Successfully reported this slideshow.

Revista Boa Vontade, edição 210

549 views

Published on

A Revista Boa Vontade tem por objetivo levar informações por meio de matérias que abordam temas voltados à cultura, educação, política, saúde, meio ambiente, tecnologia, sempre aliados à Espiritualidade como ferramenta de esclarecimento, auxílio, entendimento e compreensão.

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Revista Boa Vontade, edição 210

  1. 1. 3.000 dias no bunker — um pé na cabeça e um país na mão é o título do novo livro do jornalista carioca Guilherme Fiuza. A obra descreve uma série de entrevistas com algumas personalidades que atuaram no meio político brasileiro no fim do século XX, as quais tratam de planos econômicos, crises de governo, entre outros assuntos analisados pelo escritor BOA VONTADE: competência com espírito de transformação Parabenizo o lindo trabalho da Legião da Boa Vontade, referência nacional e mundial, para a construção de uma sociedade mais justa, humana e ecumênica. Em toda a sua existência, a certeza da construção de um novo mundo, respeitando as diferenças. A revista BOA VONTADE, cujo slogan é Espiritualidade Ecumênica, acentua o compromisso da união, do respeito e entendimento de que, somente juntos — dividindo e compartilhando —, seremos capazes de atingir os mais elevados níveis de participação e consciência. A amplitude e variedade dos temas tratados em todas as edições confirmam a competência e o espírito de transformação de sua equipe e linha editorial. Esporte, literatura, cultura popular, cobertura política, questões sociais, a exemplo dos idosos e técnicas pedagógicas, foram alguns dos temas brilhantemente BOA VONTADE Daniel Trevisan Presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte/MG, destaco a importância do trabalho social e cultural da LBV, em especial da revista BOA VONTADE. (Silvinho Rezende, Presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte/MG) Destacamos a relevância do trabalho realizado por essa instituição ecumênica para a construção de um mundo mais solidário. Desejando sucesso em todos os projetos, apresentamos nossos cordiais cumprimentos. (Maria Lúcia Tojal, chefe de gabinete da Secretaria de Educação da Prefeitura de São Paulo/SP) Fonte de conhecimento Sou professor e presido, às segundas-feiras, o trabalho doutrinário da Casa Espírita Joana Lima, onde também faço palestras. Folheando um número da revista BOA VONTADE, confesso que, após lê-la na íntegra, pude constatar o quanto é ecumênica e rica em informações. Como tive a oportunidade de ilustrar uma de minhas (Ator e Secretário da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Sérgio Mamberti, com a revista BOA VONTADE) João Periotto Guilherme Fiuza lança 3.000 dias no bunker “Conheço o trabalho da LBV há muito tempo, trabalho que tem uma visão do social importante. Eu já visitei o Templo da e alguns jornalistas que acompaBoa Vontade nharam de perto esse período. lá em Brasília Na noite de autógrafos, Fiuza enviou ao colega de profissão e e até levei algumas pessoas para dirigente da LBV a obra, com a conhecerem. É um lugar muito seguinte mensagem: “Ao grande agradável de estar. Certamente Paiva Netto, com a admiração do a LBV tem cumprido um papel Guilherme”. importante na construção desse Brasil que todos nós sonhamos.” (grifo nosso) abordados na última edição. Como Editora Record/Divulgação Cartas Templo da LBV — SGAS 915, Lotes 75/76, Brasília/DF (Brasil). Telefone: (61) 3245-1070. palestras, comunico que procurei sustentar algumas de minhas assertivas, lendo textualmente partes do artigo sobre a Fé, publicado por vocês. Já coloquei a revista BOA VONTADE como mais uma de minhas fontes de conhecimento. Quero também cumprimentá-los pelo padrão da revista e o nível de conteúdo. (João Tomaz de Souza, Palestrante da Casa Espírita Joana Lima, de São José/SC)
  2. 2. ABI/ José Reinaldo Marques Simone Barreto O ilustre Presidente da ABI, Maurício Azêdo (E), ao lado do Diretor Cultural da Associação, Jesus Chediak, e o autor Sérgio Cabral. ABI/José Carlos Veloso O arquiteto Afonso Britto (E) e o Diretor Financeiro da ABI, Domingos Meirelles, também prestigiaram o evento. O cartunista Jaguar (D) ao lado de Lan, outro celebrado artista gráfico que comemorará, no próximo 16 de março, 81 anos. Sérgio Cabral e a cantora Ellen de Lima durante sessão de autógrafos na ABI Saudosos homenageados Fotos: Arquivo rBV Divulgação que usava o pseudônimo Almirante. A obra traz também informações sobre as grandes estações de rádio das décadas de 1930, 1940 e 1950, as produções musicais da época, incluindo fotografias e citações de ícones da era de ouro do rádio que conviveram com Almirante, a exemplo dos inesquecíveis cantores e compositores Ari Barroso (19031964), Carmen Miranda (1909-1955), Mário Lago (1911-2002) e o saudoso radialista e Fundador da Legião da Boa Vontade, Alziro Zarur (1914-1979). Sérgio Cabral iniciou a atividade jornalística em 1957, no Diário da Noite, Millôr Fernandes um vespertino popular dos Diários Associados, começando como repórter policial e prosseguindo com assuntos gerais. Ao lado de Henfil (1944Ziraldo 1988), Jaguar, Ziraldo e Millôr Fernandes, integrou a equipe lendária do jornal O Pasquim. Cabral também é membro da ABI, jornalista, compositor, historiador, escritor e profundo conhecedor da MPB. Diversos amigos prestigiaram a sessão de autógrafos, entre cantores e compositores, além de membros da Diretoria da ABI, a exemplo de Maurício Azêdo, Presidente da Associação; do Diretor Cultural, Jesus Chediak (responsável pelo evento); e do Diretor Financeiro, Domingos Meirelles. Na oportunidade, enviou um grande abraço ao amigo e jornalista Paiva Netto, dando os parabéns pela BOA VONTADE e comentou que a revista “está cada vez melhor, excelente em tudo”. O autor ficou feliz com a presença Alziro Zarur Henrique Foréis Domingues Carmen Miranda Ari Barroso Divulgação O salão João Mesplé, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), ficou repleto, no último dia 20, de convidados e personalidades, muitos deles ligados à Música Popular Brasileira, para o lançamento do livro No tempo de Almirante, uma história do rádio e da MPB, edição revista e ampliada do jornalista Sérgio Cabral. O livro apresenta uma biografia do cantor, compositor e radialista Henrique Foréis Domingues (1908-1980), Simone Barreto No tempo de Almirante, de Sérgio Cabral Mário Lago Henfil da LBV, registrando que ela já é uma tradição em todos os seus lançamentos. No autógrafo para o dirigente da Legião da Boa Vontade, reafirmou esses velhos laços: “Para o amigo Paiva Netto, com a admiração e o abraço do Sérgio Cabral”. BOA VONTADE
  3. 3. (Lúcio Alcântara, Governador do Ceará, referindo-se ao trecho da matéria que cita a homenagem da Feira ao seu Estado e a recepção feita pelas crianças da LBV a ele) Venho por meio desta parabenizar a edição nº 207 da revista BOA VONTADE. Gostaria também de cumprimentá-los pelo trabalho. Certo de poder manter aberto este canal de comunicação entre nós, aproveito a oportunidade para enviar votos de elevada estima e consideração. (Márcio Bins Ely, Vereador, Porto Alegre/RS) Dia do Radialista Foi um prazer receber as crianças atendidas pela LBV na Rádio Nativa FM no Dia do Radialista. Eu, particularmente, fico muito emocionado com elas. As crianças são leves no enxergar a vida e despertam em nós, adultos, a Fé e a Esperança na possibilidade de existir um mundo melhor. E a Legião da Boa Vontade é isto: um passo de Solidariedade rumo a um futuro com mais oportunidades. (...) Eu peço a Deus que ilumine essas crianças, ilumine a LBV e a todos nós para a construção de um mundo melhor. (Nonato Viegas, Produção, Rádio Nativa FM, Rio de Janeiro/RJ) BOA VONTADE “Tem sido muito bom ler, mês a mês, a revista BOA VONTADE. Bonita e informativa, a publicação é um sopro de vida, especialmente para quem convalesce. Registre-se, no entanto, que suas páginas contemplam os interesses de leitores inteligentes e sensíveis com a mensagem do Ecumenismo Irrestrito. Por fim, não posso deixar de mencionar que a equipe da Redação e seus colaboradores estão em perfeita sintonia com os ideais maravilhosos de José de Paiva Netto. Ler a revista BOA VONTADE é exercitar um olhar privilegiado através de janelas que se abrem para mostrar o que acontece na LBV e suas realizações”. No dia 26 de fevereiro, representantes da LBV visitaram a residência do respeitado jornalista J. Pascale, por ocasião da passagem de seu aniversário, a fim de parabenizá-lo em nome do Presidente das Instituições da Boa Vontade. Ao olhar para a sua estante, re- “LBV: um passo de Solidariedade rumo a um futuro com mais oportunidades.” Nonato Viegas, Rádio Nativa FM. Qualidade inquestionável É com imensa alegria que leio mais uma edição da revista BOA VONTADE (nº 207). A cada mês, dentre todos os conhecimentos que procuro adquirir, gosto muito de enriquecer-me com as lições humanas apresentadas na citada revista. (...) Sou admirador não só da pessoa do Paiva Netto, mas das ações criadas pela LBV pelo Brasil e o mundo. (...) Quanto à edição 207, parabéns pela matéria sobre Rosa Parks, um ícone dos Direitos Humanos e pelo Fernando Franco Almeida Oliveira “Agradeço pela revista BOA VONTADE, nº 207, de cuja reportagem ‘Cultura a Céu Aberto’, feita na Feira do Livro de Porto Alegre, faço parte.” rBV entusiasma jornalista Jornalista J. Pascale pleta de livros, o jornalista afirmou: “(...) De que adianta o intelecto sem formar o coração? É isso que o Paiva faz e é o que está neste seu pensamento: ‘Aqui se estuda. Formam-se Cérebro e Coração’”. A assertiva estava registrada no cartão de aniversário que os alunos do Instituto de Educação José de Paiva Netto lhe dedicaram. O jornalista destacou a coragem do dirigente da LBV que, sem a preocupação de agradar a um ou a outro, fala sobre todo e qualquer assunto com inteligência e sem medo, mas, ao mesmo tempo, sem ofender ninguém, prezando sempre pela verdade. Disse, ainda, que os textos do autor são diferentes, pois são escritos não só para o intelecto, como também para o sentimento. especial Dia da Consciência Negra. Congratulações pelas iniciativas e que Deus ilumine a todos! (Itamar Machado, professor de Oratória e Língua Portuguesa e radialista das Rádios Oi FM e Itatiaia AM, Uberlândia/MG) Em nome dos Direitos Humanos da Câmara Municipal de Fortaleza, gostaria de parabenizá-los pela excelente qualidade editorial da revista BOA VONTADE, além de agradecer a atenção dada a este Poder Legislativo, relativamente às solenidades que tiveram lugar no fim do ano passado, homenageando esta entidade que tão valorosamente vem prestando todo tipo de apoio aos que necessitam. Mais uma vez, parabéns! (Miguel Arcanjo Zimmermann, coordenador de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Fortaleza/CE)
  4. 4. Simone Barreto Literatura Maria Estela Kubitschek autografa Simples e Princesa P or amor, Juscelino (1902-1976) e Sarah Kubitschek (19091996) adotaram Maria Estela, que passou a conviver com Márcia, filha única do casal. Agora, a própria Maria Estela Kubitschek Lopes faz sua estréia na Literatura com a obra Simples e Princesa, lançada no dia 21 de fevereiro, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro. O livro destina-se à preservação da memória da família, lembranças da infância e juventude da autora, da Fraternidade Ecumênica, do ParlaMundi da LBV, com a qual são condecoradas as personalidades que mais se destacam em esforços pelo bem comum nos diferentes campos de atuação. Em 1997, Juscelino Kubitschek (in memoriam) foi agraciado na categoria Homenageados Especiais. Cercada pelo carinho do esposo, filhos, netas e amigos, Maria Estela recebeu os parabéns dos Legionários da Boa Vontade, que levaram o abraço fraterno do dirigente da Instituição. A autora leu a revista e afirmou que o DiretorPresidente da LBV é um amigo muito querido. Simpática, enviou um exemplar do livro a ele, com a dedicatória: “Ao amigo José de Paiva Netto, com o carinho de Maria Estela Kubitschek Lopes”. Simone Barreto A escritora Maria Estela Kubitschek Lopes com a revista BOA VONTADE ParlaMundi da LBV sobre o amor recebido de seus pais biológicos e adotivos, seu casamento, bastidores da política nacional, entre outros assuntos. Neste ano em que se comemorou o cinqüentenário de posse de JK (31 de janeiro de 1956), o título apresenta-se como uma boa opção para reviver a trajetória e o lado humano deste que é considerado, por muitos, um dos melhores presidentes que o País já teve. A revista BOA VONTADE ParlaMundi da LBV — edição especial sobre o monumento que, ao lado do Templo da Boa Vontade, a Pirâmide dos Espíritos Luminosos, é o mais visitado da capital federal, segundo a Secretaria de Turismo do DF (Setur) — lembrou as várias edições de entrega da Comenda da Ordem do Mérito Ronaldo Rogério Mourão lança Anuário de Astronomia e Astronáutica 2006 C uriosidades científicas como o vôo do 1º avião, o 14 Bis de Alberto Santos Dumont; o décimo planeta do Sistema Solar (2003 UB313, batizado de Sedna); a sonda Deep Impact; o envio ao espaço do astronauta brasileiro Marcos Pontes, marcado para este ano, são alguns dos assuntos abordados pelo Anuário de Astronomia e Astronáutica 2006, lançado no último dia 14, pelo renomado astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, no auditório da Associação Comercial do Rio de Janeiro, capital fluminense. Ronaldo Mourão, além de astrônomo, é pesquisador titular do Museu de Astronomia do Rio de Janeiro, do qual foi o criador e primeiro Diretor. O asteróide 2590, descoberto em 22 de maio de 1980, foi batizado com o nome de “Mourão”, em sua homenagem pelo meritório e reconhecido trabalho na Astronomia. Legionários que participaram do evento levaram o abraço fraterno e os votos de sucesso do Diretor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, ao amigo, que também é membro do Conselho Consultivo do Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência (FOMPEC), da LBV, cujo O astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão objetivo é promover o intercâmbio entre o conhecimento científico e as várias tradições religiosas e espiritualistas. O astrônomo retribuiu com simpatia e, na oportunidade, enviou um exemplar do Anuário, com a dedicatória: “Para José de Paiva Netto, Presidente da LBV, com afetuoso abraço de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão”. BOA VONTADE
