção e estufa como o óxido nitroso e o metano.4 As distribuição do combustível (“do poço ao tanque” - culturas que necessitem de grandes inputs de WTT - Well-to-tank). O TTW considera a eficiência dos energia fóssil (na forma de fertilizantes) e que têm sistemas de propulsão, como a combustão interna dos baixos rendimentos energéticos por hectare, vão motores, assim como a sua substituição futura. A WTT ter uma maior pegada de carbono. Da mesma contabiliza o carbono sequestrado no crescimento das forma, as culturas energéticas têm um impacte de matérias-primas, bem como a sua conversão para carbono negativo adicional caso substituam combustível. Ambos têm de ser considerados quando se florestas primárias. compara um combustível de transporte e um potencial substituto. Fonte: WBCSD. Mobility 2030: Meeting the Challenges to Sustainability. 2004. Figura 6: Emissões de gases com efeito de estufa “Do poço à roda” para vários combustíveis e combinações de sistemas de propulsão Combustível Emissões do poço ao tanque Emissões Do Tanque à Roda Sistema de propulsão Gasolina 2010 MCI Gasolina ID MCI Gasolina MCI Avançado (1) Etanol (açucar de beterraba) MCI (2) Etanol (palha) MCI (2) Diesel ID MCI Diesel ID MCI Avançado (1) Biodiesel RME- (metiléster de colza) ID MCI (2) Diesel-FT (NG remota) ID MCI Diesel-FT (Madeira residual) ID MCI CNG (UE, NG-Mix) MCI LH2 (EU – NG-Mix) MCI Gasolina ID VEH Diesel ID VEH Diesel F-T (madeira residual) VEH MCI VEH -150 -100 -50 0 50 100 150 200 250 300 Emissões de gases com efeito de estufa (g/km) (1) Estimado pela VKA MCI – Motor de combustão interna (2) Estimado pela BP, com base em dados da GM (General Motors) ID – Injecção directa (3) Output da rede pela utilização da energia no processo de conversão VEH – Veículo eléctrico híbrido (4) Com base em dados hídricos6
  7. 7. Questões Os biocombustíveis A escala de biorefinação necessária será determinada podem ser misturados por variados factores, incluindo a disponibilidade de com gasolina ou diesel, na matérias-primas, proximidade de mercados, forma simples ou quase objectivos das empresas (utilização local, produção pura (p.e. mistura de para exportação, etc.), aplicações dos combustíveis e Infra-estruturas etanol de E85). No recursos financeiros. É expectável que a segunda a jusante e entanto, os de uma necessitam mais recentes geração de biorefinarias crie sub-produtos de grande valor, e também necessite de unidades de produção biorefinarias modificação dos complexas e de grande capital. Em níveis baixos de componentes dos veículos mistura, o biocombustível líquido pode ser distribuído e infra-estruturas de distribuição tal como condutas, através de infra-estruturas de distribuição existentes; depósitos e distribuidores de combustível. Isto poderá do ponto de vista do consumidor requer o mínimo de ser uma barreira à utilização. adaptação para os veículos actuais baseados em combustíveis derivados do petróleo. A disponibilidade de água A produção de combustíveis também pode ser pode constituir uma intensa e afectar a disponibilidade de água. A Figura 7 limitação regional ou mostra a variação da eficiência no processo hídrico nacional à produção de entre os diferentes combustíveis e o seu método de colheitas nos países em produção nos EUA. Contudo, um simples critério, desenvolvimento. Existem mesmo que importante como o consumo de água, Recursos diferenças significativas entre processos de não é suficiente para caracterizar todos os impactes relativos ao consumo de recursos relacionado com hídricos combustível fabricado. O um determinado combustível. Os diferentes processos impacte mais importante de produção têm também diferentes impactes na no que respeita ao consumo de água está na irrigação qualidade da água. Por exemplo, os resíduos das colheitas usadas como matéria-prima na provenientes do processo industrial podem poluir os produção de combustíveis. As colheitas não irrigadas recursos hídricos. De forma semelhante, os podem desempenhar um papel importante na escorrimentos superficiais de solos agrícolas podem segunda geração de biocombustíveis, apesar destas ser poluentes significativos. Uma vez mais, os também consumirem grandes quantidades de água métodos agrícolas variam grandemente no seu através da evaporação. A água da chuva absorvida impacte a