Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A crise dos anos 30

19,419 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

A crise dos anos 30

  1. 1. A CRISE DOS ANOS 30 AS CAUSAS DA CRISE A) A CRISE DE SUPERPRODUÇÃOObserva atentamente este gráfico • Tudo vai ter o seu início nos EUAVamos tentar analisá-lo ? •Se observares o gráfico, reparas numa tendência de queda dos preços de vários produtos agrícolas a partir de 1927 (exceção ao preço do trigo no ano de 28 a 29) . Afinal o que se estava a passar? Porque estavam a baixar os preços agrícolas quando havia produtos em grande quantidade? Que fenómeno era este que os economistas não queriam ver , ou se viam, não queriam dizer a verdade? •Simplesmente estava a caminho uma CRISE DE SUPERPRODUÇÃO
  2. 2. A CRISE DOS ANOS 30 • AS CAUSAS DA CRISE • A) • A CRISE DE SUPERPRODUÇÃO 1• Não te esqueças que os EUA, apesar de ajudarem os países aliados durante a 1º Guerra, não sofreram a guerra no seu país e até ganharam dinheiro com empréstimos e investimentos no fim da guerra. Os EUA tornaram-se a potência mais rica do planeta.• Viviam-se os “loucos anos 20”, em que a riqueza a prosperidade a felicidade, o otimismo pareciam ser o futuro. Mas como vais verificar, tudo isto era uma falsa prosperidade, uma clima de progresso económico aparente. Porquê?• A) Como se vivia este clima, os empresários e produtoras produziam em grande quantidade, em “massa”, produtos agrícolas e industriais para ganharem fortunas, terem lucro.• B) A concorrência era feroz, exagerada entre eles, no sentido de venderem mais e mais.ORA, ISTO VAI LEVAR A UM PROBLEMA : PRODUTOS A MAIS PARA OS CONSUMIDORES QUE OS COMPRAVAM por outras palavras: A OFERTA DE BENS E PRODUTOS ERA MUITO SUPERIOR À PROCURA DE QUEM OS QUERIA COMPRAR
  3. 3. A CRISE DOS ANOS 30 • AS CAUSAS DA CRISE A) • A CRISE DE SUPERPRODUÇÃO 2• ENTÃO COMO RESOLVER ESTE PROBLEMA?A solução parece fácil, mas não é, e entra-se naquilo que se chama o ciclo clássicode SUPERPRODUÇÃO, típico do capitalismo- Os produtores e empresários baixam os preços dos produtos para assim tentarvender, “escoar os stocks” que vão armazenando.- Mas continua-se a produzir e, apesar da baixa de preços, os produtos são tantos quemuitos não são vendidos : acumulam-se em armazém- Para os vender os produtores e empresários, preferem perder dinheiro e vendê-losabaixo do custo de produção, isto é, o consumidor vai pagar pelo produto menos doque ele custou a produzir.- Mas mesmo assim, se os produtos não se conseguem vender, só existe umasolução: Destrui-los, isto é, destruir os stocks, para dar lugar a outros emarmazenamento. Só que isto traz:- Ruína de proprietários agrícolas e indústrias, falências de explorações agrícolase fábricas, de lojas.- E por arrastamento: desemprego, diminuição do poder de compra das pessoas,e mais falências.
  4. 4. A CRISE DOS ANOS 30 • AS CAUSAS DA CRISE B) A ESPECULAÇÃO BOLSISTA 1 • Como verificas neste gráfico existe uma subida•Observa o gráfico constante e muito forte quer da procura das ações quer do preço na Bolsa de Nova Iorque, atingindo o ponto máximo em 1929. •Afinal, o que estava a acontecer? Que razões explicam esta corrida louca às ações em Bolsa ? •Não te esqueças do que está no diapositivo 2 . Existia nos EUA um clima de grande “euforia” económica, de enorme otimismo, em que toda a gente achava que podia enriquecer, ou subir de nível de vida investindo na bolsa . •Assim , bancos, empresas, pessoas da classe média, compravam e vendiam ações na Bolsa no sentido de ganharem lucros com esse negócio. Existia assim desde o início dos anos 20, uma corrida muito grande às ações cotadas em bolsa.
  5. 5. A CRISE DOS ANOS 30 • AS CAUSAS DA CRISE B) A ESPECULAÇÃO BOLSISTA 2Mas, existiria algum problema nessa corrida às Ações bolsistas ?Sim , existiam e eram sobretudo de dois tipos: ambição descontrolada e falta de controlo e informaçãopor parte das autoridades financeiras. Expliquemos: A BOLSA É UM “JOGO” DE INVESTIMENTO , e comotodos os jogos, perde-se e ganha-se conforme os lucros os prejuízos das empresas cotadas em Bolsa.A- Muitas ações de empresas e particulares eram compradas não com dinheiro dos investidores, mascom dinheiro dos bancos, isto é, recorria-se ao crédito bancário para comprar ações bolsistas. Osbancos como viviam de lucro de empréstimos, emprestavam, muitas vezes sem atenderem à situação dequem pedia os créditos.B- Milhares de empresas estavam cotadas na Bolsa, mas o valor das suas ações não correspondia àsituação real dessas empresas, isto é , “enganavam o comprador das ações” que pensava que asempresas estavam de boa saúde económica, mas estas já se encontravam em situação difícil:-Ou porque se encontravam já em crise de superprodução-Ou procuravam o dinheiro da venda das ações para pagaram dívidas aos bancos, ou se modernizarem- Ou mesmo para se salvarem da falênciaCOM ESTAS DUAS “BOMBAS” PRESTES A EXPLODIR , O QUE VAI ACONTECER ?