  5. 5. Índice Ao Leitor Sem que houvesse uma intenção específica, o tema Mulher ganhou neste número relevância especial. Se acasos não existem, estas coincidências surgiram como que um sopro sublime, afinal, estamos a caminho de março, mês consagrado à Alma feminina. A cantora Leci Brandão, uma das mais influentes damas do samba, é capa desta revista. Sua vida e carreira são sinônimos da brasilidade, enfrentou com garra e determinação todas as barreiras que se possa imaginar. De origem humilde, negra e mulher, venceu e declara-se feliz por estar há 30 anos vivendo de seu trabalho com a música. Outra reportagem correlacionada trata da 50ª edição da Comissão do Status da Mulher, realizada na Sede das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Nela se discutem formas de ampliar a presença feminina nas decisões voltadas ao desenvolvimento dos povos, como a eleição de mulheres para o cargo de chefes de Estado e para a própria liderança da ONU. Neste cenário, as teses de Paiva Netto no documento da Legião da Boa Vontade, que possui status no Conselho Econômico e Social (Eco- soc) da Organização, se sobressaem. Encaminhado ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o expressivo relatório da LBV é uma importante colaboração a este debate e foi distribuído aos participantes do encontro pelo Ecosoc, nos seis idiomas oficiais da ONU (Árabe, Chinês, Espanhol, Francês, Inglês e Russo). O desafio de se criar fontes de energias renováveis e não-poluentes é abordado com bastante êxito na editoria Meio Ambiente, na qual a construção da usina de energia das ondas em Fortaleza/CE, prevista para o término de 2006, e mais o Programa Nacional do Biodiesel são bons exemplos. Vale ainda conferir as entrevistas com o Arcebispo sul-africano Desmond Tutu e o escritor argentino Adolfo Pérez Esquivel — ambos prêmios Nobel da Paz. Boa leitura! Reflexão do mês “Valorizar a Mulher dignifica o Homem.” (Paiva Netto) BOA VONTADE ANO XXIV • Nº 210 • Fevereiro de 2006 BOA VONTADE é uma publicação mensal das IBVs, editada pela Editora Elevação. Diretor e Editor responsável Francisco de Assis Periotto MTE/DRTE/RJ 19.916 JP Revisão Equipe Elevação Arte Foto de capa: Daniel Trevisan Projeto Gráfico: Alziro Braga Produção Endereço para correspondência: Av. Rudge, 938 — Bom Retiro CEP 01134-000 — São Paulo/SP Tel.: (11) 3358-6868 — Caixa Postal 13.833-9 CEP 01216-970 Internet: www.boavontade.com E-mail: info@boavontade.com Impressão: PROL Editora Gráfica A revista BOA VONTADE não se responsabiliza por conceitos emitidos em seus artigos Edição nº 210 assinados. 4 Cartas 7 Literatura 8 Ao leitor 10 Esporte e Cidadania 11 Coluna de Esporte 12 Internacional 20 Meio Ambiente 22 Educação 24 Direito em Questão 27 Sociedade 28 Capa — Samba e História 32 Saúde 35 Exclusivo 39 Ecumenismo Irrestrito 42 Ciência e Tecnologia 44 Arte na Tela 47 Melhor Idade 49 Ação Jovem LBV 52 Soldadinhos de Deus 54 Cultura 56 Acontece 60 Variedades Fr
  6. 6. 28 Samba e História Leci Brandão: Sinônimo de garra e talento. Francisco de Assis Periotto MTE/DRTE/RJ 19.916 JP 11 Coluna de Esportes O mais rico em talento, o mais pobre em finanças. 24 Direito em Questão Entrevista com o Presidente da OAB/RJ, Dr. Octávio Gomes. 12 32 Internacional A Mulher nas decisões e desenvolvimento dos povos. Saúde Hipertensão, um mal que pode ser evitado. 35 Exclusivo Prêmios Nobel da Paz concedem entrevista à rBV. Portal BOA VONTADE: www.boavontade.com 20 44 Meio Ambiente Biodiesel: o combustível com royalty social Arte na Tela Museu Oscar Niemeyer, uma janela aberta para o mundo.
  7. 7. O coordenador da equipe de esportes da Super Rádio Brasil (AM 940), Felipe Cardoso (D), entrevista o técnico do Botafogo, Carlos Roberto. Técnico do Botafogo na Super RBV O técnico do Botafogo, Carlos Roberto, participou no dia 13 de fevereiro do Momento Esportivo, nos estúdios da Super Rede Boa Vontade de Rádio, Super RBV (AM 940), para comemorar a conquista alvinegra no primeiro turno do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro. Ele foi entrevistado pela equipe do programa coordenado por Felipe Cardoso e que vai ao ar de segunda a sábado, a partir das 12 horas. Na oportunidade, agendou uma visita ao Centro Educacional, Cultural e Comunitário da LBV, na capital fluminense. 500 dias para o Pan O Rio de Janeiro/RJ ganhou mais um motivo para entrar no clima dos Jogos Pan-Americanos de 2007. Um grande relógio, instalado no calçadão da Praia de Copacabana, um dos cartões-postais da cidade, a partir do dia 28 de fevereiro, fará a contagem regressiva para o início da competição, marcado para 13 de julho do ano que vem. Brasil nas Olimpíadas de Inverno Reprodução rBV Mesmo retornando ao País sem nenhuma medalha, a equipe brasileira comemorou o melhor desempenho da História obtido nos Jogos Olímpicos de Inverno, que ocorreu neste mês em Turim (Itália). O destaque foi para Isabel Clark, nona colocada na prova de boardercross do snowboard. Já na competição de bobsled, a delegação nacional — conhecida como Bananas Congeladas — tombou o trenó em duas das três descidas que realizou, o que deixou a equipe na última colocação da modalidade. 10 BOA VONTADE Reis e rainhas do vôlei Foto: Luiz Doro Alan Lincon Esporte e Cidadania Ipanema, zona sul fluminense, foi o cenário que coroou em fevereiro os melhores jogadores de vôlei de praia da atualidade. No dia 19, a dupla Nalbert e Luizão, do Brasil, sagrou-se campeã ao superar os norte-americanos Kiraly e Lambert, por 2 sets a 0. Uma semana depois, quem faturou o título foi a dupla Rachel Wacholder e Elaine Youngs, representando os Estados Unidos. Elas venceram as brasileiras Agatha e Shaylyn por 2 sets a 1. Pequim verde A capital chinesa planeja plantar árvores em 12 mil hectares para chegar aos Jogos Olímpicos de 2008 com 42,5% da superfície urbana com áreas verdes. O projeto é a tarefa prioritária da cidade este ano, conforme afirmou o Prefeito, Wang Qishan. Outra providência tomada foi a renovação da frota de ônibus públicos, alguns deles dotados de tecnologia híbrido-hidraúlica. Na Vila Olímpica, destaca-se o uso de energias renováveis e outras medidas ecológicas. Com essas ações, os organizadores esperam fazer da competição a mais ecológica da História.
  8. 8. Coluna do Garotinho O mais rico em talento, José Carlos Araújo é locutor esportivo da Rádio Globo do Rio de Janeiro/RJ E m qualquer lugar do mundo, basta falar o nome do Brasil para que as pessoas comecem a recitar uma infindável lista de talentosos jogadores de nosso futebol, começando, é claro, por Pelé, que continua sendo nosso grande embaixador no restante do Planeta. O futebol brasileiro já operou verdadeiros milagres, que nem a mais forte diplomacia conseguiu. Já se mostrou capaz de interromper guerras, como ocorreu na África, nos áureos tempos de Pelé. A presença do Rei do Futebol gerou uma trégua entre os litigantes, para que todos pudessem vê-lo em campo. Um exemplo mais recente foi o amistoso do Brasil com o Haiti, fazendo com que, no dia do jogo, a população local trocasse os conflitos pela tietagem em cima de Ronaldinho Gaúcho e companhia. Esse mesmo futebol, que encanta com sua arte e magia, vive momentos dramáticos, com a maioria dos grandes clubes do País ameaçada por dívidas quase impagáveis. Um paradoxo difícil de compreender, mas, infelizmente, real. Quem é capaz de entender que clubes como Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Vasco da Gama, Atlético Mineiro, Grêmio e Internacional, entre outros, possam enfrentar crises financeiras que não lhes permitem sequer manter os salários em dia? O Corinthians, hoje, mediante uma parceria polêmica, mantém uma equipe de caríssimas estrelas. Mas os demais precisam negociar seus principais jogadores para sobreviver. Assim, as grandes revelações do futebol brasileiro mal surgem e já se despedem, partindo para abrilhantar campeonatos em países distantes. Não dá para entender como clubes iguais a esses, que possuem imensas e apaixonadas legiões de torcedores por todo o país, estejam em permanente crise financeira. Será que só os dirigentes não enxergam que, para ter lucro, é preciso investir? A história tem nos mostrado isso. Basta que qualquer desses nossos grandes clubes forme uma equipe razoável para que os estádios lotem durante os jogos. O torcedor responde às ações dos dirigentes. Se vendem os craques e formam equipes de talento duvidoso, ele se afasta dos estádios. Mas, ao contrário, quando sente que há um esforço para tornar o clube de seu Reprodução rBV Felipe Freitas o mais pobre em finanças coração forte o suficiente para fazer frente aos demais, o torcedor corre para os estádios e apóia o time. Só grandes times atraem fortes patrocinadores. Os investidores querem ligar suas empresas a equipes vencedoras. E times ganhadores precisam de craques. Porque só os craques conduzem às glórias e só as glórias transformam-se em lucros. Está faltando visão aos nossos dirigentes. Claro que não me refiro a todos, mas à grande maioria. É preciso mais do que visão; necessário é ter ambição e hábito de serem vitoriosos. BOA VONTADE 11
  9. 9. Internacional A Mulher nas decisões e desenvolvimento dos povos Fernando Franco ________________ Danilo Parmegiani, Representante da LBV na ONU H á décadas, diversos movimentos, Organizações NãoGovernamentais (ONGs) têm lutado bravamente pelos Direitos das mulheres. As vitórias e avanços obtidos permitem sonhar além e elevam o patamar dos debates, a exemplo do que ocorre, desde 27 de fevereiro, na Sede das Nações Unidas, em Nova York/EUA, no qual são discutidos os mais relevantes assuntos que visam à ampliação da presença feminina nas decisões voltadas ao desenvolvimento dos povos. Trata-se da 50ª edição 12 BOA VONTADE da Comissão do Status da Mulher, que reúne, no Conselho Econômico e Social da ONU (Ecosoc), delegações internacionais até 10 de março. Após 11 anos da 4ª Conferência da Mulher em Beijing, China, um marco nesta luta, “a comunidade internacional finalmente começa a entender que as mulheres têm de estar envolvidas ativamente no processo de decisões a respeito dos desafios do século XXI, no desenvolvimento econômico e social, como também na Paz e na segurança”, destacou o Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, no discurso de abertura de Divulgação UN José de Paiva Netto — jornalista, radialista, escritor e Presidente das Instituições da Boa Vontade — discursa para uma multidão que superlotou a Praça da Paz, defronte do Templo da Boa Vontade, em Brasília/DF (Brasil), com representantes de diversos continentes. Ao fundo, bandeiras de Portugal, Brasil, Chile e da LBV. uma das sessões do encontro, ao afirmar que “freqüentemente elas são as mais atingidas. Portanto, é mais do que justo que estejam engajadas nas tomadas de decisões em todas as áreas, com forças e direitos de igualdade dos gêneros”. Ele salientou ainda o crescimento da proporção feminina nos parlamentos do mundo inteiro e as recentes eleições para as posições mais altas dos Governos: “Houve um salto, aumentando suas representações para mais de 30%. Agora, há diversas mulheres chefes de Estado ou no comando dos países de cada continente. E três nações — Chile, Espanha e Suécia — conseguiram a paridade entre os gêneros nos seus Governos”. Kofi Annan, Secretário-Geral da ONU.
