Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Arquitetura ecológica PHI

10,203 views

Published on

Técnicas de Arquitetura Ecológica existentes
www.phi.arq.br

Published in: Technology, Education

Arquitetura ecológica PHI

  1. 1. PHI – PlanejamentoHumanoIntegrado<br />ArquiteturaEcológicawww.phiarq.com<br />
  2. 2. Bioarquitetura<br />É um modo de planejar a construção que busca ter o mínimo impacto ambiental, aproveitando o que se pode conseguir na região, evitando desperdícios, respeitando todas as formas de vida, atraindo a harmonia, praticando a interdisciplinaridade com outras áreas do conhecimento humano, e assim colaborando, para a sustentabilidade e o progresso da humanidade. <br />Dentre algumas das técnicas usadas na bioconstrução encontram-se:<br />Adobe, Superadobe, Taipa de mão ou sopapo, Taipa de Pilão, Bambu, Solocimento, Cascaje, Reciclagem, Reuso de águas servidas, Tratamento biológico de esgoto, Teto verde, Jardim vertical, Entre diversas outras que respeitam a vida, o meio-ambiente e proporcionam um ambiente integrado com a natureza humana.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  3. 3. Fundação e Paredes<br />A fundação pode ser feita de diversas formas, segue algumas delas:<br />Pedras:<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  4. 4. Fundação e Paredes de Pedra<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  5. 5. Fundação e Paredes de Pneu<br />As paredes têm muito contato com a terra devido a sua largura. Se a terra local for basicamente estável, não será necessária a utilização de fundações de concreto. As filas iniciais de pneus podem ser colocadas diretamente na terra.<br />Cada pneu será cheio com terra e esta será compactada dentro de toda cavidade do pneu. Este enchimento continuará até os pneus começarem a se deformar e se expandir (para cima). Os pneus das filas de cima serão cheios até se deformarem e se encaixarem uns nos outros, criando uma ligação mecânica forte dentro das camadas subseqüentes.<br />Para criar uma superfície mais lisa e evitar o consumo excessivo de massa no enchimento das lacunas entre os pneus. Uma camada final de gesso ou cal pode produzir uma superfície lisa e limpa.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  6. 6. Fundação e Paredes de Pneu<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  7. 7. Fundação e Paredes de Pneu<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  8. 8. Superadobe<br />Técnicaqueganhou o simpósiopromovidopela NASA. Criado por NaderKhalili, arquiteto iraniano radicado nos Estados Unidos, o super adobe surpreendeu por evitar que grandes quantidades de material tivessem que ser levados ao espaço. Consiste na utilização de sacos de propileno preenchidos com terra que são pilados e sobrepostos formando as paredes. Suas características;<br /> Excelente conforto termoacústico,<br />Construçãorápida,<br />Nãoncessitamão de obraespecializada,<br />Praticamentequalquer solo pode ser utilizado,<br />Pode ser usadoparaconstruirdesde a fundaçãoaté o teto.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  9. 9. Fundação e Paredes de Superadobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  10. 10. IPEC - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  11. 11. Fundação e Paredes de Solocimento<br />O solocimentoconsisteemumamistura de 5 a 12% de cimento com terra (70% areia e 30% argila) umedecidoemáguaessamisturatantopode ser usada com a técnicadataipa de pilão, superadobeoutijolosemprensas.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  12. 12. Tijolos de Solocimento<br />Solo-cimento é o material obtido pela mistura de solo, cimento e água. O tijolo deste material é feito pela prensa, manual ou automatizada, dessa mistura. Após a prensa ele passa pela cura e secagem, não sendo necessária sua queima. O tijolo de solo-cimento também é conhecido como tijolo modular ou ecológico. Ecológico pela expressiva redução do consumo de energia, já que não é necessária a queima do tijolo.<br /> Custo cai de 40 a 70% em relação às construções usadas normalmente,<br />Rápidaconstrução,<br />Obralimpa e prática, nãousamassa de assentamento,,<br />Consomemenosferro e concreto, dispensamadeira, estribos e arame,<br />Bomconfortotermoacustico.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  13. 13. Tijolos de Solocimento<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  14. 14. Tijolos de Solocimento<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  15. 15. Tijolos de Solocimento<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  16. 16. Tijolos de Solocimento<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  17. 17. Paredes de Taipa de Pilão<br />A técnica consiste em comprimir a terra em fôrmas de madeira no formato de uma grande caixa, onde o material a ser socado é disposto em camadas de aproximadamente quinze centímetros de altura. Essas camadas são reduzidas à metade da altura pelo processo de piloamento. Quando a terra pilada atinge mais ou menos 2/3 da altura do taipal, recebe, transversalmente, pequenos paus roliços envolvidos em folhas, geralmente de bananeiras, produzindo orifícios cilíndricos denominados "cabodás" que permitem o ancoramento do taipal em nova posição. Essa técnica é usada para formar as paredes externas e as internas, estruturais, sobrecarregadas com pavimento superior ou com madeiramento do telhado.