Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO

68,008 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO

  1. 1. ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA ADJUNTA DE ENSINOSUPERITENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA CENTRO DE ENSINO GONÇALVES DIAS PLANO DIDÁTICO ANUALLITERATURA PROTUGUESA E BRASILEIRA ProfªAna Lourdes Alves de Araújo São Luís - MA 2013
  2. 2. 1 IDENTIFICAÇÃODISCIPLINA: Literatura Portuguesa e Brasileira Prof.ª Ana Lourdes Alves de AraújoCarga horária anual: 80 h Série:1ª do Ensino Médio Turno: Período Letivo: matutino 06/02/13 a 15/01/14 2 JUSTIFICATIVA Com o livro aberto sobre os joelhos, o longe vinha estar sob meus olhos; o mais preservado eu intuía e acreditava participar da intimidade re-velada peloescritor. As metáforas me acolhiam e libertavam ainda mais a minha fantasia. Eu visitava lugares que o autor desconhecia. Sem me perder de mim, pretensiosamente, me fazia o Outro. (Bartolomeu Campos de Queirós, 2007) É possível ensinar Literatura? É possível aprender Literatura? Num mundo cada vez mais técnico, informatizado, automatizado e objetivo, para que se ensina uma disciplina que não pretende construir casas, robôs e aviões, nem mesmo curar doenças? A disciplina de Literatura, ao menos da forma comocompreendemos, justifica- se duplamente: primeiro, pela busca por tais respostas, em toda a sua complexidade e com toda a discussão que acarretam. Segundo, pela admissão de que, sim, de fato não construímos casas, robôs ou aviões (exceto em termos ficcionais); tampouco curamos gripes, fraturas ou carências nutricionais. Por outro lado, com a Literatura se pode construir caráter, conhecimento e cultura. Através dela, pode-se entender de que forma as grandes transformações da humanidade se refletiram em sua educação estética e de que forma seu impulso artístico – e, portanto, criativo – gerou outras transformações. Através dela, pode-se também amenizar a carência de algo que cada vez mais se torna raro num mundo tão conturbado: nosso próprio senso de humanidade. A Literatura é, portanto, capaz de mudar as pessoas, tornando-as agentes de transformação do mundo e da sociedade. É nessa capacidade fundamental que seu ensino se alicerça e se justifica. 3 EMENTA Literatura: conceitos e funções, Níveis de Significação: denotação e conotação As formas literárias, Literatua e Intertextualidade, Figuras de Linguagem, Gêneros Textuais, Gêneros Literários, Texto narrativo: elementos e organização,A natureza das mensagens e as funções da linguagem, Estilos de Época, A Literatura Portuguesa: da Idade Média ao Classicismo, O Quinhentismo: a literatura de informação no Brasil,O Barroco em Portugal e no Brasil,O Arcadismo em Portugal. Leitura e análise de obras literárias.
  3. 3. 4 COMPETÊNCIAS e HABILIDADES O recorte das competências e habilidades da disciplina Língua LiteraturaPortuguesa e Brasileira segue as orientações descritas nos PCNEM, PCN+ E Matriz deReferência para o ENEM. Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textoscom seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção. Colocar-se como protagonista na produção e recepção de textos. Analisar e interpretar no contexto de interlocução. Emitir juízo crítico sobre as manifestações culturais. Usufruir do patrimônio cultural nacional e internacional. Contextualizar e comparar esse patrimônio, respeitando as visões de mundo nele implícitas. Entender, analisar criticamente e contextualizar a natureza, o uso e o impacto das tecnologias da informação. Estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político. Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário. Reconhecer a presença de valores sociais e humanos atualizáveis e permanentes no patrimônio literário nacional.5CONTEÚDO PROGRAMÁTICO-CRONOGRAMA Primeiro Período Letivode06/02 a 24/04/2011 CONTEÚDO QUANTIDADE DE CARGA HORÁRIA AULA TOTAL Ao encontro literatura: a literatura, 05 h conceitos e suas funções Níveis de Significação: denotação e 05 h conotação, As formas literárias: prosa e poesia 20 h/a Figuras de Linguagem, Literatura e 05 h Intertextualidade,Gêneros Textuais, Gêneros Literários, Texto narrativo: elementos e organização. O gênero conto, O gênero novela, O 05 h gênero crônica, Leitura de crônicas de Luís Fernando Veríssimo e contos de Marina Colasanti.
