Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
CUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS   MARIA ...
1- INTRODUÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 -> QUALIDADE DO LEITE (18 de setembro de 2002) EXIGÊNCIAS -> padrões de produção, ide...
<ul><li>INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 </li></ul><ul><li>CONTAGEM BACTERIANA TOTAL </li></ul><ul><li>->  a partir de 01/07/2005 ->...
LEITE CRU -> COLETA ->  caminhões com tanque isotérmico  ↓ - tanque de refrigeração por expansão direta  - tanque de refri...
<ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO RELACIONADOS À ATIVIDADE LEITEIRA </li></ul><ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO   ->  soma dos valores d...
<ul><li>CUSTOS FIXOS   ->  recursos que não são totalmente assimilados pelo produto no curto prazo </li></ul><ul><li>CUSTO...
<ul><li>PROBLEMA </li></ul><ul><li>PRODUTORES: </li></ul><ul><li>->   MUDAR SUA ESTRUTURA PRODUTIVA ? </li></ul><ul><li>↓ ...
OBJETIVOS GERAL  ->  avaliar a adequação à Instrução Normativa 51 por pecuaristas de leite da região sul de Minas Gerais, ...
OBJETIVOS ESPECIFICOS -> busca-se estimar o custo do sistema de refrigeração para a implantação e atendimento à Instrução ...
<ul><li>2- MATERIAIS E MÉTODOS </li></ul><ul><li>REGIÃO DE ESTUDO  -> SUL DE MG </li></ul><ul><li>1 a   FASE   ->  VISITAS...
<ul><li>PRODUTORES -> SELECIONADOS INTENCIONALMENTE  </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>CADA PRODUTOR -> CASO </li></ul...
<ul><li>ANÁLISES  ->  TAMANHO DAS PROPRIEDADES </li></ul><ul><li>(DIAGNÓSTICO DA PECUÁRIA LEITEIRA DO ESTADO DE MINAS GERA...
<ul><li>LEVANTAMENTO DOS DADOS DAS PROPRIEDADES  ->  JANEIRO A MAIO DE 2008 </li></ul><ul><li>DADOS REFERENTES AOS PREÇOS ...
<ul><li>2 a  FASE: ANÁLISES </li></ul><ul><li>ANÁLISES DE CUSTO </li></ul><ul><li>1- Produção média </li></ul><ul><li>2- C...
5- Custo alternativo (taxa de juros: 6,75%a.a.) 6- Custo econômico 7- Custo médio de implantação da Instrução Normativa 51...
<ul><li>ANÁLISES  FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>1- Payback -> período de tempo necessário para recuperar o investimento in...
<ul><li>ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>1- Ponto de Equilíbrio  ->  custos e  receitas totais se igualam </li></ul>
<ul><li>ANÁLISES DO LEITE </li></ul><ul><li>->  COMPOSIÇÃO DO LEITE (PROTEÍNA E GORDURA) E DE CONTAGEM BACTERIANA TOTAL  -...
->  As análises do leite foram realizadas no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2008 ->  Os resultados do trabalho f...
<ul><li>3- RESULTADOS E DISCUSSÃO </li></ul><ul><li>3.1- ANÁLISES DE CUSTO  </li></ul><ul><li>CUSTO FIXO DE IMPLANTAÇÃO </...
NAS DEMAIS PROPRIEDADES -> ORDENHADEIRA (21,05%) ->  SALA DE ORDENHA (10,53%) ->  SALA DE LEITE (5,26%) TANQUE DE IMERSÃO ...
<ul><li>CUSTO VARIÁVEL DE IMPLANTAÇÃO </li></ul><ul><li>ITEM MAIS DISPENDIOSO: </li></ul><ul><li>->  MANUTENÇÃO DE MÁQUINA...
<ul><li>RECEITA </li></ul><ul><li>MAIOR RECEITA MENSAL TOTAL </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>MAIOR CUSTO FIXO TOTAL ...
