Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Self Organizacional - Aula 4

8,939 views

Published on

Aula sobre self e força motriz organizacional das disciplinas Organização Contemporânea e Modelos de Organizações dos cursos de pós-graduação em Gestão Empresarial e Marketing da Universidade Metodista

Published in: Business

Self Organizacional - Aula 4

  1. 1. Organização Contemporânea Self e Força Motriz Organizacional – Aula 4
  2. 2. Aula 4  Desvendando a alma das organizações (1)  Self e força motriz organizacional Para baixar as aulas www.slideshare.net/alevy Page  2
  3. 3. Estrutura da cultura corporativa  As organizalções são mais determinadas do que imaginamos  Até mesmo suas estratégias mais visíveis derivam de sua cultura, alma ou essência organizacional  Silvio Luiz Johann imagina a estrutura da cultura corporativa como camadas que se relacionam e determinam umas às outras  No centro do núcleo está a alma ou a essência da organização Page  3
  4. 4. Self e zona de sombras Força motriz Ideologia central Estratégias Self e zona de sombras Page  4
  5. 5. Self e zona de sombras  As organizações têm uma essência, uma alma, que se cristaliza com o tempo e se torna a “força invisível” que comanda tudo ao redor  Esta essência ou “alma” é invisível, não está registrada, não está documentada, mas se percebe no modo como as empresas resolvem seus Self ou zona de sombras, segundo problemas, no tipo de Jung, é um espaço entre a profissionais que valorizam, como consciência e a inconsciência, onde muito do que as pessoas são é fazem negócios e até que determinado. estratégias adotam Page  5
  6. 6. Como enxergar?  Esta força essencial, esta alma organizacional, é de difícil percepção  Não é tangível  Gareth Morgan, em seu livro “Imagens da Organização”, propõe uma metodologia para uma melhor compreensão da essência das organizações através de metáforas Uma metáfora para  Ele sugere 8 metáforas que podem “competição”. explicar melhor as organizações e alinha as teorias que explicam cada uma delas Page  6
  7. 7. As metáforas de Morgan  Gareth Morgan relacionou 8 metáforas que ajudam a compreender a alma de uma organização:  Máquina (M)  Organismo (O)  Sistema Político (SP)  Cérebro (C)  Prisão Psíquica (PP)  Instrumento de Dominação (ID)  Cultura  Fluxo e Transformação (FT) Page  7
  8. 8. A organização enquanto máquina  Vida organizacional segue a rotina de um relógio  Espera-se que as pessoas cheguem em determinada hora e desempenhem uma série de atividades pré- determinadas  Taylor – Ênfase nas tarefas As pessoas são engolidas por normas,  Fayol – Ênfase na estrutura regras, controles, processos; tudo é determinado, tudo é controlado, tudo tem  Weber – Ênfase nas normas um fim e não pode ser alterado. Empresas com esta essência têm enorme dificuldade Page  8 para inovar
  9. 9. Organização enquanto organismo  Empresas percebem a si mesmas como parte de um ambiente empresarial e de negócios  Sabem que seus resultados dependem da interação com o meio  Veem-se como sistemas abertos  Ênfase socio-técnica NEM TUDO DEPENDE DO  Ênfase em sistemas abertos MEIO  Ênfase contingencial AMBIENTE Page  9
  10. 10. Organização como Sistema Político  Organizações compostas por grupos políticos que ora cooperam, ora se enfrentam  São dirigidas por gerentes autoritários  Há frequente manipulação  Jogos de poder marcam as relações internas CAPACIDADE DE CRIAÇÃO LIMITADA Page  10
  11. 11. Organizações como cérebros  Empresas onde há um núcleo central de inteligência  Investem na melhoria da capacidade das pessoas que fazem parte desse núcleo  Terceirizam o “não- essencial”  São usuárias intensivas de TI ORGANIZAÇÂO QUE APRENDEU Page  11 A APRENDER
  12. 12. Organização como Prisão Psíquica  Empresas prisioneiras de seu próprio sucesso  Depois de um passado de glória, optou por não mudar  A criatura organizacional passa a controlar seus criadores  As pessoas na organização ficam presas a modelos de INCAPACIDADE sucesso do passado que não DE MUDANÇA. podem ser revistos ou questionados Page  12
  13. 13. Organização como Instrumento de Dominação  Uma elite organizacional controla todas as atividades  Na organização, muitos trabalhando para o bem estar de poucos  Empresas beneficiam uma elite em detrimento da maioria  Dominação por carisma, tradição, razão ou ORGANIZAÇÂO burocracia FOCADA EM Page  13 SI MESMA
  14. 14. Organização como Cultura  Empresa profundamente relacionada com seu país de origem  Sua cultura organizacional é a extensão da cultura de seu país  Defende seu país acima de tudo  Difunde seus valores ORGANIZAÇÃO culturais mais profundos ORIENTADA PELA SUA CULTURA  Uma categoria quase que NATAL exclusiva de empresas japonesas Page  14
