Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Fusão de protoplastos em fungos

4,142 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Fusão de protoplastos em fungos

  1. 1. UERGS – Bento GonçalvesGenética de microorganismosProf. Dra. Adriana Dantas
  2. 2.  Dificuldade de cruzamentos intergenéricos ou interespecificos Incompatibilidade que ocorre entre duas linhagens por impedimento de anastomose das hifas Possibilidade de produzir células sem parede celular (protoplasto) e a fusão destas celulas antes incompativeis Cruzamentos entre especies ou generos distintos de fungos
  3. 3. Protoplastos:Protoplastos •células livres de parede celularA ausência da parede: sistema útil •extração de organelas celulares •transferência gênica através da técnica de transformação genética – eletroporação •produção de novos genótipos por hibridação somática
  4. 4.  Em 1957 isolado de leveduras Células esféricas em ambientes osmóticos Totalmente desprovidas de parede celular Enzimas de isolamento: driselase, helicase, zimolase e Novozyn 234  Constituídos por celulases e quitinases Utiliza-se micélio de fungos filamentosos, células de leveduras, conídios germinando ou conídios intactos
  5. 5.  Não deve causar rompimento do protoplasto Estabilizadores osmóticos em meio liquido Sal (KCl, NaCl, MgSO4) Açucar – sacarose Valores de 0,5M a 1M
  6. 6.  Dois processos Substância fusogênicia polietilenoglicol (PEG)  Induzformação de agregados de células e formação de pontes citoplasmática entre elas Eletrofusão  Células expostas a uma fonte de corrente alternada e ficam em linha como um colar de pérolas, em seguida um pulso de corrente continua é dado e há uma quebra reversível da membrana, permitindo a fusão.
  7. 7. Desenvolvimento de produtos de fusão em meio contendo Aneurina (esquerda) ouinositol (direita), utilizando as técnicas de seleção. Protoplastos fundidos foramsemeadas em discos de celofane contendo os suplementos apropriados e incubadosa 25°C por 4 dias.
  8. 8.  Duas formas: Duas linhagens auxotróficas distintas  Em média 105 celulas parentais  Produtos da fusão recuperados em MM Seleção de produtos de fusão com mutantes a agentes inibidores  Cloranfenicol e eritromicina
  9. 9. Linhagem A Linhagem BAuxotrofica a-b- Auxotrofica c-d- Obtenção do protoplasto Fusão (PEG ou eletrofusão)
  10. 10. Recuperação em MM heterocário diploide Seleção para obter diploides (MM)Anaçlise genetica igual ao ciclo parassexual
  11. 11.  Quebras das barreiras de incompatibilidade Interespecíficas:  Aspergillus nidulans x Aspergillus rugulosus  Obtenção de segregantes com cromossomos dos dois fungos Intergenéricas:  Aspergillus x Penicillum; Candida tropicalis x Saccharomyces fibugera; S. cerevisiae x Schizossacharomyces pombe; S lipolytica x Pichia guillemondii
  12. 12. Hibridação somáticaHíbridos nucleares oucitoplasmáticos(cíbridos)•fusõesinterespecíficas , Fusão Perda de um nuclear núcleo•intergenéricas entreparentais sexualmentecompatíveis;•intergenéricos entre Cíbridos Synkarionsparentais sexualmente (Híbridosincompatíveis. citoplasmáticos)
  13. 13.  Organelas celulares são transferidas para estudos de herança citoplasmatica Obtenção de protoplastos anucleados e sua fusão com células nucleadas Restauração da capacidade respiratória por ação de mitocôndrias Biossíntese de produtos do metabolismo secundário Obtenção de cariótipos moleculares Transformação genética Utilizados na separação e análise de cromossomos
  14. 14.  1973 – Neurospora crassa – DNA isolado de linhagens selvagens transferidos para linhagensm deficiente para inositol 1978 – S. cerevisae, protoplastos de mutantes deficientes para leucina (leu-) receberam DNA de celulas de leu+ 1979 – Plasmidio de E. coli carregando genes de levedura
