Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aula recuperação biologia 2º ano

3,284 views

Published on

Aula acerca dos assuntos de Biologia para a prova de recuperação

Published in: Education
  • Be the first to comment

Aula recuperação biologia 2º ano

  1. 1. -Karl Von Linné (1735)  Publicou o livro Systema Naturae, propondo um sistema de classificação mais elaborado, com base científica
  2. 2. Homo sapiens Gênero Epíteto específico PRINCIPAIS REGRAS: a) Nomes em latim ou latinizados: Ex: Canis familiaris ; Homo sapiens b) Nomes destacados no texto: Ex: Canis lupus ; Phaseolus vulgaris ; Zea mays c) Nomenclatura Binominal: Obs: O nome do Gênero deve sempre começar por LETRA MAIÚSCULA e o da espécie em letra minúsculas.
  3. 3. PRINCIPAIS REGRAS: Categorias Taxonômicas: Reino Filo Classe Ordem Família Gênero Espécie Domínio
  4. 4. Generalidades: O NOME DAS FAMÍLIAS DOS ANIMAIS RECEBE O SUFIXO idae (Felidae), E NAS PLANTAS O SUFIXO É: aceae (Rosaceae)
  5. 5. CLASSIFICAÇÕES:
  6. 6. CLASSIFICAÇÕES:
  7. 7. CLASSIFICAÇÕES: HOMEM CÃO MOSCA DOMÍNIO Eukaria Eukaria Eukaria REINO Animalia Animalia Animalia FILO Chordata Chordata Arthropoda CLASSE Mammalia Mammalia Insecta ORDEM Primata Carnívora Díptera FAMÍLIA Hominidae Canidae Muscidae GÊNERO Homo Canis Musca ESPÉCIE Homo sapiens Canis familiaris Musca domestica
  8. 8. DOMÍNIOS DOS SERES VIVOS:Eukaria, Bacteria e Eubacteria
  9. 9. REINOS DOS SERES VIVOS:
  10. 10. VíruseDoenças Associadas
  11. 11. Vírus e Doenças Associadas 1) Definição Os vírus são agentes infecciosos acelulares que, fora das células hospedeiras, são inertes, sem metabolismo próprio, mas dentro delas, seu ácido nucléico torna-se ativo, podendo se reproduzir. 2) Características Gerais a) Possuem um envoltório protéico que protege o material genético denominado capsídeo. b) O capsídeo pode ou não ser revestido por um envelope lipídico derivado das membranas celulares. c) Possuem um único tipo de ácido nucléico, DNA ou RNA. d) Existem vírus com DNA de fita dupla, simples, RNA de fita dupla ou simples. e) São parasitas intracelulares obrigatórios. f) Multiplicam-se dentro de células vivas usando a maquinaria de síntese das células. g) Não possuem metabolismo. Toda energia que utilizam provém da célula hospedeira.
  12. 12. Vírus e Doenças Associadas 2) Características Gerais Tamanho dos vírus Tamanho dos vírus 225 nm 300 nm 90 nm 150 nm Hemácia 10.000 nm E. Coli (bactéria) 24 nm nm = nanômetro 1 nanômetro tem 0,000001 centímetros Existem vírus de diferentes formas geométricas (helicoidais, poliédricos, cilíndricos...)
  13. 13. Vírus e Doenças Associadas 3) Estrutura dos vírus Podemos classificar os vírus em dois grandes grupos: o grupo dos vírus Envelopados e o dos não Envelopados. No grupo dos não envelopados o capsídeo não se encontra envolvido pelo envelope, dessa maneira dizemos que o vírus é nu.
