Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ao apresentacao.scc.mfm aveiro

486 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Ao apresentacao.scc.mfm aveiro

  1. 1. LINGUAGEM HUMANA VERBAL
  2. 2. LINGUAGEM HUMANA VERBAL <ul><li>Linguagem Humana Verbal </li></ul><ul><li>Língua natural como atributo humano </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Língua e Gramática </li></ul><ul><li>(sistema complexo de regras) </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Conhecimento de uma língua. </li></ul><ul><li>Som e significado: produção e compreensão. </li></ul>ORALIDADE: essência da linguagem humana verbal
  5. 5. <ul><li>O conhecimento de uma língua inclui: </li></ul><ul><li>conhecer os sons da língua em questão e as suas combinações possíveis; </li></ul><ul><li>conhecer palavras, as suas possíveis variações e processos da sua formação; </li></ul><ul><li>saber que uma língua não é um mero conjunto de palavras, mas que estas se agrupam em sintagmas e frases de acordo com determinadas regras; </li></ul><ul><li>saber que o significado está em parte armazenado no léxico, mas que depende também das relações estabelecidas dentro de uma frase. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>o conhecimento linguístico inclui regras que são finitas em extensão e em número, mas que devem permitir formar e compreender um número infinito de novas frases e também certo tipo de novas palavras. </li></ul><ul><li>o conhecimento de uma língua inclui também saber que frases (ou textos) são apropriadas em diversas situações. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Oralidade: essência da linguagem humana verbal (todas as línguas naturais são oralidade) </li></ul><ul><li>Sistemas naturais não prescritivos </li></ul><ul><li>Escrita: recente nas línguas naturais – mas existem ainda muitas línguas que não conhecem qualquer sistema de escrita </li></ul><ul><li>Sistemas artificiais prescritivos </li></ul>
  8. 8. Oralidade: não prescritiva (mas tem uma norma) Respeita a gramática Expressão cuidada, elegante
  9. 9. <ul><li>Escrita: prescritiva ou normativa </li></ul><ul><li>(Não se escreve como se fala) </li></ul><ul><li>Ortografia </li></ul><ul><ul><li>Citérios para um sistema ortográfico: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>fonético/fonológico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>etimológico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>morfofonológico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>morfossintático/morfossemântico </li></ul></ul></ul>
  10. 10. <ul><li>Ortografia do português europeu e do português do Brasil </li></ul><ul><li>1904- Ortografia nacional , do filólogo Gonçalves Viana (1840-1914), é publicada em Portugal. </li></ul><ul><ul><li>Nela, o estudioso apresenta a proposta de simplificar a ortografia. </li></ul></ul><ul><li>1907- a partir de uma proposta do jornalista, professor, político e escritor Medeiros e Albuquerque, a Academia Brasileira de Letras (ABL) elabora um projeto de reformulação ortográfica com base nas propostas de Gonçalves Viana. </li></ul><ul><li>1911- Portugal oficializa, com pequenas modificações, o sistema de Gonçalves Viana. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Ortografia do português europeu e do português do Brasil </li></ul><ul><li>1915- A ABL aprova a proposta do professor, filólogo e poeta Silva Ramos que ajusta a reforma ortográfica brasileira aos padrões da reforma portuguesa de 1911. </li></ul><ul><li>1919- A ABL volta atrás e revoga o projeto de 1907, ou seja, não há mais reforma. </li></ul><ul><li>1931- A Academia das Ciências de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras assinam acordo para unir as ortografias dos dois países. </li></ul><ul><li>1933- O governo brasileiro oficializa o acordo de 1931. