Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Painel telebrasil 2018 ieee 5 g summit aspectos de uso do espectro em redes 5g

88 views

Published on

Presented at the IEEE 5G Summit co-hosted with the Painel Telebrasil 2018, it introduces the discussion on radio spectrum by addressing the cycles of evolution of telecommunications networks and services, the need for 5G, the benefits brought by 5G, as well as its challenges and solutions. It takes an approach on the first radiofrequencies sub-bands used in the 5G, standardized and in the world. Discusses the alternatives for sub-bands below 1 GHz, the importance of millimeter waves and unlicensed spectrum. Finally, it brings the discussion about spectrum sharing as a great mechanism inducing new business and innovation as well as efficient use of spectrum.

Published in: Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Painel telebrasil 2018 ieee 5 g summit aspectos de uso do espectro em redes 5g

  1. 1. Padronização e experiências concretas 22 de maio de 2018 Diretoria de Estratégia, Tecnologia e Arquitetura de Rede Ger. Estratégia e Arquitetura de Rede Alberto Boaventura Painel Telebrasil IEEE 5G Summit
  2. 2. Cenários da Indústria de Telecomuinicações: Ondas de Evolução Internet Internet Móvel Internet das Coisas Internet Tátil Transformação Viabilizou as comunicações Globais; Nova forma de entretenimento; Barateamento das comunicações; Comunicações em todo lugar; Alcançabilidade dos usuários e serviços; Smartphone: tornando-se o principal dispositivo para acesso à conteúdo; Smartphones => Início da Transformação Digital; Potencializou o uso de Redes Sociais; Revolucionará todos os segmentos industriais através da integração e transação eletrônica melhorando e otimizando os seus processos produtivos; Nova plataforma para inovação, inaugurando um novo momento econômico; Experiência não só audiovisual, mas de imersão total; Ajudarão aos usuários (humanidade) na complementação da percepção do mundo trazendo mais informações através de aplicações sofisticadas de Realidade Aumentada e Realidade Artificial; Mercado Tráfego de voz superior ao de dados; Voz é o serviço mais importante; Aplicações não Real-Time Crescimento da banda larga fixa é de 42% (CAGR) contra 22% para acessos móveis; Banda Larga Fixa > 64 kbps; Padrão ADSL.1 =1-8 Mbps Crescimento da banda larga fixa é de 8% (CAGR) contra 33% para banda larga móvel; O número de MBB supera superior ao de FBB em 2013; O tráfego de dados já supera o tráfego de voz. Dados passa ser mais o serviço mais importante; Na próxima década serão algumas dezenas de bilhões de objetos conectados Explosão de objetos conectados; Serviços com baixa latência e segurança passam a ter outra relevância; O 5G apresenta-se promissor com: expectativa de 1 bilhão de assinantes em menos de 5 anos de operação; acima de 10 trilhões em receita no mesmo período; A latência passa a ser mais relevante que a taxa para os serviços da Internet tátil; Tecnologia Word Wide Web Dial Up xDSL Comutação por pacotes & TCP/IP WAP EDGE, HSPA/HSPA+ e LTE/LTE-A Android Vídeo streaming e sharing Redes Sociais Roaming Global Acesso LPWA, SigFox, LoRA, LTE-M Computação na Nuvem; Computação cognitiva; Big Data, Analytics, Machine Learning, AI Blockchain Sistemas de baixa latência: SDN/NFV; Fog Computing Quantum Computing Quantum Internet; 2020-20352015-20302000-20151990-2005
  3. 3. Nem todos os serviços podem ser desenvolvidos pela rede Existente Enhanced Mobile Broadband Massive Machine Type Ultra-Reliable & Low Latency Smart Cities Smart Homes Building 3D vídeo, UHD, Virtual Reality Augmented Reality Industry Automation Self Driving Car Connected Cars Remote Surgery Fonte: GSMA 2017 Os serviços pensados para a próxima década exigirão novos requisitos difíceis de serem oferecidos pelas redes existentes: taxas de pico superiores 10x superiores; taxas médias 100x superiores; latência 10x inferior; número de conexões 100x superior entre outros aspectos.
