ENTREVISTA COM JOÃO                   SÉRGIO       RAMALHO         SÉ    –    CANÁRIOBRASILEIRINHO     Autor: César Wences...
HISTÓRICO DA RAÇA: CANÁRIO BRASILEIRINHO        Origem: São José do Rio Preto - BRASIL.        Criador: JOÃO SERGIO RAMALH...
Em concurso se apresentam como o canário gloster, de acordo com a relaçãoMelanina-Lipocromo, 9 classes para sem topete e 9...
Todas as cores são admitidas, inclusive com fator. Sendo um pássaro de forma, aplumagem deve ser curta e a mais compacta p...
5) O Brasileirinho é um canário com traços totalmente diferenciados emarcantes. Dentre estes, o padrão prevê um tamanho de...
vermelha (pense em um canário pintado de cobre e vermelho intenso). O topete aumenta adisponibilidade para o criador entra...
12) Nos últimos dois anos, durante a realização do Campeonato Brasileiro,pude ver alguns canários Brasileirinhos, e a evol...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Artigo sobre o Canário Brasileirinho - www.criadornovageracao.blogspot.com

4,529 views

Published on

HISTÓRICO DA RAÇA: CANÁRIO BRASILEIRINHO

Published in: Lifestyle, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,529
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,274
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Artigo sobre o Canário Brasileirinho - www.criadornovageracao.blogspot.com

  1. 1. ENTREVISTA COM JOÃO SÉRGIO RAMALHO SÉ – CANÁRIOBRASILEIRINHO Autor: César Wenceslau Revista CCCC 2009 1) No Brasil, o segmento de canários de porte é, de modo geral, poucoconhecido pela população, e algumas raças geram até certo desconforto ao públicoleigo. Você acha que o reconhecimento de uma raça de canários de porte tipicamentenacional pode ajudar a difundir a criação de canários de porte no país? R. Eu não entendo dessa maneira. Em meu ponto de vista o segmento de porte é osegundo em interesse de criação no Brasil e se compararmos proporcionalmente em relaçãoaos canários de cor vem aumentando a quantidade de canários exposto no brasileiro e emalguns clubes os canários de porte já são a maioria. O reconhecimento desta raça comcerteza aumentará o interesse. 2) Como surgiu o canário Brasileirinho? De onde veio a idéia de criar uma raçade canários de porte Brasileira? R Em 2000, o ano que me tornei juiz, eu e o também Juiz de canários de porteAntonio Carlos Lemo, durantes os muitos julgamentos que fizemos, conversávamos e nosincentivávamos a criar uma raça de canários de porte. Não sei se fui eu, ou ele, quemcomeçou a falar em criar esta raça, mas não tem mais importância. Ele talvez por ser muitoatarefado, com a gráfica que tem e com a revista da FOB, acabou não levando a idéia emfrente. Em 1997, houve algumas mudanças na raça Gloster, que os criadores passaram avalorizar os pássaros mais cabeçudos e com o peito mais cheio e conseqüentemente otamanho aumentou muito, eu como gostava e achava que os pequenos voltariam a seremmais valorizados continuei a criar com três, quatro casais. Em 2000, 2001 vi que isto nãoaconteceria. Então com a seleção rigorosa para o tamanho, vi que, com a mudança dealgumas características poderia fazer um novo canário, o que seria o primeiro canário deporte do Brasil. 3) Quais as principais dificuldades encontradas durante o processo deformação e seleção do Brasileirinho? Há quantos anos você vem se dedicando àseleção deste canário? R Desde 1997, venho selecionando estes pássaros, já são doze anos. A maiordificuldade vem sendo a diminuição da cauda, pois como se sabe, não se conhece atransmissão genética das características de um canário de porte. Até eu compreender comoé feita esta transmissão, sofri muito.