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Ortografia do português europeu e do português do Brasil </li></ul><ul><li>1934- A Constituição Brasileira revoga o acordo de 1931 e estabelece a volta das regras ortográficas de 1891, ou seja, ortografia voltaria a ser grafada orthographia . Protestos generalizados, porém, fazem com que essa ortografia seja considerada optativa. </li></ul><ul><li>1943- Convenção Luso-Brasileira retoma, com pequenas modificações, o acordo de 1931. </li></ul><ul><li>1945- Divergências na interpretação de regras resultam no Acordo Ortográfico Luso-Brasileiro. Em Portugal, as normas vigoram, mas o Brasil mantém a ortografia de 1943. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Ortografia do português europeu e do português do Brasil </li></ul><ul><li>1971- Decreto do governo altera algumas regras da ortografia de 1943: </li></ul><ul><li>• abolição do trema nos hiatos átonos: saüdade (= saudade), vaïdade (= vaidade); </li></ul><ul><ul><li>• supressão do acento circunflexo diferencial nas letras e / o da sílaba tónica das palavras homógrafas, com exceção de pôde em oposição a pode : almôço (= almoço ) , êle (= ele ) , enderêço (= endereço ) , gôsto (= gosto ) ; </li></ul></ul><ul><li>• eliminação dos acentos circunflexos e graves que marcavam a sílaba subtónica nos vocábulos derivados com o sufixo -mente ou iniciados por “ z ” : bebèzinho (= bebezinho) , avòzinha (= avozinha) , sòmente (= somente) , sòzinho (= sozinho) , ùltimamente (=ultimamente) . </li></ul>
  14. 14. Reações à reforma ortográfica de 1911
  15. 15. A.O. – ALFABETO Com a inclusão do K, do W e do Y, passa a ter 26 letras: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z K - capa ou cá W - dáblio, dâblio ou duplo vê Y - ípsilon ou i grego
  16. 16. A.O. – ALFABETO Usos de k , w e y : em palavras adaptadas de línguas estrangeiras e em seus derivados. - Nomes próprios e seus derivados Kant, kantiano; Wagner, wagneriano; Yang, yanguiano - Topónimos e seus derivados Washington, washingtoniano, Kuwait, kuwaitiano - Unidades monetárias kwanza, yuan - Símbolos e siglas km (quilómetro), kg (quilograma), Y (ítrio) - Desportos e desportistas windsurf, windsurfista, yoga
  17. 17. A.O. – MINÚSCULA E MAIÚSCULA Passam a escrever-se com minúscula : - Nomes dos dias , meses e estações do ano domingo, janeiro, primavera - Nomes dos pontos cardeais, colaterais e subcolaterais norte, oeste, nordeste, sueste, és-sueste, nor-noroeste MAS: mantém-se a maiúscula inicial nas abreviaturas e designação das regiões: N, E. Vive e trabalha no Norte (= Norte de Portugal). - Usos de fulano , beltrano e sicrano
  18. 18. A.O. – MINÚSCULA E MAIÚSCULA <ul><li>Uso facultativo de maiúscula ou minúscula : </li></ul><ul><li>- Títulos de livros ou obras equiparadas </li></ul><ul><ul><li>Guerra e Paz / Guerra e paz </li></ul></ul><ul><ul><li>A Ilustre Casa de Ramires / A ilustre casa de Ramires </li></ul></ul><ul><li>- Formas de tratamento , mesmo as que exprimem cortesia </li></ul><ul><ul><li>Senhor Professor / senhor professor </li></ul></ul><ul><ul><li>Exmo. Sr. / exmo. sr. </li></ul></ul><ul><li>- Nomes que designam domínios do saber , cursos e disciplinas </li></ul><ul><ul><li>Matemática / matemática </li></ul></ul><ul><ul><li>Língua e Cultura Portuguesa / língua e cultura portuguesa </li></ul></ul><ul><li>- Logradouros públicos, monumentos e edifícios </li></ul><ul><ul><li>Avenida da Liberdade / avenida da liberdade </li></ul></ul><ul><ul><li>Torre dos Clérigos / torre dos clérigos </li></ul></ul>
