Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Revisão do conteúdo

Revisão de conteúdo aplicado na Disciplina Literatura Infantil/Juvenil para os alunos da Turma C, do Curso de Pedagogia - UESSBA, em Sento-Sé/BA. Julho/2014.

  • Login to see the comments

Revisão do conteúdo

  1. 1. CONCEITO DE LITERATURA INFANTIL “... É antes de tudo, LITERATURA, ou melhor, é ARTE: FENÔMENO de CRIATIVIDADE que REPRESENTA o MUNDO, o HOMEM, a VIDA, através da PALAVRA... (NOVAES, 2000)
  2. 2. “... Em sua ESSÊNCIA, sua NATUREZA é a mesma que se destina aos adultos. As DIFERENÇAS SINGULARES são determinadas pela NATUREZA do seu LEITOR/RECEPTOR: a CRIANÇA...” (NOVAES, 2000)
  3. 3. LITERATURA, por sua vez “é uma LINGUAGEM ESPECÍFICA que, como toda linguagem, EXPRESSA uma determinada EXPERIÊNCIA HUMANA, e dificilmente poderá ser definida com exatidão... Cada época compreendeu e produziu literatura a seu modo...” (NOVAES, 2000)
  4. 4. O CAMINHO PARAA REDESCOBERTA DA LITERATURA INFANTIL... Foi aberto pela PSICOLOGIA EXPERIMENTAL que: REVELOU a INTELIGÊNCIA como ELEMENTO EXTRUTURAL do UNIVERSO INDIVIDUAL; Chamou a ATENÇÃO para os diferentes ESTÁGIOS de DESENVOLVIMENTO (da infância à adolescência).
  5. 5. “O ato de ler (ou de ouvir), pelo qual se completa o fenômeno literário, se transforma em um ato de aprendizagem... uma das peculiaridades da Literatura Infantil.” (NOVAES, 2000)
  6. 6. A LITERATURA E OS ESTÁGIOS PSICOLÓGICOS DA CRIANÇA. Segundo NOVAES (2000) “para que o convívio do leitor com a literatura se resulte efetivo, nessa aventura espiritual que é a leitura, muitos são os fatores. Entre os mais importantes está a necessidade de adequação dos textos às diversas etapas do desenvolvimento infantil/juvenil.”
  7. 7. Há cinco categorias de leitor que norteiam as fases de desenvolvimento psicológico da criança, são elas: • Pré-leitor: É a categoria de leitores da primeira infância (0 aos 3 anos) – onde a criança começa o processo de reconhecimento do mundo ao seu redor através do tato e do contato afetivo – e da segunda infância (3 a 6 anos).
  8. 8. • Leitor iniciante: É o leitor que tem entre 6 e 7 anos e está começando a ler sozinho, mas ainda depende de um adulto para estimulá-lo. A linguagem dos livros deve ser simples, e a história deve ter começo, meio e fim.
  9. 9. • Leitor em processo: O mecanismo da leitura já é dominado pela criança, que nessa fase possui entre 8 e 9 anos, e seu pensamento está mais maduro, permitindo que realize operações mentais. Nessa fase, a criança se interessa por todo tipo de conhecimento e pelos desafios que lhe são propostos...
  10. 10. • Leitor fluente: Inicia-se por volta dos 11 anos e é a fase caracterizada pelo domínio do mecanismo de leitura e pelo aumento da capacidade de concentração. Não há a necessidade de um adulto para estimular a leitura...
  11. 11. • Leitor Crítico: A partir dos 12 ou 13 anos, é a fase caracterizada pelo domínio total da leitura e da linguagem escrita. Nesta época, há um aumento da capacidade de reflexão, permitindo a intertextualização.
  12. 12. CARACTERÍSTICAS ESTILÍSTICAS/ESTRUTURAIS DA LITERATURA INFANTIL/JUVENIL CONTEMPORÂNEA 1. Efabulação: tende a iniciar de imediato com o motivo principal ou circunstâncias que levam direto à problemática; 2. A sequência narrativa nem sempre é linear; 3. As personagens tipo reaparecem (reis, rainhas, princesas, etc.); 4. A forma narrativa dominante é o conto, multiplicando-se as formas de romance/novela para o leitor juvenil (fluente/crítico);
  13. 13. 5. A voz narradora mostra-se cada vez mais familiar e consciente da presença do leitor, seja na 1ª ou 2ª pessoa; 6. O ato de contar faz-se cada vez mais presente e consciente no corpo da narrativa; 7. O tempo é variável; 8. O espaço é variável; 9. O nacionalismo, patente na produção anterior, apresenta novo sentido. O entusiasmo pelo país dá lugar à consciência nativista;
  14. 14. 10. A exemplaridade desaparece como intenção pedagógica da literatura. Em relação ao comportamento ético prevalece a complexidade das forças interiores (positiva/negativa); 11. O humor é dos aspectos mais característicos da produção literária; 12. A intenção de realismo e verdade se alterna com a atração pela fantasia, imaginário ou maravilhoso; 13. Multiplicam-se os recursos de apelo à visualidade (desenhos, ilustrações, cores, etc.)