3.2- PERFIL DAS PROPRIEDADES ESTUDADAS ->   15,79% MENOS DE 50 LITROS DE LEITE / DIA ->  36,84% DE 50 A 200 LITROS DE LEIT...
68,42% -> desenvolvem outro tipo de atividade 52,63% -> possuem funcionários ->  Sistema de produção predominante -> SEMI-...
63,16% -> já implantaram alguma mudança estipulada pela Instrução Normativa 51 31,58% -> afirmaram que as mudanças não for...
31,58% -> POSSUEM TANQUE EM ASSOCIAÇÃO COM OUTROS PRODUTORES TANQUE COMUNITÁRIO VISITADO -> adquirido através de financiam...
68,42% -> perceberam uma melhoria no preço do leite com a Instrução Normativa 51 52,63% -> melhoraram os problemas de reje...
3.3- ANÁLISES DO LEITE PORCENTAGEM DE PROPRIEDADES QUE ATENDEM A INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 1- Contagem de células somáticas 2...
<ul><li>RECEITA ADICIONAL POR QUALIDADE </li></ul><ul><li>->  LAVRAS -> (+) 100% </li></ul><ul><li>->  BOA ESPERANÇA -> (+...
<ul><li>3.4- ANÁLISES FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>PAYBACK </li></ul><ul><li>21,05% das propriedades  ->  não apresentara...
<ul><li>TAXA INTERNA DE RETORNO (TIR) </li></ul><ul><li>52,63% das propriedades  ->  TIR superior à TMA (6,75% a.a.) </li>...
<ul><li>VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL) </li></ul><ul><li>57,89%  ->  VPL positivo (viável economicamente) </li></ul><ul><li>...
foram encontradas 52,63% das propriedades com viabilidade financeira para o investimento de adequação à Instrução Normativ...
<ul><li>3.5- ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>PONTO DE EQUILÍBRIO </li></ul><ul><li>21,05%  ->  não obtiveram ponto de e...
<ul><li>4- CONCLUSÕES </li></ul><ul><li>a Instrução Normativa 51 trouxe melhorias para os produtores de leite da região Su...
<ul><li>o tempo médio de retorno do investimento de implantação da Instrução Normativa 51 foi de 8 anos; </li></ul><ul><li...
<ul><li>5- CONSIDERAÇÕES FINAIS </li></ul><ul><li>O investimento é viável e se paga mais rápido para as propriedades que t...
OBRIGADO PELA ATENÇÃO!
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

SeminárioCUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS

4,424 views

Published on

Published in: Business, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

SeminárioCUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS

  1. 1. CUSTOS PARA ADEQUAÇÃO À INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 POR PECUARISTAS DE LEITE NO SUL DE MINAS GERAIS: ESTUDO MULTICASOS MARIA DAS GRAÇAS CLEMENTE ORIENTADOR: PROF. DR. LUIZ RONALDO DE ABREU DOUTORADO EM CIÊNCIA DOS ALIMENTOS
  2. 2. 1- INTRODUÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 -> QUALIDADE DO LEITE (18 de setembro de 2002) EXIGÊNCIAS -> padrões de produção, identidade e qualidade do leite e coleta de leite cru refrigerado e seu transporte a granel
