Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

121,804 views

Published on

Trata-se de material para os curso de Licenciatura em Pedagogia sobre os conceitos de brincar, eucar e cuidar naEducação Infantil

Published in: Education, Health & Medicine

EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

  1. 1. EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A partir do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil SILVIA MARINA ANARUMA AGO/2007
  2. 2. “ PROPICIAR SITUAÇÕES DE CUIDADOS, BRINCADEIRAS E APRENDIZAGENS ORIENTADAS DE FORMA INTEGRADA E QUE POSSAM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DAS CAPACIDADES INFANTIS DE RELAÇÃO INTERPESSOAL, DE SER E ESTAR COM OS OUTROS EM UMA ATITUDE BÁSICA DE ACEITAÇÃO, RESPEITO E CONFIANÇA, E O ACESSO, PELAS CRIANÇAS, AOS CONHECIMENTOS MAIS AMPLOS DA REALIDADE SOCIAL E CULTURAL” .
  3. 3. NESTE PROCESSO, A EDUCAÇÃO PODERÁ AUXILIAR O DESENVOLVIMENTO DAS CAPACIDADES DE APROPRIAÇÃO E CONHECIMENTO DAS POTENCIALIDADES CORPORAIS, AFETIVAS, EMOCIONAIS, ESTÉTICAS E ÉTICAS, NA PERSPECTIVA DE CONTRIBUIR PARA A FORMAÇÃO DE CRIANÇAS FELIZES E SAUDÁVEIS” (p. 23).
  4. 4. CUIDAR
  5. 5. PARTE INTEGRANTE DA EDUCAÇÃO NO CONTEXTO EDUCATIVO DEMANDA A INTEGRAÇÃO DE VÁRIOS CAMPOS DE CONHECIMENTOS E A COOPERAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE DIFERENTES ÁREAS COMO AJUDAR O OUTRO A SE DESENVOLVER COMO SER HUMANO SIGNIFICA VALORIZAR E AJUDAR A DESENVOLVER CAPACIDADES
  6. 6. DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DIMENSÃO AFETIVA CUIDADO COM OS ASPECTOS BIOLÓGICOS DO CORPO 1. CUIDADOS RELACIONAIS QUALIDADE COM A ALIMENTAÇÃO CUIDADOS COM A SAÚDE 2. FORMA COMO SÃO OFERECIDOS OS CUIDADOS 3. OPORTUNIDADE DE ACESSO A CONHECIMENTOS
  7. 7. ATITUDES E PROCEDIMENTOS DE CUIDADO SÃO INFLUENCIADOS POR CRENÇAS E VALORES EM TORNO DA SAÚDE, DA EDUCAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL NECESSIDADES COMUNS – FORMAS DE IDENTIFICÁ-LAS, VALORIZÁ-LAS E ATENDÊ-LAS CONSTRUÍDAS SOCIALMENTE
  8. 8. NECESSIDADE AFETIVAS SÃO TAMBÉM BASE PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL DEPENDE DE COMO O ADULTO COMPREENDE A COMUNICAÇÃO DA CRIANÇA QUE DEPENDE DO CONTEXTO SOCIOCULTURAL
  9. 9. O PROFESSOR DEVE SABER IDENTIFICAR AS NECESSIDADES DA CRIANÇA E PRIORIZÁ-LAS
  10. 10. COMO? <ul><li>ATRAVÉS DOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO BIOLÓGICO, EMOCIONAL E INTELECTUAL DAS CRIANÇAS, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO AS DIFERENTES REALIDADES SOCIOCULTURAIS </li></ul>
  11. 11. BRINCAR
  12. 12. A BRINCADEIRA É UMA LINGUAGEM INFANTIL QUE MANTÉM UM VÍNCULO ESSENCIAL COM AQUILO QUE É O “NÃO BRINCAR” OCORRE NO PLANO DA IMAGINAÇÃO, PORTANTO, ENVOLVE O DOMÍNIO DA LINGUAGEM SIMBÓLICA
  13. 13. NA BRINCADEIRA A CRIANÇA SE APROPRIA DA REALIDADE IMEDIATA E ATRIBUI NOVOS SIGNIFICADOS TODA BRINCADEIRA É UMA IMITAÇÃO TRANSFORMADA, NO PLANO DAS EMOÇÕES E DAS IDÉIAS, DE UMA REALIDADE VIVENCIADA
  14. 14. NA BRINCADEIRA A CRIANÇA REM A OPORTUNIDADE DE ACIONAR SEUS PENSAMENTOS PARA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS QUE LHES SÃO IMPORTANTES E SIGNIFICATIVOS ESPAÇO PARA EXPERIMENTAR O MUNDO E INTERNALIZAR UMA COMPREENSÃO PARTICULAR SOBRE AS PESSOAS, OS SENTIMENTOS E OS DIVERSOS CONHECIMENTOS
  15. 15. ENTRE AS VÁRIAS CATEGORIAS DE EXPERIÊNCIAS QUE SÃO DIFERENCIADAS PELO USO DO MATERIAL OU DOS RECURSOS PREDOMINANTEMENTE IMPLICADOS ESTÁ UM FUNDAMENTAL: OS LIMITES DEFINIDOS PELAS REGRAS