  4. 4. Visão do 5G segundo Next Generation Mobile Network (NGMN) CASOS DE USO MODELOS DE NEGÓCIO CRIAÇÃO DE VALOR Provedor de Ativos Provedor de Conectividade Provedor de Serviço de Parceiros XaaS; IaaS; NaaS; PaaS Network Sharing Conectividade Básica Conectividade Avançada Serviços enriquecidos pelo parceiro Serviço enriquecido fornecido pela operadora Broadband Access in Dense Areas Broadband Access Everywhere Higher User Mobility Massive Internet of Things Extreme Real-Time Communications Lifeline Communications Ultra-reliable Communications Broadcast-like Services REDE CONFIÁVEL E FLEXÍVEL SERVIÇOEXPERIENCIATRUST segurança Identidade Privacidade TempoReal Seamless Personaliz. Interação& Tarifação QoS Contexto "5G é um ecossistema e2e para permitir uma sociedade totalmente móvel e conectada. Permite a criação de valor para clientes e parceiros, através de casos de uso existentes e emergentes, fornecidos com experiência consistente e habilitados por modelos de negócios sustentáveis " Requisitos Atributo 3GPP Release 12 NGMN Requiremnents Throughput por Usuário Áté 100 Mbps de média com picos de 600 Mbps (Cat11/12) > 10 X acima da taxa média e picos com taxas de > 100 X na borda da célula Latência 10 ms para duas vias RAN (pre- scheduled) Tipicamente 50 ms e2e I > 10X (menor) Mobilidade Functional up to 350 km/h No support for civil aviation > 1,5 X Eficiência Espectral DL: 0,074-6,1 bps/Hz UL: 0.07-4.3 bps/Hz Aumento significativo Densidade de Conectividade 2000 Users Ativos/km2 > 100 X
  5. 5. 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2020+ Release 16 & 5G Enh (ITU) Release 15 & 5G SI/WI Evaluation & Specification Proposal Submission Tech. Requirements & Eval. Methodology Vision, Technology & Spectrum Cronograma do 5G WRC15WRC12 WRC19 Trials & ComercializaçãoPadronizaçãoPre-padronizaçãoPesquisa Exploratória First Release White Paper Requirements & Tech. feasibility Release 14 & 5G SI Release 10-13 NFV Phase 3NFV Phase 2NFV Phase 1 MEC Phase 2MEC Phase 1 RG on Cloud based Mobile Core Net. for 5G Evolution to SDN Open FlowOpen Daly Light Open Flow v1.2 Google Esforçointensivoeextensivoportodososórgãosde padronização Trial of basic functionality Tests IoT and deployment
  6. 6. Rede Móvel Tecnologia Programa ITU IMT 2000 IMT Advanced IMT2020 Serviço Voz+Multimídia Voz+Dados Banda larga+Vídeo Ultra-banda larga+Vídeo Internet of Everything Taxa Máxima Setor 1 Mbps 10 Mbps 150 Mbps 1 Gbps 10 Gbps Conexões Móveis Acessos = 500 milhões Acessos = 1 bilhão Banda Larga = Acessos = 5 bilhões BandaLarga = 0,8 Bilhão Acessos = 10 bilhões BandaLarga = 3,5 Bilhões Acessos >30 bilhões BandaLarga = 7,7 Bihões Tráfego de Dados <66 PB/Mês 240 PB/Mês 5300 PB/Mês 37600 PB/Mês Portadora 5 MHz 10 MHz 20 MHz 100 MHz >100 MHz Espectro destinado ao IMT WARC92 e WRC00 = 749 MHz WRC07=+428 MHz 1177 MHz WRC15= + 709 MHz 1886 MHz WRC19 = + 10 GHz (?) Densidade de Sites 1 site /km2 5 sites/km2 50 sites/km2 100 sites/km2 >100 sites/km2 Capacidade do Backhaul 2 Mbps 20 Mbps BH: 200 Mbps FH: 9 Gbps BH: 2 Gbps FH: > 9 Gbps ? Latência 500 ms 100 ms 10 ms 10 ms <1 ms Mundo (Brasil) 2000(2008) 2005(2008) 2010(2013) 2015 (2017) 2020 (??) Desafios do 5G