  3. 3. <ul><li>INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 </li></ul><ul><li>CONTAGEM BACTERIANA TOTAL </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2005 -> 1 milhão UFC/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2008 -> 750 mil UFC/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/01/2011 -> 100 mil UFC/ml </li></ul><ul><li>CCS </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2005 -> 1 milhão células/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/07/2008 -> 750 mil células/ml </li></ul><ul><li>-> a partir de 01/01/2011 -> 400 mil células/ml </li></ul>
  4. 4. LEITE CRU -> COLETA -> caminhões com tanque isotérmico ↓ - tanque de refrigeração por expansão direta - tanque de refrigeração por imersão INSTRUÇÃO NORMATIVA 51
  5. 5. <ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO RELACIONADOS À ATIVIDADE LEITEIRA </li></ul><ul><li>CUSTOS DE PRODUÇÃO -> soma dos valores de todos os recursos em certo período de tempo </li></ul><ul><li>CUSTOS TOTAIS -> soma de todos os custos para produzir certa quantidade de produto </li></ul><ul><li>(REIS, 2002) </li></ul>
  6. 6. <ul><li>CUSTOS FIXOS -> recursos que não são totalmente assimilados pelo produto no curto prazo </li></ul><ul><li>CUSTOS VARIÁVEIS -> insumos que se incorporam totalmente ao produto no curto prazo </li></ul><ul><li>CUSTOS MÉDIOS -> divide-se os custos pela quantidade produzida </li></ul>
  7. 7. <ul><li>PROBLEMA </li></ul><ul><li>PRODUTORES: </li></ul><ul><li>-> MUDAR SUA ESTRUTURA PRODUTIVA ? </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>GANHOS DE PRODUTIVIDADE, </li></ul><ul><li>AUMENTO DE ESCALA E </li></ul><ul><li>DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS </li></ul><ul><li>-> RECURSOS FINANCEIROS PARA AQUISIÇÃO ? </li></ul><ul><li>-> QUANDO OS INVESTIMENTOS SERÃO RECUPERADOS ? </li></ul><ul><li>(MELHORIA NA QUALIDADE DO LEITE) </li></ul>
  8. 8. OBJETIVOS GERAL -> avaliar a adequação à Instrução Normativa 51 por pecuaristas de leite da região sul de Minas Gerais, mostrando-os a importância do monitoramento da qualidade do leite para que o retorno financeiro seja alcançado
  9. 9. OBJETIVOS ESPECIFICOS -> busca-se estimar o custo do sistema de refrigeração para a implantação e atendimento à Instrução Normativa 51 por propriedades leiteiras na região sul do estado de Minas Gerais -> verificar o prazo de retorno do investimento, analisar a qualidade do leite produzido nas propriedades de leite estudadas e se esse leite está dentro dos parâmetros estabelecidos -> avaliar a atual situação de remuneração dos produtores de leite, em função do aumento da qualidade do produto
  10. 10. <ul><li>2- MATERIAIS E MÉTODOS </li></ul><ul><li>REGIÃO DE ESTUDO -> SUL DE MG </li></ul><ul><li>1 a FASE -> VISITAS TÉCNICAS ÀS LOCALIDADES </li></ul><ul><li>-> CONTATOS COM COOPERATIVAS PARA AMOSTRAGEM -> PRIMEIROS CONTATOS COM OS PRODUTORES </li></ul><ul><li>19 PROPRIEDADES -> 9 -> LAVRAS (CAARG) </li></ul><ul><li>-> 10 -> BOA ESPERANÇA (CAPEBE) </li></ul>