  4. 4. Segundo Período Letivo de 25/04 a 28/06/2013 CONTEÚDO QUANTIDADE DE CARGA HORÁRIA AULA TOTALA natureza das mensagens e as 04 hfunções da linguagem , Estilos deÉpocaTrovadorismo: as cantigas líricas, as 06 hcantigas satíricas, as canções 20 h/amodernasTrovadorismo: os cancioneiros, a prosa 05 hmedievalHumanismo- a historiografia de Fernão 05 hLopes, a poesia palaciana – Leitura eanálise obra Gil Vicente Terceiro Período Letivode 01/08 a 17/10/2013 CONTEÚDO QUANTIDADE DE CARGA HORÁRIA AULA TOTALHumanismo – o teatro de Gil Vicente,O texto teatral escrito 05 hClassicismo português – Luiz Vaz deCamões, A poesia épica os lusíadas, 05 hA poesia líricaO Quinhentismo: a literatura deinformação no Brasil, Gênerorelato de 05 hviagem, Gênero relato pessoal, Leitura 20 h/ae análise da Carta de CaminhaA linguagem barroca: Pe. AntônioVieira e Gregório de Matos, O Barroco 05 hem Portugal: Literatura como missão(Pe. Antônio Vieira),O Barroco noBrasil: adequação e irreverência(Gregório de Matos)Gêneronotícia,Leitura análise da obraGregório de Matos e Pe Antônio Vieira Quarto Período Letivode 18/10 a 06/01/2014 CONTEÚDO QUANTIDADE DE CARGA HORÁRIA AULA TOTALO Arcadismo português, GênerosInstrucionais, 06 hO Arcadismo Brasileiro, Gênero artigode opinião 06 hGênero o editorial de jornal e de 20 h/arevista, Gênero 04 hHipertexto e gênero digitais: o e-mail eo blog. Leitura e análise da obrapoetas árcades brasileiros. 04 h
  5. 5. 6 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Aulas Expositivas e Dialogadas; Trabalhos em Grupos e/ou Individuais; Dramatização de Situações Cotidianas; Análise e Interpretação de Filmes e Músicas; Leitura, análise e Interpretação de Textos Variados; Confecção de Cartazes, Folders, Dicionários e Hemeroteca; Produção de Textos Diversos; Pesquisas, Seminários; Campanhas: Debates.7 RECURSOS Quadro Branco e pincel. TV e Vídeo. Projetor de Imagens Livro-Texto. Dicionários. Jornais e Revistas. Paradidáticos. Computador. Internet.8 AVALIAÇÃO O processo avaliativo será dinamizado a partir da concepção de AvaliaçãoFormativa, a qual implica em refletir sobre os objetivos que se pretende atingir com cadaetapa e com todo o percurso da aprendizagem – o que necessariamente envolveráacompanhar o processo de ensino e provavelmente realizar ajustes ou mudanças aolongo dele. Finalmente, implica observar também os resultados a que se chegou ao finaldo percurso. Há, ainda, que superar a visão que circunscreve a avaliação a um ou algunsmomentos isolados, considerando-a parte efetiva do processo de ensino eaprendizagem.A avaliação formativa pressupõe a inclusão e, dessa forma o único eprincipal objetivo da avaliação formativa é o de ajudar o aluno a aprender e a progredirrumo aos objetivos propostos. Serão consideradas que as situações de aprendizagemsão também situações de avaliação
  6. 6. ReferênciasBRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. PCN+EM 1º ao 3º ano. Brasília: MEC,1998.BORGES, J. L. A poesia.In: _______. Sete noites. Trad. João Silvério Trevisan. SãoPaulo: Max Limonad, 1987.BOSI, A. Plural, mas não caótico.In: BOSI, A. (Org.). Cultura brasileira: temas esituações. São Paulo: Ática, 1987.BOURDIEU, P. As regras da arte: gênero e estrutura do campo literário. São Paulo:Companhia das Letras, 1996.BRASIL.Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/ Semtec, 2002.