Século xix no brasil a modernização da arte

27,421 views

Published on

9o. Ano -aulas do bimestre

Published in: Education
0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
27,421
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
411
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Século xix no brasil a modernização da arte

  1. 1. 9º Ano SÉCULO XIX NO BRASIL:A MODERNIZAÇÃO DA ARTE Professora Elisa Herrera 1
  2. 2. Em meados do séc. XIX o Brasil passou porum período de crescimento econômico,estabilidade social e incentivo às letras ,ciência e arte por parte do imperadordom Pedro II.A arte, entretanto, ainda refletia ainfluência da escola conservadoraeuropeia. 2
  3. 3. •A pintura acadêmica no BrasilDesse período destacam-se, na pintura, asobras dos brasileiros Pedro Américo, VítorMeireles e Almeida Junior, que estudaramna Academia Imperial de Belas Artes. 3
  4. 4. Pedro Américo de Figueiredo e Melo (1843-1905) nasceu na Paraíba,foi para o Rio de Janeiro em 1854 e frequentou a Academia. De 1859 a1864 estudou na Escola de Belas Artes de Paris. Pintou temas bíblicos ehistóricos, alegorias e figuras humanas.Pedro Américo foi a Europa na época em que começavam as primeirasmanifestações impressionistas, mas se manteve fiel à Academia: suapintura refletia a tradição da pintura de idealizar a realidade. Como eraum excelente desenhista, fez também caricaturas, criação que dependebastante da capacidade de observação do artista. Nelas exagera-se coma intenção de humor alguma característica do retratado. Seu prestigionesse campo lhe permitiu participar, em 1870 e 1871, de uma revista decaricaturas chamada A Comédia social. 4
  5. 5. De sua obra destacam-se “Rabequista árabe”,é uma pintura muitoconhecida pelosestudantes, esta obrase encontra no MuseuNacional de BelasArtes, Rio de Janeiro.Rabeca é uminstrumento musical,seu nome foi usadopor muito tempo parao que hoje chamamosviolino. 5
  6. 6. .“Independência ou morte”-1888- de Pedro Américo 7,60 x 4,14 m. Museu Paulista, São Paulo 6
  7. 7. Pedro Américo e a caricaturaEsta imagem representa oescritor José de Alencar (àesquerda) e o diplomataVisconde do Rio Branco (àdireita). Os dois estão comuma das mãos em umvespeiro; isso significa que, naépoca, certamente eles seenvolveram em algumassunto delicado para ocenário político do pais.A expressão “por a mão emvespeiro” significa “envolver-se em situação perigosa oudelicada”. 7
  8. 8. 8
  9. 9. 9
  10. 10. 10
  11. 11. Retrato deCandido de Almeida 1888 11
  12. 12. Pedro II fala ao trono 12
  13. 13. 13
  14. 14. Vitor Meireles de Lima (1832-1903), nasceu emSanta Catarina e ainda muito jovem viajou parao Rio de Janeiro onde se matriculou naAcademia. Visitou a França e a Itália e conheceumelhor o trabalho dos pintores desses países.Em Paris produziu sua obra mais famosa, Aprimeira missa no Brasil, exibida com grandesucesso no Salão de Paris. 14
  15. 15. 15
  16. 16. São João Batista no cárcere, 1852Museu Nacional de Belas Artes. 16
  17. 17. A degolação deSão João Batista, 1855Tela realizada emseu período como bolsista da Academia na Europa- Museu Victor Meirelles. 17
  18. 18. Juramento da Princesa Regente, 1871 -Museu Imperial. 18
  19. 19. Estudo para Panorama do Rio de Janeiro, c. 1885. Museu Nacional de Belas Artes. 19
  20. 20. O combate naval do Riachuelo, 1882-83 Museu Histórico Nacional. 20
  21. 21. Batalha de Guararapes, 1879Museu Nacional de Belas Artes. 21
  22. 22. José Ferraz de Almeida Junior (1850-1899).Considerado o mais brasileiro dos pintores do séc. XIX,nasceu no interior de São Paulo. Em 1869 começou afrequentar a Academia, no Rio de Janeiro, onde foi alunode Vitor Meireles. Viveu em Paris entre 1876 e 1882. devolta ao Brasil, fez uma exposição no Rio de Janeiro eretornou a sua cidade natal, Itú, onde produziu obras queficaram famosas como Saudades. Nesse quadro oselementos que representam a simplicidade das pessoas edas casas como são: o chapéu pendurado perto da janela; 22