  10. 10. UN Photo/Martine Perret Reprodução rBV Sede das Nações Unidas, em Nova York. Ao finalizar o seu pronunciamento, conclamou uma mudança também na ONU: “(...) Devemos mostrar uma mensagem clara nesse apoteótico sucesso da Mulher nas eleições presidenciais durante estes anos. O mundo está pronto para ver uma mulher como Secretária-Geral das Nações Unidas”. A Legião da Boa Vontade, que possui status no Ecosoc, faz-se presente na reunião por meio de sua representante na ONU, Conceição Malaman, que encaminhou ao Dr. Kofi Annan documento da LBV em colaboração à importante conferência, distribuído aos participantes pelo Ecosoc, nos seis idiomas oficiais da organização (Árabe, Chinês, Espanhol, Francês, Inglês e Russo). O trabalho — cujo enfoque é para o avanço feminino pela educação, saúde e trabalho — foi ressaltado por diversos integrantes e traz um pouco da experiência da Instituição em valorizar a Mulher, principalmente aquela que é Mãe, teses e Mariana Malaman Voto feminino, um direito adquirido em praticamente todo o mundo. Conceição Malaman, representante da LBV, no Ecosoc, na ONU. reflexões a respeito dessa temática desenvolvida pelo dirigente da LBV, José de Paiva Netto, como a da Sociedade Solidária Altruística Ecumênica, na qual ele aponta para uma vida social “sem fronteiras raciais, de gênero, religião ou o que mais o seja”. Nela, o Ser Humano “compreende que o corpo é muito mais que matéria. Ele é o veículo para as ações transformadoras, abolindo sentimentos individualistas que cooperam para a degeneração de coletivos inteiros”. BOA VONTADE 13
  11. 11. Internacional 50ª Sessão da Comissão do Status da Mulher Item 1 — Sobre a Agenda Temporária Documento submetido pela Legião da Boa Vontade (LBV) para a 50ª Sessão da Comissão do Status da Mulher, de 28 de fevereiro a 10 de março de 2006. Temática: “Potencializada a participação de mulheres em desenvolvimento: ativação de ambiente para o alcance da igualdade de gênero e o avanço da Mulher, levando em conta, inter alia (entre outras coisas), os campos da educação, da saúde e do trabalho”. A Declaração Universal dos Direitos do Homem afirma o princípio inadmissível da discriminação, proclamando que todos os Seres Humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos e que cada um tem capacidade para usufruir os direitos e as liberdades estabelecidos no referido documento, sem distinção de qualquer natureza, inclusive de sexo. A Legião da Boa Vontade, organização não-governamental brasileira com status consultivo geral no Conselho Econômico e Social (Ecosoc), reúne e compartilha boas práticas e lições apresentadas pelo sistema da Organização das Nações Unidas (ONU) dentro da estratégia de empoderamento e avanço de mulheres e meninas, disseminando-as, em âmbito nacional e internacional, por diversos veículos de comunicação e aplicando-as nos Centros Comunitários e Educacionais, nas creches e nas escolas de educação básica que a LBV de cada país mantém (Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Argentina, Portugal e Estados Unidos da América). Como defende o jornalista, radialista e escritor José de Paiva Netto, Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade, “Toda organização vitoriosa desfruta a presença marcante de mulheres espiritualmente esclarecidas. A intuição, competência do Criador manifesta “A Mulher, que é a alma da Humanidade, é a boa raiz e a base das civilizações.” (Paiva Netto) A mensagem da Legião da Boa Vontade (LBV) para a 50ª Sessão da Comissão do Status da Mulher, das Nações Unidas, Nova York — EUA, foi divulgada pela ONU, em seis idiomas oficiais (Árabe, Chinês, Espanhol, Francês, Inglês e Russo) a delegações de Estado e a organizações não-governamentais. Aliás, a LBV foi a primeira ONG brasileira a possuir o relevante status consultivo geral no Conselho Econômico e Social (Ecosoc). É o Brasil cumprindo seu valoroso papel de Solidariedade Ecumênica, no cenário internacional. Árabe 14 BOA VONTADE Chinês
  12. 12. Amicucci Gallo na criatura, é um dos poderosos instrumentais femininos. Talvez por isso tenha Voltaire (1694-1778), um dia, exclamado: ‘Tous les raisonnements des hommes ne valent pas un sentiment d’une femme’, isto é, todos os raciocínios dos homens não valem o sentimento de uma mulher”. Por séculos, as mulheres vêm enfrentando conseqüências de uma sociedade patriarcal, constantemente tendo mais deveres que direitos — particularmente as mulheres negras, às quais é atribuído apenas o valor exótico, ou de objetos sexuais, escravas ou servas facilmente manipuláveis. Órgãos internacionais têm denunciado os fatores de pobreza e baixa escolaridade, ou seja, o risco pessoal e social como porta de entrada de milhões de mulheres e crianças no mercado do sexo. E são muitas as formas contínuas de exploração feminina. Erguer uma sociedade consciente de sua capacidade de articular seus direitos e deveres com responsabilidade moral, ética e espiritual é dever de todos nós, sociedade civil, conforme adverte o jornalista Paiva Netto: “Na queda de qualquer país, ou civilização, o primeiro grande passo para a ruína é o trabalho pela desmoralização da Mulher. A Mulher é a base das nações, é o sustentáculo dos povos. Pela maternidade, ela se aproxima de Deus em tamanho grau Espanhol No projeto “Cidadão-Bebê”, da LBV, a mãe recebe acompanhamento da gestação até o 1º ano de vida de sua criança, vencendo, assim, o período de maior risco de mortalidade infantil. O belo flagrante do premiado repórter fotográfico Amicucci Gallo, na LBV do Rio de Janeiro/RJ. que nós, os homens, jamais conseguiremos. (...) A Mulher, que é a alma da Humanidade, é a boa raiz e a base das civilizações”. Desde o começo da vida em sociedade, as mulheres foram consideradas, pelas classes dominantes, inferiores ao homem. Em muitos países, elas conseguiram o direito de expressar sua opinião política pelo poder do voto somente na metade do século XX. Quando o Ser Humano compreender o outro com respeito e dignidade — que lhe conferem valor de cidadão —, entenderá o desempenho que lhe cabe em sociedade. “Sentimentos de Misericórdia, Amor, Solidariedade são”, conforme declara o dirigente da LBV, “alavancas que levantarão das ruínas (espirituais, morais, sociais e políticas) a Sociedade Solidária Altruística Ecumênica, Francês que não é uma utopia, muito menos uma ideologia. Ela é uma proposta que vivencia o exercício da Fraternidade transnacional, sem fronteiras raciais, de gênero, religião ou o que mais o seja. Na Sociedade Solidária Altruística Ecumênica, o indivíduo compreende que o corpo é muito mais que matéria. Ele é o veículo para as ações transformadoras, abolindo sentimentos individualistas que cooperam para a degeneração de coletivos inteiros”. A Legião da Boa Vontade traz para a 50ª Comissão do Status da Mulher sua contribuição para o absoluto cumprimento da plataforma de ações de Beijing, trabalhando para facilitar a parceria entre homens e mulheres em todos os setores nos quais se fizer necessária, política, cultural, científica ou socialmente. Seguindo sua dialética, a LBV reforça o importante Russo Inglês BOA VONTADE 15
  13. 13. Internacional Mulheres no Poder Angela Merkel, Chanceler Federal da Alemanha. Ellen Johnson-Sirleaf, Presidente da Libéria. papel da mulher na arena social. “(...) a Mulher tem direito a ser Presidente da República, de Tribunais, condutora de religiões, capitã de indústria, de aviões e navios transatlânticos; tem direito de ser médica, engenheira, professora etc. No trabalho, há um justo conceito de valor entre homens e mulheres: o da competência. Então, os sexos nisto estarão harmonizados. Que brilhe o Homem, que brilhe a Mulher, conforme a competência de cada um. Isto não quer dizer que homens e mulheres são totalmente iguais. Aí está pelo menos, de início, a anatomia para desmentir. O que quero dizer é que não se devem sustentar antigas barreiras e levantar novas, firmadas em tabus, preconceitos e interesses espúrios para impedir maior influência da Mulher sobre o destino do mundo. Homem e Mulher dependem um do outro. Completamse” (Paiva Netto, extraído do livro Reflexões e Pensamentos — Dialética da Boa Vontade, publicado em 1987). 16 BOA VONTADE Helen Clark, Primeira-Ministra da Nova Zelândia. Neste início de milênio, vemos um crescente movimento de combate à discriminação da Mulher por parte da comunidade internacional. Em cumprimento à Carta da ONU e somando-se ao esforço de pessoas e organizações espalhadas pelo Planeta, governos mundiais têm implementado políticas de promoção e respeito aos direitos humanos e às liberdades fundamentais, sem distinção de raça, sexo, idioma, religião ou cor. Dessa forma solidária e ecumênica, a LBV fomenta diversos programas e projetos socioeducacionais que promovem a valorização de mulheres e crianças em situação de risco pessoal e social. São mais de quatro milhões de atendimentos por ano, realizados por intermédio dos Centros Comunitários e Educacionais. Elas são estimuladas a desenvolverse integralmente, desenvolvimento esse que se estende ao contexto de sua família, por meio de ações nas áreas da saúde materna, da nutrição, da educação e da qualificação pro- Maria do Carmo Silveira, PrimeiraMinistra de São Tomé e Príncipe. fissional, além do oferecimento de suporte psicológico, jurídico e social. Segundo dados de uma pesquisa feita em 2005 pela empresa Toledo Associados, as mulheres representam 86% de todos os atendimentos prestados anualmente pela LBV. Sendo a mulher o núcleo da família, o investimento direcionado a ela se torna o meio mais eficaz de transformação da sociedade. Dos programas principais destacase o SER Mulher, voltado ao resgate da auto-estima humana, profissional, intelectual e emocional de mulheres e gestantes. A melhoria da qualidade de vida é buscada de várias formas. Palestras educativas, workshops e cursos ocupacionais visam ao aumento da renda familiar e à (re)inserção no mercado de trabalho. O acompanhamento jurídico e psicológico, feito por profissionais voluntários, garante a orientação a problemas gerados pelos mais diversos níveis de vulnerabilidade. Grupos de convivência trabalham a conscientização da im-
  14. 14. Nos cinco continentes, a presença feminina está cada vez em maior evidência, como podemos observar na relação abaixo que traz os nomes das Estadistas: Michelle Bachelet, Presidente do Chile. Luisa Diogo, Primeira-Ministra de Moçambique. portância do planejamento familiar; do pré-natal; da afetividade entre mães e filhos; do conhecimento e da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, do câncer cervical e de mama; entre outros temas. No projeto “Cidadão-Bebê”, as gestantes têm acompanhamento em todos os estágios da gravidez. Alimentação complementar, terapias de fala e de música, cuidados de enfermaria e de higiene, além de orientação sobre amamentação e saúde do bebê, são algumas das ações desenvolvidas até que a criança ultrapasse o período mais arriscado de mortalidade, ou seja, atinja um ano de idade. Outras iniciativas fomentadas a fim de garantir que os direitos das mulheres sejam respeitados são as creches e escolas da Legião da Boa Vontade, que preparam os filhos delas para alcançar seu potencial pleno de desenvolvimento e exercitar a cidadania. Do berçário ao ensino médio, a LBV aplica uma metodologia diferenciada e de qualidade, Khaleda Zia, Primeira-Ministra de Bangladesh. que promove o progresso espírito-biopsicossocial dos educandos. Além das mais avançadas técnicas de educação, a Pedagogia do Cidadão Ecumênico, preconizada por Paiva Netto, leva aos alunos valores universais de Espiritualidade Ecumênica e Solidariedade. Os estabelecimentos de ensino da LBV atuam sob o lema “Aqui se estuda. Formam-se Cérebro e Coração”, aliando intelecto e sentimento. Dessa forma, a Instituição tem somado forças para o cumprimento da convenção que determina a eliminação de todas as formas de discriminação da Mulher, potencializando a participação do sexo feminino no alcance da igualdade entre os gêneros em todas as áreas. Não se pode viver a igualdade e a justiça sem que se entenda que o elemento condutor para o progresso dos povos é o Amor. O Ser Humano, antes de ator social, é um agente transformador; ele compõe a célula social. Se uma célula adoece, todo Gloria Macapagal-Arroyo, Presidente das Filipinas. o tecido celular é comprometido. Buscar o equilíbrio, como afirma o Diretor-Presidente da LBV, é o viés para a compreensão da igualdade: “O amadurecimento crescente de um Povo, que está descobrindo os seus direitos de cidadão, ainda que tardiamente, porquanto 200 anos após a Revolução Francesa (estávamos em 1991), o fará finalmente concluir que nenhum país pode na verdade desenvolver seus talentos se continuar subsistindo como uma grande senzala de senhores e escravos, ou fechar-se como uma ostra xenófoba ou abrir-se de forma temerária, a ponto de perder sua identidade, sua soberania. A compreensão das massas ir-se-á maturando até que entendam o valor da cidadania, no sentido lato, pois não é suficiente considerar o cidadão apenas no seu contexto físico, mas também no espiritual, porque qualquer componente dos grupos humanos é, em resumo, formado por corpo e Alma. Afinal BOA VONTADE 17
