Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Sistemas Inteligentes e o Pensamento Humano

2,094 views

Published on

Trabalho apresentado no VII Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação / VII Encontro de Iniciação Científica e Tecnológica / I Simpósio de Inovação Tecnológica do CEFET-CE em Fortaleza – CE

  • Be the first to comment

Sistemas Inteligentes e o Pensamento Humano

  1. 1. Sistemas Inteligentes eo Pensamento Humano Airtiane Rufino (graduanda em biblioteconomia pela UFC) airtiane@gmail.com
  2. 2. Histórico • Pascal e a máquina de calcular • Leibiniz e a lógica das máquinas produzindo raciocínio • Charles Babbage e as máquinas diferencial e analítica • George Boole e o código binário • Claude Shanon e os circuitos eletrônicos 1
  3. 3. A Evolução • Anos 40: o Eniac • Anos 50: código binário • Anos 70: generalização das telas • Hoje: tubos catódicos, dispositivos materiais e camadas de programas 2
  4. 4. A Rede Digital • A codificação digital é um princípio de interface • O suporte se torna mais leve, maleável e inquebrável • 4 pólos funcionais: produção, seleção, transmissão e armazenamento de dados • Inovação constante das interfaces 3
  5. 5. O que é a IA? “A Inteligência Artificial é um tipo de inteligência produzida pelo homem para dotar as máquinas de algum tipo de habilidade que simula a inteligência humana”. Lima, 1999 4
  6. 6. Redes Neurais • Cérebro humano • Impulsos nervosos • Neurônio: dispositivo computacional elementar do sistema nervoso 5
  7. 7. Redes Neurais Artificiais • McCulloch e Pitts (1943) • Simulação do neurônio biológico • Rosenblatt (anos 50) • Perceptron • Backpropagation (anos 80) 6
  8. 8. A Idéia • Construir um programa de aprendizado começando com uma rede simples • Como o aprendizado é difícil, houve muitas tentativas sem sucesso 7
  9. 9. A Analogia • Permite que as semelhanças entre objetos sejam declaradas • Representação do conhecimento: fórmulas em lógicas de predicados ou redes semânticas • Métodos de solução de problemas 8
  10. 10. O Tempo e a Cosmologia • Tempo: dimensão fundamental da existência • O futuro é incerto • Inteligência humana: imaginação, especulações, criação de leis físicas 9
  11. 11. Cosmologia Quântica • 1920: o céu à noite é escuro • Os avanços tecnológicos possibilitaram melhores observações • Ciência? • Qualquer coisa pode acontecer se não for totalmente proibida 10
  12. 12. Considerações Finais • Até hoje não se definiu “o que é inteligência” • “Errar é humano” • Atualmente a IA voltou-se à construção de sistemas inteligentes que respondam aos problemas que tentam resolver 11
  13. 13. “Chegará o dia em que talvez as máquinas pensem, porém elas nunca terão sonhos.” Theodor Heuss
  14. 14. Referências: BARONE, Dante Augusto Couto [Org.]. Sociedades artificiais: a novas fronteira da inteligência nas máquinas. Porto Alegre: Bookman, 2003. BOHR, Niels. Física atômica e conhecimento humano. Rio de Janeiro: Contraponto Editora LTDA, 1995. CADOZ, Claude. Realidade virtual. São Paulo: Ática, 1997.
  15. 15. Referências: GANASCIA, Jean-Gabriel. Inteligência artificial. São Paulo: Ática, 1997. GILMORE, Robert. Alice no país do quantum: a física quântica ao alcance de todos. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 1998. GUTH, Alan H. O universo inflacionário: um relato irresistível de uma das maiores idéias cosmológicas do século. Rio de Janeiro: Campus, 1997.
  16. 16. Referências: HAWKING, Stephen W.; PENROSE, Roger.A natureza do espaço e do tempo. Campinas, São Paulo: Papirus, 1997. HEISENBER, Werner. A parte e o todo. Rio de Janeiro: Contraponto Editora LTDA, 1996. KOVÁCS, Zsolt László. Redes neurais artificiais: fundamentos e aplicações. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2002.
  17. 17. Referências: LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. PENROSE, Roger; LONGAIR, M. S. O grande o pequeno e a mente humana. São Paulo: UNESP, 1998. PRIGOGINE, Ilya; STENGERS, Isabelle. O fim das certezas: tempo, caos e as leis da natureza. São Paulo: UNESP, 1996.
  18. 18. Referências: RICH, Elaine. Inteligência artificial. São Paulo: McGraw Hill, 1988. VEJA. Edição especial nº 17, julho de 2006. SUPERINTERESSANTE. Edição 228, julho de 2006, p. 20.
  19. 19. Agradeço a todos pela atenção!!!!
  20. 20. ??? DÚVIDAS ???

×