  15. 15.  Células providas de espessa parede celular Fungos filamentosos – micélio – nitrogênio liquido Utiliza-se vetores com plasmidios bacterianos que carregam genes de fungos Para tanto, o DNA é tratado com enzimas de restrição que quebram em pontos específicos e colocam o plasmidio da bacteria E. coli São selecionados e multiplicados na E. coli  Plasmidio E.coli com fragmento contendo gene ga-2 de N. crassa; sintese de triptofano (trpC); arginina (argB); piridoxina (pyr-4); uracila (ura-5) de N.crassa, A. nidulans
  16. 16.  Em estado de competência Conídios intactos ou germinados são tratado com acetato de íitio (0,1M) Excelente estado de competência:  protoplastos na presença de PEG e CaCl2, ou por eletroporação, são altamente receptivos ao DNA exógeno Absorção do DNA  Colocação do DNA junto com os protoplastos é feita com PEG e CaCl2. PEG causa fusão celular com auxilio do CaCl2. DNA total – ação das nucleases é intensa e parte é degradada; proteção usando lipossomos Inibiçãod as nucleases: espermidina, heparina
  17. 17.  Realizar tanto a mutagênese insercional aleatória, como também a mutagênese dirigida. Mutagênese dirigida permite a realização da superexpressão de um ou mais genes, ou também o silenciamento gênico, seja ele parcial ou completo. Técnicas utilizando protoplastos, Agrobacterium tumefaciens e biobalística permitem a superexpressão de um gene tanto por integração heteróloga ou por recombinação homóloga. Técnicas baseadas no RNA são capazes de realizar o silenciamento gênico por meio de regulação pós-transcricional do mRNA. Silenciamento gênico parcial pode ser conseguido com a utilização do RNA antisense e RNA de interferência; já o silenciamento completo é possível utilizando a interrupção do gene em vetores que permitam a recombinação homóloga, via ribozimas e transposons.
  18. 18.  Usado plasmidios de E. coli que contem um ou mais genes empregados no processo de transformação Três destinos:  Uma permuta entre o plasmidio carregando o gene, e o gene no cromossomo do fungo provoca a integração no sitio homologo, ficando então o cromossomo do fungo com o gene mutante e o plasmidio carregando o gene selvagem  O plasmidio é incorporado em um outro local não homologo do cromossomo. O fungo fica com dois genes, um original mutante e outro selvagem  Por uma permuta dupla ou mesmo conversão gênica, o gene do fungo no plasmidio bacteriano substitui o gene mutante no cromossomo do hospedeiro
  19. 19.  Tipo padrão é o pan7-1 Se duplicam independentemente dos cromossomos São instáveis, podendo dar pseudotransformação ou transformação abortiva Seleção é feita na regeneração dos protoplastos que receberam o DNA exógeno
  20. 20.  (A) Atividades biológicas do GFP-tagged variantes de proteína NUDE. Uma cepa (SF2-9) e thenudF7 ts mutante foram transformadas com genes indicados no vetor. Transformantes foram cultivadas por 3 d em meio completo (YAG) sem ou com 0,6 M KCl a 43 ° C, que é uma temperatura restritiva para o mutante nudF7. A cor de conídios na cepa ΔnudE é semelhante ao de cor acastanhada do micélio. A cor de conídios na cepa nudF7 é amarelo. (B) GFP:: NUDE variantes são expressos em níveis semelhantes. Extratos de proteína total foram feitas a partir de uma cepa ΔnudE transformado com genes indicados no vetor . Dois transformantes diferentes foram usados ​para cada GFP:: variante NUDE. Proteínas (12 mg / pista) foram separados em 10% SDS-PAGE e immunoblotted com um anticorpo anti-GFP.

×