  15. 15. Internacional ‘boa’ acomodação da existência, para que alcancemos uma ordem social justa, produto da ação decisiva de comunidades eficazes, fraternalmente combativas, e de um governo, seja qual for, que tenha decididamente como objetivo fazer progredir a população de seu país, antes que grande parte dela morra; ou seja quase isso, pela subnutrição, pela desesperança que lhe aponta, muitas vezes, como solução à violência. Entretanto, sob qualquer pretexto, em tempo algum devemos abrir mão do auxílio magnânimo dos amigos do Mundo Espiritual Supremo, os quais muitos apropriadamente chamam de Anjos Guardiães. Aliás, na verdade, concreto é o Espírito, não significando dizer que o corpo, sua vestimenta, deva ser criminosamente desprezado. Dizem os mais velhos que ‘saco vazio não se põe de pé’. Tenhamos, pois, Participantes da Comissão da Mulher ressaltam Mensagem da LBV O documento da Legião da Boa Vontade repercutiu durante a 50ª edição da Comissão do Status da Mulher, na Sede das Nações Unidas em Nova York. O encontro reúne milhares de participantes de todas as regiões do Planeta, com um número relevante de mulheres latino-americanas e caribenhas, conforme constatou a Dra. Gilda Alarcon Glasinovich, Diretora de Saúde Pública, Pesquisa e Desenvolvimento da Cidade de Nova York e Conselheira Especial em População e Imigração das Nações Unidas. Para ela, é grande também a presença ver- 18 BOA VONTADE de-amarela: “O Brasil tem uma boa representação com a Legião da Boa Vontade, sempre presente nestes eventos internacionais, e também há um grande número de participantes da Organização Internacional de Mulheres em Negócios e Profissões”. Sobre a mensagem da LBV, a Dra. Gilda disse que lhe fez rememorar a ocasião em que conheceu, no Brasil, no fim de 2005, o Centro Comunitário e Educacional da Instituição em Aracaju/SE: “De todas aquelas pessoas que me receberam de uma maneira tão familiar, do carinho das crianças com as canções. Fiquei tão emocionada com elas!”. Confidenciou que nem mes- o equilíbrio como objetivo.” (Paiva Netto, Somos todos Profetas, 44ª ed., São Paulo: Elevação, p. 125). Concluindo, elevamos aos participantes da 50ª Comissão do Status da Mulher o seguinte pensamento do dirigente da LBV, publicado em BOA VONTADE Mulher — edição especial da revista BOA VONTADE —, p. 11: “(...) O papel da Mulher é essencial para a sobrevivência dos povos. Irmã, esposa, mãe, amiga, trabalhadora, chefe de família, é presença indispensável e carinhosa conselheira. Pelos filhos é o seu porvir, porquanto prepara homem e mulher futuros. Por isso, as sociedades que a deprimem o fazem a si mesmas. A Mulher de entendimento esclarecido torna o elo familiar forte e a comunidade grande, moral, respeitada e unida”. PhotoDisc somos originalmente Espírito. Eis o sentido completo de cidadania, que não pode admitir tão-somente o analfabetismo das letras humanas, como também a ignorância dos assuntos espirituais. O desconhecimento desta realidade sobre a qual acabamos de discorrer favorece a incrementação das ações causadoras da fome, do desemprego, do sectarismo, do frio ideal individualista, isto é, ególatra, a promoção do escárnio com os que sofrem na sociedade, porque riqueza e pobreza situam-se dentro do Ser Humano. Exteriorizá-las, ou não, depende da mentalidade e de fatores culturais (no futuro próximo, marcadamente espirituais), que precisam ser exercitados. “(...) Urge, com presteza, mudar a mentalidade que entroniza o delito como exemplo, a exploração como meta, a apatia diante do erro como
  16. 16. Divulgação UN Samara Malaman “Efetivamente, eu creio que esta é a grande missão da Legião da Boa Vontade: ensinar que todos temos um Espírito que deve ser nutrido primeiro, porque somente com o fortalecimento dele é que vemos os problemas como secundários, ou podemos encontrar as soluções e não nos sentirmos abatidos, desmoralizados!.” Dra. Gilda Glasinovich, Diretora de Saúde Pública, Pesquisa e Desenvolvimento da Cidade de Nova York e Conselheira Especial em População e Imigração das Nações Unidas. mo o mal-estar que a acometeu no dia anterior a fez desistir da visita. “Apesar de ter estado um pouco doente, não pude cancelar. Conhecendo a obra que vocês realizam na cidade de Nova York no que se refere à mulher, à família, aos valores humanos, tinha de fazer um esforço. Eu disse: ‘A doença, ponho de lado, tenho de seguir adiante!’. E foi o que fiz. Estive com o grupo em Aracaju: as crianças, o trabalho das mulheres, das professoras, das assistentes que há na LBV me impressionaram muito. Ficou um desejo de voltar, de regressar e trabalhar novamente, de poder unir esforços. Não somente servir em Aracaju, mas em São Paulo, em Brasília. (...) Uma parte do meu coração também ficou no Brasil!.” O Espírito em primeiro lugar Para a Dra. Gilda, a ação da LBV é exemplar e o seu grande diferencial está em ultrapassar o campo da matéria: “A Legião da Boa Vontade, além da dedicação em resgatar e implementar os documentos internacionais no País, dá um passo a mais que tanto necessitamos, que é o de resgatar a Espiritualidade! Não apenas da mulher, da criança, do pai, mas do núcleo familiar. E ao fazer isso, recupera os valores universais. Esse trabalho é a resposta às crises que se têm vivido em termos de Espiritualidade, de perda de confiança um para com o outro. Nós, os Seres Humanos, temos perdido muito do nosso fervor e do desejo em participar como grupo! E, em sociedades nas quais predominam o indivíduo (...), perdeu-se o contato entre seus elementos. E, por isso, se perdeu definitivamente o sentido de espiritualidade familiar. Nesse sentido, a LBV tem um princípio imprescindível: o desenvolvimento espiritual. Quando cuidamos do nosso Espírito, podemos olhar para outras pessoas! Sermos felizes! Efetivamente, eu creio que esta é a grande missão da Legião da Boa Vontade: ensinar que todos temos um Espírito que deve ser nutrido primeiro, porque somente com o fortalecimento dele é que vemos os problemas como secundários, ou podemos encontrar as soluções e não nos sentirmos abatidos, desmoralizados!”. BOA VONTADE 19
  17. 17. Meio Ambiente BIO DIESEL o combustível com royalty social Brasil volta seu olhar para um produto renovável, não-poluente e gerador de empregos 20 BOA VONTADE A s duas crises mundiais, em 1973 e 1979, e mais recentemente os elevadíssimos preços do barril de petróleo, acrescidos de uma preocupação crescente em cuidar melhor do meio ambiente, têm feito com que os pesquisadores do mundo inteiro voltem seus olhos para a descoberta de combustíveis alternativos, renováveis e nãopoluentes. No Brasil, vários estudos estão em curso e um deles, o biodiesel (produzido a partir de plantas oleaginosas, como mamona, soja, girassol e dendê), desponta com grande chance de emplacar e somar-se a iniciativas que já mostraram potencial, a exemplo do carro bicombustível (gasolina e álcool) que, apesar do aumento recente do álcool, representa uma porcentagem significativa dos automóveis em circulação. A idéia é antiga. Existem projetos desenvolvidos desde a década ____________________ Fonte: Agência Brasil de 1970 pela Universidade Federal do Ceará, cuja primeira patente é do professor Expedito Parente, mas que foi deixada de lado ao longo dos anos seguintes, por causa dos preços atrativos do ouro negro (petróleo) àquela época. Em 2002, foi retomado no País o Programa Nacional de Biodiesel, tendo várias universidades e institutos brasileiros apresentado tecnologias viáveis para seu uso. A Europa e os Estados Unidos já se utilizam desta fonte de energia, aplicando como aditivo do diesel do petróleo em proporções que variam entre 5% a 30%. A Alemanha é o único país que tem bombas de biodiesel 100% puro, com aval de mecânicos que avaliam positivamente o desempenho do combustível. Aliás, é bom lembrar que registros históricos informam que inicialmente o motor diesel — exibido pela primeira vez ao público por seu criador, o Dr. Rudolf Diesel, durante a mostra mundial em Paris, no ano de 1900 — era para ser alimentado com óleos vegetais. Por aqui, a idéia é substituir combustíveis fósseis, gradativamente, por
  18. 18. Ricardo Stuckert/PR (ABr) Arquivo rBV esse biodegradável, de forma a abastecer a frota nacional de caminhões, tratores, caminhonetes, automóveis, além de ser fonte para geradores de eletricidade e calor. O fato de nossa granDr. Rudolf Diesel de extensão territorial abrigar dezenas de espécies vegetais com potencial para o produto (mamona, dendê (palma), girassol, babaçu, amendoim, pinhão manso, soja, entre outras) anima, principalmente porque o incremento da atividade significa criar novos empregos; dar incentivo à agricultura familiar nas regiões mais pobres, como o Nordeste, o Norte e o Semi-Árido, tornando-se, assim, um elemento de inclusão social. Os nossos pulmões também agradecem. Como o biodiesel é uma fonte limpa de energia, melhora a qualidade do ar dos grandes centros metropolitanos, fato que pode colocar o nosso País em lugar seleto na comunidade mundial, reduzindo a emissão de diversos gases que provocam o efeito estufa e o aquecimento global, como o gás carbônico e o enxofre, fortemente presentes em combustíveis de origem fóssil. O que facilita, até mesmo, conseguir financiamentos internacionais para melhorar nossa infra-estrutura no mercado de créditos de carbono, em condições vantajosas, sob o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), previsto no Protocolo de Kyoto, documento assinado por 141 países, que prevê a diminuição desses poluentes. Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (C) e a Primeira-Dama, Dona Marisa, recebem o vocalista da banda irlandesa U2, Bono Vox, durante almoço na Granja do Torto. Lula e Bono conversam sobre como desenvolver o Nordeste brasileiro com biodiesel O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que tem se empenhado em desenvolver a produção do biodiesel no Brasil, não perdeu a oportunidade da visita de Bono Vox, líder da banda irlandesa U2, no último dia 19, à residência oficial da Granja do Torto, para apresentar ao cantor e ativista dos Direitos Humanos este projeto. Segundo cálculos do Governo, para cada trabalhador na indústria do biodiesel, haverá mil empregos no campo. O porta-voz da Presidência da República, André Singer, informou, na ocasião, que já foram gerados no Brasil 60 mil empregos na produção deste combustível e que a expectativa é que este número chegue a um total de 100 mil novas vagas até o fim do ano. “Nosso sonho é fazer como o Presidente Roosevelt fez no Vale do Mississipi: produzir um grande desenvolvimento no Nordeste a partir do biodiesel”, disse o Presidente Lula ao vocalista, de acordo com informação de Singer. O encontro, que versou também sobre as ações de combate à pobreza e à fome, contou ainda com a presença do Ministro da Cultura, Gilberto Gil. BOA VONTADE 21
  19. 19. Educação Maringá reúne educadores para discutir educação em tempo integral E ducadores de todo o Brasil estiveram reunidos no I Fórum Estadual de Educação Integral do Paraná, realizado em Maringá, entre os dias 13 e 15 de fevereiro. O evento, promovido pelo Instituto Nacional de Educação e Cultura (INEC), discutiu a educação em tempo integral por meio do tema: “Escola Integral: um sonho possível”. Diversas autoridades — entre deputados, vereadores e secretários — compareceram ao evento, levando sua contribuição, bem como o apoio legal a essa iniciativa, a exemplo do Deputado Estadual Barbosa Neto, que compôs a mesa de debates e prestigiou a entrega do Prêmio Darcy Ribeiro, que se deu durante a cerimônia de abertura do acontecimento, agraciando educadores de destaque no Brasil. “Quero parabenizar a LBV pela presença e o INEC por ter escolhido Maringá, essa importante cidade, para iniciar o fórum. Como autor da lei que cria a Educação Integral no Estado, temos de agradecer à LBV e àqueles que divulgam a educação com Espiritualidade”, afirmou o Deputado. 22 BOA VONTADE ____________ Da Redação Fotos: Paulo Araújo Parceira do INEC nesse fórum, a Fundação José de Paiva Netto trouxe sua experiência na educação com Espiritualidade Ecumênica, por intermédio dos meios de comunicação. Barbosa Neto Herb Carlini Entre os laureados com o prêmio figuram: o professor José Dantas Cyrino Júnior, Secretário Municipal de Educação e Cultura do Município de Manaus e Coordenador do Curso de Pedagogia da Faculdade de José Dantas Cyrino Júnior Gilberto Pavanelli