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  18. 18. Paredes de Taipa de Pilão<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  19. 19. China A Grande Muralha<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  20. 20. Alemanha<br />A edificação mais alta da Europa construída em terra está em Weilburg, Alemanha. O edifício foi concluído em 1828 e está ainda habitado.<br /> Todos os pavimentos e o teto descansam em muros maciços de terra (taipa-de-pilão) de 75cm de espessura na base e 30cm no topo.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  21. 21. Taipa de Pilão<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  22. 22. Adobe<br />Adobes são tijolos de terra crua, água e palha e algumas vezes outras fibras naturais, moldados em fôrmas por processo artesanal ou semi-industrial.<br />A construção feita com este tijolo torna-se muito resistente, e o interior das casas muito fresco, suportando muito bem as altas temperaturas.<br />Baixo custo,<br />Conforto térmico e acústico,<br />Uso de material regional, <br />Pode ser preparado no próprio local da construção,<br />Rapidez na preparação dos tijolos.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  23. 23. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  24. 24. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  25. 25. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  26. 26. Hotel In of the Anasazi - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  27. 27. Hotel In of the Anasazi - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  28. 28. Hotel In of the Anasazi - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  29. 29. Hotel In of the Anasazi - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  30. 30. Hotel In of the Anasazi - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  31. 31. Hotel In of the Anasazi - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  32. 32. Hotel In of the Anasazi - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  33. 33. Hotel Loretto - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  34. 34. Hotel Loretto - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  35. 35. Hotel Loretto - New Mexico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  36. 36. Hotel Spa Tierra - Atacama<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  37. 37. Bam - Irã<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  38. 38. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  39. 39. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  40. 40. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  41. 41. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  42. 42. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  43. 43. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  44. 44. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  45. 45. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  46. 46. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  47. 47. Adobe DetalheEsquadria<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  48. 48. Detalhe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  49. 49. Taipa de sopapooupau a pique<br />Também chamada de, taipa de sebe, barro armado, é uma técnica em que as paredes são armadas com madeira ou bambu e preenchidas com barro e fibra. A matéria-prima consiste em trama de madeira ou bambu, cipó ou outro material para amarrar a trama, solo local, água e fibra vegetal, como capim ou palha. O solo local e água são amassados com os pés e, depois de homogeneizados, são misturados à fibra e a massa é usada para preencher a trama. Normalmente usada para erguer parede estrutural ou de vedação. <br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  50. 50. Taipa de sopapooupau a pique<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  51. 51. Taipa de sopapooupau a pique<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  52. 52. Porquecontruir com terra crua?<br />O barro possui excelentes propriedades para se utilizar em construção:<br /> Resiste séculos com pouca manutenção e protegida de umidade, <br /> Baixo custo, <br />Prático; fácil de achar e usar, nãocontamina o solo no descarte,<br /> Plasticidade, estéticaagradável,<br />Salubridade, proporcionaexcelenteconfortoambientalatravezdaregulaçãodaumidade e temperatura,<br />Devido à alta capilaridade e ao baixo equilíbrio de umidade, o material totalmente envolto ao barro e sem contato com o exterior se mantém protegido de fungos e insetos que não conseguem se proliferar,<br />Nãoacumulapoeira.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  53. 53. Curiosidades:<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  54. 