  14. 14. Vírus e Doenças Associadas 3) Estrutura dos vírus Podemos classificar os vírus em dois grandes grupos: o grupo dos vírus Envelopados e o dos não Envelopados. No grupo dos envelopados o capsídeo se encontra envolvido pelo envelope
  15. 15. Vírus e Doenças Associadas 4) Quem são os hospedeiros dos vírus? Praticamente todos os organismos vivos podem ser infectados pelos vírus. Os vírus podem infectar células de animais, vegetais, fungos, bactérias e protistas. Célula Animal Célula Vegetal Bactéria Fungo Protozoário Vírus
  16. 16. Vírus e Doenças Associadas 5) Reprodução Viral o Os vírus só se reproduzem no interior de uma célula hospedeira. o O ácido nucléico dos vírus possui somente uma pequena parte dos genes necessários para a síntese de novos vírus. o As demais enzimas necessárias para a síntese protéica, síntese de ribossomos, RNAt, RNAm e ATP são fornecidas pela célula hospedeira. o Portanto, os vírus necessitam da via metabólica da célula para replicarem-se. Para estudarmos a reprodução viral vamos analisar a reprodução do bacteriófago, parasita intracelular de bactérias. Bacteriófago
  17. 17. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Hespes Bucal Agente Etiológico: Herpes simplex tipo I Forma de transmissão: Vias aéreas (oral e respiratória); contato pessoa-pessoa; contato com objetos contaminados com o vírus. Sintomas: Formação de bolhas e feridas no tecido epitelial dos lábios. Acomete cerca de 90% da população mundial. A grande maioria das pessoas possuem o vírus, mas são assintomáticos. Os sintomas aparecem quando a pessoa apresenta elevados níveis de stress, disfunção hormonal ou excessiva exposição à raios solares. Tratamento: Utilização de pomadas que inibem o desenvolvimento viral. Profilaxia: Evitar o contato com pessoas que apresentam os sintomas Evitar o compartilhamento de copos e talheres.
  18. 18. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Hespes Bucal - Sintomas Herpes simplex tipo I Vírus Capsulado
  19. 19. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Hespes Genital Agente Etiológico: Herpes simplex tipo II Forma de transmissão: Contato sexual Sintomas: Formação de ferimentos na base do pênis e na região externa da vagina. Os ferimentos liberam um líquido viscoso contendo o vírus. No estágio mais avançado, o uso de camisinha é pouco eficiente. Os principais sintomas são: dor, coceira, ardor e dificuldade ao urinar. Tratamento: Utilização de pomadas que inibem o desenvolvimento viral. Profilaxia: Abstinência sexual quando os sintomas estiverem presentes e utilização de preservativos.
  20. 20. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Hespes Genital - Sintomas Herpes simplex tipo I Vírus Capsulado
  21. 21. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Hepatite A Agente Etiológico: Vírus da Hepatite A Forma de transmissão: Ingestão de água ou alimentos contaminados com o vírus. Sintomas: Inflamação do fígado Febre Pele e olhos amarelados (Icterícia) Náuseas Vômitos Tratamento: Medicamentos que reduzem os sintomas. Geralmente o sistema imune consegue eliminar o vírus. Profilaxia: Educação Sanitária e saneamento básico.
  22. 22. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Hepatite A - Sintomas Vírus da hepatite A Vírus Capsulado
  23. 23. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Hepatite B e C Agente Etiológico: Vírus da Hepatite B e C Forma de transmissão: Contato com o sangue de pessoas contaminadas. Geralmente o contágio se dá por contato sexual, compartilhamento de seringas e transfusão de sangue. Sintomas: Inflamação do fígado Dores de cabeça e do corpo Pele e olhos amarelados Náuseas Vômitos Tratamento: Utilização de medicamentos que inibem a ação viral. Profilaxia: Vacina – Hepatite B. Medicamentos antiviruais Hepatite C - Uso de preservativos nas relações sexuais, controle dos bancos de sangue, utilizar somente seringas descartáveis e não as compartilhar. A hepatite C se não tratada rapidamente pode evoluir para o quadro de cirrose.
  24. 24. Vírus e Doenças Associadas Vírus da hepatite B e C Vírus Capsulado 9) Principais Viroses Hepatite B e C
  25. 25. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses AIDS - (Síndrome da Imunodeficiência Humana) Agente Etiológico: Vírus da Imunodeficiência humana (HIV) Forma de transmissão: Contato com os seguintes líquidos corporais infectados: a) Sangue b) Esperma c) Secreções vaginais d) Leite materno e) Acredita-se que o vírus possa atravessar a placenta e infectar o feto. Sintomas: Febre, calafrios, dores musculares, aparecimento de ínguas no pescoço, náusea, vômito. Tratamento: Não há cura – O tratamento consiste na utilização de medicamentos que inibem a reprodução viral e aumentam dessa maneira a sobrevida dos pacientes. Profilaxia: Educação sexual, uso de preservativos nas relações sexuais, controle dos bancos de sangue, utilizar somente seringas descartáveis e não as compartilhar, esterilização de instrumentos cirúrgicos e odontológicos, evitar a amamentação quando as mães são soropositivas.
