Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aula urgencias urologicas alunos FMUSP 4o Ano

1,852 views

Published on

Aula abordando alguns assuntos relacionados a urgências urológicas para alunos do 4o ano da Faculdade de Medicina da USP

Caso 1 - trauma renal
Caso 2 - trauma de uretra
Caso 3 -Fratura de pênis

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Aula urgencias urologicas alunos FMUSP 4o Ano

  1. 1. Trauma urológico Bruno Nicolino Cezarino Membro da divisão de Urologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo www.brunocezarino.com
  2. 2. Caso clínico 1 Estudante de Medicina, 21 anos Membro do time de Rugby da Faculdade Queixa: Dor abdominal intensa há 1 hora - após tackle durante jogo Um episódio de hematúria RD RE RE Qual o primeiro passo?
  3. 3. Caso clínico 1 Estudante de Medicina, 21 anos Membro do time de Rugby da Faculdade PRIMEIRO CONCEITO RD RE RE TRAUMA É TRAUMA!
  4. 4. Caso clínico 1 RD RE RE À Entrada – HC FMUSP - Consciente, Glasgow 15 - Estável hemodinamicamente - Abdome levemente doloroso em HCE e flanco E - Pelve estável e TR normal; - SVD com hematúria
  5. 5. Avaliação inicial protocolo ATLS Paciente Instável Paciente Estável Exame de Imagem ( TC de abdome e/ou Cisto TC) Planejamento do tratamento Intervenção imediata Trauma abdominal fechado
  6. 6. Divisão de Clínica Urológica
  7. 7. Divisão de Clínica Urológica
  8. 8. Divisão de Clínica Urológica
  9. 9. Divisão de Clínica Urológica
  10. 10. Trauma Renal CLASSIFICAÇÃO DE TRAUMA RENAL I – Hematoma subcapsular II- Lacerações corticais + hematomas (<1cm) III- Laceração cortical >1cm – sem lesão de via coletora IV- Laceração renal envolvendo via coletora explosão do órgão V – avulsão/ trombose de pedículo vascular
  11. 11. observação Trauma Renal I II III IV V Suspeita de trauma renal- estável TC abdome com contraste fase tardia Grau I-II Grau III Grau IV-V Lesão vascular Exploração renal Blush na fase arterial Embolização arterial seletiva Guidelines on urological trauma – Eur Urol 2012
  12. 12. observação Trauma Renal I II III IV V Suspeita de trauma renal- estável TC abdome com contraste fase tardia Grau I-II Grau III Grau IV-V Lesão vascular Exploração renal Blush na fase arterial Embolização arterial seletiva Guidelines on urological trauma – Eur Urol 2012
  13. 13. Embolização arterial seletiva
  14. 14. Lesões de sistema coletor
  15. 15. observação Trauma Renal Suspeita de trauma renal- estável TC abdome com contraste fase tardia Grau I-II Grau III Grau IV-V Lesão vascular Revascularização renal Blush na fase arterial Embolização arterial seletiva Guidelines on urological trauma – Eur Urol 2012 UTI + Hb/Ht seriados Repetir TC em 7 dias Extravazamento de urina Duplo J + SVD
  16. 16. Caso clínico 2 Homem, 18 anos Queixa: Dificuldade miccional intensa Uretrorragia moderada Hematoma perineal RD RE RE Qual o diagnostico?
  17. 17. RD RE RE TRAUMA DE URETRA
  18. 18. Caso clínico 2 Homem, 18 anos RD RE RE Qual a conduta? TRAUMA DE URETRA
  19. 19. Caso clínico 2 Homem, 18 anos RD RE RE Qual a conduta? URETROCISTOGRAFIA RETRÓGRADA
  20. 20. Caso clínico 2 RD RE RE Tentativa de sondagem Cistostomia + abordagem posterior SVD 15 dias
  21. 21. Caso clínico 2 Homem, 18 anos RD RE RE Efeitos tardios/ Sequelas Estenose de uretra Incontinência
  22. 22. ID: GPP, 29 anos, ♂ QD: Dor peniana intensa durante a relação sexual há 22 horas. HMA :Dor e estalo penianos com detumescência durante a relação sexual; Alcoolizado durante o ato sexual Micção assistida sem uretrorragia caso clinico 3
  23. 23. Divisão de Clínica Urológica EF:
  24. 24. USG PÊNIS 1/1
  25. 25. FRATURA DE PÊNIS Ação externa dobra albugínea durante ereção Ruptura com extravasamento de sangue Lesão uretral pode estar associada
  26. 26. FRATURA DE PÊNIS
  27. 27. Divisão de Clínica Urológica
  28. 28. Divisão de Clínica Urológica Evolução 6 meses:  Boa micção  Ereção preservada  Placa palpável ventralmente  Curvatura peniana ventral cerca de 20° • não impede penetração

×