Vale do anhangabaú

5,999 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,999
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
202
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Vale do anhangabaú

  1. 1. VALE DO ANHANGABAÚ
  2. 2. CONTEXTO HISTÓRICO - Urbanização do local foi iniciada a partir do projeto de construção do viaduto do Chá, em 1877. - Após um período de descaso, o lugar foi jardinado, o rio, canalizado, e, em 1910, tornou-se o Parque do Anhangabaú, dividindo a nova São Paulo da velha. - A primeira grande reforma do espaço ocorreu nos anos 40, com a criação das ligações subterrâneas às Praças Ramos de Azevedo e Patriarca - hoje conhecida como Galeria Prestes Maia.
  3. 3. Vale do Anhangabaú – 1920 www.vivaocentro.org.br/download/avc/proposta_vale.pdf
  4. 4. Vale do Anhangabaú – 1927 Fonte: http://blogpaulista.blogspot.com/2008/08/so-paulo-antiga-panoramicas-do-vale-do.html.
  5. 5. 30/08/10 Vale do Anhangabaú – 1934 Fonte: http://blogpaulista.blogspot.com/2008/08/so-paulo-antiga-panoramicas-do-vale-do.html.
  6. 6. Vale do Anhangabaú – 1956 Fonte: www.vivaocentro.org.br/download/avc/proposta_vale.pdf
  7. 7. Em 1981, a Prefeitura de São Paulo registrou alguns atropelamentos de jovens ao atravessar o Vale do Anhangabaú que tinha se tornado um verdadeiro rio de veículos, percorrendo o eixo norte-sul da cidade. Cerca de um milhão de pedestres eram canalizados para sua travessia pelo Viaduto do Chá, enquanto o vale permanecia território dos automóveis. Ainda em 1981, o então prefeito Reinaldo de Barros decidiu realizar um concurso público com o intuito de encontrar a melhor solução para o local. Sob os cuidados do IAB, realizou- se o concurso, com 153 inscritos e 93 projetos entregues .
  8. 8. LOCALIZAÇÃO
  9. 9. Corte topográfico da área central Principais Avenidas e Ruas.
  10. 10. LOCALIZAÇÃO Teatro Municipal Praça Ramos de Azevedo Correio Ed. Alexandre Mackenzie Ed. Martinelli Ed. Altino Arantes (Banespa) Viaduto do Chá Viaduto Santa Ifigênia Palácio Matarazzo
  11. 11. VIADUTO DO CHÁ O Viaduto do Chá é um famoso viaduto localizado no Vale do Anhangabaú, no centro da cidade de São Paulo. Foi idealizado em 1877, mas só veio a ser inaugurado em 6 de novembro de 1892.
  12. 12. VIADUTO SANTA IFIGÊNIA O Viaduto Santa Ifigênia é um viaduto localizado no centro de São Paulo, com uso exclusivamente para pedestres. Começa no Largo São Bento e termina em frente a Igreja de Santa Ifigênia.
  13. 13. PRAÇA RAMOS DE AZEVEDO A Praça Ramos de Azevedo está situada na área central da cidade, formando com o Vale do Anhangabaú um grande espaço livre público. A praça também se localiza ao lado do Teatro Municipal de São Paulo, do Prédio Alexandre Mackenzie (Shopping Light) e do Viaduto do Chá, e compõe, com tais espaços, um conhecido cartão-postal da cidade. Escultura – Carlos Gomes
  14. 14. TEATRO MUNICIPAL O Teatro Municipal de São Paulo é um dos mais importantes lugares de cidade, tanto por seu estilo arquitetônico semelhante ao dos mais importantes teatros do mundo, e claramente inspirado na Ópera de Paris, como pela sua importância histórica, por ter sido o palco da Semana de Arte Moderna de 1922, o marco inicial do Modernismo no Brasil.
  15. 15. SHOPPING LIGHT O edifício que é hoje tombado pelo Patrimônio Histórico foi construído em 1929, e era a sede da empresa de Energia Light. Foi transformado em Shopping Center no ano de 1999 após passar por uma cautelosa reforma e restauração.
  16. 16. PALÁCIO MATARAZZO GABINETE DO PREFEITO O Edifício Matarazzo, também conhecido como Palácio do Anhangabaú, construído no final da década de 1930, é a sede da prefeitura da cidade de São Paulo desde 2004, pertencia anteriormente ao Banespa, daí seu apelido de Banespinha.
  17. 17. PALÁCIO DOS CORREIOS O Palácio dos Correios está localizado na Praça do Correio no Vale do Anhangabaú, no cruzamento com a avenida São João. O projeto foi do escritório Ramos de Azevedo, foi inaugurado na década de 1920. Revitalização do correio
  18. 18. EDIFÍCIO MARTINELLI O Edifício Martinelli localiza-se no  triângulo formado pela Rua São Bento  nº405, Av. São João nº 35 e Rua Libero  Badaró nº 504, no centro de São Paulo.  Com 105 metros de altura e 30  pavimentos, foi entre 1934 e 1947 o  maior arranha-céu do país e, durante um  tempo, o mais alto da América Latina.
