Protocolo de Mamas Ressonância Magnética

17,717 views

Published on

  • Be the first to comment

Protocolo de Mamas Ressonância Magnética

  1. 1. RESSONÂNCIA MAGNÉTICA PROTOCOLO DE MAMAS Alex Eduardo Ribeiro – Tecnólogo em Radiologia Médica
  2. 2. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética
  3. 3. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>Os papéis da RM da mama incluem: </li></ul><ul><li>Avaliação e a triagem de pacientes com mamas densas e implantes mamários; </li></ul><ul><li>Avaliação da ruptura de implantes mamários; </li></ul><ul><li>Determinação da extensão de tumores malignos; </li></ul><ul><li>Acompanhamento da mama após a terapia conservadora; </li></ul><ul><li>Monitorização da resposta à quimioterapia ou radioterapia. </li></ul>
  4. 4. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética 1. Implantes Mamários <ul><li>Implantes mamários de silicone são fabricados há mais de 30 anos. </li></ul><ul><li>São geralmente constituídos de uma membrana externa de silicone e um gel de silicone na parte interna. </li></ul><ul><li>A composição química é à base de dimetil polissiloxano , com graus variáveis de polimerização. </li></ul>
  5. 5. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>As complicações dos implantes mamários incluem: </li></ul><ul><li>Rupturas e vazamentos; </li></ul><ul><li>Contrações fibrosas e cálcicas; </li></ul><ul><li>Dor localizada; </li></ul><ul><li>Parestesias; </li></ul><ul><li>Doenças auto-imunes. </li></ul>
  6. 6. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>A freqüência relativa do silicone é aproximadamente 100 Hz inferior à do tecido adiposo e 320 Hz inferior à da água a 1.5T. </li></ul>Tecido Adiposo 220 Hz 100 Hz H 2 O Silicone
  7. 7. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética 1.1 Ruptura Intracapsular <ul><li>É considerado o tipo mais comum de ruptura. </li></ul><ul><li>Afeta a membrana do implante (envoltório elastomérico), possibilitando a liberação do gel de silicone. </li></ul><ul><li>A ruptura intracapsular não se estende além da cápsula fibrosa intacta. </li></ul>
  8. 8. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética
  9. 9. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética 1.2 Ruptura Extracapsular <ul><li>É a ruptura tanto da membrana do implante como da cápsula fibrosa. </li></ul><ul><li>O vazamento de silicone estende-se aos tecidos circundantes do parênquima mamário. </li></ul><ul><li>Os sinais de ruptura intracapsular na maioria dos casos acompanham a ruptura extracapsular. </li></ul>
  10. 10. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética
  11. 11. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética 2. Tumores da Mama <ul><li>A RM tem os seguintes papéis na obtenção de imagens do câncer de mama: </li></ul><ul><li>Avaliação do tamanho e da invasão de carcinomas invasivos; </li></ul><ul><li>Obtenção de imagens de seios muito densos em mulheres de alto risco; </li></ul><ul><li>Detecção da recidiva do câncer em mamas tratadas de forma conservadora; </li></ul><ul><li>Avaliação de anormalidades das mamas com baixo nível de suspeita. </li></ul>
  12. 12. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>Limitações da RM de mama: </li></ul><ul><li>Baixa especificidade; </li></ul><ul><li>Alto custo; </li></ul><ul><li>Longa duração do exame; </li></ul><ul><li>Necessidade do contraste endovenoso; </li></ul><ul><li>Ausência de um método padronizado; </li></ul><ul><li>Falta de um equipamento para biópsia orientada pela RM que esteja amplamente disponível. </li></ul>
  13. 13. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>Benignas: </li></ul><ul><li>Fibroadenomas; </li></ul><ul><li>Alterações proliferativas; </li></ul><ul><li>Malignas: </li></ul><ul><li>Carcinoma ductal infiltrativo; </li></ul><ul><li>Carcinoma mucinoso; </li></ul><ul><li>Carcinoma lobular invasivo; </li></ul><ul><li>Carcinoma medular. </li></ul>2.1 Principais Patologias da Mama
  14. 14. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética
  15. 15. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética
  16. 16. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>A bobina usada nos exames de mama é a de bobina de mama , sinergia (phased-array) ou a bobina de superfície . </li></ul>
  17. 17. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>A idéia das bobinas de superfície foi ampliada na produção de imagens de bobinas de varredura de fase ( phased-array ). </li></ul><ul><li>A bobina de varredura de fase produz uma imagem com a RSR de uma única bobina de superfície, associada ao grande campo de visão de uma bobina de volume. </li></ul>
  18. 18. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>A(s) mama(s) da paciente é(são) posicionada(s) de tal forma que a(s) mesma(s) fique(m) encaixada(s) na bobina. </li></ul><ul><li>Posicionamento : cabeça primeiro (head first), decúbito ventral (prone) e braços para frente. </li></ul><ul><li>A punção venosa deve ser feita de forma a permitir a injeção do contraste sem a necessidade de retirar o paciente do aparelho. </li></ul>
  19. 19. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética
  20. 20. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética <ul><li>A programação da mama é feita da seguinte forma: </li></ul>
  21. 21. Protocolos: Mama Introdução Bobina Protocolo Artefatos Imagem Ressonância Magnética Axial DP Sagital T2 SPIR/ FAT Sagital T1 Sagital STIR Axial STIR Dinâmico Axial T1 vol Gd 3. Sequências

×