Tumor de bexiga

3,003 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,003
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tumor de bexiga

  1. 1. Tumor de Bexiga Os tumores de bexiga são importantes pela alta incidência, gravidade dos sintomas e alto índice de recidiva. Constituem a quinta causa de câncer em homens com mais de 75 anos de idade, sendo que 90% desses tumores são representadas pelos carcinomas de células transicionais. A incidência aumenta com a idade e menos de 1% desse tipo de câncer ocorre antes dos 40 anos. Fatores relacionados A incidência aumenta com a idade e em cerca de 50% dos pacientes são identificados fatores de risco, que provavelmente favorecem o desenvolvimento do tumor. Incluindo aqui o consumo de cigarros ( aumenta em até cinco vezes ), a exposição a aminas aromáticas empregadas em indústrias de tintas, borracha, couro, têxteis e gráficas e a exposição a radiação ionizante (mulheres submetidas a irradiação pélvica têm risco 60 vezes maior). Manifestações Clínicas Entre 70 e 80% dos pacientes com câncer de bexiga apresentam sangue na urina indolor como manifestação inicial. Cerca de 20% dos casos evidenciam sintomas irritativos vesicais, tais como dor ao urinar e urgência miccional, sendo que as manifestações irritativas estão, frequentemente, associadas a tumores com invasão muscular, de prognóstico mais grave. Diagnóstico O diagnóstico de tumor vesical deve ser considerado quando massa sólida ou falha de enchimento vesical são encontrados em estudo de imagem (ultra-sonográfico ou em urografia excretora). A confirmação é dada por meio de citoscopia e biópsia da lesão, procedimentos recomendados em todos os casos com os achados acima descritos e também nos pacientes com sangue visível na urina, mais de 40 anos de idade estudos e imagem normais, uma vez que as lesões pequenas ou localizadas próximas ao colo da bexiga podem não ser visualizadas no ultra-som ou na urografia. Tratamento A forma mais eficiente para tratar os tumores superficiais de bexiga é a ressecção endoscópica da bexiga, sendo que de 30 a 80% dos casos ocorre recorrência da neoplasia, sendo, portanto, aconselhado acompanhamento por meio de citoscopias e exames citológicos de urina a cada seis meses.
  2. 2. Para os casos de tumores infiltrativos musculares há indicação de cirurgia aberta, sendo que a cistectomia total, constitui a forma ideal de tratamento dos tumores invasivos. Já para os casos de pacientes com tumor disseminado deve ser empregada quimioterapia citotóxica.

×