Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Morte em lares

1,203 views

Published on

Morte em Lares

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Morte em lares

  1. 1. MORTE  EM  LARES   Albino  Gomes  
  2. 2. “Envelhecer  não  é  dificil,  dificil  é  ser-­‐se  velho”     Goethe  
  3. 3. ESTATISTICA   •  Actualmente  existem  cerca  de  15.000  idosos  à   espera  de  vaga  em  lares   •  1992  –  3.000  lares   •  2006  –  esIma-­‐se  cerca  de  6.100  lares   •  As  autoridades  encerram  em  média  1  lar  por   semana   •  2010  –  1,8  idoso  por  cada  jovem  
  4. 4. MORTE  EM  LARES   •  20%  de  todas  as  mortes  ocorrem  em  lares   •  A  maior  parte  das  mortes  é  de  causa  natural   •  Não  existem  dados  que  indique,  o  número  de   mortes  por  homicídio,  suicídio  ou  acidentes   em  lares  
  5. 5. HOMICIDIO   •  Incomum   •  Os  autores  podem  ser  funcionários  do  lar,   membros  da  família  ou  outros  residentes  do   lar   •  Normalmente  os  homicídios  são  comeIdos   pelas  visitas   •  Negligência  de  cuidados,  homicídio???  
  6. 6. SUICIDIO   •  Alguns  casos  em  lares  clandesInos,  sem   grande  vigilância   •  Raro  nos  lares  com  ambiente  controlado,  com   acesso  mínimo  a  armas  e  fármacos   •  Local  e  espaço  do  lar  influencia  o  suicidio  
  7. 7. ACIDENTES   •  As  quedas  produzem  o  maior  número  de   mortes   •  Segunda  causa  mais  frequente:  asfixia   causada  pelas  grades  da  cama,  imobilizações   de  contenção  e  colchões  muito  pequenos   •  Outras  causas:  aspiração  de  vómito,   queimaduras  provocadas  por  imersão  em   água  quente  
  8. 8. OVERDOSE   •  Estas  mortes  podem  ser  inadverIdas  ou   intencionais   •  As  denúncias  destes  casos  ocorrem  quando   algum  funcionário  denuncia  o  caso   •  No  SUG  as  equipas  médicas  idenIficam  os   casos,  ou  quando  é  realizada  a  autopsia   •  Raramente  a  overdose  é  intencional  
  9. 9. NEGLIGÊNCIA   •  Os  casos  que  envolvem  morte  em   consequência  de  úlceras  de  pressão,   raramente  dão  acusação  de  homicídio   involuntário   •  A  negligência  de  cuidados  é  crime  
  10. 10. NEGLIGÊNCIA   ANALISE  DOS  REGISTOS:   •  A  viIma  foi  posicionada  de  2h/2H  –  mas  as   úlceras  aparecem   •  Os  residentes  comem  todas  as  refeições  –  mas   perdem  peso   •  A  medicação  é  sempre  dada  –  mesmo  quando   as  caixas  estão  vazias   •  Aparecem  às  vezes  registos  de  cuidados  de   enfermagem  a  utentes,  que  já  morreram  
  11. 11. NEGLIGÊNCIA   Sinais  de  Negligência:     •  Contracturas   •  Má  nutrição   •  Desidratação   •  Úlceras  pressão  
  12. 12. CONTRACTURAS   •  Causada  por  atrofia  e  encurtamento  anormal   das  fibras  musculares   •  A  primeira  causa  é  o  desuso,  os  músculos   ficam  fracos  e  atrofiados   •  O  musculo  diminui  de  diâmetro  e  diminuem  o   numero  de  células  musculares   •  Ocorre  muitas  vezes  em  utentes  acamados   •  Presença  de  contracturas  indica  maus   cuidados  
  13. 13. MÁ  NUTRIÇÃO   •  Envolve  um  défice  ou  excesso  de   componentes  essenciais  de  dieta  balanceada   •  O  Ipo  de  má  nutrição  encontrada  em  lares  é   usualmente  má  nutrição  proteino-­‐calórica   •  A  avaliação  é  efectuada  através  da  medição   da  albumina  
  14. 14. DESIDRATAÇÃO   •  Frequente   •  Pode  ocorrer  por:  doença  (diarreia,  febre,   infecção);  efeito  da  medicação  (diuréIcos);  e   ausência  de  monitorização  da  ingestão  de   líquidos.   •  Enquadra-­‐se  nos  maus  cuidados  
  15. 15. ULCERAS  DE  PRESSÃO   •  A  sua  presença  indica  cuidados  de  assistência   fracos   •  Factores  que  podem  levar  a  úlceras:   •  Depressão  motora   •  Alterações  de  consciência   •  Pressão  nas  proeminências  ósseas   •  Má  nutrição   •  InconInência  
  16. 16. MORTES  CAUSADAS  PELAS  GRADES   DA  CAMA   •  As  grades  servem  para  evitar  quedas   •  As  grades  podem  provocar  lesões  indirectas,   quando  os  idosos  tentam  saltar  as  camas   •  As  grades  podem  causar  a  morte  directa  por   aprisionamento   •  Em  geral  os  utente  apresentam  alterações   nsicas  e  cogniIvas  
  17. 17. MORTES  POR  DISPOSITIVOS     DE  IMOBILIZAÇÃO   •  Risco  de  estrangulamento  e  asfixia  posicional   •  Tipicamente  existe  história  de  agitação  com   imobilização  e  tentaIva  de  fuga     •  Imobilizações  colocadas  em  locais  errados   (região  torácica,  axilar)   •  Utentes  imobilizados  em  cadeirões  na  região   axilar,  e  que  vão  escorregando,  podendo  levar   a  enforcamento  
  18. 18. PAPEL  DO  ENFº  FORENSE  
  19. 19. PAPEL  DO  ENFº  FORENSE   •  Preservar  e  proteger  o  local   •  Avaliação  minuciosa  do  corpo   •  Ver  marcas  de  contenção  e  trauma   •  Registo  fotográfico   •  Consultar  processo  do  utente,  para  verificar   história  clínica   •  Recolher  toda  a  terapêuIca  da  viIma    
  20. 20. PAPEL  DO  ENFº  FORENSE   •  Recolher  as  lamelas  dos  comprimidos  e   colocar  em  envelopes.   •  Zaragatoa  das  manchas  de  sangue   •  Na  presença  de  conteúdo  gástrico  recolher   amostra   •  Recolher  urina  (  se  algaliado)   •  Registar  lesões  me  diagrama  corporal  
  21. 21. PAPEL  DO  ENFº  FORENSE   •  Descrever  e  fotografar  as  úlceras  de  pressão     •  Ter  atenção  à  localização,  diâmetro  e   caracterísIcas  (presença  exsudado,  odor,  Ipo   de  tratamento)   •  Pesquisar  sinais  de  overdose   •  Avaliar  risco  de  abuso  sexual,  em  caso   afirmaIvo  realizar  perícia  com  recolha  de   amostras  
  22. 22. PAPEL  DO  ENFº  FORENSE   •  Atenção  ao  tutor  do  idoso,  para   consenImento  informado   •  Registar  todas  as  patologias  associadas   •  Avaliar  condições  do  lar  e  denunciar   •  Registar  a  legalidade  do  lar   •  Avaliar  a  temperatura  ambiente  do  local  
  23. 23. E  AGORA  O  QUE  FAZER?  

×