Peneira 01

401 views

Published on

Primeira edição do zine Peneira do Miolo da Sociedade dos poetas por vir

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Peneira 01

  1. 1. SOCIALIZE,:LEIA, DEGUSTE E REPASSEEle ores nhando enciaEe o e n a d e ca [laiz mara] coberta de verde alga do mar eu quero ser a mulher da tinta eu penso na surra da vida, no peito coberto de dúvida e ar. abrindo clareira pra eu me encontrar. a madrugada rangindo seus dentes a gente morre com cara de anjo, dormindo meu canto debaixo do chão. na vela, na sede do pote. ...a gente morre no muro da sorte seu sopro na tinta do meu coração... eu quero ser a mulher que pinta bem reto da boca do coração. morena com verde, num sopro saindo eu quero ser a mulher da tinta, coberta de verde alga do mar eu quero ser a mulher da tinta a gente morre com cara de anjo, dormindo meu canto debaixo do chão. eu quero ser a mulher que pinta bem reto da boca do coração. eu quero ser a mulher da tinta a gente morre com cara de anjo, dormindo meu canto debaixo do chão. eu quero ser a mulher que pinta bem reto da boca do coração. sem orrreu s rrrespon elle m sentiirr c rres e d u so e p nd eem s n morr sem us am sm u m em s rrlando Zé O m se a d Zé rreu u do dorrmmiind o o o s no o quero sambar, meu bem quero sambar, meu bem (Lar ? oS Sol! ol! go.. go issa ia? o e gia ais fo ais fo nerrg go a en go,, go m go,, m quero sambar também quero sambar também ira e And imeir ois o fo mais fo rrime pois o fo ,, mais fo rad abr A p De p A p De e) aço go apor, go apor, is fo is fo frat não quero é vender flores não quero é vender flores ern Ma e ma ina a nto e ma quina a nto.. vv de d aqu de d nde o.. m,, o a o m sida tão a m matame mais fog ento.. vio o tre sida tão a m matame mais fog ento.... vio,, o tre -me nem saudade perfumada nem saudade perfumada qu as e me not ss nece En o des fogo escim o na nece En ii o des fogo,, rrescim ,, o na da a daii a ícia d a mais a mais d ,, c ca o c carrrro quero sambar, meu bem quero sambar, meu bem ndo"" e o lilindo de,, o No leitur us son s. g g o o "" mai as, a hos ais fo nto ais fo nto,, ida d ida quero sambar também quero sambar também s, t ce são E m escime a veloc vapor. E m rrescime a veloc vapor. mas udo gue de C arria,, C a ia a to a to.. oo o,, o por, por, n n Entã a maquin por, a va matame o Entã a maquin por, a va matame o.. Aqu o te vai ira cho mas eu não quero andar na fossa mas eu não quero andar na fossa i ai mpo nda de com crôn cola o d ica, te d agerr age o,, o a va ais des mais fo a va ais des mais fo g g x x mm ,, ooe ooe Daii is fogo,, rrevoluta .. e co o m err Da is fogo evoluta alg faz u um cultivando tradição embalsamada cultivando tradição embalsamada Ele ueoq frio je stum edo etid e, o e a o. Entã Entã E d E d ma ustria ma ustria uta idade.. uta idade Voc não m pare nas ito d lab lab e so ê tã e q ça co sex e e s am cer A in ciona a e veloc e a A in ciona a e,, veloc errrra,, evolu elocidad de a gu em lu d u igo teza rrevo velocida errde a g em.. tas- ncu ach rrind o long uis ta m iss feir rtar s, a de meu sangue é de gasolina meu sangue é de gasolina de,, v mem p e ens com em"" de m p ens com em o q o d e, nto o, s as d , só luta cida ome cida Luan Matheus Ma o Velo quina h e a hom aquinom de.. Velo quina h errrra hom aquinom de.... s nã ue e e for e o a qua aben e m pra , correndo, não tenho mágoa correndo, não tenho mágoa o fo stão ma mor nto do q úsic me aa A ma essa gu uina m velocid A ma essa gu uina,, ""m velocid Lem i pa der que se você ue a b aju ,, oa, dar Mas em maq cidade e Mas em maq cidade e.. bra ra i rete eu foi n , e nun meu peito é de sal de fruta meu peito é de sal de fruta das chu sso ndo não a d ago ca h que me sin ivis ra t ave a se r fe Hom ade ve ioc idad tria lo lo Hom ade,, ve iocrridad tria cid med indus cid med indus liz [ fervendo no copo d´água fervendo no copo d´água lhe u ge ta sa ão de enho rá co -A vas Volo Volo dor ca cii a leo.. - Va h, não ?e esc lo, uda be de mo leo C es o petro sanda Crres o petro sanda.. da min n - Q i faz me rev que des ns. in o n do] sabes não deu de uer er o ven loco mot i, q rid su uer o, c as. ven os tar so. . Jo a idade de lobal. Jorrrra idade de lobal. ? uem lii?Que d ca a ra c o e qu ha iva o co ura man bal, man bal, gg o al p or co m A hu bal, glo valeci... A hu bal, glo valeci... ntra ê d com de nta ndo mal r no o la pe s se do d rgun sen tim r da as nov ferid É glo edo p e aneci. ? É glo edo prre aneci. ? odou oa cho dorm us o e lá tas ent m pe m ando m perrm ando ro r mo mo Qu ro ma idas os? idad as O a O a qu qu o ero is e d lhos ? ! idio tas. bon e... a vid do Até a vid do,, Até ão r? ?( que que ouv as ind fras Nin gué s di as.. Até

×