jusante. pelas plantas não entra no solo nem nos sistemas de águas superficiais. Em algumas regiões isto vai criar tensão nos já de si limitados recursos de água. Figura 7: Consumo de água por unidade de energia e utilização de água na extracção e produção de combustível Refinação de combustívelFonte: Departamento Americano de Energia “Energy Demands on Water Resources: Irrigação dos solos Processamento de etanol Irrigação de milhoreport to Congress on the interdependency of energy and water”.2006. Electrólise de hidrogénio Correcção de hidrogénio Processamento de urânio Minério de urânio Armazenamento de petróleo em minas de sal ** A refinação do petróleo Areias petrolíferas consome 1-2 mil milhões * Consumo de água para a produção de energia Xisto petrolífero * de galões por dia eléctrica do ciclo Destilador de xisto petrolífero combinado evaporação- Refinarias arrefecimento das turbinas de gás. Aumento da recuperação petrolífera Extracção de petróleo **Uma única utilização Armazenamento de gás nas minas de sal ** para solução minas de sal Operações nas condutas de gás natural Extracção e produção de gás natural Gaseificação do carvão Manchas de carvão Liquefacção do carvão Lavagem de carvão Mineração do carvão 1 10 100 1,000 10,000 100,000 Gal/MMBTU 7
  8. 8. Questões A maior causa de suposição de que os biocombustíveis derivem degradação dos somente das colheitas convencionais. ecossistemas é a alteração Requisitos dos da utilização dos solos Se as tecnologias de segunda-geração com base na para a agricultura que biomassa lenhosa forem comercializadas solos e alteração conduz à alteração de mundialmente antes de 2030, as necessidades dos da utilização pastagensque a taxa É esperado e florestas. solos aráveis por unidade de biocombustível produzido podem diminuir substancialmente, desde dos solos mundial actual de solo que uma importante fracção da biomassa necessária arável utilizada para o provenha de solos regenerados e marginais não crescimento da biomassa para os biocombustíveis utilizados para colheitas e pastagens, bem como de cresça de 1% para 3,8% em 2030, com base na resíduos agrícolas e florestais. A segurança alimentar é sector viável do ponto de vista empresarial. uma das maiores Os biocombustíveis, como uma nova mais valia de preocupações à volta da utilização dos produtos agrícolas, criam um potencial Competição por sustentabilidade da para muitos agricultores melhorarem a sua actividade e indústria dos reduzirem ou eliminarem a necessidade de subsídios. alimentos, fibras biocombustíveis. A Do mesmo modo, o aumento da procura para e produtos produçãocombiomassa compete de alimentos, biomassa pode reduzir a quantidade de alimentos desperdiçados nos mercados internacionais. florestais fibras e madeira pela utilização dos solos e com Finalmente, o problema da escassez de alimentos em a água e os fertilizantes. Existe o receio que esta certas zonas é, actualmente, uma consequência da competição possa levar a um deficit do armazenamento distribuição não equitativa dos sistemas de distribuição de mercadorias, na medida em que as colheitas de alimentos, um assunto que está fora do domínio disponíveis para alimentação ou produtos florestais dos biocombustíveis. possam ser utilizados para combustível. De acordo com uma estimativa, os preços agrícolas e de gado podem, Nota de tradução: Na realidade já em 2007 se verificou uma subida muito acentuada dos preços internacionais de diversos produtos agrícolas, como resultado, aumentar entre 20% e 50% por volta designadamente cereais, que nalguns casos ultrapassou os 100%. Esta subida de 20165. (Nota de tradução) ampliou a polémica que já vinha a desenhar-se sobre os efeitos nocivos da utilização para fins energéticos de produtos agrícolas normalmente destinados Além disso, a produção de biocombustível afecta à alimentação. No entanto, na opinião de muitos especialistas, a causa principal da subida de preços está no aumento de consumo de bens negativamente a exportação de certas colheitas, como alimentares em países muito populosos como a China e Índia, resultante do por exemplo o decréscimo das exportações actuais de elevado crescimento económico verificado nesses países. milho e rebentos de soja dos EUA, da colza da Europa Ocidental e da cana-de-açúcar do Brasil. Países ricos, importadores