Saúde ambiental

8,498 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,498
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
375
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Saúde ambiental

  1. 1. Relação entre os fatores ambientaise a saúde dos indivíduos.
  2. 2. Quanto piores as condições do ambiente, maior apresença de doenças (Sylvia Carolina Aranha, 2006).A pobreza e a miséria atingem grande parte da populaçãobrasileira e, com isso, doenças simples de se prevenirem ou dese curarem ainda possuem elevados índices de incidência eprevalência. Isso se deve ao fato de que o organismo humano éparticularmente vulnerável às agressões do meio ambiente.As moradias precárias ou densamente ocupadas e a inexistênciade água tratada ou rede de esgoto encontram-se relacionadas aenfermidades respiratórias e gastrointestinais, respectivamente.(ESREY et al., 1991; GOMES, 2002; GRAHAM, 1990)
  3. 3. A aglomeração é extremamente comum nas famílias de baixarenda, devido à elevada taxa de natalidade. Esse fator, aliado àsprecárias condições de moradia, leva a um aumento na incidênciade doenças respiratórias, em especial a asma brônquica(GOMES, 2002; VICTORA et al., 1988; ZAMAN et al., 1997).
  4. 4. O estado do Rio de Janeiro registrou, em 2008, a maior incidência detuberculose no Brasil, com 68,64 casos por 100 mil habitantes.O Brasil é um dos 22 países priorizados pela OrganizaçãoMundial de Saúde (OMS) nas ações de prevenção àdoença, porque está no grupo de nações que concentram cercade 80% dos casos de tuberculose em todo o mundo.A tuberculose é uma doença comdeterminantes sociais bemmarcados, sendo possível estabeleceruma estreita relação com ascondições de moradia, acesso aosserviços de saúde e alimentaçãoadequada. Talvez esta seja uma dasfaces mais perversas da epidemia detuberculose: a situação de extremavulnerabilidade social que permeia ascomunidades maisafetadas, sobretudo aquelasdominadas pelo poder do tráfico eque, por isso, não conseguem receberas ações de saúde pública para aprevenção.A incidência da doença na Rocinha em2010 foi de 386,7 casos por cem milhabitantes. Isto reforça a tese de que ocontrole da tuberculose deve englobarnecessariamente a correção dasdesigualdades decorrentes das condiçõessociais em que as pessoas vivem etrabalham.
  5. 5. Como a questão habitacional encontra-se intimamente ligadaaos problemas de saúde, as abordagens e as intervenções nosambientes domiciliar e peridomiciliar tornaram-se umimportante meio de combate adoenças, contribuindo, assim, para a melhoria do padrão devida dessas pessoas (RAHMAN; RAHMAN, 1997;VICTORA, 1996).
  6. 6. As preocupações com a problemática ambiental estão inseridas naSaúde Pública desde seus primórdios, apesar de só na segundametade do século XX ter se estruturado uma área específica paratratar dessas questões. Essa área que trata da inter-relação entresaúde e meio ambiente foi denominada de Saúde Ambiental.Saúde, Meio Ambiente e Saúde AmbientalSegundo definição estabelecida pela OMS:“Saúde Ambiental é o campo de atuação da saúdepública que se ocupa das formas de vida, das substâncias edas condições em torno do ser humano, que podem exerceralguma influência sobre a sua saúde eo seu bem-estar” (Brasil-MS, 1999).
  7. 7. Em 1993, uma definição de Saúde Ambiental, que inseretambém os aspectos de atuação prática, foi apresentada naCarta de Sofia, produzida no encontro da Organização Mundialde Saúde, realizado na cidade de Sofia:“Saúde ambiental são todos aqueles aspectos da saúdehumana, incluindo a qualidade de vida, que estãodeterminados por fatores físicos, químicos, bioló-gicos, sociais e psicológicos no meio ambiente. Também serefere à teoria e prática de valorar, corrigir, controlar e evitaraqueles fatores do meio ambienteque, potencialmente, possam prejudicar a saúde de geraçõesatuais e futuras” (OMS, 1993).
  8. 8. 8Definições importantesPoluiçãoO novo paradigma das sociedades modernas.No início do século XXI, a sociedade depara-se com alguns problemas inexistentes paraas gerações anteriores. Um deles é a poluição ambiental.Conceito de Poluição:É toda alteração das propriedades naturais do meio ambiente que seja prejudicial àsaúde, à segurança ou ao bem-estar das populações sujeitas aos seus efeitos, causadapor agentes de qualquer espécie.Causas principais da poluição ambiental:1. O contínuo aumento da população2. O vertiginoso desenvolvimento industrial
  9. 9. 9Crescimento da população mundial:No ano de 1750 a população mundial era de 750 milhões de habitantes;Em 1900 atinge 1,5 bilhãoEm 1950 alcançamos 2,5 bilhõesEm 1990 passamos de 5,5 bilhõesAtualmente o número de seres humanos habitando a Terra já ultrapassa 7 bilhõesConseqüências do crescimentoacelerado da população:1. Crescente produção dealimentos, o que exigefertilizantes e agrotóxicos, unsdos principais componentesresponsáveis pela poluiçãoambiental.Agrotóxicos são os produtos e os agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados aouso nos setores de produção... cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim depreservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos (Lei Federal 7.802 de 11.07.89).
