Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentação homeopatia 2014

1,252 views

Published on

  • Be the first to comment

Apresentação homeopatia 2014

  1. 1. Caso Clínico Verrugas Plantares e Homeopatia António Ramos Porto – 8 de fevereiro de 2014
  2. 2. Caso Clínico António Ramos, Podologista, frequentou o primeiro curso de Podologia em Portugal, em 1994. 1999 - Bacharelato pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte. 2000 - Diretor Clínico há 14 anos do Consultório de Podologia, em Penafiel. 2002 - Licenciado pelo Instituto Politécnico de Saúde do Norte. 2010/2012 - Especialista em Podiatria infantil pela Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa.
  3. 3. Caso Clínico Verrugas Plantares DEFINIÇÃO - Tumoração epitelial benigna, circunscrita e encapsulada, altamente vascularizada, causada pelo vírus PVH. - Composta por tecido fibroso conjuntivo, e no interior, por papilas e capilares hipertróficos.
  4. 4. Caso Clínico Verrugas Plantares DEFINIÇÃO - Formadas por uma zona central onde se situa o núcleo. - Para se desenvolverem é necessário uma célula indulgente. (o período de incubação pode variar entre 1 a 6 meses). - No caso do pé, localizam-se na epiderme e estão restritas. por um anel córneo.
  5. 5. Casos Clínicos Verrugas Plantares CONTÁGIO - Existe perda de continuidade, auto-contágio ou devido a um fator imunitário. - Por via externa ou autónoma. - Auto-contágio, através do sistema linfático desde o papiloma mãe até aos papilomas satélites (duros, amarelados, crescem do interior para o exterior e podem ser confundidos com helomas).
  6. 6. Caso Clínico Verrugas Plantares EPIDEMIOLOGIA - A percentagem é de 3% em crianças e jovens. - Faixa-etária, de maior incidência entre os 12 - 20 anos. - Não há distinção de sexo. - A maior prevalência unilateral (95%). - Zona de carga (72%), carga moderada (19%) e sem carga (9%);
  7. 7. Caso Clínico Verrugas Plantares CLASSIFICAÇÃO P.V.H. Tipo 1 - Verrugas plantares comuns. - Lesão profunda de crescimento, normalmente para o interior (para o exterior falamos de verruga pedicular). - Aparecimento em zonas de hiperpressão.
  8. 8. Caso Clínico Verrugas Plantares CLASSIFICAÇÃO P.V.H. Tipo 2 Designadas verrugas em forma de “mosaico”. - Surgem por auto-contágio. - São planas, mais ou menos geométricas (esféricas). - Normalmente são superficiais, de cor branca e indolores. - Evoluem a partir da célula mãe e estão todas interligadas por via linfática.
  9. 9. Caso Clínico Verrugas Plantares CLASSIFICAÇÃO P.V.H. Tipo 4 - Verrugas hiperqueratósicas. - Dimensões pequenas. - Exclusivamente na zona plantar.
  10. 10. Caso Clínico Verrugas Plantares LOCALIZAÇÃO Dorsais - Normalmente causado pelo P.V.H.1. - Aparecem de forma pediculada e crescem para o exterior, sem dor. Peri-ungueais - Situadas no bordo ungueal, o seu crescimento é em profundidade, pode afetar o canal, a matriz, o leito ungueal e provocar deformidades na lâmina ungueal.
  11. 11. Caso Clínico Verrugas Plantares LOCALIZAÇÃO Interdigitais - Aspeto esbranquiçado e mole. - Podem confundir-se com micose ou maceração. - Muito dolorosas devido à pressão durante a marcha. Plantares - Habitualmente aparecem em zonas de apoio, rodeadas por tecido córneo, que comprimem as terminações nervosas tornando-se muito dolorosas. São pequenas e muito frequentes.