  26. 26. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses - AIDS - (Síndrome da Imunodeficiência Humana)
  27. 27. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses AIDS - Sintomas
  28. 28. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Sarampo Agente Etiológico: Vírus do sarampo Forma de transmissão: Vias aéreas (oral e respiratória); contato pessoa-pessoa; contato com objetos contaminados com o vírus. Sintomas: Febre alta Tosse seca Aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo Tratamento: Não possui. Geralmente o sistema imune consegue eliminar o vírus. Profilaxia: Vacinação na infância (tríplice viral)
  29. 29. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Sarampo Vírus do sarampo Vírus Capsulado
  30. 30. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Catapora – (Varicela) Agente Etiológico: Varicela zoster Forma de transmissão: Vias aéreas (oral e respiratória); contato pessoa-pessoa; contato com objetos contaminados com o vírus. Sintomas: Lesões na pele que causam ardor e coceira Em crianças: catapora ou varicela Em aduto: cobreiro Tratamento: Não possui. Geralmente o sistema imune consegue eliminar o vírus. Profilaxia: Vacinação na infância Evitar contato com pessoas contaminadas
  31. 31. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Catapora – (Varicela) Vírus do sarampo Vírus Capsulado
  32. 32. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Raiva Agente Etiológico: Vírus da raiva Forma de transmissão: Contato com a saliva de animais (mamíferos) doentes, principalmente através de mordidas. • Ambiente urbano: cães e gatos. • Ambiente rural: morcegos hematófagos. Sintomas nos animais doentes: Encefalite, agressividade excessiva, aumento da salivação, incapacidade de deglutição (hidrofobia). Sintomas no homem: Insônia, dor de cabeça, convulsões, salivação excessiva, febre, espasmo dos músculos da glote, dificuldade de deglutição (hidrofobia). Profilaxia: Não possui cura. Vacinação dos animais domésticos. Vacina anti-rábica para seres humanos.
  33. 33. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Raiva
  34. 34. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Poliomielite Agente Etiológico: Poliovírus (vírus da paralisia infantil) Forma de transmissão: Ingestão de água e alimentos contaminados com o vírus e contato pessoa-pessoa. Sintomas: O vírus atinge o sistema nervoso, onde sua multiplicação pode levar à destruição de neurônios motores, levando a paralisia de membros. Tratamento: Não possui tratamento específico. Profilaxia: Não possui cura. Vacinas Sabin e Salk Erradicada no Brasil desde 1989
  35. 35. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Poliomielite
  36. 36. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Dengue Agente Etiológico: Vírus da dengue Forma de transmissão: Através da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti e Aedes Abopictus. Sintomas: Dores lombares, tonteiras, desmaios e febre aguda. Tratamento: O tratamento consistem apenas na tentativa de remediar os sintomas. A aspirina é contra-indicado por interferir na coagulação sanguínea. Profilaxia: Não possui cura. Eliminação de criadouros do mosquito (objetos que acumulem água parada Utilização de inseticidas e repelentes. Na forma hemorrágica, além dos sintomas acima, ocorre alterações no sistema de coagulação sanguínea onde pequenos vasos podem sangrar na pele e em órgãos internos, levando a hemorragias.
  37. 37. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Dengue
  38. 38. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Caxumba Agente Etiológico: Vírus da Parótida infecciosa Forma de transmissão: Vias aéreas (oral e respiratória); contato pessoa-pessoa; contato com objetos contaminados com o vírus. Sintomas: Aumento das glândulas parótidas (salivares). Tratamento: Não possui. Profilaxia: Vacinação (tríplice viral) Raramente pode acometer o sistema nervoso e os testículos.
  39. 39. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Caxumba
  40. 40. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Rubéola Agente Etiológico: Vírus da Rubéola Forma de transmissão: Vias aéreas (oral e respiratória); contato pessoa-pessoa; contato com objetos contaminados com o vírus. Sintomas: Surgimento de manchas vermelhas na pele Tratamento: Soro. Profilaxia: Vacinação (tríplice viral), Exame pré-natal em mulheres grávidas. Vacinação de mulheres que estão no período fértil, mas que ainda não estão imunes ao vírus. Perigo! O vírus da Rubéola em mulheres grávidas é capaz de atravessar a barreira placentária e infectar o feto, causando cegueira, surdez e retardo mental.