  6. 6. O CRASH DA BOLSACRASH DA BOLSA DE NOVA IORQUE EM WALL STREET - DIA 24 de OUTUBRO DE 1929- “QUINTA – FEIRA NEGRA”- As ações foram baixando de preço desde Setembro, ou sejam foram sendo vendidasabaixo do preço a que tinham sido compradas, mas neste dia 13 milhões de açõespostas à venda em Wall Street não encontraram comprador. Foi o “estouro”, a quedada Bolsa, que teve de fechar para reorganizar o mercado.
  7. 7. A CRISE DOS ANOS 30 AS CONSEQUÊNCIAS ECONÓMICAS• Muitos que tinham aplicado o seu dinheiro, as suas PSICOLÓGICASeconomias em ações bolsitas ficam completamente SOCIAISarruinados, pois estas ficam ser valor. • Desespero, suicídio, revolta• Milhares de empresas que esperavam o dinheiro da • Com as falências,venda das ações para se salvarem, entram desemprego total ou parcial de • Em muitos países,imediatamente ou nos dias seguintes em falência. milhões de trabalhadores principalmente na Europa,• Milhares de bancos, principalmente pequenos perde-se confiança nosbancos entram em bancarrota por duas razões: • Muitas pessoas da classe políticos, na democracia e média que viviam das muita gente começa a- Como muitas empresas entram em falência, muitos poupanças, ou tinham acreditar em soluçõesbancos que lhes tinham emprestado dinheiro por milagrosas ouarrastamento , como não vão conseguir o dinheiro investido na Bolsa ficam “ homens salvadores” –emprestado, entram em falência também. arruinadas, na miséria futuros ditadores- Aqueles que tinham dinheiro nos bancos, comoperderem confiança, vão levantar em grande • Miséria, “sopa dos pobres”,quantidade o dinheiro depositado. Muitos bancos não aumento da vagabundagem,tinham dinheiro “em caixa” para estes levantamentos marginalidade, criminalidadee entram em falência
  8. 8. A CRISE DOS ANOS 30 AS CONSEQUÊNCIAS Observa estes dois gráficos• No gráfico da esquerda, repara na queda brutal da produção nos países representados, principalmentenos EUA.• No gráfico da direita, repara que são dois gráficos quase simétricos , mas invertidos, isto é, quanto maisbaixava a produção industrial , paralelamente mais aumentava o desemprego.• A partir de 1932, dá-se o contrário com ligeiras oscilações: aumenta a produção industrial, a tendênciada taxa de desemprego diminui . (perceberás as razões mais à frente)
  9. 9. A GRANDE DEPRESSÃO Usa-se esta expressão quando nos referimos à crise mundial, isto é, quando ela já se tinha espalhado pelo Mundo. Até é costume representá-la por um cartaz muito célebre e sugestivo. MAS AFINAL : COMO SE EXPLICA QUE UMA CRISE QUE SE INICIOU NOS EUA SE TORNE MUNDIAL E ATINGA DIVERSOS PAÍSES E CONTINENTES? A - Os EUA Tinham, ajudado a Europa durante a Guerra e no pós-guerra, agora em crise profunda: - Deixam de comprar produtos a vários países, adotando medidas protecionistas para salvar a sua economia. - Muitas empresas americanas em dificuldades fecham e deixam de fazer investimentos na Europa e noutros Continentes. - Muitos bancos americanos retiram capitais da Europa, o que leva muitas empresas e bancos europeus dependentes destes bancos do EUA a entrarem em falência -Os EUA exigem a muitos países os empréstimos concedidosB – Com a crise os EUA e Países Europeus deixam de importar matérias – primas de paísespobres da África, Ásia e América do Sul, e estes como viviam destas exportações para tentarsalvar a sua balança comercial, vão passar a ter graves problemas económicos e sociais.
  10. 10. A GRANDE DEPRESSÃO A queima, destruição de café no Brasil A “sopa dos pobres” Abandono dos camposA fome, a miséria O Desemprego
  11. 11. A SOLUÇÃO PARA A CRISE O NEW DEAL AGRICULTURAFRANKLIN • Redução das áreas de cultivo em troca de indemnizações aos agricultores (a baixava-se a produção e estabilizavam-se os preços)ROOSEVELT • Ajuda às associações de agricultores – produtores e cooperativas • Permissão dos agricultores mais necessitados recorrerem ao crédito com baixo juro. INDÚSTRIA • Regulamentação da concorrência • Controlo da produção BANCA/ FINANÇAS/COMÉRCIO • Medidas de controlo da bolsa e da banca • O Estado garantia aos pequenos depositantes os seus depósitos nos bancosEm, 1932, a Crise estava no seu pontoalto. Nas eleições para a presidência • Desvalorização do dólar para assim estimular as exportaçõesdos EUA, apresenta o New Deal ( NovaDistribuição, Novo Contrato) comosolução para ultrapassar a crise, ou EMPREGO/ CONDIÇÕES SOCIAISseja, propõe que seja o Estado aintervir e regular a economia. Ganha • Lançamento de grandes obras públicas para desenvolver a economia e criaras Eleições e põe o seu plano em empregos ( pontes, barragens, estradas, escolas, hospitais etc. )prática. Foi inspirado nas ideias doeconomista britânico Keynes. • Salário mínimo ; fixação de um horário semanal de trabalho; Subsídio deEm 1939, os EUA conseguem a desemprego; seguro de velhice; aumento impostos sobre grandes rendimentos;recuperação da sua economia. liberdade sindical.

×