  7. 7. Tráfego Receita Voz Dados Mudanças ... 1000x Rápido e consistente de consolidação da banda larga móvel, dobrando ano a ano, está trazendo um tsunami de tráfego de dados, representando em 2020 1000x do tráfego em 2010. Tráfego de Dados Móveis 2018 haverá cerca de 1,4 dispositivos móveis per capita e mais de 10 bilhões de dispositivos móveis conectados em 2018, incluindo máquina-a-máquina (M2M) módulos superior a população do mundo (7,6 bilhões) - Cisco VNI 2014 Internet of Things Os requisitos dos clientes não são iguais. É imperativo descobrir quais os atributos são mais importantes para o cliente. Percepção negativa dos serviços são as principais razões para a mudança de prestador de serviços Experiência do Usuário Principal dilema da banda larga: o desacoplamento de tráfego e receita. Traz uma pesquisa contínua para identificação de soluções com custos eficazes e acessíveis. Tráfego & Receita
  8. 8. ... Desafios + vs vs ................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................ 256QAM Mais Espectro: Licenciado, Compartilhado ou Não Licenciado Novas Tecnologias Novos Sites Custo e disponibilidade do Espectro, Eficiência Espectral e Espacial Controle de Interferência Gerência de Recursos Mais Capacidade Maior Elasticidade Maior Resiliência Maior Granularidade Baixa Latência Auto-Organizável Sincronização Service & Network State Awareness Network Slicing Evolução de Arquitetura Múltiplas tecnologias e custos Balanceamento de serviço, tecnologia e espectro Penetração e subsídio de dispositivos Refarming Gerência de Ciclo de Vida
  9. 9. Gerência de Recursos Cobertura 0,0 Mbps/km2 200,0 Mbps/km2 400,0 Mbps/km2 600,0 Mbps/km2 0,3 km0,4 km0,5 km0,6 km Curvas de Capacidade  Cenário Base Nova Tecnologia Mais Frequência A G F C D B Ano X Ano X+1 Ano X+2 Ano X+3 E Nova Feature Mais Espectro Mais Sites G Curvas de Demanda  B C D Mais Sites Nova Tecnologia Mais Espepctro E F G A Estratégias Básicas para Aumento de Capacidade  𝑪𝒂𝒑𝒂𝒄𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒅𝒂 𝑹𝒆𝒅𝒆 = 𝑵ú𝒎𝒆𝒓𝒐 𝒅𝒆 𝑪é𝒍𝒖𝒍𝒂𝒔 × 𝑬𝒇𝒊𝒄𝒊ê𝒏𝒄𝒊𝒂 𝑬𝒔𝒑𝒆𝒄𝒕𝒓𝒂𝒍 × 𝑳𝒂𝒓𝒈𝒖𝒓𝒂 𝒅𝒆 𝑩𝒂𝒏𝒅𝒂
  10. 10. A estratégia para Gerenciar os Recursos não é única Bandas baixas possuem boa penetração indoor, porém pequena largura de banda para aplicações de banda larga.. DILEMA DA BANDA DE FREQUÊNCIA 90 MHz 150 MHz 200 MHz 500 MHz 13 GHz 700 MHz 1800 MHz 3500 MHz 5800 MHz (LTE-U) mmWave Melhor Propagação LarguradeBanda Amount of Bandwidth Fonte: Mobile Experts 2018 1x 2x 3x 4x 5x 6x 1x 2x 3x 4x 5x 6x Custo por Gbps Custoporkm2 LTE(Cat.3) LTE(Cat.4) CA(Cat6) CA+MIMO 4x4 TribandCA TribandCA+ 256QAM TribandCA+ 256QAM+ MIMO4x4 Quadriband CA+MIMO 4x4 5xCA+ MIMO4x4 100 Mbps 150 Mbps 300 Mbps 500 Mbps 450 Mbps 600 Mbps 950 Mbps 950 Mbps > 1 Gbps Limite a adoção ao 5G (> 1 Gbps) SMALLCELLS PARA ALTA DENSIDADE DE TRÁFEGO MMWAVE VS MID BANDS DIVERSAS COMBINAÇÕES TECNOLÓGICAS PARA O GBPS Fonte: Mobile Experts 2018 Este limite de 0,002 GkM representa quando as SmallCells são mais econômicas do que a rede macro