  11. 11. <ul><li>PRODUTORES -> SELECIONADOS INTENCIONALMENTE </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>CADA PRODUTOR -> CASO </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>“ ESTUDO DE MULTICASOS” </li></ul><ul><li>AMOSTRAGEM -> NÃO PROBABILÍSTICA </li></ul><ul><li>QUESTIONÁRIOS -> ATENDIMENTO OU NÃO À IN 51 </li></ul><ul><li>-> RELAÇÃO DE MATERIAIS PARA </li></ul><ul><li>ADEQUAÇÃO À IN 51 </li></ul><ul><li>-> PERFIL TECNOLÓGICO </li></ul>
  12. 12. <ul><li>ANÁLISES -> TAMANHO DAS PROPRIEDADES </li></ul><ul><li>(DIAGNÓSTICO DA PECUÁRIA LEITEIRA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, 2005) </li></ul><ul><li>-> ATÉ 50 LITROS DE LEITE POR DIA </li></ul><ul><li>-> DE 50 A 200 LITROS DE LEITE POR DIA </li></ul><ul><li>-> DE 200 A 500 LITROS DE LEITE POR DIA </li></ul><ul><li>-> DE 500 A 1.000 LITROS POR DIA </li></ul><ul><li>-> ACIMA DE 1.000 LITROS POR DIA </li></ul><ul><li>(SEBRAE, 2006) </li></ul>
  13. 13. <ul><li>LEVANTAMENTO DOS DADOS DAS PROPRIEDADES -> JANEIRO A MAIO DE 2008 </li></ul><ul><li>DADOS REFERENTES AOS PREÇOS -> JULHO DE 2008 </li></ul>
  14. 14. <ul><li>2 a FASE: ANÁLISES </li></ul><ul><li>ANÁLISES DE CUSTO </li></ul><ul><li>1- Produção média </li></ul><ul><li>2- Custo operacional fixo de aquisição da estrutura para adequação à Instrução Normativa 51 </li></ul><ul><li>-> Depreciação (Método linear) </li></ul><ul><li>3- Custo operacional variável relacionado à Instrução Normativa 51 </li></ul><ul><li>4- Custo operacional total de implantação da estrutura para atendimento às exigências da Instrução Normativa 51 </li></ul>
  15. 15. 5- Custo alternativo (taxa de juros: 6,75%a.a.) 6- Custo econômico 7- Custo médio de implantação da Instrução Normativa 51 8- Preço médio do leite 9- Receita mensal referente ao leite 10- Receita mensal referente a bonificação por qualidade 11- Receita mensal total
  16. 16. <ul><li>ANÁLISES FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>1- Payback -> período de tempo necessário para recuperar o investimento inicial de um projeto; </li></ul><ul><li>2- Taxa interna de retorno (ao mês) -> taxa de desconto que torna o valor presente líquido igual a zero; </li></ul><ul><li>3- Valor presente líquido -> valor presente de um fluxo de caixa futuro de um projeto menos o seu investimento inicial (taxa mínima de atratividade 6,75% a.a.) </li></ul><ul><li>(GROPPELLI ET AL., 2007). </li></ul>
  17. 17. <ul><li>ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>1- Ponto de Equilíbrio -> custos e receitas totais se igualam </li></ul>
  18. 18. <ul><li>ANÁLISES DO LEITE </li></ul><ul><li>-> COMPOSIÇÃO DO LEITE (PROTEÍNA E GORDURA) E DE CONTAGEM BACTERIANA TOTAL -> LEITURA DE ABSORÇÃO DE INFRAVERMELHO -> BENTLEY 2000 </li></ul><ul><li>-> CONTAGEM DE CÉLULAS SOMÁTICAS -> CITOMETRIA DE FLUXO -> SOMACOUNT 300 </li></ul>
  19. 19. -> As análises do leite foram realizadas no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2008 -> Os resultados do trabalho foram comparados por meio de análises descritivas, utilizando o aplicativo MS Excel®, e agrupados em tabelas