  20. 20. Educação da Universidade Federal do Amazonas (UFAM); o professor Herb Carlini, Secretário de Educação de Americana/SP; o Senador Cristóvam Buarque, professor da Universidade de Brasília (UnB), ex-Governador do Distrito Federal e ex-Ministro da Educação; e Gilberto Pavanelli, Reitor da Universidade Estadual de Maringá. O Senador Cristóvam Buarque, que foi saudado pelos representantes da LBV pela homenagem, deixou seu depoimento acerca da história da Instituição. Na oportu- LBV amplia instalações em Juiz de Fora/MG Para ampliar os atendimentos já oferecidos pelo seu Centro Educacional e Comunitário em Juiz de Fora/MG, a Legião da Boa Vontade está reformando e construindo novos espaços em sua sede, localizada na Rua Francisco Fontainha, 83, Santo Antônio, tel.: (32) 3216-1406. Com a iniciativa, as crianças terão vários ambientes para as atividades culturais, esportivas e lúdicas, do Programa LBV: Criança — Futuro no Presente!. Para os adultos, a construção de salas de aula aumentará o número de vagas oferecidas nos cursos de capacitação profissional (como o de garçom, repositor, cozinheiro e nas áreas de artesanato e informática). Na parte externa do Centro Comunitário, há várias novidades também, como uma quadra poliesportiva, horta comunitária e jardim. A reforma está sendo feita com o apoio de colaboradores, voluntários e órgãos públicos. Visite e ajude a LBV a transformar para melhor a vida de centenas de famílias. nidade, Buarque também falou do Jubileu de Ouro de bons serviços prestados pelo Líder da LBV, a ser completado no próximo 29 de junho: “Hoje, desejo aqui, em público, enviar um grande abraço ao Dr. Paiva Netto e a toda essa imensa família da Legião da Boa Vontade, no momento em que faz 50 anos de dedicação a essa causa, de lutas. A gente precisa de homens e mulheres que tenham persistência no Bem. Parabéns, Dr. Paiva Netto! Parabéns, Legião da Boa Vontade!”. Arquivo rBV Cristóvam Buarque, Senador. Fórum de Maringá/PR reúne educadores para discutir o ensino em tempo integral Arquivo rBV Marina Figueiredo “Desde muito pequeno, lá no Recife, eu me acostumei a ouvir falar na Legião da Boa Vontade. O nome Alziro Zarur era presente na minha casa e nas ruas da cidade, em 1950... Os anos passaram e, muito tempo depois, tive oportunidade de conhecer pessoalmente o Dr. Paiva Netto. Desde o nosso primeiro encontro, tive uma simpatia por ele e seu trabalho. Para mim, foi uma honra conhecê-lo.” Aspectos da obra no Centro Educacional e Comunitário da LBV em Juiz de Fora já em fase de acabamento. BOA VONTADE 23
  21. 21. Direito em Questão Direitos e deveres Simone Barreto Presidente da OAB do Rio de Janeiro, Dr. Octávio Gomes, fala sobre o Dr. Octávio Gomes “As pessoas hoje fazem um ensino fundamental e um ensino médio deficientes e entram para a universidade com várias dificuldades. Quando se vê um índice de aprovação muito pequeno no Exame da Ordem, não é que a prova seja extremamente rigorosa, não. Ela tem o rigor necessário para avaliar o defensor da vida, do patrimônio e da liberdade das pessoas (...).” 24 BOA VONTADE U m dos princípios básicos para estabelecer a cidadania é conhecer os direitos e, claro, os deveres de cada um na sociedade. Foi justamente partindo dessa premissa que pautamos uma entrevista com o Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro, Dr. Octávio Gomes. Apaixonado pela profissão, ele conta que sempre se identificou com as causas éticas. Aliás, para ele, o profissional que advoga é um agente da cidadania e da justiça social. Neste bate-papo, além de fazer um balanço sobre a atuação da OAB/RJ (que comemorará, no mês de novembro, 76 anos), o Dr. Octávio, estando há dois mandatos à frente da entidade, esclarece dúvidas relacionadas aos direitos comuns do cidadão. E, por isso, muito mais que mostrar aquilo que é de seu interesse, nesta entrevista você conhecerá o valor da OAB para a população, além de esclarecer dúvidas sobre algumas leis específicas para o advogado. revista BOA VONTADE — Qual o papel do advogado na sociedade? Qual a sua importância? Dr. Octávio Gomes — Sendo seus atos e manifestações invioláveis diante da lei, a prestação jurisdicional só se concretiza, em sua plenitude, com a intervenção do advogado. Ele leva o direito do seu cliente para ser analisado perante o Poder Judiciário, ou seja, o processo não anda sozinho. A justiça existe porque o advogado existe. E, por isso, aquele velho ditado: “Sem advogado não há justiça e sem justiça não há democracia”. rBV — Quais os serviços que a Ordem dos Advogados do Brasil põe à disposição da comunidade? Em que o cidadão comum e os advogados são beneficiados pela OAB? Dr. Octávio Gomes — Tirando a Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro (CAARJ), que é o nosso braço social (tem um plano de saúde para os advogados e seus familiares), temos esse outro lado que são as livrarias, óticas e o Instituto de Aposentadoria (Iasaerj), que foi uma grande conquista nossa. Hoje existem várias famílias que sobrevivem graças a esse Instituto, que é a tranqüilidade futura do advogado. Temos as comissões que atendem aos advogados e à sociedade em geral; editamos cartilhas do consumidor, do idoso, do torcedor; realizamos palestras gratuitas; e cobramos transparência, moralidade e ética, além de desempenharmos campanhas institucionais como, por exemplo, “Voto não tem preço, voto tem conseqüência”. rBV — A OAB é autônoma ou é subordinada a algum órgão do Governo? Dr. Octávio Gomes — É autônoma, independente e apartidária,
  22. 22. para a cidadania papel do advogado atuando como agente da justiça social rBV — Gostaria que o senhor falasse sobre as suas realizações nas gestões dos dois mandatos: 2003-2004 e 2005-2006. Dr. Octávio Gomes — (...) Na Presidência da OAB, tive a grata satisfação de criar o Escritório Compartilhado, ou seja, um espaço para trabalhar para quem não o tem, pois constatamos no foro que havia muitos advogados fechando seus escritórios por dificuldade. Percebendo essa grande massa que precisava ser tratada com carinho e respeito, criei esse espaço com 16 salas, três espaços para reuniões, com tudo informatizado e infra-estrutura de uma grande empresa, sem nenhum ônus para o profissional. Essa foi a maior conquista no primeiro mandato (20032004). Há também outras reformas que fizemos em todas as salas nos foros do interior, informatização de todas as subseções, o congelamento e o parcelamento das anuidades em débito, um carro para locomoção dos advogados trabalhistas até o Fórum da Rua do Lavradio, “A justiça existe porque o advogado existe. E, por isso, aquele velho ditado: ‘Sem advogado não há justiça e sem justiça não há democracia.’” seminários, cursos, palestras e outras atividades. No segundo mandato (20052006), tivemos uma grande vitória que foi a Conferência Estadual dos Advogados, realizada no Hotel Glória, no ano passado. Foi um marco na história da OAB/RJ. Milhares de advogados compareceram durante quatro dias, tratando de prerrogativa, ética e cidadania, assistindo a palestras com ministros e professores expoentes como Cândido Mendes (...). ensino médio deficientes e entram para a universidade com várias dificuldades. Quando se vê um índice de aprovação muito pequeno no Exame da Ordem, não é que a prova seja extremamente rigorosa, não. Ela tem o rigor necessário para avaliar o defensor da vida, do patrimônio e da liberdade das pessoas, isto é, rBV — A partir de 1991, para os estudantes de Direito obterem a carteira da OAB, tornou-se obrigatório o Exame de Ordem. Em que essa avaliação ajuda o formando? Arquivo rBV justamente para ela ter autonomia em defender a Constituição Federal, a boa aplicação das Leis e a justiça social e ser contra o nepotismo. Ela atende com imparcialidade os direitos da cidadania. O dinheiro da OAB provém da contribuição dos advogados e, por isso, é fiscalizada por eles, num processo mais democrático possível, que são as urnas. Ela é a voz da sociedade organizada. Dr. Octávio Gomes — As pessoas hoje fazem um ensino fundamental e um BOA VONTADE 25
  23. 23. que o advogado esteja muito bempreparado. Só que a maioria chega à faculdade sem o devido preparo e encontra o primeiro obstáculo. O Exame é muito bom porque faz com que o bacharel se prepare com mais afinco e estude bastante para exercer uma profissão das mais nobres. Ser advogado é ser uma pessoa ligada à cidadania e à justiça social. É uma missão importante e extremamente honrosa. O advogado que pensa que vai estudar só para passar no Exame da OAB está enganado. Enquanto estiver nessa profissão, tem de estudar sempre, participar de eventos e atualizar-se para ser um bom profissional. rBV — Pela Lei 8906, de 4 de julho de 1994, existe o Código de Ética e Disciplina que determina os princípios que formam a consciência profissional do advogado, como, por exemplo, o sigilo. O que a OAB vem fazendo para coibir os desvios de conduta que, por vezes, são cometidos por alguns profissionais de direito? Dr. Octávio Gomes — Durante a solenidade em que entregamos a carteira aos novos advogados, fazemos uma preleção e eles recebem o Estatuto da Advocacia e o Código de Ética e Disciplina. Sempre digo que esses livros são verdadeiras bíblias do advogado, porque ali estão as nossas prerrogativas — que não são privilégios —, mas, sim, os direitos inerentes ao cidadão. Da mesma forma que defendemos essas prerrogativas, sempre que são violadas, representamos contra aquelas autoridades que cometeram algum abuso inadmissível, nós também cobramos dos advogados uma conduta correta, escorreita. Da mesma 26 BOA VONTADE Arquivo rBV Direito em Questão No Centro Educacional, Cultural e Comunitário da LBV, localizado na zona norte do Rio de Janeiro, mais de 500 crianças em situação de risco social são diariamente atendidas e cerca de duas mil famílias, que vivem nos bolsões de pobreza da cidade, recebem, todos os meses, os benefícios da LBV carioca. Ao término da entrevista, o Presidente da OAB foi convidado para conhecer de perto o Centro Educacional, Cultural e Comunitário da LBV, na capital fluminense. Agradecido, o Dr. Octávio aproveitou a ocasião para saudar o Líder da Legião da Boa Vontade, com as palavras: “Agradeço o convite e vou conhecer. Já ouvi falar do belo trabalho da LBV. Quero mandar um abraço e parabenizar o jorna- “A OAB é autônoma, independente e apartidária, justamente para ela ter autonomia em defender a Constituição Federal, a boa aplicação das Leis e a justiça social e ser contra o nepotismo.” maneira que o advogado tem o direito de desempenhar a sua função com liberdade, ele é obrigado a respeitar o Estatuto da Advocacia e o Código de Ética e Disciplina e, desta forma, ter um comportamento ético para zelar pela sua conduta profissional e pessoal. Todo aquele que violar essas legislações vai responder a um processo ético-disciplinar e receberá uma penalidade que vai desde uma simples advertência, passando por lista José de Paiva Netto por esse trabalho tão bonito e importante que faz. Só teremos uma Nação realmente mais justa, fraternal e solidária, se começarmos, desde cedo, a dar uma atenção àquele menor, a dar Educação e Saúde para as crianças, que são o futuro do Brasil (...). Parabenizo o jornalista José de Paiva Netto porque está trabalhando por um País mais justo, fraternal e igualitário”. uma censura, uma suspensão e até a exclusão dos quadros da Ordem. rBV — Quais os planos da OAB/RJ para este ano? Dr. Octávio Gomes — Gostaria de dizer que estamos lutando pela permanência do recesso de fim de ano para o advogado. Isso é um direito conquistado na nossa gestão, porque o advogado é um profissional liberal, não tem férias e 90% da classe no Rio de Janeiro não têm secretária. O advogado deseja só um período de recesso para passar com seus familiares. E digo que a OAB tem sido um modelo de administração, lutando pela classe, cumprindo a missão de melhorar a qualidade de vida dos nossos associados e seus familiares. A OAB fez, faz e continuará fazendo história no nosso País, trabalhando para o advogado e pelo advogado.