  11. 11. Bandas para o 5G 3000 MHz 3500 MHz 4000 MHz 4500 MHz 5000 MHz 5500 MHz 6000 MHz B42 Satellite B46 Mobile Broadband & Critical Mission Applications – Indoor 3 - 6 GHz 400 MHz 900 MHz 1400 MHz 1900 MHz 2400 MHz 2900 MHz B31 Broadcast B28 B20 B5 B8 B32 B3 B1 B40 ISM B7 Alcance para Massive Internet of Things (IoT) < 1GHz Mobile Broadband & Critical Mission – Outdoor 1 – 3 GHz 20 GHz 30 GHz 40 GHz 50 GHz 60 GHz 70 GHz 80 GHz 90 GHz K Band Ka Band Ka Band Ka Band V Band V Band V Band V Band V Band V Band W Band W Band Canalização para Extreme Mobile Broadband & Short Range > 6GHz & cm/mmWave > 6 GHz ~30 GHz 1-6 GHz ~ 3 GHz <1 GHz ~0.3 GHz Cobertura vs Capacidade CapacidadeCobertura Necessidade: L x 20 MHz Necessidade: L x 100 MHz Necessidade: 1-2 GHz
  12. 12. Bandas para o 5G 3GPP (*) EUA UE Japão Coréia China Brasil n5,n8,n20, n28 n71 (663-698 MHz)/ (617-652 MHz) n81 (880-915 MHz) n82 (832-862 MHz) n83 (703-748 MHz) 600 MHz 700 MHz 700 MHz 700 MHz 600 MHz (?) 900 MHz (Possibilidade de Limpeza) n1, n2, n3, n7, n38 n50,n51, n66, n74 n77 (3.3-4.2 GHz) n78 (3.3-3.8 GHz) n79 (4.4- 5.0 GHz) n80( (1.71-1.785 GHz) n84 (1,92-1.98 GHz) 3,4-3,5 GHz 5,7-5,8 GHz 2300 MHz 3,4-3,5 GHz 3,6-3,8 GHz 4,4-4,9 GHz 3,3-3,4 GHz 5,7-5,8 GHz 3,3-3,4 GHz 1500 MHz 2300 MHz 3,4-3,6 GHz 5,7-5,8 GHz n257 (26.5-29.5 GHz) n258 (24.25-27.5 GHz) n259 (31.8-33.4 GHz) 28 GHz 37 GHz 39 GHz 24 GHz 26 GHz 32 GHz 42 GHz 28 GHz 28 GHz 32 GHz 42 GHz 26 GHz 26 GHz (?) 40 GHz (?) > 6 GHz ~30 GHz 1-6 GHz ~ 3 GHz <1 GHz ~0.3 GHz CapacidadeCobertura Necessidade: L x 20 MHz Necessidade: L x 100 MHz Necessidade: 1-2 GHz Tendências e Definições (*) Lista completa nas recomendações 3GPP TS 38.101 e 38.104
  13. 13. Bandas para o 5G Número de países onde há do 5G, por faixa, com base em propostas de reguladores, consultas ou alocações de espectro (exclui alocações temporárias para testes / resultados de triagem) Fonte: GSA 2018 Fonte: GSA 2018 Quantidade de faixas diferentes propostas ou alocadas ao 5G (como na figura a esquerda) por país (exclui alocações temporárias para testes / resultados de triagem) Adoção de Faixas para o 5G
  14. 14. Subfaixas abaixo de 1 GHz (*) Rádio Amador, SARC, SAM Notas: - SMP (Serviço Móvel Pessoal); - SME (Serviço Móvel Especializado); - SARC (Serviço de Auxiliar de Radiodifusão e Correlatos) &(1): Hoje não há novas bandas abaixo de 1 GHz para o 5G. Além da limpeza do 900 MHz, ainda há a possibilidade de exploração da subfaixa de 600 MHz, neste caso para um segundo dividendo digital. Outras subfaixas de UHF foram identificadas nas regiões 2 e 3, mas não harmonizadas globalmente (Região 1). Assim, estão sendo consideradas (470–698 MHz) para discussão no WRC23. 3GPP B71 3GPP B28 3GPP B20 3GPP B5 3GPP B8 FCC Anatel B C D E F GE F G A 698   A B C D 663 617 652   SMP SARC Rádio Amador (*) SMP SMP (454/2006) SME (CP15) SMP (454/2006) (*)  700 MHz (625/2013) 700 MHz (625/2013) SME (CP15)     945 953 960 908 915 926 880 894 849 862 869 821 824 832 791 803 758 748 703