  20. 20. <ul><li>3- RESULTADOS E DISCUSSÃO </li></ul><ul><li>3.1- ANÁLISES DE CUSTO </li></ul><ul><li>CUSTO FIXO DE IMPLANTAÇÃO </li></ul><ul><li>TANQUE DE EXPANSÃO -> ITEM QUE MAIS ONEROU </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>-> 63,16% DAS PROPRIEDADES </li></ul><ul><li>-> 100% DO TANQUE COMUNITÁRIO </li></ul>
  21. 21. NAS DEMAIS PROPRIEDADES -> ORDENHADEIRA (21,05%) -> SALA DE ORDENHA (10,53%) -> SALA DE LEITE (5,26%) TANQUE DE IMERSÃO -> MENOR CUSTO FIXO (100%)
  22. 22. <ul><li>CUSTO VARIÁVEL DE IMPLANTAÇÃO </li></ul><ul><li>ITEM MAIS DISPENDIOSO: </li></ul><ul><li>-> MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS </li></ul><ul><li>-> MÃO-DE-OBRA (100%) </li></ul>
  23. 23. <ul><li>RECEITA </li></ul><ul><li>MAIOR RECEITA MENSAL TOTAL </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>MAIOR CUSTO FIXO TOTAL DE IMPLANTAÇÃO DA IN 51 ↓ </li></ul><ul><li>MAIOR PRODUÇÃO MÉDIA </li></ul><ul><li>PROPRIEDADES TANQUE COMUNITÁRIO: </li></ul><ul><li>-> MENOR RECEITA MENSAL TOTAL </li></ul><ul><li>-> MENOR PRODUÇÃO </li></ul>
  24. 24. 3.2- PERFIL DAS PROPRIEDADES ESTUDADAS -> 15,79% MENOS DE 50 LITROS DE LEITE / DIA -> 36,84% DE 50 A 200 LITROS DE LEITE / DIA -> 31,58% DE 200 A 500 LITROS DE LEITE / DIA -> 15,79% ACIMA DE 1.000 LITROS DE LEITE / DIA -> NÃO FORAM ANALISADAS PROPRIEDADES QUE SE ENQUADRARAM NA CATEGORIA DE 500 A 1.000 LITROS DE LEITE POR DIA
  25. 25. 68,42% -> desenvolvem outro tipo de atividade 52,63% -> possuem funcionários -> Sistema de produção predominante -> SEMI-CONFINADO -> Não foram encontradas propriedades que calculam custo de produção da atividade leiteira
  26. 26. 63,16% -> já implantaram alguma mudança estipulada pela Instrução Normativa 51 31,58% -> afirmaram que as mudanças não foram implantadas espontaneamente 100% -> estão satisfeitos com as mudanças da Instrução Normativa 51
  27. 27. 31,58% -> POSSUEM TANQUE EM ASSOCIAÇÃO COM OUTROS PRODUTORES TANQUE COMUNITÁRIO VISITADO -> adquirido através de financiamento realizado pela CAPEBE -> 15 DONOS -> R$780,00 / PROPRORIETÁRIO -> demais usuários (23) pagam um aluguel -> R$3,80 mensais para a utilização do equipamento -> aluguel pago -> pagamento do salário de um funcionário, que é responsável pelo recebimento do leite
  28. 28. 68,42% -> perceberam uma melhoria no preço do leite com a Instrução Normativa 51 52,63% -> melhoraram os problemas de rejeição do leite por acidez com a Instrução Normativa 51 73,68% -> a Instrução Normativa 51 trouxe melhorias para o setor leiteiro
  29. 29. 3.3- ANÁLISES DO LEITE PORCENTAGEM DE PROPRIEDADES QUE ATENDEM A INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 1- Contagem de células somáticas 2- Contagem bacteriana total 3- Padrão vigente desde 01/07/2008 4- Padrão vigente a partir de 01/01/2011 100 100 - - TOTAL 94,74 84,21 - - NÃO 4 5,26 15,79 - - SIM 4 100 100 100 100 TOTAL 47,68 52,63 0 0 NÃO 3 52,32 47,37 100 100 SIM 3 CBT 2 CCS 1 PROTEÍNA GORDURA PROPR.