  24. 24. Sociedade O escritor Paulo Tamanaha em sessão de autógrafos P lanejamento de Mídia — Teoria e Experiência é o título do novo livro de Paulo Tamanaha que revela os segredos para se usar com eficiência a verba das empresas quando o assunto é divulgação. No dia 21 de fevereiro foi a vez de os brasilienses prestigiarem o lançamento de Tamanaha. Na entrevista para a Super Rede Boa Vontade de Comunicação, o autor afirmou: “Agradeço a presença de vocês, porque um lançamento só tem brilho com a presença dos amigos. Então, realmente, eu estou muito emocionado de estar na companhia de tantos amigos”, enfatizou. Tamanaha é publicitário, especialista em comunicação social e professor licenciado da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e das Faculdades Integradas Rio Branco, além de ser gerente do núcleo de Mídia da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República), no Paraná. Um dos diferenciais mais importantes do trabalho é ser apropriado para a realidade brasileira, sendo, portanto, um bom instrumento para profissionais, estudantes e professores da área. “Esse livro nasceu primeiro de uma solicitação dos alunos que sentiam a necessidade de ter uma publicação nacional e que retratasse casos brasileiros. Como a minha área sempre foi de planejamento e mídia, eu me senti na obrigação de atender a essas solicitações. Então procurei, numa linguagem muito didática e simples, falar dessa atividade com a qual me identifico muito, que é a área de planejamento e de mídia, ou seja, como melhor investir o dinheiro do cliente em publicidade”, explica o autor. Sobre o desafio de gerenciar o núcleo de Mídia da Secom/PR, Tamanaha confessou estar “encantado em ser tão bem-recebido Divulgação Reprodução RMTV Marketing e eficiência O Subsecretário de Publicidade da Secom, Caio Barsotti, também esteve prestigiando o evento. pelo mercado local e também pelo desafio que o trabalho na Secom exige. E, felizmente, estou conseguindo fazer um bom trabalho”. Paulo Tamanaha deixou em um exemplar do seu livro o seguinte recado ao dirigente da LBV: “Ao prezado jornalista Paiva Netto. É com satisfação que faço esta dedicatória, desejando muita saúde, paz e alegria. Um forte abraço”. Para Tamanaha, dedicar o livro foi “uma pequena homenagem que quis fazer pelo excelente trabalho que Paiva Netto vem realizando no lado social e até espiritual. (...) Pessoas com essa dedicação merecem o meu carinho e o meu respeito. Parabéns”. BOA VONTADE 27
  25. 25. Capa — Samba e História Leci Brandão Sinônimo de garra e talento Arquivo rBV G O jornalista e radialista Hilton Abi-Rihan apresenta o programa Samba e História, que entrevista grandes nomes da cultura nacional. Na Super Rede Boa Vontade de Rádio (Super RBV), você pode acompanhar essas entrevistas aos domingos, às 5, 14 e 20 horas. Pela Rede Mundial de Televisão (RMTV) é exibido aos sábados, às 23 horas. O telespectador pode assistir também aos domingos, às 15 ou às 23 horas. 28 BOA VONTADE arra na vida, talento no que faz e coerência no discurso, esses são alguns dos atributos da cantora Leci Brandão, cuja audácia de dizer o que pensa e defender as minorias já lhe custou algumas indisposições. “Eu fico feliz porque estou sobrevivendo há 30 anos com a música. Sustento a minha família, pago os meus impostos dessa forma, sem me corromper. Nunca me violentei pelo fato de ter de estar todo o tempo na mídia”, comemora. A postura equilibrada não significa estar distante da imprensa. Ao contrário, Leci saúda iniciativas como a desta publicação, que dá visibilidade à nossa cultura: “Muito obrigada. Quero agradecer essa oportunidade ímpar, porque falar de samba em uma revista como a BOA VONTADE é muito importante. Os leitores vão conhecer a nossa história um pouco melhor. Saber o porquê do nosso comportamento, das nossas letras. Ai de nós se não fosse a comunicação. Quer dizer, por meio dessa revista, a gente terá um horizonte mais amplo, o leque vai abrir ainda mais. Eu só espero jamais, em tempo algum, decepcionar as pessoas. Sou extremamente simples, séria, exigente dentro do meu trabalho”. Desafios à parte, a cantora viveu, neste mês, um de seus melhores momentos, com uma boa agenda de shows e a correria gostosa do Carnaval, quando se desdobrou para percorrer os barracões das escolas de samba, onde recolheu material para seus comentários durante o desfile de São Paulo, no Anhembi, transmitido pela Rede Globo de Televisão. “Tenho um conhecimento natural, porque o pessoal do samba em São Paulo eu já conheço, e vou anotando tudo. Depois enxugo, deixo as coisas principais e acompanho. (...) As pessoas ficam felizes de ouvir o nome delas ser citado, não só para o Brasil, porque são vários países que agora transmitem esse desfile. Elas se sentem muito importantes. E realmente, naquele instante, são os grandes responsáveis pela festa.” No berço do samba Dizem que acasos não existem, e para Leci isso é uma realidade. Nasceu e foi criada em redutos do samba carioca: Portela, Vila Isabel e Mangueira, em um Rio diferente de agora, mais tranqüilo, arborizado e romântico. “O meu parto aconteceu na Estrada da Portela, em Madureira, mas eu nunca morei lá. Passei uma boa parte da vida em Vila Isabel, pois a minha avó morava na Avenida
  26. 26. Vinte e Oito de Setembro. E depois, a participação na escola de samba veio de um comportamento natural de família. A minha avó desfilou na Mangueira, eu nem sonhava em nascer, a mamãe também”, explica a cantora, relembrando ainda que pessoas queridas, como a madrinha (já falecida) e a afilhada, Ilma, moraram e têm residência no Morro da Mangueira. E assim foi surgindo o amor pela Verde e Rosa, que mantém cada vez mais forte. Em 1972 faz o primeiro desfile, ainda na Presidente Vargas. “Uma corda separava o público da escola, era tudo muito simples, gostoso. (...) Foi uma época em que você gritava o nome da porta-bandeira e ela ouvia, dançava melhor, era uma coisa do povão”, fala com certa nostalgia de uma época de carnavais mais inocentes e populares. A questão musical acontece cedo também. Ainda pequena passa por “Quero agradecer essa oportunidade ímpar, porque falar de samba em uma revista como a BOA VONTADE é muito importante. Os leitores vão conhecer a nossa história um pouco melhor. Saber o porquê do nosso comportamento, das letras. (...) Por meio dessa revista a gente terá um horizonte mais amplo, o leque vai abrir ainda mais.” um sofrimento de amor, de saudade, que a inspira a compor a primeira canção: “Descobri-me compositora com isso”. Além do mais, a influência paterna ajudou no gosto eclético. “Meu pai não era de escola de samba, Daniel Trevisan “Eu só espero jamais, em tempo algum, decepcionar as pessoas. Sou extremamente simples, séria, exigente no meu trabalho.” mas gostava muito de música. Em casa tínhamos diversos discos de 78 rotações, do Jamelão, Carmem Costa, Geraldo Pereira, Jacó do Bandolim, Waldir Azevedo, Luiz Gonzaga, era uma salada. (...) Acabou por influenciar a minha composição, porque no meu repertório não tem só samba, há outros ritmos, por causa da diversidade que me foi apresentada”. A Grande Chance Esta ocorre no programa de mesmo título de Flávio Cavalcanti (1923-1986) na extinta TV Tupi, na época, um dos maiores sucessos da televisão brasileira. O ano é 1968, e após vencer algumas eliminatórias, em diversas categorias (compositora, cantora, locutora), chega à grande final da atração no Teatro Carlos Gomes, no Rio. “Era um prêmio só, concorri a tudo. Fiquei em 3º ou 4º lugar, e isso possibilitou uma reper- BOA VONTADE 29
  27. 27. “Eu já vi muitos trabalhos da Legião da Boa Vontade. Tive a oportunidade de, em São Paulo, visitar as instalações, ver a criançada estudando. Tudo que favorece a criança, o idoso, porque eles são os extremos, é válido. (...) O trabalho tem um impacto inclusive de exemplo.” cussão muito importante. A Grande Chance seria hoje como um jogo de final de Copa do Mundo, o Brasil inteiro via. Era uma coisa absurda, tanto que, no dia seguinte, todos falavam comigo. E o que chamava a atenção era a menina negra, telefonista, que foi concorrer como compositora.” Uma rosa na Ala dos Compositores “Queixo-me às rosas, mas que bobagem. As rosas não falam. Simplesmente as rosas exalam o perfume que roubam de ti”. Os versos de Cartola (1908-1980), um dos bambas da Estação Primeira, traduzem em melodia a chegada de Leci à Ala de Compositores, ela que foi a primeira mulher a alcançar esse status. “(...) Eram 40 homens já consagrados, como Hélio Turco, Jurandir, Dácio da Mangueira, Pelado, Zé Branco, Simões, Moacir, Nílton Russo, Nelson Sargento, compositores assim da maior categoria.” Segundo ela, a convivência com os sambistas foi muito saudável, porque não pediu nenhum tipo de facilidade pelo fato de ser mulher. “Enfrentei a exigência que eles queriam. Teria de fazer sambas de terreiro, esse seria, na verdade, um 30 BOA VONTADE teste muito sério, passei nele e fui aprovada por merecimento. Foi o grande aval que tive na minha profissão, ter sido aprovada por esses senhores.” Daí em diante, o caminho de sucesso foi certo. Em uma dessas rodas de samba foi descoberta pelo jornalista e crítico musical Sérgio Cabral e pelo produtor Jorge Coutinho. “A Lígia Santos (de O Globo), filha do Donga, foi quem levou o Sérgio para me ver cantando. Depois o Jorge Coutinho também me conduziu para o Teatro Opinião, onde a elite, os intelectuais se reuniam toda segunda-feira, na noitada de samba, para ouvir Clara Nunes (1943-1983), Nelson do Cavaquinho (1911-1986). Aí as pessoas começaram a dizer: ‘Tem uma menina da Mangueira que canta umas músicas de protesto’, e começou o bochicho, vieram reportagens, enfim, acabei sendo procurada pelo Marcus Pereira que tinha uma gravadora — independente na época — em São Paulo, e fez o primeiro disco comigo”. A diversidade da cultura brasileira Leci Brandão é daquelas artistas que se deslumbram com a cultura diversificada do Brasil, a ponto de ter escolhido composições de autores de todas as regiões do País. “Eu gravei o Bumba-meu-boi, que é do Maranhão; o Boi-bumbá, do Parintins, quando ninguém falava por aqui do Parintins (em 1991), do Boi Garantido. O pessoal até ria: ‘A Leci está fazendo música de boi’. Lembro-me de que disseram que fiz um disco folclórico, foi o Comprometida, com canções do Maranhão, Amazonas, Bahia, tem coisas de todo canto. Antes disso, tinha feito o Cidadã Brasileira, que é um LP de 1990, com repertório do Mato Grosso do Daniel Trevisan Capa — Samba e História “Fiquei em 3º ou 4º lugar, e isso possibilitou uma repercussão muito importante. (O programa) A Grande Chance seria hoje como um jogo de final de Copa do Mundo, o Brasil inteiro via. Era uma coisa absurda, tanto que, no dia seguinte, todos falavam comigo. E o que chamava a atenção era a menina negra, telefonista, que foi concorrer como compositora.”