  19. 19. A.O. – ACENTOS GRÁFICOS <ul><li>Supressão do acento : </li></ul><ul><li>- Formas verbais graves terminadas em êem </li></ul><ul><ul><li>creem, deem, leem, veem, reveem </li></ul></ul><ul><li>- Palavras graves com ditongo oi </li></ul><ul><ul><li>asteroide, heroico, joia, jiboia </li></ul></ul><ul><li>- Formas acentuadas do verbo arguir e redarguir </li></ul><ul><ul><li>argúis, argúi, argúem >> arguis, argui, arguem </li></ul></ul><ul><li>- Palavras graves homógrafas de palavras com vogal tónica: ACENTO DIFERENCIAL </li></ul>
  20. 20. A.O. – ACENTOS GRÁFICOS <ul><li>Supressão do acento : </li></ul><ul><li>- Palavras graves homógrafas de palavras com vogal tónica ACENTO DIFERENCIAL </li></ul><ul><ul><li>pára (parar) >> para </li></ul></ul><ul><ul><li>para (preposição) </li></ul></ul><ul><ul><li>pélo (pelar) e pêlo (subst.) >> pelo </li></ul></ul><ul><ul><li>pelo (contração prep. com artigo) </li></ul></ul><ul><ul><li>péla (pelar) e péla (subst.) >> pela </li></ul></ul><ul><ul><li>pela (contração prep. com artigo) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>pólo (subst.) e pôlo (subst.) >> polo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>polo (antiga contração prep. com artigo) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>pêra (subst.) e pêro (subst.) >> pera , pero </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>pera e pero (preposições arcaicas) </li></ul></ul></ul><ul><li>MAS: mantém-se o acento em </li></ul><ul><li>pôde , para distinguir de pode </li></ul><ul><li>pôr , para distinguir de por </li></ul>
  21. 21. A.O. – ACENTOS GRÁFICOS <ul><li>Supressão do acento : </li></ul><ul><li>- Formas verbais graves terminadas em êem </li></ul><ul><ul><li>creem, deem, leem, veem, reveem </li></ul></ul><ul><li>- Palavras graves com ditongo oi </li></ul><ul><ul><li>asteroide, heroico, joia, jiboia </li></ul></ul><ul><li>- Formas acentuadas do verbo arguir e redarguir </li></ul><ul><ul><li>argúis, argúi, argúem >> arguis, argui, arguem </li></ul></ul><ul><li>- Palavras graves homógrafas de palavras com vogal tónica: ACENTO DIFERENCIAL </li></ul>Regularização das regras de acentuação das palavras graves Português do Brasil: vôo > voo enjôo > enjoo PB: idéia > ideia assembléia > assembleia PB: Supressão do trema lingüista > linguista seqüência > sequência
  22. 22. A.O. – ACENTOS GRÁFICOS <ul><li>Uso facultativo do acento : </li></ul><ul><li>- Formas de verbos da 1.ª conjugação no pret. perf. do indicativo na 1.ª pessoa do plural: </li></ul><ul><ul><li>estudámos ou estudamos </li></ul></ul><ul><li>- Forma do verbo dar no pres. do conjuntivo na 1.ª pessoa do plural: </li></ul><ul><ul><li>dêmos ou demos </li></ul></ul>
  23. 23. A.O. – ACENTOS GRÁFICOS <ul><li>Dupla acentuação </li></ul><ul><li>Conforme o timbre é “aberto ou fechado nas pronúncias cultas da língua” </li></ul><ul><ul><li>académico e acadêmico </li></ul></ul><ul><ul><li>oxigénio e oxigênio </li></ul></ul><ul><ul><li>António e Antônio </li></ul></ul><ul><ul><li>cómico e cômico </li></ul></ul><ul><ul><li>ténis e tênis </li></ul></ul><ul><ul><li>pónei e pônei </li></ul></ul><ul><ul><li>bebé e bebê </li></ul></ul><ul><ul><li>judo e judô </li></ul></ul>