  2. 2. HISTÓRICO DA RAÇA: CANÁRIO BRASILEIRINHO Origem: São José do Rio Preto - BRASIL. Criador: JOÃO SERGIO RAMALHO SÉ Tempo de fixação das características da raça: dez anos. Crio canário desde os dez anos, e sou um apaixonado pela seleção e transformaçãodas qualidades dos pássaros, em 1997 já criava mais de 100 casais de canários de cor eporte, entre eles gloster com topete e sem topete. Nessa época mudanças na raça glosterque aumentaram substancialmente a caixa (peito) e a cabeça e, conseqüentemente otamanho; fizeram com que os criadores, para competirem, mudassem radicalmente o seuplantel para essas novas características. Eu criava com vinte casais de gloster e tambémcomecei a mudança, mas com receio de que a moda não vingasse, considerei acasalartodos os anos dois ou três casais do padrão antigo, ou seja: canários extremamente curtos.Com o passar dos anos não houve retorno àquelas características dos gloster, mascontinuei criando esses canários. A pressão de seleção para canários extremamente curtos, modificouconsideravelmente as características dos canários gloster tanto com e sem topetes e,considerei a possibilidade, de que, se acrescentando algumas outras características,surgiria uma nova raça de canário de porte, a primeira do Brasil. O tamanho da cauda foi o maior desafio, pois levei muitos anos para conseguir quea mesma alcançasse apenas três centímetros, um centímetro embaixo das asas e doisexpostos. O corpo roliço, como o de uma pombinha, o peito proeminente, a cabeçamiúda e a cauda curta, são as características mais marcantes nesse canário extremamentebelo e delicado que encanta a todos. 4) Qual é o padrão do canário Brasileirinho? O BRASILEIRINHO IDEAL: É um pássaro muito pequeno, somente dez centímetros, o menor canário do mundo. O topete é redondo muito pequeno, simétrico e aderente à nuca com seu pontocentral irradiando penas curtas. O canário sem topete possui a cabeça pequena e redonda, olhos mais próximos dobico e, como nos miniaturas seu bico deve ser muito pequeno. O pescoço é muito curto, sendo junto à cabeça mais estreito e junto ao corpo maislargo, dorso e ombros largos com peito proeminente de pomba. São aceitas todas as cores inclusive com fator, a plumagem deve ser muitocompacta e sem penas soltas em toda sua extensão. Como o gloster, sua postura é de aproximadamente 45 graus em relação àhorizontal. A cauda é extremamente curta com somente três centímetros ou menos, compacta ealinhada com o resto do corpo. As pernas com coxas dissimuladas na plumagem, são implantadas no corpoligeiramente atrás do seu ponto mediano de equilíbrio. Saúde perfeita, agilidade, limpeza,canelas curtas, dedos e unhas perfeitas completam o conjunto. Todas essas características aliadas à forma de pombinha dão ao canário umaencantadora beleza que agrada a todos.