  28. 28. Ivan Souza Sul, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco. O Tonho Matéria, que hoje é o vocalista do Olodum, ganhou o Prêmio Sharp em 1990 com Maravilha, que gravei dele. E ele me deu o disco de ouro com o Olodum Força Divina, que entrou nos programas infantis da Xuxa, Mara Maravilha e da Angélica, todo mundo cantava”. Solidariedade Dentre essas riquezas nacionais, destaca também a Solidariedade. Perguntada se a LBV era uma dessas coisas boas que acontecem em nosso País, responde: “Sim. Eu já vi muitos trabalhos da Legião da Boa Vontade. Tive a oportunidade de, em São Paulo, visitar as instalações, ver a criançada estudando. Tudo que favorece a criança, o idoso, porque eles são os extremos, é válido. (...) O trabalho tem um impacto inclusive de exemplo”. Projetos e o amor a São Paulo “Eu não posso deixar de reconhecer que a capital paulista, o Estado de São Paulo, recobraram a minha auto-estima, me adotaram, respeitaram, deram-me reconhecimento”, declara sem a menor cerimônia a cantora, falando com enorme gratidão da acolhida que sempre recebeu dos paulistanos. Para 2006, os planos são de lançar um DVD gravado em São Paulo. “A meta do ano é esta e também continuar no Conselho da Secretaria da Igualdade Racial, na qual fui convidada pela Ministra Matilde Ribeiro a colaborar com palestras. Não é nada demais, porque não sou acadêmica. É para contar a minha vida, para falar quanto é importante a educação, essas coisas todas que conversamos. Obrigada a vocês. Que Deus os proteja sempre!”, finaliza. Reconhecimento pelo trabalho Dentre as belas composições interpretadas por Leci está a canção Se Deus deu Tudo (Leci Brandão/Zé Maurício), na qual ressalta a exuberância de nossas riquezas naturais. “Deus nos deu tudo! O Brasil é um país onde o que se planta dá, tem uma geografia maravilhosa, uma temperatura saudável. ‘Se Deus deu tudo ao País/Eu quero ver esse povo mais feliz’”, afirma a cantora. Num jogo de palavras, ela descreve o Brasil como terra de Canaã: “Tem linguado, tem pintado/Carapeba e camarão/Tem banana, tem laranja/ Tem mangaba e tem mamão/Tem o coentro, tem chicória/Tem alface e agrião/Não entendo tal história/Não tem alimentação”, e encerra a canção destacando: “O que falta é vergonha/ Pra essa vida melhorar”. Estando em Porto Alegre/RS, a sambista, em certa ocasião, agradeceu o incentivo da Legião da Boa Vontade e de seu Diretor-Presidente em divulgar a música. “Quero agradecer aos meus amigos da LBV e ao Dr. Paiva Netto, pelo qual tenho o maior carinho e respeito, a grande oportunidade que nos deram por meio da música Se Deus deu Tudo, que sempre Cena do videoclipe gravado por Leci Brandão no Instituto de Educação da LBV, em São Paulo/SP. toca na Super Rede Boa Vontade de Rádio e cujo clipe maravilhoso vocês produziram e continuam a divulgá-lo na programação da Rede Mundial de Televisão”. Outro fato que relembra com carinho foi quando recebeu os parabéns do dirigente da Instituição por este trabalho, a quem ela agradeceu: “Fiquei imensamente grata a Deus no dia em que recebi o fax tão carinhoso de Paiva Netto. Poder mostrar o clipe feito na LBV foi o meu presente de aniversário antecipado (12/9). Os seus elogios à nossa música muito nos honraram e emocionaram. Sua pessoa e suas atitudes são sinônimo de dignidade, grandeza espiritual e Boa Vontade. Apresentar o Programa Paiva Netto, na Rede Bandeirantes de Televisão, simplesmente foi fantástico, pois enriqueceu o meu currículo. Quero, do fundo do meu coração, agradecer todas as palavras de carinho e o incentivo dado ao nosso CD Auto-Estima. Precisamos muito do seu apoio. Parabéns à sua maravilhosa equipe”. BOA VONTADE 31
  29. 29. Saúde Hipertensão: um mal que pode ser evitado Ministério da Saúde desenvolve campanha de prevenção às doenças cardiovasculares _______________________ Fonte: Ministério da Saúde R esponda rápido: qual foi a última vez que você mediu sua pressão? O Ministério da Saúde quer incentivar os brasileiros que têm mais de 35 anos a transformar em rotina o controle da sua saúde, sobretudo a cardiovascular. Hipertensão é o foco principal da primeira fase do programa Pratique Saúde, do Governo Federal, lançado no ano passado. Para lembrar às pessoas da importância de fazer atividade física (praticar exercício), manter uma alimentação saudável, controlar o peso e evitar o cigarro, o Ministério desenvolve uma campanha de informação muito abrangente, veiculada nas principais emissoras de rádio e TV do País,  com a publicação de anúncios nos jornais e revistas e por meio de cartazes, material informativo sobre a hipertensão e seus fatores de risco. O Ministério da Saúde levará à população a melhor forma de evitá-los. A campanha também ajudará o Brasil a atingir a meta da Organização Mundial de Saúde (OMS), que é reduzir em 2% ao ano a incidência de doenças crônicas em todo o mundo durante os próximos 10 anos. Mas por que é tão importante manter a pressão arterial sob controle? A hipertensão, ou seja, a elevação persistente da pressão a valores iguais 32 BOA VONTADE O descuido com a própria saúde mata 400 mil brasileiros, todos os anos. E o SUS gasta R$ 11 bilhões por ano em internações e cirurgias (incluindo transplantes) por conta de doenças crônicas nãotransmissíveis. ou maiores que 14 por 9, pode danificar diversos órgãos do corpo humano, como cérebro, rins, olhos e, principalmente, coração — Não foi à toa que um simpático coraçãozinho foi eleito o garoto-propaganda do programa do Governo Federal. Muitos nem sonham que têm problemas de pressão. A doença é silenciosa (tem poucos ou nenhum sintoma) e atinge a todos os grupos populacionais. Apesar do componente genético, o que eleva ainda mais o risco de de- senvolver pressão alta são os hábitos de vida de uma pessoa e, por isso, este mal pode ser evitado. Além da pressão alta, outros fatores associados
  30. 30. podem levar a sérias complicações, sobretudo à doença cardiovascular. Quem consome grandes quantidades de sal, por exemplo, é candidato a ter pressão alta; consumo de cigarro e abuso de álcool, sobrepeso e obesidade, vida sedentária, aumento do colesterol e diabetes também são fatores de risco, que podem ser evitados. É verdade que a hereditariedade também conta, mas pode ser compensada por rotinas saudáveis. Por isso, o Ministério empenha-se tanto para fazer com que os brasilei- ros passem a adotar estilo de vida e hábitos saudáveis. O resultado? Para a população, melhor qualidade de vida, bem-estar, mais saúde, produtividade no trabalho e nas atividades do dia-a-dia. Para o Sistema Único de Saúde (SUS), menos gastos com o tratamento de doenças como infarto agudo no miocárdio, derrames (acidente vascular cerebral), insuficiência renal, insuficiência cardíaca, cegueira definitiva, abortos, entre outros. O descuido com a própria saúde mata 400 mil brasileiros, todos os anos. E o SUS gasta R$ 11 bilhões por ano em internações e cirurgias (incluindo transplantes) por conta de doenças crônicas não transmissíveis. “O nosso maior desafio é conseguir mudar os hábitos da população em direção a um estilo de vida mais saudável. Sabemos que a informação é o primeiro passo para que isso seja possível”, explica Rosa Sampaio, coordenadora nacional da Política de Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus, do Ministério da Saúde. “O trabalho de mídia é fundamental. Mas não pode ser um trabalho pontual. O governo deseja fazer com que essa campanha seja permanente — como já acontece com outros programas de sucesso, como aids e doação de órgãos para transplantes”, explica. Uma das maiores preocupações do Ministério é esclarecer à população que hipertensão não é “uma doença de homens”. Rosa Sampaio lembra que a pressão alta e suas complicações também são a principal causa de morte entre as mulheres: “Quando não causa a morte, a hipertensão arterial pode levar a outros problemas — como lesões renais, acidente vascular cerebral, doença isquêmica do coração, entre outras que comprometem a qualidade de vida não apenas do paciente, mas de toda a família. Imagine para as crianças o que é perder a mãe ou vê-la parcialmente inválida, por uma doença que pode ser perfeitamente evitada”, afirma. Muita gente também se engana. Pensa que a hipertensão é “doença de velhos”. Nada mais errado. Ela atinge pessoas cada vez mais jovens. Rosa Sampaio afirma que é importante que os pais comecem desde cedo a estimular seus filhos a fazer atividade física ou praticar esportes, A doença é silenciosa (tem poucos ou nenhum sintoma) e atinge a todos os grupos populacionais. não fumar e se alimentar de forma saudável. “É muito mais difícil modificar os hábitos dos adultos. Tudo é mais simples quando as crianças são estimuladas e começam desde cedo a praticar algum tipo de atividade física, como esportes ou qualquer tipo de exercício e alimentar-se de forma saudável.” Sem tratamento Só no continente americano, a hipertensão ataca cerca de 140 milhões de pessoas. Metade delas desconhece ser portadora da doença. Dos que descobrem que são hipertensos, 30% não realizam o tratamento adequado, por falta de motivação ou recursos. No Brasil, estima-se que 35% da população acima de 40 anos tenha hipertensão. São cerca de 17 milhões de brasileiros. Desses, 75% dependem do Sistema Único de Saúde. Para atender os portadores da doença, o SUS oferece o Programa Nacional de Atenção à Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus. Ele compreende um conjunto de ações de promoção de saúde, prevenção, diagnóstico e tratamento da hipertensão e suas complicações. O objetivo é reduzir o número de internações, a procura por pronto-atendimento, BOA VONTADE 33
  31. 31. Saúde os gastos com tratamentos de complicações, aposentadorias precoces e mortalidade cardiovascular, com a conseqüente melhoria da qualidade de vida dos portadores. As ações do programa são desenvolvidas principalmente pela atuação das equipes de Saúde da Família. Para isso, realiza a capacitação dos profissionais de saúde para fazer o 34 BOA VONTADE diagnóstico precoce, identificar os fatores de risco, prescrever medicamentos adequados e orientar a população para adoção de hábitos saudáveis. Os casos mais graves que não possam ser resolvidos na rede básica são encaminhados aos especialistas da rede pública (localizados nos hospitais ou centros especializados) para um tratamento mais adequado. Este ano, o Ministério da Saúde trabalha na capacitação de mais quatro mil profissionais para o atendimento especializado dos hipertensos. Outros 400 instrutores do ministério atuam nos Estados para manter os profissionais de saúde atualizados com relação ao atendimento desses pacientes.
