Cinema na comunidade ok

386 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
386
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cinema na comunidade ok

  1. 1. PROJETO CINEMA NA COMUNIDADE: CURTINDO FILMES COM DOIS DEDINHOS DE PROSA Por: Profa. Dra. Adriana Rocha Bruno (UFJF) Apresentação A ideia de comunidade comumente nos reporta a imagens de espaços ou locais de integração, de convívio entre pessoas que partilham dos mesmos ambientes – con- vivem – e produzem familiaridades por meio das construções de identidades singulares (CASTELLS, 1999). Tais locais são cocriados, e os atores que dele participam interatuam, se constituem afetivamente, apresentando, segundo alguns autores como Tonnies (1995),̈ parentesco, vizinhança e/ou amizade. Criar um projeto para uma comunidade específica implica em atender às suas demandas e, mais do que isso, cocriar condições de autosustentabilidade para que o projeto seja incorporado por aquelas pessoas, produzindo sentidos e significados de produção cultural. Dito de outra forma: acreditamos que os projetos destinados às comunidades devam promover condições para que aquela comunidade seja independente, não crie laços de dependência, mas que possa assumir o projeto para sua continuidade. Nesta direção, o presente projeto tem a proposta de cocriar, junto à comunidade atendida pela AACI (Associação de apoio a crianças e idosos carentes da Zona Norte de Juiz de Fora-MG1 ) espaços de debate por meio de sessões de cinema, gratuito. Por meio das sessões de cinema, promovidas aos sábados para a comunidade, os participantes serão chamados a dialogar nas rodas de conversa sobre o filme. A proposta é que por meio destas conversas todos possam refletir sobre questões que os afetam e que também atingem à comunidade como um todo. Nesta direção, o presente projeto intenta tanto contribuir para a cocriação desta cultura de conversa e também de lazer a partir dos filmes, mas também de oferecer à própria AACI condições para que as sessões fílmicas passem a ser uma ação cotidiana e permanente. 1. Objetivos a) Geral 1 http://www.aaci.org.br/aaci.html
  2. 2. Cocriar para e com a comunidade da Zona Norte de Juiz de Fora-MG e a AACI, espaço de diálogo sobre temas diversos e afeitos àquelas pessoas por meio de filmes. b) Específicos - Levantar num primeiro momento, junto à AACI, temas de interesse à comunidade por eles assistida e seu entorno; - Escolher filmes que possam abordar (direta e ou indiretamente) tais temáticas, mas que sejam filmes que tragam fundamentalmente possibilidades de fruição; - Criar, junto à comunidade e junto aos responsáveis pela AACI, uma cultura de rodas de conversa (Dois dedinhos de prosa) desencadeados pela apreciação dos filmes (cinema) propostos; - Buscar, a partir das conversas (informais), cocriar: espaços formativos sobre temas nevrálgicos para a comunidade; incentivo à interpretação fílmica; apreciação pela sétima arte (cinema); desenvolvimento de olhares críticos para o mundo, suas vidas e a da comunidade; articulação de ideias (conscientização freireana), etc. - Criar espaços para que a comunidade possa indicar filmes; - Incentivar a criação de espaços para trabalho com filmes na AACI; - Promover espaço cultural na AACI para que a comunidade habite aquele ambiente e reconheça nele um local de integração, diálogo, formação e lazer. 2. Público alvo Comunidade assistida pela AACI e seu entorno 3. Metodologia • O projeto será desenvolvido com: Momento 1 (agosto): Sessões de cinema e rodas de conversa, nas dependências da AACI, mediados por educadores. Momento 2 (setembro): Sessões de cinema e rodas de conversa, nas dependências da AACI, mediados pelos responsáveis pela AACI – assistidos pelos educadores. Momento 3 (outubro): Sessões de cinema e rodas de conversa, nas dependências da AACI, mediados por pessoas da comunidade, assistidos pela AACI e acompanhados pelos educadores. 4. Período: de agosto a outubro de 2014 (três meses – podendo se estender por mais um mês, se necessário).
  3. 3. - Agosto: um encontro de planejamento (educadores) (data a definir) e três encontros semanais: sábados a tarde (14h às 17h) - mediados por educadores - Setembro: um encontro de planejamento (educadores com os responsáveis pela AACI) - data a definir; e três encontros semanais: sábados a tarde (14h às 17h) - mediados pelos responsáveis pela AACI – assistidos pelos educadores. - Outubro: encontros semanais: sábados a tarde (14h às 17h) - mediados por pessoas da comunidade, assistidos pela AACI e acompanhados pelos educadores. 5. Temas propostos: 1. A potencia das comunidades; 2. Auto estima; 3. Preconceito; 4. Violência; 5. Gravidez na adolescência; 6. Educação sexual e prevenção das DST/AIDS; 7. Dependência química; 8. Independência financeira; 9. Maternidade/paternidade 10. Televisão e lazer Obs.: a partir dos primeiros contatos com a Ong e com comunidade serão definidas as temáticas e também os filmes, já que é o contexto quem deve trazer suas demandas. 6. Resultados Esperados  Atingir aos objetivos propostos de modo a criar, na AACI, um espaço cultural, de lazer e de formação, em que o cinema seja potencializador para discussões (e possíveis soluções) de temas afeitos àquela comunidade. 7. Avaliação  Em cada encontro, junto a comunidade. Ouvir a comunidade e alterar o que for necessário/possível. 8. Cronograma
