Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Tendências atuais para o ensino de ciências

19,643 views

Published on

Encontro dos Professores de Ciências realizado no dia 03 de junho de 2011.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Tendências atuais para o ensino de ciências

  1. 1. TENDÊNCIAS ATUAIS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS – O Ensino por Investigação<br />Encontro de Formação Continuada dos Professores de Ciências da Rede Municipal de Ipatinga<br />03 de junho de 2011<br />Sejam Bem-vindos!<br />
  2. 2. Ensino por Investigação<br />Ciência Tecnologia e Sociedade (CTS)<br />Tecnologias da Comunicação e Informação (TICs)<br />PROPOSTA PARA O ANO DE 2011<br />
  3. 3. PAUTA<br /><ul><li>Informes:
  4. 4. Mostra do Parque da Ciência – Previsão 22 de outubro
  5. 5. Plantão Pedagógico
  6. 6. Blog: cenfopciências.wordpress.com e
  7. 7. E-mail: cenfop.ciencias@gmail.com
  8. 8. Sondando as concepções sobre o currículo
  9. 9. Breve contexto histórico do Ensino de Ciências
  10. 10. Intervalo
  11. 11. O Ensino por investigação
  12. 12. Analisando atividades investigativas</li></li></ul><li>Algumas escolhas fundamentais para a definição de um currículo de Ciências0 – discordância total1 – discordância/ concordância parcial ou 2 – concordância totalSugestões de temas para o Plantão Pedagógico<br />
  13. 13. Porque refletir <br />sobre as <br />tendências atuais<br />Para o <br />ensino de ciências?<br />
  14. 14. “As demandas da sociedade contemporânea requerem que a escola revise as práticas pedagógicas e tal revisão passa, necessariamente, pela reorganização dos conteúdos trabalhados, abandonando aqueles sem significação e elegendo um conjunto de temas que sejam relevantes para o aluno, no sentido de contribuir para o aumento da sua qualidade de vida e para ampliar as possibilidades dele interferir positivamente na comunidade da qual faz parte.” <br />(Borges & Lima, 2007)<br />
  15. 15. BREVE HISTÓRICO DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL<br />Nosso modo de pensar sobre a escola e o currículo de ciências são ecos da história impregnada em nós.<br />Eliane Ferreira Sá<br />
  16. 16. 1932<br />Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, 1932 – Anísio Teixeira, Fernando de Azevedo, Júlio de Mesquita Filho, Cecília Meireles e outros <br />“ ...levar à formação da personalidade integral do aluno e ao desenvolvimento de sua faculdade produtora e de seu poder criador, pela aplicação, na escola, para a aquisição ativa de conhecimentos, dos mesmos métodos (observação, pesquisa e experiência), que segue o espírito maduro, nas investigações científicas.” <br />Já defendiam o ensino por investigação<br />
  17. 17. <ul><li>Guerra fria: Investimento dos EUA em Projetos de 1ª geração influencia reformas nos currículos de ciências.
  18. 18. Início a democratização do ensino.
  19. 19. 1961 – LDB
  20. 20. Ditadura Militar – ensino para o crescimento do país.</li></ul>1950 - 1960<br />Tendência Tradicional<br />Tendência Tecnicista<br />
  21. 21. 1970 - 1990<br /><ul><li>1971 - LDB
  22. 22. Década 70- Ensino com caráter profissionalizante.
  23. 23. Abordagem: Ciência, Tecnologia e Sociedade
  24. 24. Década 80 -Ensino para construção da cidadania
  25. 25. Enfoque na História e Filosofia da Ciência </li></ul>Tendência Construtivista<br />
  26. 26. 1990 - Atualmente<br /><ul><li>1996 – LDB: Educação para o trabalho e formação do cidadão.
  27. 27. 1998 – PCNs: Temas Transversais, interdisciplinaridade entre os saberes científicos, diversificação das práticas pedagógicas.
  28. 28. Importância das TICs
  29. 29. Alfabetização Científica</li></ul>Ensino por investigação<br />Pluralismo Metodológico<br />
  30. 30. As tendências pedagógicas mais atuais de ensino de Ciências apontam para a valorização da vivência dos estudantes como critério para escolha de temas de trabalho e desenvolvimento de atividades. Também o potencial para se desenvolver a interdisciplinaridade ou a multidisciplinaridade é um critério e pressuposto da área. Buscar situações significativas na vivência dos estudantes, tematizá-las, integrando vários eixos e temas transversais. (...)<br />(Brasil, 1999- PCNs Ensino Fundamental).<br />