  41. 41. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses Rubéola
  42. 42. Vírus e Doenças Associadas
  43. 43. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses HPV – (Papiloma Vírus Humano) Agente Etiológico: Vírus HPV Forma de transmissão: Contato sexual. Sintomas: Lesões precursoras do câncer no colo uterino, aparecimento de verrugas na pele e principalmente nos órgãos genitais. Tratamento: Retirada das lesões através de procedimentos cirúrgicos. Profilaxia: Uso de preservativos nas relações sexuais, realização de exames periódicos (papanicolau) para detecção de lesões no útero. O HPV pode permanecer durante anos em estado de latência no organismo, suas manifestações podem aparecer ou reaparecer em qualquer momento da vida sem um motivo aparente.
  44. 44. Vírus e Doenças Associadas 9) Principais Viroses HPV – (Papiloma Vírus Humano) Lesão causada pelo HPV na parede do colo uterino
  45. 45. Aula Programada Biologia Tema: Bactérias e doenças associadas Bactérias e Doenças Associadas
  46. 46. 1) Definição As bactérias são organismos unicelulares, procarióticos, que podem ser encontrados na forma isolada ou em colônias e pertencente ao reino Monera. São microorganismos sem núcleo celular verdadeiro e possuem como única organela o ribossomo. 2) Características Gerais Bactérias e Doenças Associadas a) As bactérias apresentam um único cromossomo circular disperso no citoplasma. b) Além do cromossômico único circular, as bactérias apresentam pequenos filamentos duplos de DNA circular denominados plasmídeos. c) Algumas bactérias possuem parede celular constituída de peptídeoglicano. d) Podem formar esporos de resistência denominados endósporos. e) Podem apresentar um ou mais flagelos, mas estes não são formados por centríolos.
  47. 47. 3) Morfologia geral das bactérias Estrutura da célula bacteriana Bactérias e Doenças Associadas Coco Diplococo Estreptococo Estafilococos (cacho de uva) Bacilo Vibrião Sarcina (Cubo com oito células) Espirilo Estreptobacilo Espiroqueta
  48. 48. 3) Morfologia geral das bactérias Estruturas celulares Bactérias e Doenças Associadas
  49. 49. 3) Morfologia geral das bactérias - (Citoplasma) Citoplasma: Sinônimos (hialoplasma e citosol). Possui 4/5 de água e 1/5 de substâncias dissolvidas ou em suspensão (proteínas, carboidratos, lipídios, íons, etc). Possui em seu conteúdo: Ribossomos (única organela), plasmídeos e o cromossomo circular único (região do nucleóide). Bactérias e Doenças Associadas
  50. 50. 4) Classificação das bactérias quanto à respiração a) Bactérias aeróbicas (realizam respiração celular) Necessitam do oxigênio para sobreviver Ex: Pseudomonas sp. b) Anaeróbicas (realizam fermentação) b.1) Estritas: Só sobrevivem na ausência de oxigênio Ex: Clostridium tetani b.2) Facultativas: Podem sobreviver tanto na ausência como na presença de oxigênio. Ex: Escherichia coli Bactérias e Doenças Associadas
  51. 51. 4) Classificação das bactérias quanto à nutrição a) Bactérias Autótrofas Produzem glicose através dos seguintes processos: I. Fotossíntese II. Quimiossíntese b) Bactérias Heterótrofas São incapazes de sintetizar sua glicose, devendo obtê-la através da alimentação I. Respiração (aeróbica) II. Fermentação (lática e alcóolica) Bactérias e Doenças Associadas Cianobactérias Nitrosomonas Salmonella
  52. 52. 6) Doenças causadas por Bactérias Difteria (crupe) Agente Etiológico: Corynebacterium diphthriae Forma de transmissão: Pelo ar contaminado e pela saliva Sintomas: Inflamação das amígdalas, faringe e mucosa nasal. A bactéria produz toxina que destrói as fibras cardíacas, células nervosas e renais. Tratamento: Utilização de antibióticos penicilina e eritromicina. Profilaxia: Vacina Tríplice Bactérias e Doenças Associadas
  53. 53. 6) Doenças causadas por Bactérias Difteria (crupe) Bactérias e Doenças Associadas
  54. 54. 6) Doenças causadas por Bactérias Disenteria Bacilar Agente Etiológico: Bactérias do gênero Shigella Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Sintomas: Infecção intestinal, dores abdominais, diarréias sanguinolentas e vômitos. Tratamento: Utilização de antibióticos e soro caseiro. Profilaxia: Educação sanitária e saneamento básico. Bactérias e Doenças Associadas
  55. 55. 6) Doenças causadas por Bactérias Disenteria Bacilar Bactérias e Doenças Associadas
  56. 56. 6) Doenças causadas por Bactérias Febre Tifóide Agente Etiológico: Salmonella thyfi Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Sintomas: Febre, dor de cabeça, fadiga, bradicardia, hemorragias nasais, diarréia e vômitos. Tratamento: Utilização de antibióticos específicos. Profilaxia: Educação sanitária e saneamento básico. Bactérias e Doenças Associadas
  57. 57. 6) Doenças causadas por Bactérias Febre Tifóide Bactérias e Doenças Associadas Mosca doméstica – uma das principais veiculadoras da febre tifóide.