54. Curiosidades:<br /> Seu traçado histórico é incerto, mas datações mais antigas remetem a região da Mesopotâmia e antigo Egito.<br /> Cerca de 1/3 da população mundial vive em edificações com terra crua.<br />Construçãoem terra, foitrazidapelosPortugueses e Africanos.<br /> A edificaçãomaisalta do mundoem terra crua é o MinaretalMuhdhar mosque, Tarim, Iemen, com 53 metros de altura e construida em adobe.<br /> O desaparecimentodaarquiteturaem terra no Brasil se deve à industrialização, issofacilitou a execução das construções e a realização de grandesobras. Além disso, surgiu a necessidade de combater a Doença de Chagas.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  55. 55. Curiosidades:<br />O triatoma (bicho barbeiro) é um inseto silvestre que se alimenta do sangue de animais como roedores, aves, tatus, tamanduás, e outros animais da floresta, que NÃO desenvolvem a Doença de Chagas. Com a extinção das florestas e da fauna silvestre, os triatomas, muito resistentes, migram para os domicílios rurais e passam a se alimentar dos animais domésticos e do homem. Nas casas se alojam em locais abrigados da luz: camas, sofás, quadros na parede, frestas, telhas, e qualquer outro abrigo.<br />A má fama das casas de taipa, decorre das paredes mal executadas e sem rebocos, que racham com a retração da argila, que propiciam vários ecótopos para instalação dos triatomas. Porém casas de tijolos, mal construídas, mal conservadas e sujas, também abrigam triatomas e põem em risco a saúde de seus moradores.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  56. 56. Cascaje<br />Técnicaquedesenvolvida no TIBÁ queconsisteempainéisabobadadosfeitos de cimento, areia e tela. São peças pré-moldadas com espessura de 1,2cm e altura de 12cm. Características:<br /> Suporta até 920kg/m²,<br />Econômica,<br />Fácil de fazer,<br />Vãomáximo de até 4m,<br />Largura de 5ocm,<br />Pode ser usadocomolajeouteto. <br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  57. 57. Cascaje<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  58. 58. Porqueter um tetoverde?<br />Coberturas verdes contribui para uma construção ecológica e econômica. Como seguinte descrito eles também contribuem para:<br />Reduzir áreas impermeáveis prevenindo os alagamentos,<br />Produz oxigênio e usa dióxido de carbono,<br />Filtra e absorve poeira e partículas de sujeira do ar,<br />Reduz o ciclo de temperaturas no ciclo dia e noite, por ficar menos sujeira suspensa,<br />Reduz a oscilação da umidade do ar,<br />Fauna,<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  59. 59. Porqueter um tetoverde?<br />Uma construção bem feita, tem uma duração de vida ilimitada,<br />Atuam no isolamento térmico,<br />Protege áreas habitadas no verão da intensidade dos raios solares,<br />Diminuem os barulhos,<br />Não são inflamáveis,<br />Retarda o escoamento da água da chuva, aliviando com isso a rede de esgoto,<br />As ervas geram um aroma,<br />Permite que se estabeleçam no telhado outros modos de vida para insetos em geral,<br />A cobertura verde além de estético tem efeito benéfico para o bem estar dos habitantes.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  60. 60. Teto Verde <br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  61. 61. Teto Verde -ACROS Fukouka Building in Japan<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  62. 62. Teto Verde - FriedensreichArquiteto<br />Austria – Waldspirale<br />Hundertwasse<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  63. 63. Tetoverde - Noshina Hotel<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  64. 64. Tetoverde - Escola de Arte em Cingapura <br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  65. 65. Tetoverde<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  66. 66. Sistemas e TratamentoEcológicos<br />Fossa séptica,<br />FiltrosBiológicos,<br />BanheiroSeco,<br />Biodigestor,<br />Reuso de águascinzas,<br />Captação de água pluvial,<br />Energiaalternativa.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  67. 67. Sistemas e TratamentoEcológicos<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  68. 68. Sistemas e TratamentoEcológicos<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  69. 69. Sistemas e TratamentoEcológicos<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  70. 70. ÁguaConsumo<br />Média de 200L por pessoa por dia<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  71. 71. Captação de águaspluviais<br />Consisteemcanalizar a águaquecai do telhadoemdias de chuva, para um reservatórioonde é filtrado antes daentrada e armazanadaparausosfuturos.<br />Economia de água,<br />Evitadesperdícios,<br />Nãosobrecarrega a rede de drenagem, evitandoenchentes,<br />Baixocusto e simples.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  72. 72. Captação de águaspluviais<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  73. 73. Reuso de água<br />Funcionadaseguinte forma:<br /> A águaservida de pias e chuveiros, sãofiltradas, reservadasem um tanque e reutilizadasparadescargas, lavagem de carro, chão, animais e rega do jardim. <br />Economia de água,<br />Evitadesperdícios,<br />Nãosobrecarrega a rede de esgoto,<br />Baixocusto e simples.