  19. 19. EDIFÍCIO DO BANESPA O Edifício Altino Arantes (também conhecido  como Edifício do Banespa ou Banespão) é  um dos prédios mais emblemáticos da capital,  sendo o 3º mais alto da cidade e o 5º do Brasil.  Construído a partir de 1939, pelo interventor  federal Ademar Pereira de Barros para sediar  o Banespa, e inaugurado em 1947, foi durante  mais de uma década o mais alto da cidade.  Seu projeto inicial foi alterado para fazê-lo  à semelhança do Empire State Building.  Logo após a inauguração, chegou a ser  considerado a maior estrutura em concreto  armado do mundo.
  20. 20. PROJETO GANHADOR
  21. 21. - Reconquista dos pedestres - Ligação rodoviária Norte-Sul - Acesso às estações de metrô - Criação de espaço público
  22. 22. CORTE TRANSVERSAL VALE
  23. 23. AUTORES O arquiteto e urbanista Jorge Wilheim dedicou boa parte dos seus 60 anos de carreira para pensar a cidade de São Paulo. Foi responsável pelo projeto do Vale do Anhangabaú, pelo Complexo do Parque Anhembi e pelo Plano Diretor de São Paulo, aprovado em 2002, entre outras obras. Aos 85 anos, Wilheim continua propondo soluções para o que chama de “macrometrópole global”, um aglomerado de 26 milhões de pessoas que envolve as regiões de Campinas, Sorocaba, São Paulo, Baixada Santista e São José dos Campos.
  24. 24. AUTORES Rosa Grena Kliass é uma arquiteta- paisagista brasileira, considerada uma das mais importantes na história do Paisagismo brasileiro moderno e contemporâneo. Entre suas obras mais significativas estão a reforma do Vale do Anhangabaú e o projeto paisagístico do Parque da Juventude, ambos na cidade de São Paulo. Rosa Kliass formou-se pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP) em 1955, tendo estabelecido desde então prática profissional ligada predominantemente à arquitetura paisagística, sendo ganhadora de inúmeros prêmios nesta área.
  25. 25. AUTORES Jamil Kfouri é arquiteto com especialização em paisagismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP).Desenvolveu trabalhos como o Plano de Áreas Verdes e Parque da Represa de Rio Preto. Também é co-autor da Praça Cívica e Parque Setorial do Vale do rio Preto e Piedade. Como complementos para paisagismo, desenvolve murais escultóricos para desenhos de revestimentos das piscinas, além de painéis em cerâmica e em azulejos e objetos pintados.
  26. 26. VALE DO ANHANGABAÚ  No aspecto estético, uma grande curva ondulante estrutura oNo aspecto estético, uma grande curva ondulante estrutura o desenho da praça no sentido longitudinal, contrastando comdesenho da praça no sentido longitudinal, contrastando com desenhos geométricos retilíneos descontínuos e as formasdesenhos geométricos retilíneos descontínuos e as formas geométricas quebradas dos tanques d’água.geométricas quebradas dos tanques d’água.
  27. 27. VALE DO ANHANGABAÚ  Destaca-se no projeto um planejamento de paisagismoDestaca-se no projeto um planejamento de paisagismo interessante, com uso misto de vegetação como elementointeressante, com uso misto de vegetação como elemento escultórico e compositivo nas áreas de grande circulação eescultórico e compositivo nas áreas de grande circulação e tratamento de jardim nas áreas próximas aos edifícios.tratamento de jardim nas áreas próximas aos edifícios.
  28. 28. VALE DO ANHANGABAÚ  Conecta marcos simbólicos importantes como: Parque D. Pedro II,Conecta marcos simbólicos importantes como: Parque D. Pedro II, o Viaduto do Chá e o de Santa Ifigênia, tornando-se um doso Viaduto do Chá e o de Santa Ifigênia, tornando-se um dos cartões postais da cidade.cartões postais da cidade.
  29. 29. Deterioração do Vale
  30. 30. PROJETO PRAÇA DAS ARTES Arquitetura: Brasil Arquitetura: Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz com Luciana Dornellas Area: 28500.0 m2
  31. 31. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Hereñu, Pablo E.R. Sentidos do Anhangabaú. SP:2011. Visto em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16136/tde- 17052010-145047/pt-br.php http://www.arquigrafia.org.br/photo/2508;jsessionid=2E94CB4F5 C8B6BECC41D18A9D1CBE64D http://www.jorgewilheim.com.br/ http://jp-viagensecaminhos.blogspot.com.br/2012/11/vale-do- anhangabau-sao-paulo.html SIMÕES JUNIOR, J. G. . Anhangabaú: História e Urbanismo. 1. ed. São Paulo: SENAC/ Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2005. v. 1. 192p . www.vivaocentro.org.br http://www.archdaily.com.br/br/01-98332/praca-das-artes-brasil- arquitetura

×