  24. 24. A.O. – CONSOANTES MUDAS Sequências Consonânticas (melhor dizendo) O  c , com valor de oclusiva velar, das sequências interiores  cc  (segundo  c  com valor de sibilante),  cç  e  ct , e o  p  das sequências interiores  pc  ( c  com valor de sibilante),  pç  e  pt , ora se conservam, ora se eliminam . Assim: a) Conservam-se nos casos em que são invariavelmente proferidos nas pronúncias cultas da língua :  compacto, convicção, convicto, ficção, friccionar, pacto, pictural; adepto, apto, díptico, erupção, eucalipto, inepto, núpcias, rapto ; b) Eliminam-se nos casos em que são invariavelmente mudos nas pronúncias cultas da língua :  ação, acionar, afetivo, aflição, aflito, ato, coleção, coletivo, direção, diretor, exato, objeção; adoção, adotar, batizar, Egito, ótimo ; c ) Conservam-se ou eliminam-se facultativamente , quando se proferem numa pronúncia culta, quer geral, quer restritamente, ou então quando oscilam entre a prolação e o emudecimento : a specto  e  aspeto ,  cacto  e  cato ,  caracteres  e  carateres ,  dicção  e  dição ;  facto  e  fato ,  sector  e  setor ,  ceptro  e  cetro ,  concepção  e  conceção ,  corrupto  e  corruto ,  recepção  e  receção ;
  25. 25. A.O. – CONSOANTES MUDAS <ul><li>O QUE NÃO SE PRONUNCIA NÃO SE ESCREVE </li></ul><ul><li>Desaparecem as consoantes mudas integrantes de: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>cc pç </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>cç pc </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>ct pt </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Assim: </li></ul><ul><li>cc - colecionador, direcional, lecionar </li></ul><ul><li>Mas: faccioso, ficcional, perfeccionismo </li></ul><ul><li>cç - ação, coleção, correção, direção, extração, fração, proteção, reação, seleção </li></ul><ul><li>Mas: convicção, fricção, sucção </li></ul><ul><li>ct - ato, ator, atual, afeto, arquitetura, coletivo, detetar, direto, diretor, elétrico, espetáculo, exatamente, letivo, objetivo, projeto </li></ul><ul><li>Mas: bactéria, compacto, convicto, intelectual, pacto, contactar </li></ul>
  26. 26. A.O. – CONSOANTES MUDAS <ul><li>O QUE NÃO SE PRONUNCIA NÃO SE ESCREVE </li></ul><ul><li>Desaparecem as consoantes mudas integrantes de: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>cc pc </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>cç pç </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>ct pt </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Assim: </li></ul><ul><li>pc - anticoncecional, dececionante, excecional, rececionista </li></ul><ul><li>Mas: capcioso, egípcio, núpcias </li></ul><ul><li>pç - aceção, adoção, conceção, deceção, receção </li></ul><ul><li>Mas: corrupção, interrupção, opção </li></ul><ul><li>pt - adotar, batismo, ótimo, Egito </li></ul><ul><li>Mas: adepto, apto, eucalipto, rapto, repto </li></ul>
  27. 27. A.O. – CONSOANTES MUDAS <ul><li>O QUE NÃO SE PRONUNCIA NÃO SE ESCREVE </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>bd mn </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>bt tm </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>gd </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>bd - súbdito e súdito </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>bt - subtil e sutil </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>gd - amígdala e amídala </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>mn - amnistia e anistia , indemnizar e indenizar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>tm - aritmética e arimética </li></ul></ul></ul><ul><li>… no português do Brasil </li></ul>