  3. 3. Em concurso se apresentam como o canário gloster, de acordo com a relaçãoMelanina-Lipocromo, 9 classes para sem topete e 9 para com topete. Tabela de pontuação VALOR No DEITEM MB B R F MAX. PONTOS1-CAUDA ( 3CM ou 25 2 3 4a5 6 ou +MENOS)2-TAMANHO (10 CM) 20 2 3 4 5 ou +3-FORMA 10 1 2 3 4 ou +4-CABEÇA/TOPETE 10 1 2 3 4 ou +5-PEITO DE POMBA 10 1 2 3 3 ou +6-POSIÇÃO (45GRAUS) 5 0 0a1 1a2 2 ou +7-PESCOÇO 5 0 0a1 1a2 2 ou +8-PLUMAGEM 5 0 0a1 1a2 2 ou +9-PERNAS E PÉS 5 0 0a1 1a2 2 ou +10-CONDIÇÃO GERAL 5 0 0a1 1a2 2 ou +TOTAL MAX. 100 COMENTÁRIOS SOBRE OS ITENS DA TABELA. 1 - CAUDA – 25 PONTOS. A cauda é o item mais importante, não pode exceder 04 cm. O objetivo é dois cmexposto e um cm embaixo das asas. 2 -TAMANHO - 20´PONTOS O tamanho gira em torno de 10cm a 11cm, pássaros acima disso devem serdesclassificados. Para conseguir isto, deve-se dividir o pássaro em três, e trabalhar adiminuição nas três partes: Cabeça/pescoço – corpo – cauda. 3 - FORMA - 10 PONTOS Forma arredondada traços equilibrados dão as características que harmonizam oconjunto, que tem o desenho de uma pombinha. 4 - CABEÇA/TOPETE - 10 PONTOS Uma cabeça pequena e redonda com olhos mais próximos do bico. Topeteredondo, com penas curtas que se irradiam do centro sem cobrir os olhos. Deve ser bemassentado. Topete levantado na nuca deve ser penalizado com rigor. 5 - PEITO DE POMBA - 10 PONTOS Peito proeminente, amplo e arredondado por todos os ângulos sem tirar a beleza dopássaro (Forma de pomba). 6 - POSIÇÃO (45 GRAUS) - 5 PONTOS Pássaros altivos ou muito na horizontal devem ser penalizados. 7 - PESCOÇO - 5 PONTOS O pescoço deve ser curto, afunilando em direção à cabeça que é muito pequena. 8 - PLUMAGEM - 5 PONTOS
  4. 4. Todas as cores são admitidas, inclusive com fator. Sendo um pássaro de forma, aplumagem deve ser curta e a mais compacta possível, frisos, penas soltas e longas não sãotoleradas. 9 - PERNAS E PÉS - 5 PONTOS Pernas curtas como deve ter um pássaro miniatura, a coxa não deve estar aparente,pés e dedos perfeitos sem escamas. 10- CONDIÇÕES GERAIS - 5 PONTOS Limpeza, saúde perfeita e pássaros calmos são o ideal. RESUMO TÉCNICO DA RAÇA BRASILEIRINHO. 1-CAUDA - 25 PONTOS Característica mais importante, penas na cauda de três a quatro cm no máximo. 2-TAMANHO - 20 PONTOS Corpo e cauda bem curtos, com 10 a 11 cm. 3 -FORMA - 10 PONTOS Forma arredondada, sem tirar a beleza do conjunto com formato de pomba. 4 –CABEÇA /TOPETE – 10 PONTOS Cabeça pequena com topete redondo e bem curto. 5-PEITO DE POMBA - 10 PONTOS Peito proeminente, sem perder a forma arredondada. 6-POSIÇÃO (45 GRAUS) - 5 PONTOS Aproximadamente 45 graus com a horizontal, como o canário gloster. 7 -PESCOÇO - 5 PONTOS Pescoço curto, afunilando em direção corpo /cabeça. 8 -PLUMAGEM - 5 PONTOS Plumagem curta e aderente, todas as cores são admitidas inclusive o vermelho. 9 -PERNAS E PÉS - 5 PONTOS Coxas invisíveis, pernas curtas, pés e unhas limpos e perfeitos. 10 -CONDIÇÃO GERAL - 5 PONTOS Pássaro saudável, limpo e calmo. Gaiola tipo canário de cor.(Poleiro distante 7,5 cm). Anilhas - 2,7 de diâmetro . DEFEITOS DESCLASSIFICANTES: -Cauda com tamanho superior a 4 cm. -Pássaro com cabeça/ ou topete muito grande, como o gloster . -Pássaro com tamanho acima de 11cm . -Corpo muito fino que estrague a forma de pomba. -Forma do canário Fife-fancy.