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  74. 74. Reuso de água<br />Água Negra = 50litros dia<br />Água Cinza = 150litros dia<br />Filtro séptico = 1 m³ por pessoa<br />Zona de raizes = 1m² pessoa<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  75. 75. Sistema de Reuso<br />Ambiente Aeróbico<br />Caixa de distribuição<br />Ambiente Anaeróbico<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  76. 76. Fossa de EvapotranspiraçãoouBananeiras<br />Não contamina o solo nem lençol freático,<br />Simples de fazer,<br />Estéticaagrádavel.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  77. 77. Fossa de EvapotranspiraçãoouBananeiras<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  78. 78. Fossa de EvapotranspiraçãoouBananeiras<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  79. 79. Fossa de EvapotranspiraçãoouBananeiras<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  80. 80. Sistemas de TratamentoEcológicos<br />BanheiroSeco<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  81. 81. Sistemas de TratamentoEcológicos<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  82. 82. Sistemas de TratamentoEcológicos<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  83. 83. Sistemas e MateriaisEcológicos<br />Argamassas ecológicas; blocos cerâmicos e blocos de concreto reciclado; cal obtida sem emissão de gás carbônico; cimentos fabricados com resíduos industriais; colas de base d’água; base vegetal e sem odor; energia eólica; energia solar; mini-estações de tratamento e reuso de água e esgoto; painéis divisórios reciclados e de resíduos vegetais; paisagismo sustentável; pisos ecológicos; resinas ecológicas e à base de água; sistemas de captação e aproveitamento de água de chuva; sistemas para controle e gestão dos resíduos domésticos; telhas e cumeeiras recicladas; tijolos sustentáveis; tintas atóxicas; tubos e conexões de plástico atóxico (sem PVC) e de plástico reciclado; vernizes ecológicos.<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  84. 84. Biodesign - Henrique Pinheiro - Teresópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  85. 85. Biodesign - Henrique Pinheiro - Teresópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  86. 86. Biodesign - Henrique Pinheiro - Terezópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  87. 87. Biodesign - Henrique Pinheiro - Teresópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  88. 88. Biodesign - Henrique Pinheiro - Teresópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  89. 89. Biodesign - Henrique Pinheiro - Teresópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  90. 90. Biodesign - Henrique Pinheiro - Teresópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  91. 91. Biodesign - Henrique Pinheiro - Teresópolis de Goiás - Goiás<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  92. 92. Detalhes<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  93. 93. Adobe<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  94. 94. Iemên<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  95. 95. Iemên<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  96. 96. Iemên<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  97. 97. Iemên<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  98. 98. Forma orgânica e contemporânea<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  99. 99. Forma orgânica e contemporânea<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  100. 100. Forma orgânica e contemporânea<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  101. 101. Forma orgânica e contemporânea<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  102. 102. Forma orgânica e contemporânea<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  103. 103. Angra dos Reis - MareinesPatalano Arquitetura<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  104. 104. Angra dos Reis - MareinesPatalano Arquitetura<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  105. 105. Angra dos Reis - MareinesPatalano Arquitetura<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  106. 106. Angra dos Reis - MareinesPatalano Arquitetura<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  107. 107. Angra dos Reis - MareinesPatalano Arquitetura<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  108. 108. Construção com Terra America<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  109. 109. Construção com terra Europa<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  110. 110. Construção com Terra Africa<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  111. 111. Construção com Terra Asia e Austrália<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegradowww.phiarq.com<br />
  112. 112. Arquitetos: <br />Argeu Q. Gurgel<br />OscarBarreto de Queiroz<br />contato@phiarq.com<br />PHI – PlanejamentoHumanoIntegrado<br />ArquiteturaEcológicawww.phiarq.comhttp://picasaweb.google.com/arqgurgel<br />

×