Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Cap14 macro

3,443 views

Published on

  • Be the first to comment

Cap14 macro

  1. 1. Parte 4 – Integração entre microeconomia e macroeconomia e implicações sobre as políticas econômicas Construções mais complexas das funções consumo, investimento, demanda e oferta de moeda, fazendo uso do instrumental microeconômico convencional na definição delas, permitem uma integração entre a microeconomia e a macroeconomia. Verifica-se como o modelo IS/LM se comporta com essas novas funções.
  2. 2. Capítulo 14 Modelo IS/LM ampliado
  3. 3. Aula Anterior <ul><li>CAPÍTULO 13 – A função oferta de moeda </li></ul>13.1 Estimativas da equação de oferta de moeda no Brasil.
  4. 4. Nesta Aula <ul><li>CAPÍTULO 14 – Modelo IS/LM ampliado </li></ul>14.1 As modificações causadas pelas novas definições das funções consumo, investimento e oferta de moeda sobre as curvas IS, LM e de demanda agregada; 14.2 O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica; 14.3 Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos; 14.3.1 Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos.
  5. 5. <ul><li>Com as funções consumo, investimento, demanda de moeda e oferta de moeda reformuladas (fazendo uso do instrumental microeconômico convencional na definição delas), é gerada uma versão ampliada do modelo IS/LM, mas ainda restrita a uma economia fechada. </li></ul>Introdução
  6. 6. <ul><li>c = c[y-t(y), a, CR] Função Consumo </li></ul><ul><li>i = i(r, y) Função Investimento </li></ul><ul><li>= m(r, y)  l(r) + k(y) Demanda de Moeda </li></ul><ul><li>M = M(r, B, rd, R 3 ) Oferta de Moeda </li></ul><ul><li>y = c[y – t(y), a, CR] + i (r, y) + g Curva IS </li></ul>As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA
  7. 7. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t s(a 0 )+t Para um dado nível de preços P 0 , tem-se o valor real dos ativos líquidos a 0 . y 0 y 1 r 0 r 45º i(y 0 )+g A I 0 S 0 B r 1 Curva IS no modelo ampliado y g
  8. 8. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t s(a 0 )+t Se o nível de preços subir para P 1 > P 0 , o valor real dos ativos líquidos cai para a 1 < a 0 . y 0 y 1 r 0 r 45º i(y 0 )+g s(a 1 )+t A I 0 S 0 B C I 1 S 1 r 1 r 2 r 3 D Curva IS no modelo ampliado y g
  9. 9. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t s(a 0 )+t Um aumento de preços desloca a curva IS para a esquerda e para baixo y 0 y 1 r 0 r 45º i(y 0 )+g s(a 1 )+t A I 0 S 0 B C I 1 S 1 r 1 r 2 r 3 D Curva IS no modelo ampliado y g
  10. 10. <ul><li>A curva LM implica o equilíbrio no mercado de moeda. Igualando as expressões de oferta e de demanda de moeda, encontra-se: </li></ul><ul><li>M(r, B, R 3 , rd) = P  m(r,y) </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>Como B, R 3 e rd são definidos pelo Banco Central e, portanto, são variáveis exógenas, é comum usar uma expressão mais simples para a oferta de moeda na qual se tem M(r). </li></ul>As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA
  11. 11. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA Elevando a taxa de juros para r 1 > r 0 . Curva LM no modelo ampliado l(r) Demanda de moeda para transações b’ y y 0 y 1 r 0 r K(y) A M 0 B L 0 r 1 a’ Demanda de moeda para especulação A B
  12. 12. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA L 1 Se o nível de preços se elevar P 1 > P 0 . Curva LM no modelo ampliado l(r) Demanda de moeda para transações b’ y y 0 y 1 r 0 r K(y) C A M 0 B d C c L 0 M 1 r 1 D a’ y 2 y 3 Demanda de moeda para especulação A D B Uma elevação no nível de preços desloca a curva LM para a esquerda e para cima.
  13. 13. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>Com as modificações das funções consumo, investimento e oferta de moeda deriva-se curvas IS e LM menos inclinadas. </li></ul><ul><li>Isto tem o efeito de afetar as eficácias das políticas fiscal e monetária em alterar o nível de PIB de equilíbrio. </li></ul><ul><li>No entanto, não se altera a inclinação negativa da curva de demanda agregada. </li></ul>
