Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Educação ambiental

6,118 views

Published on

Aula sobre educação ambiental

Published in: Environment
  • Be the first to comment

Educação ambiental

  1. 1. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 1 ALEX SANTIAGO NINA Geólogo (UFPA-2013) Mestre em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia EDUCAÇÃO AMBIENTAL
  2. 2. É o conjunto de ações pedagógicas formais e não formais, que pode conduzir a capacidade crítica dos cidadãos, de uma forma geral, às escolhas ambientalmente responsáveis. Outros termos: ecopedagogia; alfabetização ecológica Objetivos: Conceito de Educação Ambiental Consciência Ambiental Participação Popular
  3. 3. Deve-se tomar cuidado para que o discurso da “conscientização” não adquira um caráter pejorativo “Ninguém conscientiza ninguém, ninguém se conscientiza sozinho; os homens e as mulheres se conscientizam em comunhão” (Paulo Freire) Ideia falsa da pessoa com “consciência ambiental” como sendo “iluminada”.
  4. 4. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 4 “Os problemas ambientais foram criados por homens e mulheres e deles virão as soluções. Estas não serão obras de gênios, de políticos ou tecnocratas, mas sim de cidadãos e cidadãs” (REIGOTA, 2009, p. 19). Políticos e cientistas são importantes Mas as pessoas comuns são fundamentais
  5. 5. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 5 A educação ambiental é herdeira de um conjunto de debates políticos que se iniciaram nos anos 1960 Movimento Rippie Algumas fotos tiveram grande repercussão como a da menina Phan Thi Kim Phúc, com 9 anos. Hoje ela é embaixadora da Boa Vontade da UNESCO Guerra do Vietnã (1955-1975)
  6. 6. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 6 Movimentos feminista e lgbts Movimentos por liberdade. Ex: passeada dos 100 mil no Brasil. Brigitte Bardot Movimentos pacifistas, contra-cultura Movimento ambientalista (Festival de Woodstock, 1969)
  7. 7. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 7 Esses movimentos estava todos interligados entre si. Ex: Ecofeminismo Movimento das Mulheres de Chipko Best Seller de 1989 Mulheres adotaram a tática de se amarrar às árvores para impedir sua derrubada e o despejo de lixo atômico na região, em meados dos anos 1970. Vandana Shiva
  8. 8. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 8 As primeiras fotos da Terra 1972: Primeira imagem da Terra inteira e mostrando o continente Africano, onde os primeiros humanos apareceram. Feita por astronautas da Missão Apollo 17. 1966: A mais antiga imagem, tirada a partir da periferia da Lua pela sonda Lunar Obter 1, 1968: A primeira imagem da terra feita pelo homem, feita por astronautas durante a Missão Apollo 8.
  9. 9. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 9 Terra (Caetano Veloso, 1968) Quando eu me encontrava preso Na cela de uma cadeia Foi que eu vi pela primeira vez, As tais fotografias Em que apareces inteira, porém lá não estava nua E sim coberta de nuvens Terra, terra, Por mais distante O errante navegante Quem jamais te esqueceria Caetano Veloso realmente estava preso nesta época, mas o principalmente significado do verso é da humanidade como “presa aos limites da Terra” A “Terra coberta de nuvens” indica que a humanidade ainda não a conhece bem Remete ao erro de considerar a Terra como um local “distante”. Na verdade o homem não pode esquecer de que é apenas um “navegante” dentro da jornada do nosso planeta
  10. 10. 1968 Mundo Brasil - Rachael Carson publica “Primavera Silenciosa” - Forma-se o Clube de Roma, com objetivo de avaliar o impacto global das ações humanas - Ocorrem várias manifestações de contra-cultura no mundo inteiro - A primeira foto da lua tirada pelo homem - Regime militar ainda é muito forte - Abertura do pais para indústrias de potencial poluidor - Milagre econômico (1968-1973) - Ocorre a passeata dos 100 mil
  11. 11. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 11 Milagre Econômico Construção de rodovias pra ocupação da Amazônia Foto: BR Belém-Brasília O “milagre econômico” brasileiro
  12. 12. 1972 Mundo Brasil - Primeira Conferência Mundial de Meio Ambiente - Publicação de “Limites do Crescimento” - Movimento Ambiental era visto como “inimigo do progresso”, fazia oposição ao regime militar - Criação da Secretaria Especial de Meio Ambiente – SEMA-SP - Destaque para o ecólogo Paulo Nogueira Neto - Primeiros grandes impactos negativos da industrialização. Ex: Cubatão Vs.
  13. 13. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 13 - Primeiro Secretário da SEMA-SP - Único Brasileiro convidado a integrar a Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento - Participou da publicação do documento “Nosso Futuro Comum” (relatório de Brundtland, 1987). Paulo Nogueira Neto