  30. 30. <ul><li>RECEITA ADICIONAL POR QUALIDADE </li></ul><ul><li>-> LAVRAS -> (+) 100% </li></ul><ul><li>-> BOA ESPERANÇA -> (+) 20% </li></ul><ul><li>CAPEBE -> não bonifica os produtores para o componente proteína </li></ul><ul><li>-> mais rígida quanto à bonificação/penalidade para contagem bacteriana total </li></ul><ul><li>CAARG -> oferece bonificações pela qualidade do leite e uma bonificação adicional -> tanque de expansão -> R$0,03 </li></ul><ul><li>-> tanque de refrigeração por imersão -> R$0,015 </li></ul>
  31. 31. <ul><li>3.4- ANÁLISES FINANCEIRAS </li></ul><ul><li>PAYBACK </li></ul><ul><li>21,05% das propriedades -> não apresentaram Payback </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>apresentaram receita adicional por qualidade negativa </li></ul><ul><li>e/ou </li></ul><ul><li>capacidade ociosa de produção </li></ul><ul><li>menor payback -> maior receita </li></ul>
  32. 32. <ul><li>TAXA INTERNA DE RETORNO (TIR) </li></ul><ul><li>52,63% das propriedades -> TIR superior à TMA (6,75% a.a.) </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>VIABILIDADE FINANCEIRA </li></ul><ul><li>1 propriedade -> TIR abaixo da Taxa Mínima de Atratividade </li></ul><ul><li>demais propriedades -> não apresentaram retorno para o </li></ul><ul><li>capital investido </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>capacidade ociosa do sistema </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>por baixa produção </li></ul>
  33. 33. <ul><li>VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL) </li></ul><ul><li>57,89% -> VPL positivo (viável economicamente) </li></ul><ul><li>VPL - -> resultado desfavorável para TIR e Payback </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>capacidade ociosa de produção </li></ul><ul><li>e/ou </li></ul><ul><li>baixa eficiência técnica e econômica </li></ul>
  34. 34. foram encontradas 52,63% das propriedades com viabilidade financeira para o investimento de adequação à Instrução Normativa 51 para todos os indicadores financeiros analisados ↓ a Instrução Normativa 51 é viável economicamente deve ser implantada com um bom planejamento e manutenção, com o apoio das cooperativas ↓ com informações sobre a capacidade correta do tanque a ser comprado e a forma correta de produzir leite com qualidade e como fazer a correta manutenção e higienização dos equipamentos adquiridos
  35. 35. <ul><li>3.5- ANÁLISE CONTÁBIL </li></ul><ul><li>PONTO DE EQUILÍBRIO </li></ul><ul><li>21,05% -> não obtiveram ponto de equilíbrio </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>CV unitário maior do que o preço de venda (margem nula sem cobrir os recursos variáveis) </li></ul><ul><li>26,32% -> produção acima do ponto de equilíbrio </li></ul><ul><li>52,63% -> produção abaixo do ponto de equilíbrio </li></ul><ul><li>↓ </li></ul><ul><li>capacidade ociosa de produção </li></ul>
  36. 36. <ul><li>4- CONCLUSÕES </li></ul><ul><li>a Instrução Normativa 51 trouxe melhorias para os produtores de leite da região Sul de Minas Gerais </li></ul><ul><li>quanto maior a produção de leite, maior a porcentagem de produtores que afirmaram não ter implantado mudanças com a Instrução Normativa 51 </li></ul><ul><li>o tanque de expansão é o item de maior impacto sobre o custo de implantação da estrutura necessária para adequação à Instrução Normativa 51 </li></ul>
  37. 37. <ul><li>o tempo médio de retorno do investimento de implantação da Instrução Normativa 51 foi de 8 anos; </li></ul><ul><li>foram encontradas 52,63% das propriedades com viabilidade financeira para o investimento de adequação à Instrução Normativa 51 para todos os indicadores financeiros analisados; </li></ul><ul><li>a Contagem Bacteriana Total (CBT) é o fator mais crítico para adequação à Instrução Normativa 51; </li></ul><ul><li>os diferentes programas de incentivo à melhoria da qualidade do leite por bonificação/penalidade adotados pelas cooperativas exercem influência sobre a receita adicional por qualidade e, consequentemente, no resultado econômico das propriedades. </li></ul>
  38. 38. <ul><li>5- CONSIDERAÇÕES FINAIS </li></ul><ul><li>O investimento é viável e se paga mais rápido para as propriedades que tem melhor qualidade do leite </li></ul><ul><li>O problema de quem não consegue pagar o investimento é a baixa qualidade do leite e a capacidade ociosa </li></ul>
  39. 39. OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

×