______. PCN+Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos ParâmetrosCurriculares NacionaisVol. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2002.______. Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBs).Brasília: MEC, 1996.CÂNDIDO, A. A literatura e a formação do homem.Ciência e Cultura, v. 24, n. 9, 1972.________. O direito à literatura.In: Vários escritos, 3. ed. São Paulo: Duas Cidades, 1995.CEREJA, W.R.; MAGALHÃES, T.C. Português: Linguagens. Vol. 1. São Paulo: Atual,1.999.CHARTIER, R.A ordem dos livros:leitores, autores e bibliotecas na entre osséculos XIV eXVIII. Trad. Mary del Priore. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1994.CHIAPPINI, L. Literatura: como? por quê? para quê?In: _____. Reinvenção da catedral.São Paulo: Cortez, 2005.___________. Parecer sobre o texto “Literatura”,de Neide Luzia Rezende, Maria ZéliaVersiani e EnidYatsuda Frederico. Berlim, 15/08/2005.COELHO, Nely Novaes. Literatura: arte, conhecimento e vida. São Paulo: Petropólis,2000.ECO, U. O texto, o prazer, o consumo.In: _____. Sobre os espelhos e outros ensaios.[Trad.] Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.______.Obra aberta:forma e indeterminação nas poéticas contemporâneas. Trad. GeraldoGerson de Souza. São Paulo: Perspectiva,1969.______. Interpretação e superinterpretação.São Paulo: Martins Fontes, 1993.______. Sobre algumas funções da literatura.In: _____. Sobre a literatura 2.ed. Rio deJaneiro: Record, 2003.EMEDIATO, Wander. A fórmula do texto: Redação, argumentação e leitura. São Paulo:Geração Editorial, 2008.
  7. 7. FISCHER, E. A necessidade da arte.Trad. Leandro Konder. Rio de Janeiro: Zahar,1966.GERALDI, J. W. (Org.). O texto na sala de aula.Cascavel, PR: Assoeste, 1985.GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere.V. 6. Trad. e org. de Carlos Nelson Coutinho,Marco Aurélio Nogueira e Luís Sérgio Henriques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,2002.JAUSS, H. R.A estética da recepção:colocações gerais. In: LIMA, L. C. (Coord., sel.,notas).A literatura e o leitor:textos de estética da recepção. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz eTerra, 2002.__________.História literária como desafio à ciência literária.Vila Nova de Gaia, PT: JoséSoares Martins (s.d).__________. O prazer estético e as experiências fundamentais da poiésis, aisthesis ekatharsis.In: _____. A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. In: LIMA, L. C.(Coord., sel., notas e trad.). 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.NUNES, B. Ética e leitura. Leitura:Teoria e Prática, n. 27, jun. 1996, CampinasALB.LAJOLO, Marisa. Do Mundo da Leitura a Leitura do Mundo. 6ª ED. São Paulo: Ática,2000.LINHARES, A. M. B. O tortuoso e doce caminho da sensibilidade:um estudo sobre arte eeducação. 2. ed. Ijuí: Unijuí, 2003.LIPOVETSKY, G. Os tempos hipermodernos.São Paulo: Barcarolla, 2004.OSAKABE, H.; FREDERICO, E. Y. Literatura.Orientações curriculares do ensino médio.Brasília: MEC/ SEB/ DPPEM, 2004.PAULINO, G. Letramento literário:por vielas ealamedas. Revista da Faced, n. 5. Salvador: Faced/ UFBA, 2001.PERRONE-MOISÉS, L. Crítica e intertextualidade.Texto, crítica e escritura. São Paulo:Ática, 1993.PETRUCCI, A. Ler por ler:um futuro para a leitura. In: CHARTIER, R.; CAVALLO, G.(Org.) História da leitura no mundo ocidental II. São Paulo: Ática, 1999.

×