  14. 14. 26/07/2016 Professor: Msc. Alex Santiago Nina 14 Internet: Mais sobre o acidente Explosão de gás liquefeito de petróleo (GLP) na Refinaria Duque de Caxias (RJ) 42 mortes e cerca de 40 feridos A tragédia de Cubatão
  15. 15. 1975 Mundo Brasil - Seminário Internacional sobre Educação Ambiental (Conferência de Belgrado), na antiga Iugoslávia - Disseminação do ecologismo, incentivado por instituições internacionais - Apologia do verde pelo verde, sem que as mazelas socioeconômicas fosse consideradas - Primeiros programas de Educação Ambiental
  16. 16. 1977 Mundo Brasil - Primeiro Congresso Mundial de Educação Ambiental (Conferência de Tblisi), na Geórgia (ex-União Soviética) Definições, objetivos, princípios e estratégias da Educação Ambiental, até hoje adotados mundialmente - Regime militar perde forças - Destaca-se Lutzenberger, autor de “O fim do futuro?” (Manifesto Ecológico Brasileiro)
  17. 17. 1987-1988 Mundo Brasil - Segundo Congresso Mundial de Educação Ambiental - Publicação do relatório de Brundtland (“Nosso Futuro Comum) - Nova Constituição, onde as questões ambientais incluídas são bastante influenciadas pela novo paradigma do Desenvolvimento Sustentável Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado (..) Incumbe ao Poder Público (...): VI - promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente;
  18. 18. 1992 Mundo Brasil - Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro - Participação de 103 chefes de Estado e 182 nações. - Pela primeira vez, foi permitida a participação de ONGs - Grande participação cidadã - O principal resultado foi a Agenda 21, com cinco acordos oficiais: - Declaração do Rio Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento - Agenda 21 e os meios para sua implementação - Declaração de Florestas - Convenção-Quadro sobre Mudanças Climáticas - Convenção sobre Diversidade Biológica - Mas também teve o tratado educação ambiental para sociedades sustentáveis e responsabilidade global
  19. 19. Pontos Positivos Pontos Negativos - 2.500 recomendações para a comunidade mundial - Sugere ao desenvolvimento de Agendas Locais - Dos cinco acordos, o que mais evoluiu foi o sobre o clima, o qual deu base pra o Protocolo de Kyoto (1997) - Primeira versão da Carta da Terra, concluída em 2000 - Falta de compromissos financeiros concretos - Posição conservadora do presidente Bush foi um grande obstáculo - Não possibilitou que os países ricos mudassem seu modelo consumista de recursos naturais
  20. 20. Tratado educação ambiental para sociedades sustentáveis e responsabilidade global - Documento em permanente construção - Deve portanto propiciar a reflexão, o debate e a sua própria modificação. - Qualquer pessoa pode ser signatária Um momento marcante da ECO-92, foi o discurso de Severn Suzuki, uma garota de 12 anos Link na internet
  21. 21. 2002 Mundo Brasil - Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, Johanesburgo - Contexto Histórico conturbado (“11 de setembro”) impossibilitou os avanços desejados - Ocorreu logo após a invasão norte-americana ao Iraque, a ONU estava desacreditada - Pouco avanço com relação a problemas como: desigualdade social, degradação de solos, ar e água, e riscos socioambientais
  22. 22. Dividiu o meio natural em quatro sistemas, estritamente vinculados: - Atmosfera, - Hidrosfera, - Litosfera - Biosfera A herança de Tbilisi
  23. 23. - Integração entre as diversas disciplinas do ensino formal (interdisciplinaridade) - Promover uma visão ampla das interações entre o meio natural e o social - Propor a conscientização da relação entre o modo de vida das pessoas e a qualidade ambiental - Estimular a ação crítica sobre as causas dos problemas ambientais e não apenas na remissão de seus efeitos imediatos - Capacitar, em especial tomadores de decisão, com conhecimento técnico-científico, valores e atitudes necessária para prevenção de problemas ambientais - Estimular investimentos públicos e privados para diferentes modalidade de educação informal, especialmente dos meios de comunicação de massa Principais metas estabelecidas em Tbilisi
  24. 24. Multi, Inter Pluri e Transdisciplinaridade Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) estabeleceram a inclusão das questões ambientais como tema transversal
  25. 25. Atividade: fazer um resumo do Artigo Discurso vs. Prática - Quanto discurso ambiental é de fato convertido em ações pró-ambientais? - Quanto dinheiro arrecadado com o marketing ambiental é de fato aplicado em melhorias na qualidade ambiental por parte das empresas que comercializam produtos “ecologicamente corretos”? - A questão ambiental não vai ser solucionada apenas por se falar recorrentemente sobre ela ou pela aquisição de produtos com estampas ecológicas
