Distribuição de matéria: Plantas (03-05-2013)

639 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
639
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
166
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Distribuição de matéria: Plantas (03-05-2013)

  1. 1. Sumário Síntese da aula passada .Transporte no floema: hipótese de fluxo de massa. Resolução de exercícios.
  2. 2. Relembrando o que abordamos na aula anterior
  3. 3. Estomas Estrutura Ostíolo Células-guarda Pressão de turgescência Aumenta (Abertura do estoma) Diminui (Fecho do estoma) Fatores que influenciam a turgescência Concentração de iões Luz CO2 pH
  4. 4. Grupo Elementos 1 Andreia, Francisca e Vítor 2 Beatriz, Catarina, Diogo e Miguel 3 Bruna, Cláudia, Filipe e João 4 Ana, Cláudia, Francisco e Zé 5 Ana, Beatriz, Daniel e Pedro 6 Ana, Bruna, Daniel e Rui 7 Ana, João, Marco e Sílvia,
  5. 5. Transporte no floema  Os dados relativos ao movimento descendente de seiva elaborada foram obtidos a partir de experiências em que se removeu um anel estreito dos tecidos exteriores ao xilema. O que acontece aos órgãos abaixo da incisão?
  6. 6. Transporte no floema  Na década de 50 do século XX experiências realizadas com afídios permitiram um melhor conhecimento da seiva elaborada.  Quando um afídio atinge o floema, a pressão da seiva força-a a sair da planta e a entrar no tudo digestivo do animal.  A pressão é tao grande que a seiva elaborada é forçada a sair pelo ânus.
  7. 7. Hipótese do fluxo de massa  A hipótese do fluxo de massa postula que o transporte no floema ocorre devido à existência de um gradiente de concentração de sacarose entre uma fonte onde a sacarose é produzida e um local de consumo ou de reserva.  A existência destas duas regiões torna possível o fluxo de massa de solutos através do floema.
  8. 8. Hipótese do fluxo de massa  A glicose elaborada nos órgãos fotossintéticos é convertida em sacarose.  A sacarose passa, por transporte ativo, para o floema.  O aumento da concentração de sacarose nas células dos tubos crivosos provoca uma entrada de água nestas células, que ficam túrgidas.
  9. 9. Hipótesedo fluxode massa  A pressão de turgescência faz com que a solução atravesse as placas crivosas.  Há, assim, um movimento das regiões de alta pressão para as regiões de baixa pressão.  A sacarose é retirada do floema para os locais de consumo ou de reserva por transporte ativo, onde é convertida em glicose para ser utilizada na respiração, ou convertida em amido para ficar em reserva.  O aumento da concentração de sacarose nas células envolventes provoca uma saída de água dos tubos crivosos, diminuindo a pressão da turgescência.
  10. 10. Objetivos  Compreender a hipótese do “fluxo de massa” como possível explicação do movimento de seivas no floema;  Conhecer os mecanismos que estão envolvidos no transporte da seiva floémica;  Interpretar a experiência de Ernes Munch, essencial para a formulação da hipótese do “fluxo de massa”.

×