  15. 15. Papel do Massive Mimo ao 5G MMWAVE  PEQUENO DISTANCIAMENTO & SENSORES  LARGE ARRAYS FEIXE ESTREITO BEAMFORMING & REUSO ESPACIALMASSIVE MIMO  ALTA CAPACIDADE & MELHORIA DE COBERTURA h11 h12 h21 h22 𝒀 = 𝒉 𝟏𝟏 𝒉 𝟏𝟐 𝒉 𝟐𝟏 𝒉 𝟐𝟐 𝑿 + 𝒏 4x 3x 2x 1x Capacity Coverage 𝑪 𝒃𝒑𝒔 ~𝑩(𝑯𝒛) ∙ 𝒍𝒐𝒈 𝟐 𝟏+, 𝒎𝒊𝒏(𝑵 𝑻𝒙, 𝑵 𝑹𝒙) ∙ 𝑺𝑵𝑹 𝑪 𝒃𝒑𝒔 ~, 𝒎𝒊𝒏(𝑵 𝑻𝒙, 𝑵 𝑹𝒙) ∙ 𝑩(𝑯𝒛) ∙ 𝒍𝒐𝒈 𝟐 𝟏 + 𝑺𝑵𝑹 LARGE ARRAYS  FEIXE ESTREITO & MASSIVE MIMO ... p1 p2 pN  ∆𝜽 𝑨𝒑= 𝟐 𝒅 𝝀 𝑵 1 2 N • Reduz a Interferência (melhor SINR) • Reuso Espectral (vários usuários utilizam o mesmo canal temporal) 𝜸(𝚫) 𝚫                 Nsen senN Nsen senN 1 2 2 1)( 2  )()()( 1  aaG H  ... p1 p2 pN   d d dd dd  Z(t) p2 p3 p4 p5 p6 p7p1  Ericsson & IBM Module • Beamforming de Azimute • Beamforming de Tilt • 3D Beamforming 𝒅 ≈ 𝝀 𝟐
  16. 16. Espectro Não licenciado Brazil Korea China Japan US EU 5470 5150 5250 5825 5875 5650 5725 5350 Indoor 23 dBm 565 MHz Indoor/Outdoor 30 dBm 325 MHz 455 MHz Indoor/Outdoor 30 dBm Indoor/Outdoor 30 dBm Indoor/Outdoor 27 dBm Indoor/Outdoor 30 dBm 455 MHz Indoor/Outdoor 30 dBm Restricted Radiation (200 mW) Restricted Radiation (1W) ISM 530 MHz 350 MHz Indoor 30 dbm Indoor/Outdoor 30 dBm Indoor 23 dbm Indoor 23 dBm Indoor 17 dbm Indoor 27 dBm Indoor 17 dbm Indoor 23 dBm Indoor 23 dbm Espectro não licenciado abundante abaixo de 6 GHz – em torno de 800 MHz; Espectro não licenciado é disponível e harmonizado globalmente; < 6 GHz é preferível devido a Path Loss; O 5 GHz é livre quando comparado ao 2.4 GHz, sujo com a maioria de implantações Wi-Fi e Bluetooth; Baixa utilização em aplicações residenciais do Wi-Fi na faixa de 5 GHz; Banda 46 definida pelo 3GPP para utilização do LTE-U/LAA. Fonte: 3GPP TR 36.889/ TS 36.101/TS 36.104 Rel 13 (in MHz) UNII-1 UNII-3/ISMUNII-2 UNII-2 Internet WAG ePDG 3GPP AAA ANDSF EPC LTE Wi-Fi InternetEPC LTE Wi-Fi Xw PHY MAC PHY MAC S1 RLC PDCP Tunnel Xw AP eNB S1 PHY MAC InternetEPC LTE+ LTE-U/LAA MuLTEFire ... ... Freq. 20 MHz Channels Clear Channel LTE-U/LAA LAA (LICENSED ASSISTED ACCESS)WIFI LWA (LTE & WIFI LINK AGGREGATION)
  17. 17. O que é o Compartilhamento de Espectro? Espectro Licenciado • Sistemas Legados: FSS, Redes Móveis (2G, 3G, 4G), Rádiodifusão etc.; • Exclusividade de uso e baixa interferência (qualidade); • Dificuldade de harmonização mundial e escala; • Nas redes móveis existem mais de 40 definidos pelo 3GPP para as bandas do IMT; Espectro Não Licenciado • Sistemas de curto alcance para conectividade doméstica: WiFi; Bluetooth; Z-Wave; ZigBee etc; • Sem exclusividade de uso e interferência com necessidade de coordenação dinâmica; • Harmonizado mundialmente: 2.4 GHz, 5GHz, 60 GHz; Espectro Compartilhado • Nova oportunidade para coexistência e coordenação