  15. 15. LINHAS OU TENDÊNCIAS DA LITERATURA INFANTTIL/JUVENIL CONTEMPORÂNEA "O que define hoje a contemporaneidade de uma literatura é sua intenção de estimular a consciência crítica do leitor...e torná-lo consciente da complexa realidade em transformação que é a sociedade, em que ele deve atuar quando chegar a sua vez de participar ativamente do processo em curso." Nelly N. Coelho (2000)
  16. 16. Como orientação didática, selecionamos cinco linhas básicas que se desdobram em outras: a) Linha do Realismo cotidiano (desdobrada em Realismo crítico, Realismo lúdico, Realismo humanitário, Realismo histórico ou memorialista, e Realismo mágico); b) Linha do Maravilhoso (desdobrada em: Maravilhoso metafórico, Maravilhoso satírico, Maravilhoso popular ou folclórico, Maravilhoso fabular, e Maravilhoso Científico); c) Linha do Enigma ou Intriga Policialesca; d) Linha da Narrativa por Imagens; e) Linha dos Jogos Linguísticos.
  17. 17. OS GÊNEROS E OS SUBGÊNEROS • Gênero (forma geradora) é a expressão estética de determinada experiência humana de caráter universal: a vivência lírica (o eu mergulhado em suas próprias emoções), cuja expressão essencial é a poesia; a vivência épica (o eu em relação com o outro, com o mundo social), cuja expressão é a prosa, a ficção; e a vivência dramática, cuja expressão básica é o diálogo, a representação, isto é,
  18. 18. Subgêneros (formas básicas): a) Elegia, soneto, ode, hino, madrigal, etc. (poesia) b) Conto, romance, novela, literatura infantil (ficção) c) Farsa, tragédia, ópera, comédia, etc. (teatro) De acordo com essa classificação, a literatura infantil pertence ao gênero ficção, o qual abrange toda e qualquer prosa narrativa literária.
  19. 19. Muitas dessas narrativas têm origem antiga anônima, e são consideradas como formas simples por serem resultado de uma “criação espontânea”, são simples e autênticas e quase todas elas foram absorvidas pela Literatura Infantil por meio da tradição popular. Vejamos as principais: fábula, apólogo, parábola, alegoria, mito, lenda, saga, conto maravilhoso, conto de fada, etc.
  20. 20. Fábula Do latim fari, falar, e do grego phaó, contar algo, é a narrativa de uma situação vivida por animais em situações humanas e com o objetivo de transmitir princípios morais. É também a primeira forma de narrativa registrada.
  21. 21. Parábola A parábola é uma narrativa alegórica que tem como objetivo comparar a ficção com a realidade, transmitindo, assim, uma moral da história... A Bíblia é uma fonte de parábolas, como “A volta do filho pródigo”.
  22. 22. Alegoria A expressão alegoria exprime uma ideia através de uma imagem. É uma narrativa que pode ser tanto verso quanto prosa e que pode ter dois níveis de significação como, por exemplo, a narrativa em si ou a interpretação que pode ser variada de acordo com o leitor (o exemplo da Bíblia que é diferentemente interpretada pelas religiões).
  23. 23. Mito Caracterizados por narrativas breves, sempre possuem deuses, duendes e heróis como personagens e situações sobrenaturais.
  24. 24. Lenda Do latim legenda, significa algo que deve ser lido... Apresenta-se com elementos fictícios, mas com fundamentos verdadeiros que de fato aconteceram.
  25. 25. Conto Maravilhoso A forma do conto maravilhoso possui origem nas narrativas orientais, e o seu modelo mais completo é a coletânea As Mil e Uma Noites. O conto maravilhoso foi a fonte para o nascimento da literatura e assim nasceram personagens com poderes sobrenaturais, forças do bem e do mal, benefícios de milagres, entre outras características.
  26. 26. Conto de fada Sua natureza é espiritual/ética/existencial , e sua origem é celta, com heróis e heroínas cujas aventuras estão sempre atreladas ao sobrenatural, ao mistério além-vida e à realização humana.
  27. 27. A leitura proporciona à criança um universo de aventuras que ela vai descobrindo à medida que se insere neste mundo maravilhoso. Adevândia Epifanio Ferreira Contatos: (74) 8103-9920/ (74) 9141-2846 adevandiaef@gmail.com Face book: Adevândia Epifanio Ferreira
  28. 28. REFERÊNCIAS: • COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise, didática. – 1 ed. – São Paulo: Moderna, 2000. • REINER, Nery Nice Biancalana. Literatura Infantojuvenil.Unisa Digital, Setembro/2012. • www.cursos24horas.com.br

×