  28. 28. A.O. – CONSOANTES MUDAS <ul><li>Dupla grafia </li></ul><ul><li>“ quando oscilam entre a prolação e o emudecimento ”: </li></ul><ul><ul><li>facto / fato </li></ul></ul><ul><ul><li>apocalíptico / apocalítico </li></ul></ul><ul><ul><li>carácter / caráter </li></ul></ul><ul><ul><li>característica / caraterística, caracterizar / caraterizar </li></ul></ul><ul><ul><li>conceptual / concetual </li></ul></ul><ul><ul><li>conectar / conetar </li></ul></ul><ul><ul><li>infecção / infeção, infeccioso / infecioso </li></ul></ul><ul><ul><li>insurrecto / insurreto </li></ul></ul><ul><ul><li>dáctilo / dátilo </li></ul></ul><ul><ul><li>olfacto / olfato </li></ul></ul><ul><ul><li>sector / setor, sectorial / setorial </li></ul></ul><ul><ul><li>veredicto / veredito </li></ul></ul>
  29. 29. A.O. – HÍFEN <ul><li>Supressão do hífen </li></ul><ul><li>- Terminação em vogal e elemento seguinte começado por consoante ou vogal diferente </li></ul><ul><ul><li>agr oi ndustrial, antiaéreo, autoestrada, coautor, extraescolar, hidroelétrico, plurianual </li></ul></ul><ul><li>- Terminação em vogal e elemento seguinte começado por r ou s </li></ul><ul><ul><li>anti rr eligioso, autorrádio, semirreta, contrarrelógio, fotorreportagem </li></ul></ul><ul><ul><li>mini ss aia, microssistema, semisselvagem, ultrassónico, autosserviço </li></ul></ul><ul><li>- Formas monossilábicas do verbo haver ligadas à prep. de </li></ul><ul><ul><li>hei de, hás de, há de, heis de, hão de </li></ul></ul><ul><li>Compostos em que se perdeu a noção de composição </li></ul><ul><ul><li>mandachuva, paraquedas </li></ul></ul><ul><li>Na maior parte das locuções </li></ul><ul><ul><li>fim de semana, barco à vela </li></ul></ul>
  30. 30. A.O. – HÍFEN <ul><li>Uso do hífen </li></ul><ul><li>- Terminação em vogal e elemento seguinte começado pela mesma vogal </li></ul><ul><ul><li>anti-ibérico, contra-almirante, micro-ondas, semi-interno </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Exceto com os prefixos co e re : coo brigação, coo corrente, ree nviar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Obs.: já tínhamos cooperativa, reencaminhar… </li></ul></ul></ul><ul><li>- Nas formações em que o segundo elemento começa por h </li></ul><ul><ul><li>Geo-história, anti-higiénico, super-homem, sub-hepático </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Obs.: Não se usa o hífen em formações que contêm em geral os prefixos des- e in- e nas quais o segundo elemento perdeu o h inicial – por ex., desumano , desumidificar , inábil , inumano , etc. </li></ul></ul></ul>
  31. 31. A.O. – HÍFEN <ul><li>Uso do hífen </li></ul><ul><li>- Palavras que designam espécies das áreas botânica e zoológica </li></ul><ul><ul><li>abóbora-menina, couve-flor, feijão-verde, ervilha-de-cheiro, bem-me-quer, cobra-capelo, formiga-branca </li></ul></ul><ul><li>- Com os prefixos pós -, pré - , pró -, ex- (no sentido de estado anterior ou cessamento) , sota -, soto -, vice - e vizo - </li></ul><ul><ul><li>pós-graduação, pré-época, pró-europeu, ex-diretor, vice-reitor, vizo-rei </li></ul></ul><ul><li>- Com hiper -, inter - e super - , quando o 2.º elemento começa por r ou h </li></ul><ul><ul><li>hiper-realista, inter-humano, super-resistente </li></ul></ul><ul><li>- Com circum - e pan -, quando o 2.º elemento começa por vogal , h , m ou n </li></ul><ul><ul><li>circum-navegação, circum-hospitalar, pan-africano </li></ul></ul>
  32. 32. A.O. – Reações
  33. 34. Ferramentas para a aplicação do A.O. http://portaldalinguaportuguesa.org Conversor automático de texto LINCE Vocabulário Ortográfico do Português Pesquisa na MorDebe Vocabulário de mudança http://www.ciberduvidas.com/ http://www.flip.pt (online, gratuito) Conversor para o A.O. http://www.infopedia.pt (online, gratuito) http://www.portoeditora.pt/acordo-ortografico/conversor-texto/ Conversor para o A.O. Suplemento da Microsoft para o Office (de fev. 2011, disponível em http://www.microsoft.com/portugal/acordoortografico/default.mspx).

×