  12. 12. Caso Clínico Verrugas Plantares LOCALIZAÇÃO Subungueais - Devido à pressão existente entre a lâmina e o leito ungueal, tendem a ser muito dolorosas. À medida que crescem, a pressão aumenta sobre a lâmina, provocando cada vez mais dor.
  13. 13. Caso Clínico Verrugas Plantares FATORES DE DESENVOLVIMENTO IMUNOLÓGICO Diminuição do sistema imunitário que pode provocar alteração dos fatores defensivos celulares. PSICOLÓGICO Pode levar a uma diminuição dos fatores de defesa celular e uma baixa da resistência ao tratamento.
  14. 14. Caso Clínico Verrugas Plantares CLÍNICA VULGARES - Superfície irregular, córnea e rugosa. - Tamanho variável. - Podem aparecer individualmente ou às dezenas. - Localização: zona da barba, couro cabeludo, dorso e face.
  15. 15. Caso Clínico Verrugas Plantares CLÍNICA PLANAS - Pápulas com saliências apenas percetíveis. - Lisas, de 1-5mm, aplanadas e pequenas. - Sem alteração da cor (pele). - Podem ser múltiplas. Localização: face anterior das pernas(rótula), dorso das mãos e cara.
  16. 16. Caso Clínico Verrugas Plantares CLÍNICA PLANTARES - Zona plantar dos pés e dos dedos. - Aparecem em zonas de apoio (hiperpressão), são muito dolorosas na marcha e há pressão direta. - Localização: região plantar dos pés.
  17. 17. Caso Clínico Verrugas Plantares TRATAMENTOS • Preventivos, fala-se muito mas faz-se pouco! • Físicos. • Químicos. • Medicamentosos, Homeopatia (local e oral); • Cirúrgicos. • Laser.
  18. 18. Caso Clínico Verrugas Plantares FÍSICOS Crioterapia (Cryopen, protóxido de azoto a - 89ºC). QUÍMICOS Ácido salicílico, ácido láctico e Ácido Nítrico 40%. CIRURGIA Extração com auxilio da eletrocoagulação. LASER Efeito térmico controlado diretamente sobre a lesão.
  19. 19. Caso Clínico Verrugas Plantares MEDICINAS COMPLEMENTARES Homeopatia, cada vez mais utilizada! Os medicamentos homeopáticos podem ser derivados de plantas, animais ou minerais. Esses elementos são transformados em medicamentos, através de uma técnica de dinamização, que serve para libertar propriedades medicinais da substância original.
  20. 20. Caso Clínico Verrugas Plantares HOMEOPATIA “A diferença entre os Sais de Schussler e os remédios Homeopáticos, está relacionada com o facto de a Homeopatia utilizar materiais estranhos ao organismo, enquanto a terapia mineral bioquímica utiliza os blocos de construção comuns ao Organismo”.
  21. 21. Caso Clínico Verrugas Plantares HISTÓRIA CLÍNICA Género: feminino Faixa etária: 16 anos Desporto Praticado: natação e educação física (2x por semana) Primeira consulta: 02/02/2013 Exame clinico: M. da consulta: verrugas plantares no pé esquerdo, dorso e palma das mãos, há mais de 1 ano. Medicação : aplicava um queratolitico local em forma de verniz (1x ao dia). Exame Físico: Alterações dermatológicas: apresentava várias verrugas, uma sudoração moderada, pele seca e descamativa.
  22. 22. Caso Clínico Verrugas Plantares DIAGNÓSTICO Verrugas plantares crónicas do tipo “mosaico” no pé esquerdo e verrugas palmares no dorso e palma das mãos tipo “couve-flor”. Vulgares Planas
