Vacinas da mãe e do bebê

6,018 views

Published on

Trabalho sobre Vacinas

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,018
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
67
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Vacinas da mãe e do bebê

  1. 1. CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM TURMA 355 SAÚDE COLETIVA VACINAS DA MÃE NA GESTAÇÃO E DO BEBÊ
  2. 2. A HISTÓRIA DA VACINA Ela ajudou a salvar milhões de vidas. Mesmo assim, houve vários contratempos no caminho: levantes sociais, processos jurídicos e ligas antivacina. E até hoje há quem a rejeite *1853 A vacinação contra o sarampo se torna obrigatória para todos os bebês com até três meses de idade na Inglaterra. *1882 A Liga Antivacinação americana realiza sua primeira reunião, em Nova York. *1902 Após um surto de varíola em Cambridge, Massachusetts, todos os moradores são obrigados a tomar vacina.
  3. 3. O QUE É VACINA Vacina é uma substância produzida com bactérias ou vírus (ou partes deles) mortos ou enfraquecidos. Ao ser introduzida no corpo do ser humano, a vacina provoca uma reação (imunização) do sistema imunológico, promovendo a produção de anticorpos (leucócitos) contra aquela substância. Desta forma, a vacina prepara o organismo para que, em caso de infecção por aquele agente patogênico, o sistema de defesa possa agir com força e rapidamente. Assim a doença não se desenvolve ou, em alguns casos, se desenvolve de forma branda.
  4. 4. A IMPORTÂNCIA DA VACINA A vacinação tem como objetivo estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos para proteger o organismo, em caso de contato com algum agente infeccioso, por meio do próprio agente, ou parte dele, em sua forma inativada ou atenuada. Desta maneira, ela atua para prevenir o surgimento de doenças causadas por vírus e bactérias, sendo geralmente administrada por via injetável. Embora todas as pessoas precisem ser vacinadas e exista um calendário específico para cada faixa etária, é importante destacar a importância da vacinação na infância, especialmente até os cinco anos de vida. .
  5. 5. A IMPORTÂNCIA DA VACINA . É importante lembrar que até o primeiro ano de vida, a criança já deverá ter tomado todas as vacinas do esquema básico. Todas essas doses, gotinhas e injeções, geralmente um “pesadelo” às crianças, são de fundamental importância para o seu desenvolvimento. As vacinas podem ser dadas em postos de saúde, cobertas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) - sem custos para os pais, ou então em clínicas privadas.
  6. 6. QUAIS AS VACINAS PARA CRIANÇAS AO NASCER, A CRIANÇA NÃO POSSUI O SISTEMA IMUNOLÓGICO FORMADO, O QUE A COLOCA EM MAIOR RISCO DE CONTRAIR DOENÇAS. POR ISSO, AS PRIMEIRAS VACINAS QUE RECEBE, LOGO QUE CHEGA AO MUNDO, É A BCG, QUE PROTEGE CONTRA AS FORMAS GRAVES DA TUBERCULOSE, E A HEPATITE B - CUJA DOSE DEVE SER REPETIDA NO SEGUNDO MÊS DE VIDA E 180 DIAS APÓS O NASCIMENTO. - Principais vacinas BCG – ID - Formas graves de tuberculose Hepatite B Vacina tetravalente (DTP + Hib) - Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b VOP (vacina oral contra pólio) VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) - Diarreia por rotavírus Vacina tetravalente (DTP + Hib)Hepatite A Vacina contra febre amarela SRC (tríplice viral) - Sarampo, rubéola e caxumba DTP (Tríplice bacteriana) - Difteria, Tétano e Coqueluche. Outras...
  7. 7. EFEITOS COLATERAIS CAUSADOS PELA VACINA Um efeito colateral da vacina pode ser definida como uma “reação adversa” para uma vacina. A maioria das vacinas tem alguns efeitos colaterais, como: Locais: Dor, vermelhidão, inchaço ou um pequeno nódulo no local da injeção. Gerais: Febre, dor de cabeça, dores musculares e dores ou erupção cutânea.
  8. 8. O PERIGO DE NÃO VACINAR CRIANÇAS O perigo dessa prática, além o de expor a própria criança ao risco de contrair doenças potencialmente graves, com o passar do tempo, se mais pessoas optarem por não vacinar seus filhos, doenças como sarampo, coqueluche, caxumba, por exemplo, já sob controle no nosso país, podem tornar-se novamente problema de saúde pública, trazendo malefícios para toda a sociedade.
  9. 9. CADERNETA DE VACINAÇÃO Esta é a Caderneta de Saúde da Criança, um documento importante para acompanhar a saúde, o crescimento e o desenvolvimento. Ela serve como um instrumento para a família e os profissionais de saúde nos cuidados com a criança. Contém informações sobre: A saúde, o crescimento e o desenvolvimento da criança. As vacinas do Calendário Básico de Vacinação, que protegem as crianças de muitas doenças
  10. 10. VACINAS QUE AS GRÁVIDAS DEVEM TOMAR Grávidas devem se vacinar contra tétano, difteria, gripe e hepatite B. Dose contra rubéola, porém, só é indicada antes ou depois da gestação. Toda mulher grávida deve tomar a dupla tipo adulto (contra tétano e difteria) a partir do segundo trimestre de gestação, cujos anticorpos são passados para a criança, e a da gripe, doença que se torna mais grave nesse período. A vacina contra a gripe é trivalente, ou seja, protege contra três tipos principais: influenza B, influenza A (H3N2) e influenza A (H1N1).
  11. 11. PROGRAMAS E CAMPANHAS DE VACINAÇÃO A VACINAÇÃO É A MANEIRA MAIS EFICAZ DE PREVENIR DOENÇAS. O BRASIL TEM EVOLUÍDO NOS ÚLTIMOS ANOS NESSA ÁREA, ESPECIALMENTE COM A CRIAÇÃO DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES (PNI), EM 1973, QUE FACILITOU O ACESSO DA POPULAÇÃO ÀS VACINAS. O cidadão tem que estar atento às campanhas e ao calendário de vacinação, que corresponde ao conjunto de vacinas prioritárias para o País. Todas elas são disponibilizadas gratuitamente nos postos da rede pública. São quatro os calendários de vacinação, voltados para públicos específicos:
  12. 12. VACINAÇÃO VOCÊ ESTÁ EM DIA COM A SUA ?
  13. 13. ALUNAS DAIANE ALVIZE DOS PASSOS GISELE DA SILVA PATRICIA GABRIELA DOS SANTOS SANDRA R. FERNANDES DE BORBA
  14. 14. PROFESSORA : ELIANE ROSELI HAMMES
  15. 15. OBRIGADO Agradecemos a todos pela presença!

×