dinâmica de serviços; • Há garantia para incumbentes, porém não há garantia para o uso oportunista; • Hoje existem as iniciativas: CBRS nos EUA com a subfaixa de 3.5 GHz; LSA na UE com subfaixa de 2.3 GHz e TVWS com a subfaixa de 600 MHz; Aumento de Receita • Seja diretamente através de planos de serviços tradicionais ou indiretamente, com mais dados permanecendo "on-net”. Velocidade de Implantação • Coordenação dinâmica de espectro que minimiza o tempo para definição de regras de coexistência; Experiência do Usuário • Os operadores podem melhorar a experiência do usuário através de agregação de portadora ao LTE Novos Modelos de Negócio • Solução de neutral host para exploração de terceiros em cobertura de venues, aeroportos etc.; • Viabiliza o mercado secundário de uso de espectro; Eficiência de Uso • Permite a utilização de espectro (recurso escasso) em região onde há baixo uso ou baixo impacto à operação de outro sistema; • Utilização de subfaixas de uso regional não licitadas; É a utilização simultânea de subfaixas de radiofrequências definidas numa área geográfica específica por um número de entidades independentes. Simplesmente, é o "uso cooperativo de espectro comum" por múltiplos usuários.
  18. 18. CBRS (Citizens Broadband Radio Service) Inclui autorizações federais e Serviço Fixo de Satélite (FSS - Fixed Satelite Service) Autoriza certos usuários para operar com proteção de interferência no 3500 MHz em localidades específicas Radar FSS Rx WISP PAL GAA Prioridade 1 Incumbents Prioridade 2 Priority Access Licenses (PAL) Prioridade 3 General Authorized Access (GAA) Usuários autorizados em usar o 3500 MHz oportunistamente. O GAA deve aceitar a interferência pela incumbente e usuários PAL. 3550 3600 3650 3700 MHz • Acesso prioritário dinâmico a todos os usuários secundários (somente durante os horários de operação) • Proteção contra interferência de PAL e GAA • Acesso prioritário sobre GAA para área geográfica licenciada e canal a ser adquirido em leilão ; • Proteção contra interferência do GAA ; • Licenciado por regra ou “Licença limitada”. • Devem ser autorizadas inicialmente pelo SAS (CBRS) • Nenhuma presunção de proteção contra interferência É um modelo de compartilhamento de espectro que está sendo introduzido nos EUA para uso da subfaixa de 3,5 GHz. Em geral faz uso de SmallCells e TD-LTE para fornecer serviços de voz e dados sem fio a 3.5GHz (3550MHz a 3700MHz). Spectrum Access System (SAS) • Um SAS CBRS controla canais / recursos de frequência na mesma área geográfica e tempo • Existem atualmente 7 Administradores SAS condicionalmente aprovados pelo FCC • Coletivamente, os SASs estão coabitando gerência de espectro, alocando recursos de espectro a controladores dos sistemas LTE & 5G e seus eNodeBs - que, de outra forma, precisam estar cientes um do outro. Empresas e Lojas Hotéis Arenas e Estádios Hospitais, Clinicas Registro Designação Sensores de RF Usuários do Espectro (PAL/GAA) Incumbents SASFCC
