Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A influência de platão e aristóteles na filosofia

884 views

Published on

A influência de Plantão e Aristóteles na Filosofia Ocidental

Published in: Education
  • Be the first to comment

A influência de platão e aristóteles na filosofia

  1. 1. A INFLUÊNCIA DE PLATÃO E ARISTÓTELES NA FILOSOFIA OCIDENTAL Filosofia – Professora: Liduína
  2. 2. É uma das mais famosas pinturas do renascentista italiano Rafael (Raffaello Sanzio 1483-1520) e representa a Academia de Platão.
  3. 3. Platão (428-348 a.C)
  4. 4. Platão (428-348 a.C) ◦Fundador da Academia, é um dos fundadores mais importantes da história da civilização ocidental, tendo conhecido, entre outros aspectos, pela difusão do pensamento de seu mestre , Sócrates, pela busca, no âmbito político, da construção de uma república ideal e, sobretudo, pela elaboração da Teoria das ideais.
  5. 5. A teoria das ideias ◦Surge como uma vertente de transformação radical da escola Jônica e estabelece uma nova diretriz de leis e de hábitos. ◦Platão faz uma junção das ideias dos filósofos Pré-Socráticos: ◦Parmênides ,Heráclito e Pitágoras.
  6. 6. Qual a principal tese filosófica do grego Heráclito de Éfeso? ◦ Cognominado de "obscuro". Afirmava que todas as coisas estão em movimento como um fluxo perpétuo. ◦ A lei fundamental do Universo é o devir, que significa contínuas transformações. Tudo flui e nada fica como é. ◦ Coisa alguma é estável. Tudo segue seu curso. ◦ Para Heráclito o princípio das coisas é o fogo. ◦ Todas as coisas mudam sem cessar, e o que temos diante de nós em dado momento é diferente do que foi há pouco e do que será depois. Afirmou: "Nunca nos banhamos duas vezes no mesmo rio, pois na segunda vez não somos os mesmos, e também o rio mudou."
  7. 7. Heráclito de Éfeso
  8. 8. Heráclito, um dos filósofos pré-socráticos, percebeu que, na vida, na realidade, na natureza – enfim, em todas as coisas que existem – há um permanente fluxo transformador.
  9. 9. Um de seus fragmentos mais conhecidos é aquele que diz:
  10. 10. Qual a principal tese filosófica de Parmênides? ◦ Nascido por volta do ano de 515 a.C., na cidade de Éleia, ao sul da Magna Grécia (Itália). ◦ Parmênides é considerado pelos historiadores da Filosofia como o pensador do imobilismo universal. ◦ Precursor da metafísica, na sua defesa da constância, da unicidade e da imobilidade do ser.
  11. 11. Qual a principal tese filosófica de Pitágoras ? ◦A Escola Pitagórica tinha uma predileção pela investigação do caráter dos números, uma vez que para seus adeptos eles constituíam a essência de tudo. Do estudo desta área surgiu a teoria da harmonia das esferas, segundo a qual todo o Universo é governado por interações matemáticas. Como eles não tinham ainda conhecimento suficiente, nesta época, para diferenciar formas, leis, matéria e a substância dos objetos, concluíram que o número era a ponte entre os elementos.
  12. 12. Resolva a questão: Heráclito e Parmênides são, costumeiramente, apresentados como filósofos cujos pensamentos se opõem: o primeiro seria o pensador da mudança, da contradição, enquanto o outro seria o precursor da metafísica, na sua defesa da constância, da unicidade e da imobilidade do ser. Contudo, há vários de seus fragmentos que parecem nos trazer o mesmo conteúdo. Assinale quais dos fragmentos a seguir apresentam, respectivamente, as concepções ontológicas de Heráclito e de Parmênides. (Tradução dos fragmentos: Gerd Bornheim. Os filósofos pré-socráticos. Ed. Cultrix) A) "O mesmo é pensar e o pensamento de que o ser é". / "O pensamento é comum a todos". B) "Desta via de investigação eu te afasto; mas também daquela outra, na qual vagueiam os mortais que nada sabem, cabeças duplas. Pois é a ausência de meios que move, em seu peito, seu espírito errante." / "Homens que não sabem escutar nem falar". C) "...afasta, portanto, o teu pensamento dessa via de investigação, e nem te deixes arrastar a ela pela múltipla experiência do hábito, nem governar pelo olho sem visão, pelo ouvido ensurdecedor ou pela língua;...". / "Maus testemunhos para os homens são os olhos e os ouvidos, se suas almas são bárbaras". D) "É sábio que os que ouviram, não a mim, mas as minhas palavras, reconheçam que todas as coisas são um" / "... a diversidade das aparências deve revelar uma presença que merece ser recebida, penetrando tudo totalmente".
  13. 13. A essência das ideias para PLATÃO ◦ Platão faz uma junção das ideias dos filósofos ( termo criado por Pitágoras) . ◦ Pré- socráticos Heráclito, Parmênides e Pitágoras e cria a Teoria das Ideias. ◦ Para Platão, há dois mundos: o mundo sensível, dos fenômenos, e o mundo inteligível, das ideias. ◦ Mundo Sensível: acessível aos sentidos é o mundo da multiplicidade, do movimento, e é ilusório, das aparências, pura sombra do verdadeiro mundo. ◦ Mundo Inteligível: acima do ilusório mundo sensível, Um mundo das ideias gerais, das essências imutáveis que o homem atinge pela contemplação e pela depuração dos que enganos dos sentidos. Essas ideias gerais são hierarquizadas, e no topo delas está a, ideia do Bem a mais alta em perfeição.
