GBM: Mudança de Perspectiva para Bancos já Estava Precificada

153 views

Published on

Entrevista para a Agência Estado

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

GBM: Mudança de Perspectiva para Bancos já Estava Precificada

  1. 1. [10/06/2013 - 12:55]GBM: mudança de perspectiva para bancos já estavaprecificadaSão Paulo, 10/06/2013 - Os motivos que levaram à mudança de perspectiva para o ratingdos bancos pela agência de classificação de risco S&P já vinham sendo precificados nosetor financeiro e, portanto, não são esperados impactos significativos para as instituiçõesbancárias neste momento, de acordo com Andre Riva Gargiulo, analista de bancos do GrupoBursátil Mexicano (GBM). "Boa parte dos motivos que levaram ao rebaixamento do outlookem nível soberano já vinha sendo precificada no setor financeiro pelo próprio tom maisconservador adotado pelos bancos desde o começo do ano", disse o profissional, ementrevista ao Broadcast.Gargiulo lembra que a mudança na visão da S&P para os ratings de 11 instituiçõesfinanceiras, divulgada na última sexta-feira, se deu em função da correlação forte existentecom a perspectiva para a nota do Brasil, rebaixada um dia antes, em meio à própriametodologia de cálculo do risco. Essa alteração ocorreu, segundo ele, apesar do setorfinanceiro ter apresentado "melhorias significativas" nos indicadores de inadimplência ecomposição da carteira de crédito levando em conta o novo cenário de juros e taxasmenores.O analista do GBM avalia que há uma melhoria, ainda que gradual, em respeito à qualidadede crédito dos bancos no Brasil, aos níveis de taxas de spread (diferença de quanto o bancopaga para captar e o quanto cobra para emprestar) que já parecem estar se estabilizandoem meio à mudança do mix e o fato de o tratamento no âmbito de Basileia III dos ativosfiscais diferidos por diferenças temporais já ter sido resolvida em favor da indústria."Algumas das maiores preocupações que víamos num passado recente (com os bancos) jácomeçaram a ser suavizadas. Desde a última revisão das agências, o risco da indústriabancária apresentou melhorias", justifica.Neste contexto, o especialista não vê um possível impacto no custo de captação dos bancosno momento atual. Ele explica que este reflexo se dá mais quando há uma revisão dosratings.Às 12:50, as ações dos bancos operavam em sentidos diferentes: Bradesco apontava alta0,50%, seguido de Banco do Brasil (+0,63%), enquanto o Itaú Unibanco e Santanderrecuavam 0,70% e 0,07%, respectivamente. O Ibovespa baixava 0,30%, aos 51.465pontos .(Aline Bronzati - aline.bronzati@estadao.com)Copyright © 2013 Agência Estado. Todos os direitos reservadosPágina 1 de 1AE Conteúdo11/06/2013http://www.aeconteudo.com.br/negocios/setoriais/financeiro/noticia.htm?d=2013-06-10&id=251

×