  58. 58. 6) Doenças causadas por Bactérias Tétano Agente Etiológico: Clostridium tetani (anaeróbico estrito) Forma de transmissão: Contaminação acidental de ferimentos profundos com terra contaminada com esporos da bactéria. Sintomas: Enrijecimento muscular por todo o corpo causada pela toxina tetânica. Bloqueio da via de relaxamento dos músculos (espamos musculares). Tratamento: Utilização de soros. Profilaxia: Vacina tríplice (antitetânica). Bactérias e Doenças Associadas
  59. 59. 6) Doenças causadas por Bactérias Tétano Bactérias e Doenças Associadas
  60. 60. 6) Doenças causadas por Bactérias Tuberculose Agente Etiológico: Mycobacterium tuberculosis (Bacilo de Koch) Forma de transmissão: Pelo ar contaminado e pela saliva. Sintomas: Tosse constante, as vezes com sangramento, febre, suores noturnos, falta de apetite, emagrecimento e indisposição. Tratamento: Medicamentos específicos que elimina as bactérias. Profilaxia: Vacinação (BCG), evitar contanto com pessoas contaminadas, evitar permanecer em ambientes fechados. Bactérias e Doenças Associadas A falta de programas de vacinação, associa às más condições de habitação e à subnutrição, causa alto índice de mortalidade nos países em desenvolvimento.
  61. 61. Bactérias e Doenças Associadas Tuberculose
  62. 62. 6) Doenças causadas por Bactérias Cólera Agente Etiológico: Vibrio cholerae Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Sintomas: Vômitos, diarréia intensa, desidratação severa. Os sintomas são causados por uma toxina produzida pelas bactérias. Tratamento: Medicamentos específicos que elimina as bactérias. Profilaxia: Educação sanitária e saneamento básico. A vacina é pouco eficaz e de curta duração. Só é recomendada para quem viaja para locais onde existe a doença. Bactérias e Doenças Associadas
  63. 63. 6) Doenças causadas por Bactérias Cólera Bactérias e Doenças Associadas
  64. 64. 6) Doenças causadas por Bactérias Coqueluche Agente Etiológico: Bordetella pertussis Forma de transmissão: Pelo ar e saliva contaminados com a bactéria. Sintomas: Tosse persistente (tosse de cachorro), causada devido a infecção dos brônquios e bronquíolos. Tratamento: Uso de antibióticos específicos Profilaxia: Vacinação (Tríplice) Bactérias e Doenças Associadas
  65. 65. 6) Doenças causadas por Bactérias Coqueluche Bactérias e Doenças Associadas
  66. 66. 6) Doenças causadas por Bactérias Botulismo Agente Etiológico: Clostridium botulinum (anaeróbico estrito) Forma de transmissão: Intoxicação alimentar pela toxina botulínica (geralmente alimentos enlatados com embalagem estufadas apresentam a toxina). Sintomas: Paralisia muscular e dificuldades respiratórias. Tratamento: Uso de antitoxinas. A vacina é pouco eficiente. Profilaxia: Não consumir produtos enlatados que apresentem aspectos anormais. A partir de casos suspeitos, identificar as prováveis fontes de contaminação para adoção das medidas de controle pertinentes. Bactérias e Doenças Associadas A toxina botulínica é usada em pequenas doses BOTOX, como tratamento estético temporário. A sua intensa capacidade paralítica é desejada por indivíduos que procuram esconder as suas rugas (as rugas são causadas por contrações musculares) e outras imperfeições faciais.