  32. 32. Exclusivo Apartheid Doze anos sem O Prêmio Nobel da Paz Desmond Tutu fala à rBV com exclusividade ____________ Da Redação Lucian Fagundes O Arcebispo Anglicano Desmond Tutu, com sua simpatia peculiar, recebeu a equipe da revista BOA VONTADE — única mídia brasileira a entrevistá-lo com exclusividade na ocasião de sua estada em Porto Alegre/RS, para a 9ª Assembléia do Conselho Mundial de Igrejas. Nascido em 7 de outubro de 1931, na cidade de Klerksdorp, província de Transvaal, na África do Sul, Desmond Mpilo Tutu é um apaixonado por sua terra natal, dedicando a vida em prol da Paz e pelo fim dos preconceitos que, infelizmente, ainda perduram em várias regiões do mundo, sob diversas formas. A origem em uma família humilde cercada pela atmosfera de tolerância conferiu-lhe as bases para a causa Desmond Tutu que abraçou. “Eu nunca aprendi a odiar”, confidencia. Desde cedo se mostrou inconformado com a segregação racial presente em sua nação, que se oficializou em 1948 sob o regime do Apartheid. Quando criança sofreu forte influência de um clérigo anglicano branco, o Pastor Trevor Huddleston (1913-1998), que era abertamente contra a discriminação entre as raças, fazendo-o perceber que nem todos os brancos eram maus, inclusive despertando nele a religiosidade. O caminho da Educação foi sua primeira escolha profissional, seguindo os passos do pai, um respeitado professor. Obteve o diploma da Faculdade Normal Bantu da Pretória e formou-se bacharel em Artes na Universidade da África do Sul. Lecionou por alguns anos, mas resolveu estudar Teologia, para que, por meio da igreja, pudesse servir seu povo. Realizou estudos na Inglaterra, onde atingiu o grau de mestre em Teologia pela Kings College, de Londres. Em 1975, tornou-se o primeiro deão (espécie de coordenador de sacerdotes) negro da catedral de Santa Maria, em Johannesburgo, já se destacando naquela época. Após três anos, é nomeado Secretário-Geral do Conselho das Igrejas da África do No dia 21 de março de 1960, em Sharpeville, África do Sul, dezenas de negros foram assassinados pela polícia do regime do Apartheid. BOA VONTADE 35
  33. 33. Saúde um sistema educacional comum e o fim das deportações forçadas. Em reconhecimento à “coragem e ao heroísmo demonstrados pelos negros sul-africanos no seu uso de métodos pacíficos na luta contra o Apartheid”, Desmond Tutu é agraciado, em 1984, com o Prêmio Nobel da Paz. Lucian Fagundes Sul, sendo novamente vanguardeiro ao ocupar esse cargo, no qual alcançou projeção dentro e fora do seu país como porta-voz Antiapartheid. Sua proposta para a sociedade sulafricana abrangeu direitos civis iguais para a raça negra, abolição das leis que limitavam a circulação, O Arcebispo Desmond Tutu mostra feliz a foto do encontro histórico que teve com o seu velho e querido amigo Paiva Netto, no Itamaraty, em Brasília/DF (Brasil), em 1987. Encontro histórico Desmond Tutu destaca artigo de Paiva Netto “Apartheid lá e Apartheids cá”, publicado na Folha de S. Paulo, em 30 de março de 1986. Em maio de 1987, o Arcebispo Desmond Tutu pôde se encontrar em Brasília/DF com Paiva Netto, quando esteve em nosso País para receber das mãos do então Ministro Abreu Sodré a Comenda da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, do Ministério das Relações Exteriores. Antes mesmo de embarcar para o Brasil o Arcebispo já havia expressado essa vontade. Como registrou o jornal Correio Braziliense, do Distrito Federal, declarou a um diplomata do Itamaraty: “Ao chegar ao seu país, desejo encontrar-me com meus Irmãos de Fé e quero rever dois grandes amigos — Dom Hélder Câmara e o Presidente da Legião da Boa Vontade, José de Paiva Netto”. Em outra oportunidade, falando a representantes da LBV, 36 BOA VONTADE afirmou: “Quero louvar o Presidente Mundial da Legião da Boa Vontade pelo seu artigo ‘Apartheid lá e Apartheids cá’ (leia na página 38), no qual ele procura conscientizar os povos de que há várias formas de racismo atuando em muitas partes do mundo, até mesmo no Brasil. (...) Gostaria de transmitir-lhe o meu muito obrigado pelo trabalho que realiza. Que Deus abençoe Paiva Netto e os prezados Legionários da Boa Vontade. Vocês se tornaram, ao longo de sua proveitosa atividade, estimados trabalhadores de Deus. Desejo que Ele estenda ainda mais o Seu Reino, para construir Sua Igreja e servir Seus filhos que estão no mundo. Que Deus o abençoe amplamente, hoje e sempre!”. A não-violência constitui-se em uma marca do Arcebispo Anglicano da Cidade do Cabo, nomeado em 1986. Após um cruel massacre à população negra, ele se levantou e falou à pequena e amarga aglomeração de pessoas amedrontadas pelo acontecido: “Não odeiem, escolhamos um caminho pacífico para a liberdade”. De fato, “o perdão liberta a quem perdoa”, conforme afirma Paiva Netto, que oportunamente traz a seguinte reflexão, em seu livro Sabedoria de Vida: “O Amor deve tornar-se a Constituição dos povos civilizados. Mas pregar a Paz e a Harmonia não expressa conivência com o erro. A Paz não é filha da impunidade”, demonstrando a necessidade da Justiça — sinônimo de Amor — para a obtenção de uma convivência saudável entre os Seres Humanos. Esse trabalho árduo resultou nas condições necessárias a uma transição, sem maiores traumas, para um regime democrático. A primeira eleição multirracial da África do Sul ocorreu em 1994, com a vitória de Nelson Mandela para Presidente. No ano seguinte, o Arcebispo Tutu preside a então criada “Comissão da Verdade e Reconciliação”. Com isso, investiga, julga e anistia crimes contra os Direitos Humanos, para promover a integração racial no país. Ao entregar o relatório em 1998, após ouvir mais de 20.000 depoimentos, declarou o Apartheid um crime contra a Humanidade, mas também criticou outras instituições — até mesmo as de oposição à segregação racial — por abusos nessa área. No bate-papo, a seguir, o leitor poderá acompanhar um pouco mais de sua vida e de seu pensamento: revista BOA VONTADE — Arcebispo, seja bem-vindo ao Brasil. Gostaríamos de agradecer-lhe por nos receber para esta entrevista.
  34. 34. Gilberto Bertolin rBV — Em seu trabalho, o senhor enfrentou muitas dificuldades. O que o inspirou a continuar na luta para fazer de sua amada terra um lugar melhor para viver? O ex-Presidente Nelson Mandela, a mulher, Graça Machel, e Enaildo Viana, representante do Diretor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, na entrega da Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica, do ParlaMundi da LBV, ao também Prêmio Nobel da Paz. Desmond Tutu — Muito obrigado! É bom estar aqui. É um país maravilhoso. rBV — O senhor e o ex-Presidente Nelson Mandela foram os grandes representantes da transição pacífica no fim do Apartheid na África do Sul. E, depois desses 12 anos, quais foram as conquistas e os problemas percebidos? Desmond Tutu — Não fui o único que fez a transição, ou Nelson Mandela. Ele seria a última pessoa a dizer que foi responsável por isso. Temos de dar os créditos a todos da África do Sul por terem feito o que fizeram. Eu acho que a maior realização é que nós estamos livres! Que somos uma nação democrática após séculos de repressão e injustiça. E que, depois de 12 anos, a África do Sul ainda é um dos países mais estáveis, analisando-se de onde veio. Isso por si só é um milagre e vem ocorrendo em outros países. A África do Sul tornou-se um farol de esperança. As coisas poderiam estar bem melhores, ou certamente seriam piores. Temos grandes problemas, como o HIV/aids, o desemprego e a falta de moradia. Mas muitas dessas coisas são uma herança do Apartheid. Se ele não tivesse ocorrido, não teríamos de lidar com essas questões. Desmond Tutu — Temos sido apoiados de uma maneira maravilhosa pelo Amor e pelas preces de muita gente no mundo, tantas que não ficamos sabendo, e estou sempre ciente de que é pelo fato de pertencer à igreja. Já estive em vários países, e em todos os lugares encontramos gente dizendo: “Nós apoiamos sua luta”. Então, eu sei que devo muito, mesmo, a outras pessoas. rBV — Qual é seu conceito de justiça? Desmond Tutu — Quando todos acreditam e passam pela experiência de serem levados a sério, de que são importantes, de que suas palavras são ouvidas e que podem fazer a diferença. (...) Mesmo as pessoas pobres, se elas são respeitadas, levadas a sério, muito freqüentemente, não se envolverão em rebeliões, tumultos e coisas do gênero. Como afirmou o Papa João XXIII (1881-1963): “Se você quer a Paz, trabalhe pela justiça”. Porque ninguém que tenha uma vida familiar feliz, um emprego, que saiba que seus filhos podem ir à escola e que tenha acesso à saúde, seria louco se desistisse de tudo isso, pois estaria destruindo algo muito precioso. “Depois de 12 anos (do Apartheid), a África do Sul ainda é um dos países mais estáveis, analisando-se de onde veio. Isso por si só é um milagre e vem ocorrendo em outros países. A África do Sul tornou-se um farol de esperança. “ rBV — Seu trabalho na Comissão da Verdade e Reconciliação deu ao mundo um exemplo de caminho pacífico para alcançar a Paz com justiça. Qual é a importância do sentimento de perdão no mundo de hoje? Desmond Tutu — Bom, nós vemos o que ocorre quando as pessoas se vingam. A Irlanda do Norte, por exemplo. Se você faz algo, machuca alguém; o outro lado fala: “Vou dar o troco”; e revida, bate. Então, você diz: “Ah, eles estão me batendo, vou bater neles de volta”. E assim continua. No Oriente Médio, acontece um atentado com um homem-bomba, há represália, e se pode, com muita certeza, prever que haverá outro. Agora, ou se vive com esse ciclo de represália, contra-represália, vingança para todo o sempre até que destruamos uns aos outros, ou precisamos encontrar outro caminho. Alguém tem de pedir desculpas para haver um recomeço. Quando a gente casa, nunca pensa que brigará com a esposa, mas infelizmente isso ocorre. Caso não resolva as diferenças, o único resultado será o divórcio. O sensato dirá: “Não. Eu valorizo esse relacionamento. Se nós nos magoamos, peço desculpas”. É uma das palavras mais difíceis a serem ditas, mas é sempre ela que abre as portas para a possibilidade de um novo começo. rBV — O Diretor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, completa 50 anos de trabalho ininterruptos na Legião da Boa Vontade. Pelo fato de haver antiga ligação entre o senhor e ele, como Desmond Tutu avalia essa jornada? Desmond Tutu — Fantástico! Fantástico! Deus tem usado Paiva Netto poderosamente. Que Ele possa abençoá-lo e fortalecê-lo para que continue o trabalho divino no mundo, pelo Amor dos Filhos de Deus. BOA VONTADE 37

×