  23. 23. A roupa da moça, as paredes e o piso dacasa. Os gestos da moça, com uma mãosegura papeis, talvez seja uma carta, que lêatentamente, com a outra mão cobre o rostocom um xale. Sua tristeza justifica o titulo doquadro. Note-se ainda o jogo de luz utilizadopelo artista, toda a claridade da cena parecevir da janela da qual a moça está próxima. Saudades, 1899- 1.97 x 1.01 Pinacoteca do Estado de São Paulo 23
  24. 24. Apóstolo São Paulo, 1869 Igreja Matriz deNossa Senhora da Candelária,Itu 24
  25. 25. O DerrubadorBrasileiro, 1879Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro 25
  26. 26. CaipiraPicando Fumo, 1893Pinacoteca doEstado de São Paulo, São Paulo 26
  27. 27. O Violeiro, 1899Pinacoteca do Estado, São Paulo 27
  28. 28. Leitura, 1892Pinacoteca do Estado, São Paulo 28
  29. 29. Fuga para o Egito, 1881Museu Nacionalde Belas Artes, Rio de Janeiro 29
  30. 30. Amolação Interrompida, 1894 Pinacoteca doEstado, São Paulo 30
  31. 31. O academismo é superadoBelmiro Barbosa de Almeida e Benedito Calixto 31
  32. 32. Os artistas que frequentaram a Academia seguiram ospadrões trazidos pela Missão Artística Francesa: a belezaperfeita é um conceito ideal; portanto não existe nanatureza . Assim, o artista não deve imitar a realidade,mas tentar criar a beleza ideal por meio da imitação dosclássicos, notadamente dos gregos, que mais seaproximaram da perfeição criadora. Como as pinturasoriginais gregas não foram encontradas, a referência deperfeição artística é encontrada nas pinturas doRenascimento, principalmente Rafael. 32
  33. 33. Os artistas da Academia seguiam, então, rígidos princípiospara o desenho, o uso das cores e a escolha dos temas –mitológicos, religiosos e históricos.Entretanto, os artistas brasileiros da segunda metade doséculo XIX começaram a tomar outras direções. Essatendência se acentuou no final do século, com a influênciados artistas que foram à Europa e conheceram oImpressionismo e o Pontilhismo.Tal mudança já aparecenas obras de Belmiro de Almeida e Benedito Calixto, maispode ser vista mais claramente na obra de Eliseu Visconti. 33
  34. 34. Belmiro Barbosa de Almeida (1858-1935)Nasceu em Minas Gerais, também foi aluno daAcademia. Mais tarde foi estudar na Europa efoi influenciado pelos pintores franceses. Noquadro Efeitos de sol podemos ver com clarezaessa influência. 34
  35. 35. Observe nessa tela que não épossível ver com nitidez apaisagem e a moça quecaminha . Pois toda a cenaestá tomada de sol.Concluímos então, que oartista conseguiu criar osefeitos de claridade comoanuncia o título do quadro.Observe que ele representoua cena ao ar livre com efeitosda luz natural,evidentemente influenciadopela pintura impressionista. 35
  36. 36. 36
  37. 37. Benedito Calixto (1853-1927)Nasceu no litoral de São Paulo. Provavelmente começouseus estudos artísticos como autodidata. Em 1883 viajoupara Paris, onde estudou desenho e pintura. No anoseguinte, voltou ao Brasil e foi morar no litoral. É assimque podemos observar que suas obras retratam apaisagem litorânea das cidades de Santos e São Vicentee outras pinturas urbanas – no caso da cidade de SãoPaulo. Também pintou retratos e temas históricos. 37
  38. 38. Inundação da Várzea do Carmo (1892)- 1,24 x 4 m – Museu Paulista de São Paulo – Benedito Calixto 38
  39. 39. Cubatão, 1826 – Benedito Calixto 39
  40. 40. Benedito Calixto -Proclamação da República, 1893 40
  41. 41. •O Impressionismo chega ao Brasil:Eliseu D´Ángelo Visconti (1866-1944) – são asobras de Eliseu Viconti que definitivamente abremcaminho da modernidade à arte brasileira. Foipintor, decorador e desenhista, ele não sepreocupa mais em seguir os renascentistasitalianos, busca sim, registrar os efeitos d luz solarnos objetos e seres humanos que retrata em suastelas. 41
  42. 42. Nascido na Itália, veio para o Brasil com menos de 1 anode idade. Em 1884 matriculou-se no Liceu de Artes eOfícios e no ano seguinte, na Academia onde estudouaté 1889. em 1892 viajou para Paris onde estudou naEscola de Belas Artes e o curso de Arte Decorativa naEscola Guérin. Durante sua permanência na França tevecontato com a obra dos Impressionistas. A influencia querecebeu deles foi tão forte que é considerado o maiorrepresentante dessa tendência na pintura brasileira,como vemos em seu quadro Roupa estendida. 42