  19. 19. Outros Modelos de Compartilhamento TV WHITE SPACELICENSED SHARED ACCESS NA EUROPA Usuários do Espectro LSA Espectro Licenciado Espectro LSA Espectro Licenciado Espectro LSA O&M O&M Incumbents LSA LSA Controller LSA Repository • Baseada nos padrões 3GPP (TR.855, TS 28.302) e ETSI (TR 103.113) • Utiliza a subfaixa 2,3-2,4 GHz coberta pelas especificações 3GPP (TS 36.101) em LTE-TDD; • Nesta subfaixa, na maioria dos países da UE, os serviços primários sãó: vídeo link (PMSE); enlaces fixos; telemetria; Serviços Aeroviários, como drones (Unmanned Aircraft Systems); • Em sua arquitetura possui dois elementos LSA Controller (LC) e LSA Repository; • Funciona de maneira semelhante ao CBRS; 2300 MHz 2400 MHz 5 MHz Usuários do Espectro LSA Primary BCU Secondary BCU Primary BCU Secondary BCU Incumbents TVWS Geolocation Database (GDB) Registered Location Secure Server (RLSS) • TVWS: Os recursos do espectro não utilizadas em horários e locais que podem ser exploradas através do compartilhamento de espectro específicas. • O TVWS (TV White Space) existe nas frequências de operação VH/UHF, especificamente variando 470-790 MHz na Europa e não-contínua 54-698 MHz nos Estados Unidos. • O TVWS permite o compartilhamento de espectro entre os dispositivos WSDs (white space devices) e usuários protegidos licenciados da banda TVWS. • 802.11af: Baseado no 802.11ac, especifica o padrão para utilização de canais de TV nas bandas de VHF/UHF não utilizados (White Spaces). • PHY: O TVHT (TV High Throughput) substitui o HT (20 MHz OFDM) e VHT (20, 40, 80, 80 80, 160 MHz OFDM) nas especificações PHY . Um dispositivo pode suportar um BCU (Basic Channel Unit) de 6, 7 ou 8 MHz, que podem ser contínuos ou não nas configurações de: W, 2W, 4W, W+W ou 2W+2W.
  20. 20. Oper. 1 Oper. 1 Compartilhamento de Espectro no 5G Fonte: Baseado no material da Qualcomm Compartilhamento Horizontal Oper. 1 Oper. 2 Oper. 1 LBT Vários operadoras compartilhando o espectro com a mesma prioridade. Ex.: LAA Compartilhamento Vertical Vários operadores com prioridade diferente; nível superior não interferido por um menor. Ex.: LSA Oper. 1 Incumb. LBT Incumb. Compartilhamento Combinado Incumb. Oper. 2 Oper. 1 Compartilhamento vertical mais compartilhamento horizontal em pelo menos um dos níveis. Ex.: CBRS Rotação entre recursos garantidos. Se não for usado, torna-se recursos oportunistas Nível de prioridade: recursos sempre garantidos. Níveis inferiores: recurso sempre oportunista A sinalização de reserva de canal pode suportar vários operadores, por exemplo, alta prioridade e recursos garantidos rotativos COMPARTILHAMENTO DINÂMICOCOMPARTILHAMENTO COMBINADO Horizontal Vertical Oper. 2 Oper. 1 Espectro Tempo Incumb. Espectro Tempo Incumb. Espectro Tempo Oper.1 Espectro Tempo EstáticoDinâmico Oper.2 Oper.1 Oper.2 Oper.1 Oper.2 Oper.1 Espectro Tempo Oper.2 Oper.1 Oper.2 Oper.1 Oper.2 Incumb. Compartilhamento Combinado Dinâmico
  21. 21. Obrigado! P&R Alberto Boaventura alberto@oi.net.br

×