  4. 4. Atividade Período/semanas 1ª se m 2ª se m 3ª se m 4ª se m 5ª se m 6ª se m 7ª se m 8ª se m 9ª se m 10ª se m 11ª se m 12ª se m Planejamento (educadores) x Atividades comunidade (mediada por educadores) x x x Planejamento e avaliação (educadores + AACI) x Atividades comunidade (mediada por AACI, acompanhada educ.) x x x Planejamento e avaliação (educadores + AACI + comunidade) x Atividades comunidade (mediada pela comunidade, acompanhada educ. + AACI). Ultimo encontro: avaliação geral x x x Obs: o projeto terá a duração de três meses, podendo ser prorrogado por mais um, se necessário 9. Recursos Materiais Materiais Quantidade Valor aproximado Filmes 10 titulos (aproximadam ente Custo zero (trabalharemos com filmes pertencentes aos professores responsáveis pelo projeto) Equipamentos para projeção de filmes Em acordo com as necessidades da Ong, caso não tenham TV/DVD, talvez seja necessário alugar (ou adquirir) equipamento. No caso de aluguel, recomenda-se projetor, telao, computador e caixas de som. Caso o projeto adquira equipamento como doaçãoo para a Ong, indicamos TV de LCD ou Led (digital, com entrada USB) e DVD. TOTAL Justificativas – escolha de filmes
  5. 5. Como tratado anteriormente, a opção é por não elencar, neste momento, os filmes que serão trabalhados no projeto. Tal opção vem ao encontro da necessidade de se conhecer minimamente a comunidade que participará do projeto e também de reuniões de planejamento junto aos responsáveis pela ONG. Adiantamos, no entanto, que o objetivo é um trabalho com filmes de fácil acesso e compreensão, que ofereçam reais possibilidades de fruição, diálogo e principalmente a promoção da criação de uma cultura de consumo fílmico dialogado nesta comunidade. 10. Recursos Humanos • Coordenador: Professora Adriana Rocha Bruno (SIAPE: 1650128) o Professora da Faculdade de Educação, doutora em Educação, atua com a formação docente e com estudos e pesquisas sobre a cultura midiática e digital desde 1995. • Professores convidados: o João Luiz Peçanha Couto: professor de Lingua Portuguesa e Literatura, mestre pela USP e doutorando pela UFF em Literatura comparada, desenvolve oficinas sobre mitos narrativos e sua relação com o cinema e estuda e pesquisa literaturas periféricas. É professor das faculdades Integradas Vianna Junior e bolsista CNPq. Sua experiência como docente e pesquisador na interface cinema e literaturas periféricas será fundamental para as dinâmicas propostas nesta oficina. o Sergio Leal Medeiros: Doutor em Educação pela UFJF. Possui graduação em História e mestrado em Educação pela mesma instituição. Professor aposentado de História do cole’gio João XXIII, tem experiência na área de História e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: História, Educação, Cinema e Pedagogia do Olhar. Cocriador do Cineduca – da Faced-UFJF, suas experiências com cinema em diversos contextos é fundamental para o presente projeto. • Tutor: 1 a serem selecionado – preferencialmente da ONG parceira. Tal opção se justifica pela proposta de formação de mediadores da Ong que assumirão a continuidade do projeto. 11. Certificação Certificação destinada aos educadores e também à equipe da AACI 12.Custos Nome Função Valor (R$)/mês Adriana Rocha Bruno Coordenadora 2000,00 João Luiz Peçanha Couto Professor 1000,00 Sergio Leal Medeiros Professor 1000,00
  6. 6. Tutor(a) A ideia é que seja alguém da AACI 765,00 TOTAL (sem equipamentos) CÁLCULO – três meses 11.295,00 TOTAL (sem equipamentos) = R$ 11.295,00 Referências CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. A era da informacão: economia,̧ sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999, v.2. TONNIES, Ferdinand. Comunidade e Sociedade: textos selecionados. In: MIRANDA,̈ Orlando. (org.). Para ler Ferdinand Tonnies.̈ São Paulo: Editora da USP, 1995. p. 231-342
  7. 7. Tutor(a) A ideia é que seja alguém da AACI 765,00 TOTAL (sem equipamentos) CÁLCULO – três meses 11.295,00 TOTAL (sem equipamentos) = R$ 11.295,00 Referências CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. A era da informacão: economia,̧ sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999, v.2. TONNIES, Ferdinand. Comunidade e Sociedade: textos selecionados. In: MIRANDA,̈ Orlando. (org.). Para ler Ferdinand Tonnies.̈ São Paulo: Editora da USP, 1995. p. 231-342

×