Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Arqueologia rio Piquiri

1,559 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Arqueologia rio Piquiri

  1. 1. III SEMINÁRIO SOBRE OS POTENCIAIS IMPACTOS DA CONSTRUÇÃO DE BARRAMENTOS HIDRELÉTRICOS NA BACIA DO RIO PIQUIRI ARQUEOLOGIA DO RIO PIQUIRI ALMIR PONTES FILHO COORDENADORIA DO PATRIMÔNIO CULTURAL SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO PARANÁ
  2. 2. ARQUEOLOGIAArqueologia do Vale do Rio Piquiri  Ciência Social – Antropologia e História  Interação entre o homem e sua cultura material 2012  Espaço e o tempo SEEC – CPC  Ambiente geográfico  Aspecto cognitivo: avaliar as „marcas‟ da mente pré- histórica nos objetos – quando foram feitos, por que e para que foram confeccionados
  3. 3. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC PARELLADA, Claudia Inês. Arqueologia dos Campos Gerais. In: MELO, Mário Sérgio; MORO, Rosemeri Segecin; GUIMARÃES, Gilson Burigo. Patrimônio natural dos Campos Gerais do Paraná. Ponta Grossa: UEPG, 2007.
  4. 4. MEGAFAUNA DO BRASILArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC JACOBUS, André Luiz. A utilização de animais e vegetais na pré-história do RS. In: KERN, Arno Alvarez (Org.). Arqueologia Pré-Histórica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.
  5. 5. Grupo de caçadores – coletores: Tradição Humaitá e UmbuArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC 7.000 anos AP
  6. 6. Grupo de caçadores – coletores: Artefatos líticosArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC Tradição Umbu Tradição Humaitá In: Mentz Ribeiro, 1999
  7. 7. FLORESTA COM ARAUCÁRIA NO PARANÁ Floresta Ombrófila MistaArqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 A floresta com Araucária no Paraná: conservação e diagnóstico dos remanescentes florestais. Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná. Apoio: Probio. Paulo Roberto Castela; Ricardo Miranda de Britez. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.
  8. 8. TRADIÇÃO CERAMISTA ITARARÉ “Os primitivos engenheiros do planalto”Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 SCHMITZ, Pedro Ignacio; BECKER, Itala Irene Basile. Os primitivos engenheiros do planalto e suas estruturas subterrâneas. In: KERN, Arno Alvarez (Org.). Arqueologia Pré-Histórica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.
  9. 9. SÍTIO ARQUEOLÓGICO Tradição Itararé – Remanescente de Casa SubterrâneaArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC Vale do Rio Piquiri
  10. 10. TRADIÇÃO CERAMISTA ITARARÉArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC SCHMITZ, Pedro Ignacio; BECKER, Itala Irene Basile. Os primitivos engenheiros do planalto e suas estruturas subterrâneas. In: KERN, Arno Alvarez (Org.). Arqueologia Pré-Histórica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.
  11. 11. TRADIÇÃO TUPIGUARANI Migrantes da AmazôniaArqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 SCHMITZ, Pedro Inácio. Migrantes da Amazônia: a tradição Tupiguarani. In: KERN, Arno Alvarez (Org.). Arqueologia Pré-Histórica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.
  12. 12. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 Território do Guairá TRADIÇÃO TUPIGUARANI
  13. 13. TRADIÇÃO TUPIGUARANIArqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 SCHMITZ, Pedro Inácio. Migrantes da Amazônia: a tradição Tupiguarani. In: KERN, Arno Alvarez (Org.). Arqueologia Pré-Histórica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.
  14. 14. O CAMINHO DO PEABIRÚ E O ITINERÁRIO DE ULRICH SCHMIDEL ATRAVÉS DO SUL DO BRASIL (1552 – 1553)Arqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC MAACK, Reinhard. Sobre o itinerário de Ulrich Schmidel através do sul do Brasil. (1552-1553). Curitiba: UFPR, 1959.
  15. 15. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012
  16. 16. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN Sistema de Gerenciamento do Patrimônio Arqueológico Brasileiro Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos 3Arqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 13 12 SEEC – CPC 1 4 26 In: http://portal.iphan.gov.br/portal/montaPaginaSGPA.do
  17. 17. A Província do Guairá e a ocupação espanhola Século XVIArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC Mapa de Jean Lery, datado de 1556 FUNDAÇÃO DA BIBLIOTECA NACIONAL. Cartografia Colonial. Disponível em: <http://consorcio.bn.br/cartografia/cart_colonial.html> Acesso em: 12 set. 2009.
  18. 18. A Província do Guairá e a ocupação espanhola Século XVIArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC CHMYZ, Igor. Arqueologia histórica da vila espanhola de Ciudad Real do Guairá. In: ____ (Ed.). Cadernos de Arqueologia. Museu de Arqueologia e Artes Populares. Paranaguá, nº.1, p. 7-98. 1976.