  23. 23. Caso Clínico Verrugas Plantares TRATAMENTO INSTITUÍDO (domiciliário) Medicação local: • Queratolítico, 1x ao dia (manter) • Pó de talco, 1x dia (meias) • Ureia a 40% , 1x dia/2x semana • Creme anestésico Medicação oral: Tratamento homeopático com início no dia 20/02/2013 Natrium sulfuricum D6 (sulfato de sódio) 80 caps. 3x dia (Sal de Schussler nº10) Kalium sulfuricum D6 (sulfato de potássio) 80 caps. 3x dia Durante 1 mês (Sal de Schussler nº6)
  24. 24. Caso Clínico Verrugas Plantares Medicação Homeopática Sal de Schussler nº10 (estimula a desintoxicação e a excreção). Sal de Schussler nº6 (inflamações crónicas e afeções dermatológicas). Administração • Deve ser tomado 30min antes ou 1h30m depois das refeições sub- lingualmente (pequeno almoço/almoço/jantar). Recomendações: • Não ingerir em simultâneo ou muito próximo das refeições, c/cafeína, tabaco, clorofila , produtos com mentol.
  25. 25. Caso Clínico Verrugas Plantares Tratamentos Sucessivos 1) 02/02/2013 Aplicação de creme anestésico, deslaminação do tecido verrugoso com aplicação de Ac. Nítrico a 40% e respetiva descarga. 2) 09/02/2013 (7 dias) Tratamento seguinte Pré-Tratamento Pós-Tratamento
  26. 26. Caso Clínico Verrugas Plantares 3) 20/02/2013 (20 dias) Início do tratamento homeopático. 4) 02/03/2013 (30 dias) Tratamento seguinte Pré-Tratamento
  27. 27. Caso Clínico Verrugas Plantares 5) 12/03/2013 (38 dias) Tratamento seguinte 6) 23/03/2013 (50 dias) Fim do tratamento homeopático, com a duração de 1 mês. Notou-se claramente a diferença desde a administração dos Sais de Schussler. Penso que se vieram a revelar decisivos na cura desta paciente, como é demonstrável pelas melhorias significativas, observadas na imagem.
  28. 28. Caso Clínico Verrugas Plantares Tratamento Final (90 dias) Apenas para observação e alta. Nesta última consulta foi apenas recomendado à paciente a aplicação do Óleo Rosa Mosqueta e 1 embalagem de Munostim glóbulos 10gr. (para restabelecimento da pele e sistema imunitário).
  29. 29. Caso Clínico Verrugas Palmares TRATAMENTO…? 02/02/2013 (Observação e estudo). Verrugas dorsais e palmares crónicas do tipo “couve-flor” em ambas as mãos. Mão Dtª Mão Esq.
  30. 30. Caso Clínico Verrugas Palmares 1) TRATAMENTO 20/02/2013 Inicio do Tratamento com Homeopátia. Natrium chloratum D6 (cl. de sódio) 80 caps. 3x dia (Sal de Schussler nº8) Durante 1 mês Kalium chloratum D6 (cl. de potássio) 80 caps. 3x dia (Sal de Schussler nº4)
  31. 31. Caso Clínico Verrugas Palmares 2) TRATAMENTO SUCESSIVO 02/03/2013 (11 dias) Medicação (Domiciliária) • Queratolítico, em forma de verniz 1x ao dia, • Ureia a 40%, 2x semana, • Creme anestésico. Tratamento Local Aplicado 20/03/2012 (30 dias) - Cryopen, sem deslaminação. Pós - tratamento Mão Dtª Mão Esq.
  32. 32. Casos Clínicos Verrugas Palmares 3) TRATAMENTOS REALIZADOS (resumo) - Domiciliários/Homeopáticos. -Tratamentos Sucessivos, com Cryopen. 4) Fim do Tratamento (alta) -Óleo Rosa Mosqueta. -Munostim Glóbulos 10gr. Após 3 meses ( 20/4/2013) Mão Dtª Mão Esq.
  33. 33. Caso Clínico Verrugas Plantares BIBLIOGRAFIA • Basto, A. S. (2008). Dermatologia Desportiva. Lidel. • Goldcher, A. (1992). Manual de Podologia (2º ed.). Paris: Salvat Masson. • Goldsmith, L. A., Lazarus, G. S., & Tharp, M. D. (2000). Dermatologia de Adultos e Pediátrica: Guia Ilustrado de Diagnóstico e Tratamento. Lisboa: Lusociência.

×