de produtos agrícolas, com grande poder de compra, podem suportar a procura destas colheitas a preços mais elevados, provocando assim aumentos adicionais nos seus preços. Para os mais pobres, que são os compradores de alimentos, isto vai criar uma maior pressão nos seus já limitados recursos financeiros. Contudo, deste aumento da procura e dos preços podem resultar rendimentos mais elevados para os agricultores. Para além disso, os preços mais elevados das colheitas agrícolas são uma possível resposta ao “paradoxo da agricultura”. Consiste este paradoxo em que, durante os períodos de grande produção, os agricultores sempre tiveram que vender os seus produtos a preços baixos, porque a oferta excede a procura. Agora que existem alternativas de utilização para as colheitas alimentares, o fornecimento e a procura podem tornar-se mais equilibradas, resultando em preços mais altos para a produção agrícola. Uma consequência deste paradoxo é que muitos governos sempre utilizaram largamente os subsídios aos agricultores para sustentar a agricultura como um8
  9. 9. Questões As grandes empresas estão Adicionalmente, os grupos de PMEs eficientes podem actualmente a analisar os beneficiar as grandes empresas criando cadeias de mercados de fornecimento mais eficazes e a racionalizar biocombustíveis e a procedimentos de procurement. Além disso, os investir cada vez mais investimentos podem ser tornados mais eficientesSustentabilidade neste campo. As pequenas através de parcerias estratégicas entre o sector público da cadeia de e médias empresas (PMEs) e privado. Os governos podem implementar medidas podem desempenhar um para criar ambientes apropriados ao investimento; por fornecimento papel importante na outro lado, as grandes empresas podem fornecer a exploração destes gestão necessária e contribuir substancialmente para omercados. financiamento do projecto. Com os actuais preços altos A rápida dispersão da produção de biocombustíveis vai dos combustíveis fósseis, os necessitar da integração dos objectivos políticos biocombustíveis estão a climáticos a nível mundial, com os sistemas de mercado Subsídios, mostrar ser uma forma multilaterais. O comércio de combustíveis é regulado viável para a redução dos pelas normas da Organização Mundial de Comércio barreiras de gases com efeito de estufa, para a indústria. O Acordo sobre Subsídios e Medidas mercado e em que os custos das matérias-primas são baixos Compensatórias limita as opções dos países para a promoção de um único processo de produção em restrições e onde a tecnologia de detrimento de outro. As colheitas agrícolas são conversão está madura. As comercializadas segundo um número de regras que setecnologias de segunda geração têm o potencial de desenvolveram em cenários nacionais muito diferentes.fazer uma contribuição adicional, mas não se tornarão As regras do comércio de energia são normalmenteeconomicamente viáveis sem que haja um substancial concebidas de forma a promover o acesso àsesforço de desenvolvimento e de promoção da sua exportações de combustíveis. As regras de comércioutilização. agrícola foram frequentemente criadas para proteger a agricultura doméstica das importações. A remoção dasMuitos dos potenciais benefícios dos biocombustíveis barreiras de mercado e o apoio para a utilização dosnão estão ainda reflectidos nos preços dos combustíveis. biocombustíveis vai requerer a integração destesÉ necessário o apoio de políticas governamentais para diferentes regimes políticos.desbloquear este potencial.Os governos de todo o mundo estão a estimular odesenvolvimento de indústrias de biocombustíveisnacionais. As iniciativas incluem misturas obrigatórias,isenção de impostos, subsídios directos, financiamentofácil e barato, incentivos fiscais para produtores debiocombustíveis e produtores de veículos decombustível flexível (FFV - flexible fuel vehicle), políticasgovernamentais de compra, etc. Contudo, entre estasdiferentes políticas alternativas, a mistura obrigatória é amais popular. Por exemplo, a directiva da UE para autilização de biocombustíveis sugere a substituição de5,75% (equivalente de energia) da procura total decombustíveis fósseis em 2010. Do mesmo modo,propõe a substituição em 10% até 2020. Ao mesmotempo, os EUA têm um objectivo de produçãoobrigatória de 28 mil milhões de litros de etanol em20126, e recentemente propuseram o aumento doscombustíveis renováveis em 133 mil milhões de litrosaté 2017.O comércio internacional, os investimentos e atransferência de tecnologias podem facilitar esteprogresso. 9