  16. 16. “ POR MEIO DAS BRINCADEIRAS OS PROFESSORES PODEM OBSERVAR E CONSTITUIR UMA VISÃO DOS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS EMCONJUNTO E DE CADA UMA EM PARTICULAR, REGISTRANDO SUAS CAPACIDADES DE USO DAS LINGUAGENS, ASSIM COMO DE SUAS CAPACIDADES SOCIAIS E DOS RECURSOS AFETIVOS E EMOCIONAIS QUE DISPÕE ” (p. 28)
  17. 17. BRINCADEIRA ATIVIDADE DIDÁTICA JOGOS QUE POSSUEM REGRAS ESPONTÂNEA
  18. 18. PARA QUE AS APRENDIZAGENS INFANTIS OCORRAM COM SUCESSO <ul><li>A INTERAÇÃO COM CRIANÇAS DA MESMA IDADE E DE IDADES DIFERENTES EM SITUAÇÕES DIVERSAS COMO FATOR DE PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM E DO DESENVOLVIMENTO E DA CAPACIDADE DE RELACIONAR-SE; </li></ul><ul><li>OS CONHECIMENTOS PRÉVIOS DE QUALQUER NATUREZA, QUE AS CRIAÇAS JÁ POSSUEM SOBRE O ASSUNTO, JÁ QUE ELAS APRENDEM POR MEIO DE UMA CONSTRUÇÃO INTERNA AO RELACIONAR SUAS IDÉAIS COM AS NOVAS INFORMAÇÕES DE QUE DISPÕE E COM AS INTERAÇÕES QUE ESTABELECE; </li></ul><ul><li>A INDIVIDUALIDADE E A DIVERSIDADE; </li></ul><ul><li>O GRAU DE DESAFIO QUE AS ATIVIDADES APRESENTAM E O FATO DE QUE DEVAM SIGNIFICATIVAS E APRESENTADAS DE MANEIRA INTEGRADA PARA AS CRIANÇAS E O MAIS PRÓXIMAS POSSÍVEIS DAS PRÁTICAS SOCIAIS REAIS; </li></ul><ul><li>A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS COMO FORMA DE APRENDIZAGEM </li></ul>
  19. 19. CONSIDERAÇÕES GERAIS NA PRÁTICA DO PROFESSOR <ul><li>INTERAÇÃO </li></ul><ul><li>DIVERSIDADE E INDIVIDUALIDADE </li></ul><ul><li>APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA E CONHECIMENTOS </li></ul><ul><li>RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS </li></ul><ul><li>PROXIMIDADE COM AS PRÁTICAS SOCIAIS REAIS </li></ul><ul><li>EDUCAR CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS </li></ul>
  20. 20. CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS – QUALIDADE DO PROCESSO DE INTEGRAÇÃO <ul><li>GRAU DE DEFICIÊNCIA E AS POTENCIALIDADES DE CADA CRIANÇA ; </li></ul><ul><li>IDADE CRONOLÓGICA; </li></ul><ul><li>DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS EXISTENTES NA COMUNIDADE; </li></ul><ul><li>CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS E CULTURAIS DA REGIÃO </li></ul><ul><li>ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL JÁ IMPLANTADO NAS UNIDADES FEDERADAS </li></ul>
  21. 21. O PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL <ul><li>O PROBLEMA DA FALTA DE FORMAÇÃO ADEQUADA, BAIXOS SALÁRIOS E CONDIÇÕES PRECÁRIAS DE TRABALHO </li></ul><ul><li>PROFISSIONAIS CONSIDERADOS LEIGOS </li></ul><ul><li>FUNÇÕES DESTE PROFISSIONAL VEM PASSANDO POR REFORMULAÇÕES PROFUNDAS </li></ul><ul><li>LBD – TÍTULO IV, ART. 62 – “ a FORMAÇÃO DE DOCENTES PARA ATUAR NA EDUCAÇÃO BÁSICA FAR-SE-Á EM NÍVEL SUPERIOR....” </li></ul>
  22. 22. PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL PARA O REFERENCIAL: TODOS OS / AS PROFISSIONAIS RESPONSÁVEIS PELA EDUCAÇÃO DIRETA DAS CRIANÇAS DE ZERO A SEIS ANOS, TENHAM ELES / ELAS UMA FORMAÇÃO ESPECIALIZADA OU NÃO
  23. 23. PERFIL PROFISSIONAL <ul><li>COMPETÊNCIA POLIVALENTE </li></ul><ul><li>A IMPLEMENTAÇÃO E/OU IMPLANTAÇÃO DE UMA PROPOSTA CURRICULAR DE QUALIDADE DEPENDE, PRINCIPALMENTE DIS PROFESSORES QUE TRABALHAM NAS INSTITUIÇÕES </li></ul>
  24. 24. “ A IDÉIA QUE PRESIDE A CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO EDUCATIVO É A DE QUE SE TRATA DE UM PROCESSO SEMPRE INACABADO, PROVISÓRIO E HISTÓRICAMENTE CONTEXTUALIZADO QUE DEMANDA REFLEXÃO E DEBATES CONSTANTES COM TODAS AS PESSOAS ENVOLVIDAS E INTERESSADAS ” (p. 41)
  25. 25. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA <ul><li>BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v: v. 1. </li></ul>AGO/2007

×