  10. 10. 102. Esgotos humanos: além dos detritos orgânicos, contêm também resíduos de sabões edetergentes.
  11. 11. 11ContaminaçãoDefinição: introdução de microrganismos, substâncias químicas e/ou resíduos no meioambiente (água, ar ou solo) em quantidade suficiente para desequilibrar as propriedadesdo meio e torná-lo prejudicial à saúde e à preservação ambiental.
  12. 12. 12Diferença entre água poluída e água contaminadaÁgua poluída – é a água que apresenta alterações físicas, como: cheiro, turbidez, cor ousabor. Normalmente, a alteração física é conseqüência da contaminaçãoquímica, geralmente devido à presença de substâncias, como: elementos estranhos outóxicos.A alteração das características naturais da água a torna inadequada para oconsumo humano.
  13. 13. 13Água contaminada – é a água que contém agentes patogênicos vivos, sejambactérias, vermes, protozoários ou vírus. Essa água não é potável, logo não deve serutilizada.Protesto de moradores de São Paulo contra a invasão de água contaminada nos domicílios após as fortes chuvas.Na amostra foram encontrados larvas de insetos e até cobras, aumentando seriamente os riscos da populaçãolocal,
  14. 14. 14Principais doenças causadas pela águacontaminada:Disenteria - Pode ser causada pela ameba oupor bacilo.Amebíase - É uma forma de disenteriaprovocada por um organismo microscópicochamado ameba. Uma das formas detransmissão se faz pela água contaminada comas fezes de indivíduo doente.Cólera - A cólera é uma doença queprovoca, nas pessoas, vômitos, diarréia edesidratação. É causada por uma bactériachamada vibrião colérico. Não se deveconfundir esta doença com a raiva. Ela causacólicas e, às vezes, o doente evacua sanguecom as fezes. Ela provoca, também, adesidratação e o doente precisa tomar soro.
  15. 15. 15Efeito EstufaChama-se efeito estufa o mecanismo de aquecimento natural do planeta, com elevação datemperatura da atmosfera; esse efeito vem sendo observado há mais de um século.A atmosfera permite a entrada de umagrande quantidade das radiações oriundas dosol. A maior parte dessas radiações sofrereflexão pela superfície terrestre ou pelaatmosfera e retorna para o espaço.Uma pequena parte, porém, é absorvida porgases atmosféricos, pelo solo e pelosoceanos. A energia luminosa é finalmenteretransmitida na forma de calor.A maior parte desse calor perde-se no espaçoexterior, enquanto uma certa quantidade éabsorvida nas baixas camadasatmosféricas, principalmente pelo gáscarbônico (CO2), pelo metano (CH4) e pelovapor de água. A radiação solar que atinge a Terra consiste de trêscomponentes: luz visível, e dois componentes invisíveis, ondascurtas ultravioleta e ondas longas infravermelhas.
  16. 16. 16O aumento substancial nas liberações de gás carbônico tem alterado o comportamentoatmosférico, pois, à medida que aumenta o teor de CO2, intensifica também a retenção decalor pelo efeito estufa e, conseqüentemente, mais elevada a temperatura média do globoterrestre.Principais emissores de CO2Indústrias:A industrialização estimula muito o aumento dosgases de efeito estufa na atmosfera, como o gáscarbônico, em virtude da queima de combustívelfóssil.Queimadas: As queimadas das florestas tambémproduzem CO2 para a atmosfera.Automóveis: A poluição provocada pela excessode veículos nas cidades muito populosas faz comque o CO2 se acumule no ar, absorvendo muitomais calor.
  17. 17. 17Destruição da Camada de Ozônio -HistóricoNo século XX, em meados da década de 80, confirmou-se que o ozônio estava sendoprogressivamente destruído, com a conseqüente rarefação da camada. Parece que essadestruição foi provocada por produtos químicos liberados pela atividadehumana, especialmente os que contêm átomos de cloro como os cloroflúor-carbonetos(CFC).A energia de ligação entre átomos decarbono e o cloro é de 93kcal/mol, mais fraca do que asligações carbono-flúor e carbono-hidrogênio.Assim, a molécula dos CFCs e deoutros compostos clorados voláteis émais facilmente decomposta pelasradiações solares e irá contribuir paraa destruição da camada de ozônio.