  43. 43. Voltou para o Brasil em 1900 e passou a realizardiversos trabalhos: ensinou pintura histórica naEscola Nacional de Belas Artes, criou imagenspara selos postais, pintou o pano de boca* doTeatro Municipal do Rio de Janeiro.*na linguagem teatral de hoje, é a cortina quesepara a plateia do palco. 43
  44. 44. Roupa estendida, Eliseu Visconti- 67 x 82 cm Coleção Agnaldo de Oliveira 44
  45. 45. PANO DE BOCA DO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – “A INFLUÊNCIA DASARTES SOBRE A CIVILIZAÇÃO” – 1908 - ÓLEO SOBRE TELA DE LONA – 12 m x 16 45 m
  46. 46. 46
  47. 47. Moça no trigal- Eliseu Visconti ( 1866-1944 ). Óleo sobre tela, 65 x 80 cm 47
  48. 48. A arquiteturareflete a riqueza: O Ecletismo eArt Nouveau (Arte Nova) 48
  49. 49. No final do séc. XIX a arquiteturabrasileira passou por mudançassurgindo duas tendênciaseuropeias: o Ecletismo e o ArtNouveau ou Arte Nova. 49
  50. 50. O Ecletismo: reunia estilos do passado,principalmente os de finalidade decorativa.Assim, alguns arquitetos mesclavam, nummesmo edifício elementos greco-romanos,góticos, renascentistas e mouriscos (refere-se a elementos ligados aos mouros, antigopovo árabe que habitou o norte da África). 50
  51. 51. As casas dos mais ricos passaram a serornamentadas com estuque (mistura de pó demármore, cal fina, gesso e areia, técnica usadapara pintar paredes), também foi usadoplatibandas (grandes vidraças e ferragensimportadas da França e da Bélgica). As cidades donorte do país, ricas em borracha, desenvolveramuma arquitetura requintada e de acordo com asconcepções ecléticas. 51
  52. 52. Teatro Amazonas (Manaus) inaugurado em 1896, construído comestruturas metálicas, mármores e decorado com cristais importados. 52
  53. 53. O Teatro Amazonas éum teatro brasileiroconstruído no centrode Manaus, capital doAmazonas, inauguradoem 1896, é a expressãomais significativada riqueza da regiãodurante o Ciclo daBorracha, advindado látex da seringueira,produto altamentevalorizadopelas indústrias europeiase americanas. 53
  54. 54. 54
  55. 55. 55
  56. 56. Mercado de Belém do Pará 56
  57. 57. Situado na região portuária de Belém, o mercado foi criado em 1688 com o nome de Ver o Peso. 57
  58. 58. O Mercado de Belém do Pará e as construções em voltadele, sofreram diversas modificações ao longo do tempo.No final do séc. XIX as mudanças se acentuaram porqueteve inicio o comercio da borracha da Amazônia paraatender as necessidades da industria de pneus quecomeçaram a ser fabricados nos Estados Unidos e naEuropa. A riqueza promoveu novas mudanças na região: aconstrução de um novo mercado com ferro trazido daInglaterra, construído conforme o estilo eclético. 58
  59. 59. O Art Nouveau ou(Arte Nova), no final do séc. XIX oEcletismo foi superado pelo Art Nouveau, desenvolvidonos Estados Unidos e boa parte da Europa. É um estiloque valoriza os elementos ornamentais e caracteriza-sepelo uso de linhas curvas, semelhantes às linhas dasformas vegetais. Em São Paulo existe um exemplosignificativo da arquitetura Art Nouveau: a VilaPenteado. Em 1948 passou a abrigar a Faculdade deArquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. 59
  60. 60. A construção foi projetada pelo arquiteto suecoCarlos Ekman para ser a residência do CondeÁlvares Penteado.Esse estilo persistiu por algum tempo até sersuperado, entre os anos 1920 e 1950, pelomovimento Modernista e pela industrialização emodernização da vida urbana. 60
  61. 61. 61
  62. 62. 62
  63. 63. 63
  64. 64. 64
  65. 65. 65
  66. 66. A Confeitaria Colombo, localizada no centro, do Rio deJaneiro, fundada em 1894 pelos imigrantesportugueses Joaquim Borges de Meireles e ManuelJosé Lebrão, é hoje um dos pontos turísticos da cidade. 66
  67. 67. 67
  68. 68. 68
  69. 69. 69
  70. 70. joias Objetos decorativos 70
  71. 71. Linhas e formas vegetais na arte 71
  72. 72. A fotografiachega ao Brasil 72

×