  67. 67. Bactérias e Doenças Associadas Botulismo
  68. 68. 6) Doenças causadas por Bactérias Pneumonia Agente Etiológico: Streptococos peneumoniae Forma de transmissão: Pelo ar Sintomas: Infecção pulmonar aguda com calafrios, febre, dor nas costas e tosse com expectoração sanguinolenta. Tratamento: Uso de antibióticos Profilaxia: Vacina pouco eficiente, o mais recomendado é não permanecer em locais sem ventilação por muito tempo, verificar periodicamente as condições de aparelhos ar condicionados, esterilização de carpetes e tapetes. Bactérias e Doenças Associadas
  69. 69. Bactérias e Doenças Associadas Pneumonia
  70. 70. 6) Doenças causadas por Bactérias Hanseníase (Lepra) Agente Etiológico: Mycobacterium leprae (Bacilo de Hansen) Forma de transmissão: Contato direto com pessoas doentes, pela pele ou pelo ar, após contatos íntimos e prolongados com o portador. Sintomas: Aparecimento de manchas na pele, ulcerações e deformidades, lesões nas terminações nervosas causando perda de sensibilidade. Tratamento: Uso de antibióticos (há cura se for diagnosticado e tratado nas fases iniciais) Profilaxia: Educação sanitária, tratamento imediato dos doentes, vacinar todos os familiares e pessoas que convivem intimamente com o doente (vacina BCG) Bactérias e Doenças Associadas
  71. 71. 6) Doenças causadas por Bactérias Hanseníase (Lepra) Bactérias e Doenças Associadas
  72. 72. 6) Doenças causadas por Bactérias Meningite bacteriana Agente Etiológico: Nisseria meningitidis Forma de transmissão: Pelo ar e saliva contaminados com a bactéria. Sintomas: Diarréia grave, vômito, convulsões, hemorragias internas, hipotensão arterial, choque e, freqüentemente, a morte. Tratamento: Uso de antibióticos intravenosos. Profilaxia: Vacinação Bactérias e Doenças Associadas
  73. 73. 6) Doenças causadas por Bactérias Meningite bacteriana Bactérias e Doenças Associadas
  74. 74. 6) Doenças causadas por Bactérias Sífilis Agente Etiológico: Triponema pallidum Forma de transmissão: Relações sexuais, transfusões de sangue e congênita (da mãe para o feto). Sintomas: Aparecimento de uma pequena ferida ou ulceração firme e dura que ocorre no ponto de infecção da bactéria, geralmente o pênis, a vagina, o reto ou a boca e posteriormente em outras partes do corpo. Nos fetos a bactéria pode causar diversas complicações no sistema nervoso, mal formações e ferimentos na pele. Tratamento: Uso de antibióticos (tetraciclina e penicilina). Profilaxia: Uso de preservativos, realização do teste diagnóstico por mulheres com intenção de engravidar. Bactérias e Doenças Associadas
  75. 75. Bactérias e Doenças Associadas Sífilis
  76. 76. 6) Doenças causadas por Bactérias Gonorréia Agente Etiológico: Neisseria gonorrheae Forma de transmissão: Relações sexuais, transfusões de sangue e congênita (da mãe para o feto). Sintomas: Ardência ao urinar, corrimento amarelado na uretra, inflamações neurológicas, ósseas e articulares. No recém nascido pode causar a cegueira. Tratamento: Uso de antibióticos (penicilina). Profilaxia: Uso de preservativos, educação sexual, realização do teste diagnóstico em mulheres com intenção de engravidar. Bactérias e Doenças Associadas
  77. 77. 6) Doenças causadas por Bactérias Gonorréia Bactérias e Doenças Associadas
  78. 78. 6) Doenças causadas por Bactérias Leptospirose Agente Etiológico: Leptospira interrogans Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados pela urina de ratos e cães. Sintomas: Calafrios, febre alta, dores articulares, lesões renais, icterícia e anemia. Tratamento: Uso de antibióticos (penicilina). Profilaxia: Educação sanitária, adotar medidas que minimizem a proliferação de ratos, realizar vistoria de bueiros e redes de esgoto para evitar possíveis entupimentos que promovam inundações, quando entrar em contato com regiões inundadas ou com lama, usar luvas e botas de borracha. Bactérias e Doenças Associadas O rato de esgoto (Rattus novergicus) é o principal responsável pela infecção humana, em razão de existir em grande número e da proximidade com seres humanos. A bactéria multiplica-se nos rins desses animais sem causar danos, e é eliminada pela urina, às vezes por toda a vida do animal.
  79. 79. 6) Doenças causadas por Bactérias Leptospirose Bactérias e Doenças Associadas

×