  15. 15. Organização como Fluxo e Transformação  Organização entende a si mesma antes de entender o ambiente  Análise do ambiente depende de quem analisa  Organização muda em função da interpretação que faz do ambiente  Empresa não teme a ORGANIZAÇÃO mudança; pelo contrário, a BUSCA estimula A MUDANÇA Page  15
  16. 16. Ideologia Central Força motriz Ideologia central Estratégias Self e zona de sombras Page  16
  17. 17. Ideologia Central  Composta pelos valores culturais mais fortes, autênticos e duradouros de uma organização  Valores forjados no sonho de fundação da empresa  Uma idéia, um conceito que traduz a alma da organização  Um dos patrimônios mais valiosos das organizações  Collins e Porras Page  17
  18. 18. A ideologia Central da Kellog’s “Somos uma companhia de gente dedicada, elaborando produtos de alta W.K. Kellogg qualidade para um mundo mais são”  Este filme mostra o quão era forte, na origem da Kellog's, a idéia da criação de um “alimento saudável”. Essa idéia ainda faz sentido hoje?  O nascimento da Kellog’s Page  18
  19. 19. As empresas e suas ideologias  Identifique as ideologias centrais das empresas  Merck  Wal Mart  Walt Disney  HP  Sony Page  19
  20. 20. Força Motriz Força motriz Ideologia central Estratégias Self e zona de sombras Page  20
  21. 21. Força Motriz  Força que move a empresa  É definida pela ideologia central e pela alma da empresa  É articulada culturalmente, logo não é algo que se muda do dia para a noite  Tregoe e Zimmermann identificaram 5 forças motrizes:  Foco no produto  Foco no mercado  Foco na produção e infra-estrutura  Foco na venda e distribuição  Foco no lucro Page  21
  22. 22. Foco no produto  Organização motivada pela oferta de seus produtos ao mercado  Tende a produzir, sempre, produtos semelhantes aos atuais, gradativamente aperfeiçoados  Buscará melhor penetração nos mercados que já atende A maioria das montadoras de  Tentará atingir outros veículos tem esta força motriz mercados para vender produtos que já fabrica  Gillette  Volkswagen  IBM Page  22
  23. 23. Foco no mercado  Organização motivada pelo atendimento de novas necessidades dos consumidores  Tenderá a desenvolver novos produtos  Dará muita ênfase à pesquisa  Necessidade de pessoas atuantes  3M  Dell  HP Page  23
  24. 24. Foco na produção e infraestrutura  Organização motivada por técnicas produtivas, tecnologia e equipamentos  Tenderá a fabricar produtos acessíveis a sua tecnologia  Buscará inovação e adaptação tecnológica  Ênfase na análise de custos  Petrobras  CSN Page  24
  25. 25. Foco na venda e distribuição  Organização motivada pelo uso de sua estrutura de vendas e de distribuição de produtos  Procurará atuar com produtos que possa vender através de sua estrutura  Poderá comercializar produtos de terceiros  Dará ênfase à propaganda  Natura  Avon  Carrefour  Pão de Açúcar  Editora Abril Page  25
  26. 26. Foco no lucro  Organização motivada, acima de tudo, pelo retorno financeiro de seus investimentos  Buscará produtos rentáveis  Pessoal com excelência em gestão de produtos financeiros, controle de orçamento, redução de custos A ganância e o apego  Itaú ao lucro a qualquer  Bradesco preço é a marca das organizações com esta  Credicard força motriz  Ambev  Telefonica Page  26
  27. 27. As melhores e maiores  Estudo de Silvio Luiz Johann com as Maiores e Melhores da Revista Exame apontou: Tipos de força motriz entre as maiores empresas do Brasil Força motriz organizacional Quantidade de empresas Porcentagem do total Crescimento e Lucro 24 37% Produção e Tecnologia 16 25% Produtos Oferecidos 12 18% Necessidades do Mercado 8 12% Venda e Distribuição 5 8% Total 65 100% Page  27
  28. 28. O poder da Força Motriz  Veja este filme e tente compreender as razões pelas quais a IBM concordou com a proposta da Microsoft quando a Microsot não era nada  O nascimento da Microsoft Page  28
  29. 29. Teste  Este teste ajuda você a refletir sobre a força motriz da organização onde você atua Page  29
  30. 30. Leitura para a próxima aula  Leia o “Caso SBT” e avalie se esta organização tem condições de sobreviver à ausência de seu líder. Page  30
  31. 31. Obrigado!  Formado em Comunicação Social pela FAAP  Pós-Graduado em Gestão de Comunicação pela USP  Pós-graduado em E-Business pela FGV  Mestre em Teoria e Pesquisa em Comunicação pela ECA-USP  Repórter da 4 Rodas, Jornal O Globo e Agência Folhas Armando Levy  Gerente de Comunicação e Internet da Credicard, Vésper e Banco1.Net  Consultor do Núcleo de Formação Profissional da Câmara Brasil-Alemanha  Diretor da e-Press Comunicação  armando@epress.com.br Page  31

×