  26. 26. Planejamento em Educação Ambiental - Escolha do Conteúdo - Elaboração do Plano de Aula - Público Alvo e sua Motivação - Ambiente Educacional - Prazo de duração do programa
  27. 27. O Conteúdo - Diretrizes definidas pelo MEC
  28. 28. Público Alvo 1. Maturidade Primeira infância Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior Público Adulto em geral
  29. 29. Público Alvo 2. Diversidade
  30. 30. Motivação Externa Disciplina chata! Mas eu tenho que passar de ano! Vou fazer este curso porque ele dá dinheiro! Não me interessa se eu gosto ou não do assunto Também não é preciso fazer voto de caridade! A melhor forma de motivação é a curiosidade: “Eu quero aprender este assunto. Dinheiro e passar na disciplina são consequências”. Interna
  31. 31. EDUCAÇÃO CONTINUADA A Curiosidade é algo de está para além da sala de aula Deve ser complementada com leituras, filmes, documentários atividades
  32. 32. Ambiente educacional Sala de Aula Laboratório Aula ao céu aberto Recursos Disponíveis Nova Iorque, Tóquio e Hong Kong. “As carteiras utilizadas nas salas de aula já possuem uma tela que permite sentir os dedos, para os alunos resolverem as atividades economizando o papel. As lousas, também com telas, são controladas por controles pelas professoras, parecendo até com uma televisão. Como por exemplo, quando você resolve alguma conta, você envia a resposta para a lousa por micro-ondas.” fonte: http://www.escolasanti.com.br/santinews/tag/5%C2%BAa/
  33. 33. Prazo - Apenas um aula de 2h (em qualquer curso, como Geografia) - Uma disciplina a parte dentre do próprio cursos, de 60 ou 90h (Ex: Geologia Ambiental) - Um curso inteiro a nível técnico, superior ou de pós-graduação, cuja carga horária varia bastante - Um minicurso (de 4 a 10h) ou uma palestra dentro de um evento como um Congresso
  34. 34. Plano de Componente Curricular - Curso: Monitor do Uso e Conservação de Recursos Hídricos - Período: 2014-2015 - Disciplina: Meio Ambiente e Sustentabilidade - Professor: Alex Santiago Nina - Carga Horária: 160h - Ementa (descrição sucinta dos pontos abordados na disciplina): 1) Meio Ambiente: conceitos básicos e definições. 2) Sustentabilidade: definições, problemáticas, eixos (econômico, social e ecológico), indicadores do desenvolvimento sustentável 3) Gestão dos Recursos Hídricos: uso, manejo e conservação da água; função ecológica dos rios e aquíferos, prevenção de risco de inundação. 4) O contexto amazônico: Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local Sustentável; Impactos das Mudanças Climáticas e eventos climáticos extremos na Amazônia.
  35. 35. Plano de Componente Curricular - Objetivo Geral: Proporcionar ao aluno noções básicas de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Gestão de Recursos Naturais. - Objetivos Específicos: Contextualizar o conteúdo básico ministrado à sustentabilidade da região amazônica. BASES CIENTÍFICO-TECNOLÓGICAS: - ANA. Planejamento, manejo e gestão de bacias, 2014. Disponível em: < http://eadana.hospedagemdesites.ws>. Acesso em março de 2014. - IBGE. Indicadores do Desenvolvimento Sustentável. 350f. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Rio de Janeiro, 2012. - MARENGO, J.; NOBRE, C.; CHOU, S.; TOMASELLA, J.; SAMPAIO, G.; ALVES, L.; OBREGÓN, G.; SOARES, W.; BETTS, R.; KAY, G. Riscos das Mudanças Climáticas no Brasil: análise conjunta Brasil-Reino Unido sobre os impactos das mudanças climáticas e do desmatamento na Amazônia. 2011. 56f. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE - Brasil) e Met Office Hadley Centre (MOHC - Reino Unido). São Paulo, 2011. - SÁNCHEZ, L.E. Conceitos e Definições. In: ________. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. 2ª Edição. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. p. 17-45.
  36. 36. Plano de Componente Curricular - Práticas Metodológicas: Aulas Teóricas: Apresentação de slides sobre as temáticas propostas e desenvolvimento de material didático condensado a ser entregue para os alunos. (128h de aulas - 32h para cada tema) Aulas Práticas: desenvolvimento de debates interativos entre os alunos sobre o tema sustentabilidade, preservação dos recursos naturais, práticas sustentáveis cotidianas e ações para prevenção de riscos naturais (32h de aulas - 8h para cada tema) - Recursos Didáticos: Datashow - Práticas avaliativas: Seminários e provas escritas. PLANEJAMENTO DO CONTEÚDO Sequência Didática Tema/Assunto Carga Horária 1° Tema Meio Ambiente 40h 2º Tema Sustentabilidade 40 h 3° Tema Gestão de Recursos Hídricos 40h 4º Tema O contexto Amazônico 40 h
  37. 37. Referências REIGOTA, M. O que é educação ambiental? 2ª ed. São Paulo: Brasiliense, 2009. CAMPINA, N.; NASCIMENTO, F. Educação Ambiental. São Paulo: Editora Sol, 2011.

×