  10. 10. Questões Tendo em conta que mais À medida que a segunda geração de tecnologias com de três quartos da base em matérias-primas lenhocelulósicas se tornam população pobre dos comercialmente viáveis, os efeitos potencialmente países em negativos nos solos e competição pela disponibilidade desenvolvimento, vive em de alimentos vai diminuir. Mas estas tecnologias áreas rurais, a agricultura e podem ainda ser acompanhadas por um risco: o Desenvolvimento o desenvolvimento rural são questões críticas para provável aumento do incentivo à exploração de terrenos pouco produtivos (tais como pastagens e rural o aliviar da pobreza7. A savanas) para a plantação de gramíneas de alto produção de desenvolvimento e de outras culturas resistentes para biocombustíveis tem grande potencial para reduzir a a obtenção de biomassa para combustível, pobreza, criando receitas e actividades que criam deslocando cereais e culturas de subsistência. riqueza ao mesmo tempo que vão de encontro à procura de energia. Com estas oportunidades Além disso, a produção de quantidades significativas potenciais, contudo, surgem questões como os de biocombustíveis com base em matérias-primas em direitos de propriedade, direitos dos trabalhadores e terrenos marginais pode competir com as pastagens segurança alimentar, entre outros. A produção de para gado, ter impactes inaceitáveis nos ecossistemas biocombustíveis, por exemplo, pode ser e prejudicar a fertilidade dos solos através da remoção extremamente prejudicial para agricultores que não sustentada de muitos resíduos de biomassa. Uma sejam proprietários. Além disso, a falta de segurança alternativa de matérias-primas em grande no trabalho e abusos dos direitos dos trabalhadores desenvolvimento são as microalgas. Apesar deste tipo ameaçam o progresso económico e social. Por esta de produção levantar o tema controverso da razão, tomar agora as decisões certas e criar as engenharia genética, as algas podem ajudar a evitar políticas apropriadas, torna-se um elemento chave um número de questões associadas à sustentabilidade para garantir o aliviar da pobreza e a distribuição da utilização dos solos, utilização de água potável, equitativa do crescimento. desflorestação e produção de alimentos. A integração dos resultante da substituição posterior de mercados agrícolas de combustível fóssil. países onde existe potencial para o Assim, o critério que é quantificável, mas flexível fornecimento de para aplicação em vários contextos, pode focar em matérias-primas a baixos áreas como as emissões de GEE, produção de Produção preços com ade países de combustível procura plantações, protecção da biodiversidade, segurança alimentar e condições de trabalho, sustentável com alto consumo, vai entre outros. Além disso, será imperativo que os aumentar a utilização das critérios estabelecidos sejam cumpridos em tecnologias de biocombustíveis. A rápida utilização conformidade e que este cumprimento não seja vai apresentar desafios à sustentabilidade dispendioso. ambiental e social. A criação e implementação de um sistema de certificação com base em critérios A pressão mundial da procura de combustível de sustentabilidade, pode ter um papel importante líquido vai ser exercida nos sistemas dominantes e na resolução destes desafios, garantindo que os as vidas dos agricultores pobres das zonas rurais biocombustíveis são produzidos de uma forma vão ser difíceis de gerir, mas desenvolvendo um responsável. sistema que represente diferentes partes interessadas, esta pressão pode ser aliviada. Vários As diferentes tecnologias de produção de grupos, como o Roundtable on Sustainable Biofuels, biocombustíveis têm diferentes pegadas de estão a explorar sistemas de certificação robustos carbono. Por exemplo, o cultivo energético em que podem distinguir as variantes da solos empobrecidos pela agricultura pode ser sustentabilidade ambiental e social. Tal sistema positivo em termos do rendimento do sequestro tem de ser utilizado a nível mundial para permitir de carbono e fornecer habitat e outros serviços aos utilizadores finais discriminarem entre relacionados com os ecossistemas. Mas estas combustíveis que respeitam os critérios de mesmas práticas em zonas húmidas não sustentabilidade. Finalmente, a harmonização de anteriormente cultivadas podem ter impactes standards entre países pode ajudar várias partes negativos na água e nos habitats. Destas interessadas, em particular produtores de práticas pode resultar, de uma só vez, uma automóveis, a desenvolver tecnologias elevada libertação de carbono a partir do solo, uniformizadas que podem ser facilmente o que causaria a perda dos benefícios positivos disseminadas.10
