Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Curso Inovação em Projetos Culturais

5,156 views

Published on

www.inteligenciasociocriativa.com.br

Published in: Education
  • Be the first to comment

Curso Inovação em Projetos Culturais

  1. 1. INOVAÇÃO EM PROJETOS CULTURAIS André Martinez
  2. 2. Inovação é um processo vivo e cocriativo. Como pensar as relações entre cultura, inovação e sustentabilidade? O que conservar dos princípios aprendidos durante a era industrial? Como transformar a energia da competitividade, da produtividade e do pensamento econômico linear em pensamento sistêmico e práticas cocriativas e colaborativas? Como garantir que contextos culturais, sociais, humanos, digitais e intangíveis contemplados pela economia criativa possam ajudar a gerar novos padrões econômicos, mais afetivos, mais orgânicos, mais sustentáveis? O curso Inovação em Projetos Culturais ajuda gestores e empreendedores a obterem máxima efetividade em projetos culturais, transformando-os em projetos sociocriativos: empreendimentos, organizações, políticas, estratégias e arranjos que buscam inovação social de forma sustentável e a partir de fluxos e processos criativos. O objetivo é preparar profissionais da cultura e da economia criativa para lidar com a complexidade do mundo contemporâneo, desenvolvendo um pensamento inovador, sistêmico, baseado em práticas de pesquisa e orientado ao design da efetividade.
  3. 3. PÚBLICO ALVO Gestores de projetos culturais, sociais e ambientais. Empreendedores, artistas, produtores culturais, gestores empresariais, gestores de organizações sociais. Gestores de programas e poíticas públicas. Gestores de processos pró-desenvolvimento comunitário sustentável. Profissionais da economia criativa em geral. Ativistas da sustentabilidade sócio-ambiental. Pesquisadores, estudantes universitários interessados em empreendimentos culturais, criativos inovadores e sustentáveis. FORMATOS Palestra | 2 a 4 horas-aula (1 turno) Minicurso | 8 a 10 horas-aula (2 a 3 turnos) Imersão | 12 a 16 horas-aula (3 a 4 turnos) Jornada | 20 a 30 horas-aula (6 a 10 turnos)
  4. 4. ESPERA-SE QUE OS PARTICIPANTES Aprendam como utilizar e/ou desenvolver, em seu trabalho como empreendedores ou gestores, metodologias para planejar, agir, observar e refletir de maneira mais efetiva, colaborativa e expansiva; Visualizem e assumam em suas práticas e pensamentos novas perspectivas, mais sistêmicas e complexas, sobre a própria experiência, formulando questões e articulando soluções até então inéditas em relação ao trabalho que desenvolvem; Apropriem-se dos conceitos apresentados a ponto de poder realizar autonomamente pesquisas que os permitam aprofundar o conhecimento adquirido e, assim, encontrar os próprios meios para colocar tais conceitos em prática; Articulem-se em redes de colaboração e conhecimento para coempreender projetos com ecoefetividade e de alto impacto territorial.
  5. 5. CONTEÚDOS Análise Dinergética e Planejamento Complexo | Cultura de Rede e teoria dos Sistemas, novas perspectivas para design e gestão. Sistemas Vivos: autonomia, organicidade, fluxos, auto-eco-poiese, acoplamento estrutural, feedback. Aprendizagem e desenvolvimento sustentável. Pensamento linear-cartesiano e pensamento complexo. Operador dialógico. Circularidade. Fractalidade. Interdisciplinaridade. Dinergia: quando “o limitado dá forma ao ilimitado”. Método dinergético. Quatro elementos: Sentido (fogo), Propósito (ar), Método (terra), Aprendizado (água). Círculos de sentidos e vetores de propósitos. Intercontextualidade e interconectividade. Inteligência Sociocriativa / Patrimônio Vivo Cultural, Criativo e Socioambiental | Noções gerais de Inteligência Sociocriativa / Ecoefetividade e impacto. Contextos colaborativos: instrumentos, linguagens e conteúdos; desenvolvimento humano e direitos culturais; emancipação econômica; identidade e patrimônio vivo; articulação em redes; governança e participação social; diversidade em diálogo; pesquisa em ação. Ativos Culturais e Criativos / Empreendedorismo Criativo e Direitos Econômicos | Provendo instrumentos, linguagens e conteúdos para o mercado e a sociedade; Expressão artística e estética: arte e aprendizagem expansiva; Públicos intérpretes-criadores- realizadores / Economia criativa e desenvolvimento sustentável.
  6. 6. CONTEÚDOS Diversidade em Diálogo / Pesquisa em Ação | Abordagem empreendedora a partir do princípio da diversidade cultural; Não-violência ativa e resolução de conflitos; T3C – Tecnologias de Convivência, Co-criação e Colaboração. Empreendedorismo e produção de conhecimento: metodologia de pesquisa–ação colaborativa, noções gerais. Articulação em Redes / Democratização e Coempreendedorismo | Diálogo com agendas públicas locais, nacionais e intergovernamentais, participação socioeconomica; Redes de colaboração e redes de conhecimento / Cooperação. Legitimidade social e comunitária; Uso de tecnologias para viabilizar a cogestão direta ou indireta pelos segmentos e mercados envolvidos no empreendimento; Governanças setoriais e intersetoriais. Laboratório Sociocriativo | Dinâmicas de conversação dialógica (baseadas em métodos de pesquisa-ação e investigação apreciativa) para descobrir, inventariar e articular os potenciais existentes em sinergia no grupo participante; Produção de um inventário colaborativo de recursos disponíveis, capacidades profissionais, vontades políticas, valores humanos, entre outras possibilidades existentes no grupo e suas redes; Articulação de vetores de colaboração dentro do grupo.
  7. 7. Alguns depoimentos de participantes “Pensar em projetos criativos a partir de tudo aquilo que faz realmente sentido, que nos anima e nos comove, tendo a consciência da capacidade de transformar as coisas, é um aprendizado que levarei para a vida inteira.” Márcia Carvalho – jornalista – Belém PA “Teoria dos sistemas, biologia, física quântica, budismo, taoísmo, geometria sagrada - tudo entrou na dança do fazer arte/cultura/entretenimento e fez sentido, mais do que em qualquer outro momento da vida. Me sinto mais preparado como empreendedor e como artista. É como se tivesse mudado de fase no vídeo game: ainda não cheguei no chefão, mas desbloqueei novas armas.” David Dines - músico – Belo Horizonte MG. “De tantas formações na área de produção cultural, esse foi o mais provocativo, consistente e que efetivamente deu novos significados ao meu trabalho. Permita- se pensar noutras rotações, vale a pena!” Canela Borges – empreendedora criativa - São Paulo SP
  8. 8. www.inteligenciasociocriativa.com.br https://www.facebook.com/inteligenciasociocriativa https://www.facebook.com/andremartinezaprax www.andremartinezcult.com Copyright 2014 | Todos os diretos reservados para Laboratório de Inteligência Sociocriativa

×