  31. 31. Valorizar os Conhecimentos Prévios do aluno.<br />Relacionar os conteúdos com a prática.<br />Comunicar os saberes: Interdisciplinaridade<br />Estimular a participação ativa dos alunos<br />Aproximar o ensino e a concepção de Ciência<br />Promover discussão de temas atuais.<br />Diversificar as estratégias metodológicas de ensino<br />Contextualizar os conteúdos historicamente.<br />Promover o desenvolvimento das habilidades de argumentação e busca de informações.<br />
  32. 32. O que espera que <br />os alunos aprendam <br />em ciências naturais?<br />
  33. 33. “Num mundo como o atual, de tão rápidas transformações e de tão difíceis contradições, estar formado para a vida significa mais do que reproduzir dados, determinar classificações ou identificar símbolos. ..<br />
  34. 34. ...significa: saber se informar, comunicar-se, argumentar, compreender e agir; enfrentar problemas de diferentes naturezas; participar socialmente, de forma prática e solidária; ser capaz de elaborar críticas ou propostas; e, especialmente, adquirir uma atitude de permanente aprendizado. ”<br />(PCN, MEC, 2001, p.9)<br />
  35. 35. Desde o início do ensino fundamental os alunos devem aprender a:<br /> observar, tirar conclusões, formular hipóteses, experimentar e verificar suas conclusões. A curiosidade natural e a criatividade dos alunos devem ser estimuladas. Esse é um processo lento – incompatível com programas de conteúdo extenso – mas que deixa uma base sólida sobre a qual o futuro poderá ser construído.<br />(Academia Brasileira de Ciências, 2007)<br />
  36. 36. Ensino de Ciências por Investigação<br />“...Em primeiro lugar, é preciso saber formular problemas. [...] Para o espírito científico, todo conhecimento é resposta a uma pergunta. Se não há pergunta, não pode haver conhecimento científico. Nada é evidente. Nada é gratuito. Tudo é construído.” <br />(BACHELARD, 1996, p. 18).<br />
  37. 37.
  38. 38. Problemas a serem investigados:<br />O que vocês acharam da atividade proposta no vídeo? <br />Em que ela difere da que estamos acostumados a fazer em sala de aula?<br />Como é a postura dos professores no vídeo com os alunos: quando acertam? quando erram?<br />
  39. 39. O que é o ensino por investigação? <br />Estratégia que busca o desenvolvimento da autonomia do aluno em construir sua aprendizagem a partir da proposição de situações problema. O professor atua como mediador do processo, conduzindo o aluno através da sua investigação.<br />
  40. 40. Por que investigar?<br />Para que os estudantes aprendam estratégias para pensar cientificamente, descrever objetos e eventos, a levantar questões, a planejar e propor maneiras de resolver problemas e responder questões, a coletar e analisar dados, a estabelecer relações entre explicações e evidências, a aplicar e testar ideias científicas, a construir e defender argumentos e a comunicar suas ideias.<br />
  41. 41. Como são as atividades de caráter científico? <br />Essas características não precisam estar todas presentes em uma mesma atividade.<br />Elas devem:<br />conter um problema. <br />desencadear debates, discussões, outras atividades experimentais ou não;<br />propiciar o desenvolvimento de argumentos;<br />motivar e mobilizar os estudantes;<br />socializar os resultados<br />
  42. 42. Apresentação da apostila<br /><ul><li>Fundamentação teórica sobre o Ensino de Ciências por Investigação.
  43. 43. Sugestões de atividades:
  44. 44. de pesquisa escolar como atividade investigativa;
  45. 45. atividades de demonstração investigativa
  46. 46. Atividades de elaboração verbal e escrita;
  47. 47. O uso de filmes como atividade investigativa.
  48. 48. Anexo:
  49. 49. Diagnóstico Ambiental</li></li></ul><li>Experimentando e avaliando algumas atividades investigativas em grupo<br /><ul><li> Escolher entre as atividades propostas na apostila, a atividade que o grupo achar mais interessante e avaliar de acordo com a ficha.
  50. 50. Selecionar uma atividade prática da apostila para vivenciar e avaliar.</li></li></ul><li>Blog: cenfopciências.wordpress.com<br />E-mail: cenfop.ciencias@gmail.com<br />Autoria<br />Assessora Pedagógica da Área de Ciências: Priscila Franco Binatto<br />

×