  5. 5. 5) O Brasileirinho é um canário com traços totalmente diferenciados emarcantes. Dentre estes, o padrão prevê um tamanho de 10cm e a cauda curta, comno máximo 2 cm aparentes. Isto é uma realidade? Já existem aves com estascaracterísticas? R Já existem pássaros que poderíamos classificar com noventa pontos. É claro quetemos que trabalhar muito ainda, mas a raça de um canário nunca para de evoluir, quandoalcançamos o que planejamos, projetamos novas metas e aí vai , não para nunca 6) Em nosso país, as raças de canários com topete são bastante populares,sendo o Gloster a mais difundida. O fato do Brasileirinho possuir topete tem algumarelação com esta popularidade? R. A raça do canário Brasileirinho foi pensada por muito tempo para ser o canáriomais popular do Brasil por ser a primeira de porte brasileira, e com certeza a maisinteressante, pois alem de ter todas as divisões para concurso como o Gloster, ela terá a cor
  6. 6. vermelha (pense em um canário pintado de cobre e vermelho intenso). O topete aumenta adisponibilidade para o criador entrar em concurso. 7) Em se tratando de um canário que tenha traços que o caracterizem comobrasileiro, a meu ver, seria interessante que os Brasileirinhos fossem canários defundo amarelo pintados (pintados de verde e amarelo). Sabemos que isto é inviável,pois sempre surgirão canários melânicos e lipocrômicos juntamente à criação depintados. Neste aspecto, sobre as cores de fundo: serão permitidos Brasileirinhos comas três cores de fundo (branco, amarelo e vermelho)? Haverá uma valorização dosexemplares pintados em relação à melânicos ou lipocrômicos? R. Sobre as cores do Brasil, que eu gosto muito, restringiríamos muito as inscriçõespara concurso, foi me sugerido que os mesmo só tivessem a cor canela, seria muitointeressante,mas do mesmo jeito, diminuiria muito para concurso e como já dissemos ocanário veio para ser o mais popular do Brasil. Quanto à relação entre os pintados e osoutros, não haverá nenhuma distinção entre eles. Lutaremos para que sejam permitidastodas as cores, inclusive a vermelha, que a meu ver será a mais interessante. 8) Quantos canários Brasileirinhos você possui atualmente? Há um plantelconsolidado com aves apresentando as características desejadas? R Por ser uma raça em formação, a pressão de seleção é muito rigorosa. Então nãopodemos criar com pássaros, que estão muito longe do padrão. E como todo o plantel,temos uma parte com características muito boas e outra parte com nem tanto, mas compossibilidades de geneticamente continuar o trabalho. Devo criar 2009 com cinqüentacasais de brasileirinho, em 2010, criaremos com cem casais 9) Como é a criação deste canário? São aves prolíficas e que cuidam bem dosfilhotes? R São canários como o Gloster muito fácil de criar. Tratam muito bem dos filhotes,quase sem ajuda. 10) Como está sendo a receptividade e a procura por parte dos criadores decanários com relação ao Brasileirinho? R O interesse é muito grande, e o incentivo me surpreende e quero agradecer atodos de coração. 11) Existe algum outro criador de canários que possui e também está sededicando ao Brasileirinho? R Não existe nenhum criador que tem canários da minha linhagem. Tem um criadorde Brasília, que também é juiz, e disse que esta trabalhando com alguns canários, estascaracterísticas. No final de 2010, após a criação iniciarei as vendas.
  7. 7. 12) Nos últimos dois anos, durante a realização do Campeonato Brasileiro,pude ver alguns canários Brasileirinhos, e a evolução que estes vêm apresentando éevidente. Em relação ao processo de reconhecimento e homologação do Brasileirinhojunto à FOB e OBJO: como está o andamento? Há alguma previsão para que estasaves comecem a se apresentar em concursos? R Não, não há previsão para concurso. Em relação ao corpo de juízes de porte, meparece que a maioria concorda que temos condições de realmente almejar estereconhecimento. É preciso que todos encarem esse desafio como um projeto de todos, poiseu somente dei o pontapé inicial, e as etapas seguintes são: --Aceitação pelos criadores (O que é uma realidade, todo mundo gosta.). --Reconhecimento e orientação pelo corpo de juízes --Reconhecimento pela FOB. --Reconhecimento pela Federação Mundial de Ornitologia. 13) Quais são as suas expectativas com relação ao futuro do canárioBrasileirinho? R Eu sou positivo por natureza, portanto as minhas expectativas são as melhores, Que o nosso canário de porte alce vôos cada vez mais altos e que além do Brasilalcance o mundo todo. Gostaria de agradecer João Sé pela atenção dispensada e por ter aceitadoparticipar desta entrevista, que teve como objetivo esclarecer dúvidas sobre seuprojeto do Canário Brasileirinho. NOTA DO AUTOR (20/07/2011): João Sérgio Ramalho Sé continuadesenvolvendo a raça, e vem apresentando aves nos últimos Campeonatos Brasileiros.Neste ano de 2011, apresentou aves com excelente padrão dentro do proposto, e em visitarecente ao seu criadouro, pude verificar que além das aves apresentadas, existem muitasaves dentro do padrão proposto, e com tamanho bastante reduzido. Estamos torcendo edesejando bastante sorte ao João Sé para que consiga obter a homologação da raça.

×