Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Venenos dos livros de Agatha Christie

500 views

Published on

Imagens e descrição de algumas plantas e dos venenos presentes nos livros de Agatha Christie.

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Venenos dos livros de Agatha Christie

  1. 1. … sementes, frutos, folhas, locais. PLANTAS E VENENOS DOS LIVROS DE .AGATHA CHRISTIE. com base na investigação do museu botânico - i.p. beja, escola superior agrária. biblioteca nº3 /esc. sec. do fundão - agrupamento de escolas do fundão. maio 2014.
  2. 2. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie ÁCIDO OXÁLICO Composto presente em várias plantas, como o ruibar- bo, uma planta herbácea chinesa utilizada na medicina tradicional e cultivada na europa. O limbo das folhas (estrutura laminar) do ruibarbo contém ácido oxálico que, se consumido em doses excessivas, po- derá provocar uma multiplicidade de sintomas (dores abdominais, dificulda- des respiratórias e colapso cardíaco). “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  3. 3. Acónito “Jogo de espelhos” Beladona “O mistério das Caraíbas” Antrax Bacillus anthracis “Tragédia em três actos”
  4. 4. Tálio “Cavalo amarelo” Arsénico “O estranho caso da velha curiosa” Curare [nome comum para vários tipos de compostos conhecidos como venenos de flechas] “Morte as nuvens”
  5. 5. Cicuta “Os cinco suspeitos” Arsénico “O estranho caso da velha curiosa” Curare [nome comum para vários tipos de compostos conhecidos como venenos de flechas] “Morte as nuvens” Acónito Beladona “Jogo de espelhos” “O mistério das caraíbas”
  6. 6. ESPECIARIAS CANELA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  7. 7. ESPECIARIAS CÁSSIA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  8. 8. ESPECIARIAS CHAZEIRO “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  9. 9. CIANETO Cianeto (ácido cianídrico) A fonte clássica de cianeto são as semen- tes de algumas espécies do género Prunus, como o alperce, as cerejas, as amêndoas amargas e as maçãs. O ácido cianídrico tem um aroma seme- lhante ao das amêndoas amargas e atua na cadeia de transporte de eletrões da res- piração celular, impedindo que que sejam transferidos para o oxigénio o que provoca a morte “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  10. 10. ESPECIARIAS CRAVINHO-DA-ÍNDIA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  11. 11. ESPECIARIAS CUBEBA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  12. 12. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie DEDALEIRA É uma planta bienal comum nos campos da europa ocidental. Contém glucosídeos cardiotónicos [digoxina, digitoxina], compostos com forte ação sobre o músculo cardíaco, utilizados para corrigir arritmias. Em doses excessivas provocam a morte por paragem cardíaca. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  13. 13. ESPECIARIAS CANELA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…” A canela é uma árvore nativa do Sri Lanka com uma altura entre os 10 e os 15 metros. A canela é obtida a partir da parte in- terna da casca do tronco.
  14. 14. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie ESTRICNINA É um alcaloide obtido a partir de planta nativa da Índia e do sudeste asiático (Strychnos nux-vomica L., Logani- aceae) e utiliza-se, tradicionalmente, como raticida. Atua sobre as terminações nervosas ligadas aos músculos, paralisando a vítima e provocando a morte. Não existe antídoto específico. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  15. 15. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie FIGUEIRA-DO-INFERNO É uma planta herbácea anual nativa da américa central e comum em terrenos intervencionados pela ação do homem. Contém alcaloides tropânicos [hiosciamina e atropina] com forte ação sobre o sistema nervoso cen- tral. As folhas utilizavam-se como broncodilatadores. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  16. 16. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie MEIMENDRO-NEGRO É uma planta anual ou bienal nativa da Eurásia rica em alcaloides entre os quais a hiosciamina, composto muito próximo da atropina. Utiliza-se no tratamento de algumas car- diopatias, em gastroenterologia [para controlo dos espasmos intestinais] e em patologias do sistema nervoso central. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  17. 17. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie NICOTINA É um alcaloide produzido nas raízes da planta do taba- co [Nicotiana tabacum L., Solanaceae], uma planta na- tiva da américa central. A nicotina atua sobre o sistema nervoso central, como estimulante e tranquilizan- te, mas em doses excessivas pode causar convulsões, paralisia e morte. A nicotina também se utiliza como inseticida. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  18. 18. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie ÓPIO Obtém-se a partir do látex da papoila-do-ópio, uma planta anual da europa oriental. É composto por um conjunto múltiplo de alcaloides, como a morfina e a codeína. Há registos na Suíça do uso do ópio desde o V milénio a.C., assim como no médio oriente. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  19. 19. PALMEIRA-DE-TEBAS “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…” Nativa do vale do Nilo é apreciada pe- los seus frutos, muito doces, que eram depositados nos túmulos para servi- rem de alimento na vida após a morte. No túmulo do faraó Tutankhamon fo- ram entrados cestos com frutos. PLANTAS/LUGARES
  20. 20. ESPECIARIAS PIMENTA-LONGA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  21. 21. ESPECIARIAS PIMENTA-PRETA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…” A pimenta-preta (Piper nigrum), é nativa das florestas equatoriais da ásia. O seu sabor levemente picante, provém de um composto químico chamado piperina. As bagas verdes mudam de cor com a maturação e com o processo de secagem.
  22. 22. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie RÍCINO É uma planta arbustiva da europa, nordeste de áfrica e médio oriente. As sementes são ricas em óleo que apresenta uma forte ação purgativa. Contêm, igualmente, uma proteína al- tamente tóxica (ricina) que inibe a sín- tese proteica celular. Não existe antídoto específico. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  23. 23. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie SALGUEIROS (Salix sp., Salicaceae) São plantas arbustivas ou arbóreas nativas das zonas temperadas do hemisfério norte. O súber (casca) de algumas espécies (por ex., Salix alba) contém ácido salicí- lico precursor da aspirina( ácido acetil- salicílico), que é utilizado com anti- inflamatório, antipirético, analgésico e vasodilatador. Em doses elevadas, o ácido salicílico pode ser letal. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”
  24. 24. TAMAREIRA “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…” A tamareira é uma palmeira apreciada pelos seus frutos comestíveis, as tâ- maras. É originária dos oásis da zona desértica do norte de África, embora se admita, também, que seja nativa do sudoeste da Ásia. PLANTAS/LUGARES
  25. 25. Plantas e Venenos dos Livros de Agatha Christie TEIXO É uma árvore nativa da europa, norte de áfrica e sudo- este da ásia. A planta é muito tóxica devido à presen- ça de diterpenos como o taxol, um anti- mitótico muito ativo. Estes compostos obtém-se a partir do súber e utilizam-se no tratamento de neoplasias dos ovários e das glândulas mamárias. Apenas o arilo vermelho que rodeia a a semente não é tóxico. “ Como acontece com a maior parte das coisas da vida, apreciamos ficar assustados—mas não demais…”

×