  18. 18. 18Os CFCs podem subir à estratosfera sem se modificar. Porém, acima de 12 km de altitude, aradiação ultravioleta emitida pelo Sol rompe a ligação química entre o átomo de carbono e oátomo de cloro, liberando este sob a forma de radical livre, que ataca o ozônio e odestrói, formando oxigênio.O enfraquecimento da camada de ozônio favorece a passagem dos raios ultravioleta, queassim chegam à superfície da Terra em maior quantidade.
  19. 19. 19Estima-se que a redução de 1% na espessura da camada deozônio seja suficiente para que a radiação UV cause acegueira por catarata em 100 000 pessoas e aumente em3% os casos de câncer de pele.Em pequenas quantidades, porém, essas radiações sãoúteis à vida, contribuindo para a produção de vitaminaD, indispensável ao desenvolvimento normal dos ossos.A catarata é uma patologia dos olhos queconsiste na opacidade parcial ou total docristalino (lente do olho) ou de sua cápsula.
  20. 20. 20Os CFCs são muito empregados em refrigeradores, aparelhos de arcondicionado, acolchoados para estofamento de carros e móveis, espumas sintéticas usadasno combate a incêndio, e aerossol utilizados em vários produtos (laquês decabelo, desodorantes, tintas, etc.).Produção de CFC em alguns países entre 1986 e 1996
  21. 21. Indicadores de saúde ambientalProf. Waldemiro Romanhahttp://microsintonias.blogspot.com
  22. 22. Discute o atual modelo de desenvolvimento mundial(crescimento econômico e urbanização):– Urbanização rápida e desordenada;– Concentração de renda;– Degradação ambiental;– Degradação qualidade de vida.Ecologia SocialGênese dos problemas de meio ambiente esaúde:processo de produção e consumo• OMS – A OMS tem promovido estudos paraum melhor entendimento da relação ambiente– saúde, de forma a subsidiar a definição depolíticas e estratégias para estes setores.
  23. 23. O perfil de saúde da população brasileira e o cenáriosocioambiental1. doenças cardiovasculares e neoplásicas (respectivamente primeira e terceiracausas de óbito);2. doenças infecto-parasitárias;3. causas externas (acidentes e violências) .Risco à saúde relacionado ao ambiente• A OMS estima que 30% dos danos a saúde estão relacionados aos fatoresambientais decorrentes de inadequação do saneamento básico(água, lixo, esgoto), poluição atmosférica, exposição a substâncias químicas efísicas, desastres naturais, fatores biológicos (vetores, hospedeiros e reservatórios)entre outros.
  24. 24. Área da saúde pública que envolve conhecimento científico e formulação de políticaspúblicas relacionadas à interação entre a saúde humana e os fatores do meio ambientenatural e antrópico que a determinam, condicionam e influenciam a qualidade de vida doser humano, sob o ponto de vista da sustentabilidade.SAÚDE AMBIENTAL• Instrumentos da VSA– Epidemiologia ambiental– Avaliação e gerenciamento de riscos– Indicadores de Saúde Ambiental– Sistema de informação em saúde ambiental– Estudos e Pesquisas– Atenção PrimáriaVIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTALConjunto de ações que proporciona o conhecimento, e a detecção de qualquermudança nos fatores determinantes e condicionantes do meio ambiente queinterferem na saúde humana.FinalidadeRecomendar e adotar medidas de prevenção e controle dos fatores de riscosrelacionados às doenças e outros agravos à saúde
  25. 25. Indicador de saúde ambiental• OMS• OPAS• MS/DATASUS• SVS/MS• CGVAM/SVS/MSINDICADOR DE SAÚDE AMBIENTALO ISA demonstra a vinculação entre o ambiente e saúde direcionando-a para umaspecto concreto de uma política ou gerenciamento. É apresentado de uma formaque facilite sua interpretação, permitindo a tomada de decisão eficaz e efetiva(Briggs e Corvalan, 1996).Um indicador de saúde ambiental pode ser visto como uma medida quesintetiza, em termos facilmente compreensíveis e relevantes, alguns aspectos darelação entre o meio ambiente e a saúde, de forma a auxiliar tomadores dedecisão a fazer escolhas mais apropriadas, fundamentadas em informações(Villardi et al, 2005)
  26. 26. B A CMeioAmbiente SaúdeA: Indicadores de saúde ambientalB: Indicadores ambientais com possível impacto na saúdeC: Indicadores de saúde com possível causa ambientalIndicadores de Saúde AmbientalRelação com outros indicadores
  27. 27. Saúde Ambiental no Brasil

×