  11. 11. 1. Worldwatch Institute. Biofuels for O World Business Council for transport.2007. Sustainable Development (WBCSD) é uma coligação de 200 empresas 2. São seis os gases com efeito de internacionais, unidas pelo estufa abrangidos pelo compromisso partilhado para com o Protocolo de Quioto. O termo desenvolvimento sustentável através Notas “pegada de carbono” é uma WBCSD de três pilares: crescimento expressão abreviada que se económico, equilíbrio ecológico e progresso social. Os membros são oriundos de mais de 30 refere ao somatório dos gases países e 20 grandes sectores industriais. Beneficiam em equivalentes de dióxido de também de uma Rede Global de mais de 60 conselhos carbono empresariais nacionais e regionais e organizações3. AIE. World Energy Outlook. 2006 parceiras.4. Wordwatch Institute. Biofuels for transport. 2007. A missão é assegurar a liderança empresarial como5. OCDE-FAO. “Agriculture Outlook, 2007-2016”. 2007. catalisadora para a mudança rumo ao desenvolvimentowww.oecd.org/dataoecd/6/10/38893266.pdf (acedido a sustentável. É também apoiar a licença empresarial para operar, inovar e crescer, num mundo cada vez mais19 de Outubro de 2007) moldado pelas questões do desenvolvimento sustentável.6. Wordwatch Institute. Biofuels for transport. 2007. Os objectivos incluem:7. World Bank. Agriculture & Rural Development: IssueBrief. Liderança empresarial - ser líder na promoção empresarial do desenvolvimento sustentável;2007.www1.worldbank.org/publicsector/pe/pfma07/AR Desenvolvimento de políticas - participar noDBrief.pdf (acedido a 10 de Agosto de 2007). desenvolvimento de políticas para criar as condições estruturais ideais, para as empresas darem uma contribuição efectiva para o desenvolvimento sustentável;BCSD PortugalO BCSD Portugal - Conselho Empresarial para o O Business Case - desenvolver e promover o businessDesenvolvimento Sustentável é uma associação sem case para o desenvolvimento sustentável;fins lucrativos, criada em Outubro de 2001, poriniciativa das empresas Sonae, Cimpor e Soporcel, Melhores práticas - mostrar a contribuição empresarialassociadas ao WBCSD - World Business Council for para o desenvolvimento sustentável e partilhar as melhoresSustainable Development, em conjunto com mais 33 práticas entre os membros;empresas de primeira linha da economia nacional.Actualmente, a organização conta com 105 Alcance global - contribuir para um futuro sustentável nas nações em desenvolvimento e aquelas que semembros, representando mais de 20 áreas de encontram em transição.negócioA missão www.wbcsd.orgA missão principal do BCSD Portugal é fazer com quea liderança empresarial seja catalisadora de uma Aviso Legal Este relatório é publicado em nome do WBCSD. Tal comomudança rumo ao desenvolvimento sustentável e outras publicações do WBCSD, é resultado de um esforçopromover nas empresas a eco-eficiência, a inovação e colectivo do secretariado e executivos de várias empresasa responsabilidade social. membro. Um grande número de membros reviu a publicação, garantindo assim que o documento representa aOs objectivos grande maioria das opiniões dos membros do WBCSD. Não significa, contudo, que todas as empresas membro- Divulgação e promoção do desenvolvimento partilhem as ideias aqui expostas.sustentável; Créditos fotográficos Flickr, iStockphoto- Disponibilização aos membros de serviços eferramentas de implementação;- Acompanhamento das políticas públicas;- Promoção da divulgação das boas práticas dasempresas-membro.www.bcsdportugal.org 11
  12. 12. Edição portuguesa com o patrocínio:BCSD Portugal Tel: (+351) 217819001 E-mail: info@bcsdportugal.orgAv. de Berna nº 11, 8º Fax: (+351) 217819126 Web: www.bcsdportugal.org1050-036 Lisboa

×