  14. 14. Mito (alegoria) da Caverna O mito da Caverna ou Alegoria da Caverna é, sem dúvida, a parábola mais popular de Platão. Encontrada na obra “A República”, o conto retrata como podemos nos libertar da escuridão através da luz do conhecimento e da verdade.
  15. 15. Ao fundo da caverna acreditamos nas sombras, E que as ideias do senso comum são verdadeiras. Ao sair da caverna ( ao filosofar) o individuo percebe que existe o mundo da verdade. Lembrando que Platão despreza o mundo material E valoriza o mundo das ideias. As sombras são ilusões que mudam o tendo todo. E ao sair da caverna obteremos a verdade.
  16. 16. Mundo Sensível:
  17. 17. Mundo Inteligível:
  18. 18. O que é isso? CADEIRA
  19. 19. E isso o que é? O desenho de uma cadeira.
  20. 20. A Dialética Platônica: ◦ Para Platão, a dialética é o método mais eficaz de aproximação entre as ideias e as sombras. Dialética significa maneira de discutir, de argumentar ou de estudar um tema por meio de oposições e reencontro das contradições. Platão considerava que, através do diálogo, o filósofo conseguiria atingir o verdadeiro conhecimento, partindo do Mundo Sensível e chegando ao Mundo das Ideias. ◦ Para Platão, a dialética é o caminho percorrido pelo espírito, que tem o objetivo de sair das sombras e chegar ao Mundo das Ideia. Platão supõe que os homens já teriam vivido como puro espírito quando contemplaram o mundo das ideias. Ao “decair”, se “aprisionando” em um corpo (que é sempre um túmulo da alma), todos esquecem. Mas a visão (pelos sentidos) das coisas sensíveis desperta na alma as lembranças adormecidas.
  21. 21. A chamada teoria da reminiscência: ◦ Partiremos do seguinte princípio apresentados nos diálogos platônicos: toda a alma é imortal, porque aquilo que se move a si mesmo é imortal. (Fedro, 245) A teoria da reminiscência aparece também no Mênon, onde Platão reafirma que não há nada que a alma não conheça, pois é “imortal; renasceu repetidas vezes na existência e contemplou todas as coisas existentes. Platão explica como os sentidos são apenas ocasião para despertar na alma as lembranças adormecidas. Em outras palavras, conhecer é lembrar.
  22. 22. Teoria das ideias para Platão: ◦ As pessoas que desde sempre estão acorrentadas no fundo de uma caverna. ◦ É que há pessoas que sente-se seguras no fundo dessa caverna. ◦ O mito ou alegoria da caverna simboliza o a Teoria das Ideias para Platão. ◦ O real para Platão é o mundo da essência. ◦ Afirma que a razão é capaz de gerar conhecimento, mas a sensação não. ◦ Para Platão buscar a verdade é o amor ao conhecimento. ◦ Com o conhecimento ganhamos a libertação da alma. ◦ E que na verdade conhecer e reconhecer, devido a existência previa da alma. Que já teve contato com tudo que existe.
  23. 23. Aristóteles ◦Importante filósofo da Antiguidade . ◦Durante cerca de 20 anos foi aluno da Academia de Platão. ◦Foi aluno de Platão na Academia, porem decidiu fundar sua própria escola, O Liceu. ◦Pois já não concordava mais com a filosofia idealista de seu mestre.
  24. 24. ◦Aristóteles não concorda com a teoria das ideias de seu mestre. ◦A base da separação dos dois mundos – material ( sensível / de mudanças e o mundo essencial ( inteligível), permanece. ◦Para Aristóteles existem leis que regem o universo e para entender essas leis é necessário filosofar sobre o ser (ontologia) , sobre a sabedoria que ele vai chamar de metafisica.
  25. 25. ◦Aristóteles analisa não apenas as questões da natureza, mais as questões que envolvem o homem como as questões sociais, a ética as virtudes. ◦Aristóteles escreve a sua obra sobre a dominação dos macedônios no periodo Helenístico. Precisamos observar que as Polis gregas antes dominadas por suas aristocracias, agora estava dominada por um grande império – 1º por Felipe II e depois por Alexandre o Grande.
  26. 26. ◦Aristóteles tenta analisar o realismo. ◦Aristóteles prefere utilizar da experimentação de objetos reais, não da pura razão como Platão. ◦Filosofar para Aristóteles é reconhecer sua ignorância . ◦Os ensinamentos de Aristóteles distancia-se de Platão principalmente pelo distanciamento do componente místico religioso, pelo maior interesse nas ciências naturais e empíricas em detrimento das ciências matemáticas e pela substituição do método –dialético pelo sistemático.
  27. 27. ◦Por sistematizador entende-se o caráter organizador , catalogador e explicativo por meio do qual Aristóteles expôs os tratados filosóficos anteriores. ◦Aristóteles procurou classificar os argumentos usados nos debates, estabelecendo aqueles que eram válidos por servirem à busca do conhecimento verdadeiro ( ciência) e aqueles que eram inválidos , que afastavam o conhecimento verdadeiro.
  28. 28. Aristóteles é o fundador da Lógica
  29. 29. Há quatro causas que englobam tudo segundo Aristóteles: ◦Causa Material ◦Causa Formal ◦Causa Eficiente ◦Causa Final ◦Para Aristóteles as coisas mudam de acordo com essas quatro causas.
  30. 30. CONSIDERAÇÕES FINAIS: ◦Para Aristóteles , o conhecimento da realidade só é possível a partir do estudo de casos individuais , singulares, pois as coisas particulares não são simplesmente reflexos das ideias que existem em outro plano, como definia Platão.

×