  19. 19. Red. N. Sra. de Loreto Red. Santo Inácio Vila Rica Espírito Santo Cidade Real do Guairá 2ª fundaçãoArqueologia do Vale do Rio Piquiri Vila Rica - 1ª fund. - Tambo 2012 SEEC – CPC PONTES FILHO, Almir; KLUPPEL, Cristina Carla. Guairá: Patrimônio Histórico–Arqueológico. Curitiba: SEEC-CPC, 2003.
  20. 20. CIDADE REAL DO GUAIRÁ 1557 Foz do Rio Piquiri Município de Terra RoxaArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC PONTES FILHO, Almir; KLUPPEL, Cristina Carla. Guairá: Patrimônio Histórico–Arqueológico. Curitiba: SEEC-CPC, 2003.
  21. 21. Vila Rica do Espírito Santo 1570 Tambo das Minas de FerroArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC BLASI, Oldemar; LA PASTINA FILHO, José; PONTES FILHO, Almir. Primeiras notícias sobre a descoberta dos vestígios do provável assentamento do Tambo das Minas de Ferro na antiga Província do Guairá. Estudos Ibero-Americanos. Porto Alegre: 1989.
  22. 22. Vila Rica do Espírito Santo 1570 Tambo das Minas de FerroArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC Indícios de ferro já reduzidos BLASI, Oldemar; LA PASTINA FILHO, José; PONTES FILHO, Almir. Primeiras notícias sobre a descoberta dos vestígios do provável assentamento do Tambo das Minas de Ferro na antiga Província do Guairá. Estudos Ibero-Americanos. Porto Alegre: 1989.
  23. 23. PROVÍNCIA DO GUAIRÁ 1632Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 - Manuel Preto: 1623 - Antônio Raposo Tavares: 1627 - Destruição de Loreto e Santo Inácio: 1631 - Manuel Preto - Vila Rica e Cidade Real: 1632 CHMYZ, Igor. Arqueologia histórica da vila espanhola de Ciudad Real do Guairá. In: ____ (Ed.). Cadernos de Arqueologia. Museu de Arqueologia e Artes Populares. Paranaguá, nº.1, p. 7-98. 1976.
  24. 24. PATRIMÔNIO HISTÓRICO-ARQUEOLÓGICO VALE DO RIO PIQUIRIArqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC
  25. 25. PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO VALE DO RIO PIQUIRI 3Arqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 13 12 SEEC – CPC 1 4 26
  26. 26. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri 2012 SEEC – CPC Fragmento do mapa etno-histórico de Curt Nimuendaju, 1944. BARBOSA Rodolfo Pinto (Coord.). Mapa etno-histórico de Curt Nimuendaju. Rio de Janeiro: IBGE, 1987.
  27. 27. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012
  28. 28. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 Telêmaco Borba (1876)
  29. 29. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 Telêmaco Borba (1876)
  30. 30. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri SEEC – CPC 2012 Telêmaco Borba (1876)
  31. 31. Levantamento arqueológico na área da futura UHE’s de Apertados e ComissárioArqueologia do Vale do Rio Piquiri 8 1 3 5 2 2 1 1 2 2 2012 5 2 SEEC – CPC 1 PARELLADA, Claudia Inês. Levantamento arqueológico na área da futura UHE‟s de Apertados e Comissário. Museu Paranaense. Curitiba: 2012.
  32. 32. PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO VALE DO RIO PIQUIRI 3Arqueologia do Vale do Rio Piquiri 8 1 3 5 2 2 1 1 2 2 2012 13 5 2 12 SEEC – CPC 1 1 4 26
  33. 33. BENS ARQUEOLÓGICOS COMO PATRIMÔNIO CULTURAL  os bens arqueológicos (indícios, artefatos ou sítios) tem uma relação estreita com a consciência histórica; da mesma forma que proporciona a sua compreensão, significa um marco importante na transmissão do conhecimento (cultural,Arqueologia do Vale do Rio Piquiri social ou ambiental). (Funari, 2007)  um passado homogêneo e harmônico inibe a reflexão 2012 sobre as relações sociais odiernas e tende a subtrair dos homens seu potencial de transformação social. SEEC – CPC  a valorização da memória social prescinde de uma consciência política calcada em um presente historicamente constituído, onde o passado é projetado como reflexão sobre a diferença, o outro, o conflito e a resistência. (Rodrigues. In: Funari, 2007)
  34. 34. BENS ARQUEOLÓGICOS COMO PATRIMÔNIO CULTURAL Preservar para que:Arqueologia do Vale do Rio Piquiri -Informação, criação de consciência, ação no mundo, 2012 transformação, eis as metas da preservação. SEEC – CPC - Preservar para transformar a sociedade pois o conhecimento não é apanágio de classes ou grupo e qualquer ação preservacionista pode levar à reflexão crítica.
  35. 35. Arqueologia do Vale do Rio Piquiri Não há pesquisa, nem mesmo pré-histórica, que 2012 esteja fora dos interesses da sociedade e a arqueologia pode ser profundamente humanista, SEEC – CPC particularmente relevante para uma sociedade multicultural, sempre que atue com a comunidade. Pedro Paulo Funari.

×