  14. 14. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>Se o preço subir para P 1 ( > P 0 ), tanto a curva IS quanto a curva LM se deslocam para a esquerda. </li></ul><ul><li>O nível de produto cairá para y 1 </li></ul><ul><li>e a taxa de juros pode cair, aumentar ou ficar inalterada. </li></ul><ul><li>O valor da nova taxa de juros dependerá da dimensão do deslocamento para a esquerda da curva LM. </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y L 1 I 1 S 1 (P 1 ) L 0 I 0 S 0 (P 0 ) M 0 (P 0 ) E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda M 1 (P 1 ) <ul><li>Por que a taxa de juros pode ter três tendências quando o nível de preços aumenta? </li></ul><ul><li>P   m s   r  </li></ul><ul><li>r   y  (c  )  m d   r  </li></ul><ul><li>O comportamento da taxa de juros dependerá desses dois elementos. </li></ul>
  15. 15. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>No nível de preço P 0 tem-se o produto y 0 que equilibra simultaneamente os mercados de bens, moeda e títulos. </li></ul><ul><li>Quando o nível de preços sobe para P 1 (> P 0 ), o nível de produto que equilibra simultaneamente esses mercados diminui, para y 1 (< y 0 ). </li></ul><ul><li>Os pontos (y 0 , P 0 ) e (y 1 , P 1 ) definem a curva de demanda agregada. </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y L 1 I 1 S 1 (P 1 ) L 0 I 0 S 0 (P 0 ) M 0 (P 0 ) E F P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 0 D 0 E F Curva de demanda agregada M 1 (P 1 ) Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda
  16. 16. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>A curva de demanda agregada é negativamente inclinada por duas razões: </li></ul><ul><li>P   a   c   y  </li></ul><ul><li>Independentemente do comportamento da taxa de juros, y   K E   ik r  </li></ul><ul><li>Observe que qualquer que seja a inclinação da iso- investimento, a iso-investimento que passa pelo ponto F está a esquerda da iso-investimento que passa pelo ponto E. </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y L 1 I 1 S 1 (P 1 ) L 0 I 0 S 0 (P 0 ) M 0 (P 0 ) E F P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 0 D 0 E F Curva de demanda agregada M 1 (P 1 ) Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda
  17. 17. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Não foram feitas modificações quanto aos elementos que definem a curva de oferta agregada. </li></ul><ul><li>Combinando cada uma das curvas de oferta agregada definidas nos capítulos 7 a 9 com as novas especificações para as curvas IS e LM definem-se modelos macroeconômicos alternativos. </li></ul><ul><li>Para dar continuidade ao curso, optam-se pelas curvas de oferta agregada do modelo básico da Síntese Neoclássica e pela do modelo geral dos novos keynesianos. </li></ul>
  18. 18. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>De acordo com o modelo básico da Síntese Neoclássica: </li></ul><ul><li>demanda de trabalho W = P  f(N) </li></ul><ul><li>oferta de trabalho W = j(P, N) </li></ul><ul><li>equilíbrio j(P, N) = P  f(N) </li></ul>
  19. 19. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>P  </li></ul>Equilíbrio no mercado de trabalho. Função de Produção. Curva de Oferta Agregada. W N j(P 1 , N) N 0 N 1 y N y 0 y 1 W 0 P y S 0 y 0 y 1 S 0 P 0 P 1 W 1 j(P 0 , N) P 1 .f(N) P 0 .f(N) N 0 N 1 y(N, K) A B A B A B Modelo básico da Síntese Neoclássica Para a Síntese Neoclássica a curva de oferta agregada é positivamente inclinada no plano cartesiano y versus P porque o aumento do nível de preços (P  ) causa o aumento da quantidade de trabalho de equilíbrio empregada (N  ), o que gera aumento do produto ofertado (y  ).
  20. 20. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Resumindo, o modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica passa a se compor das seguintes equações: </li></ul><ul><li>y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto </li></ul><ul><li>equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) </li></ul><ul><li>y = y(N,K) função de produção </li></ul><ul><li>W = P  f(N) função demanda de trabalho </li></ul><ul><li>W = j(P, N) função oferta de trabalho </li></ul>
  21. 21. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) y = y(N,K) função de produção W = P  f(N) função demanda de trabalho W = j(P, N) função oferta de trabalho São variáveis endógenas: o nível de produto (y), o nível geral de preços (P), a taxa de juros (r), a quantidade de trabalho (N) e o salário nominal (W). Tem-se um modelo com cinco equações e cinco variáveis endógenas.
  22. 22. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) y = y(N,K) função de produção W = P  f(N) função demanda de trabalho W = j(P, N) função oferta de trabalho As variáveis exógenas são de política fiscal (g e t´) ou monetária (B, rd e R3) ou então de não influência direta do governo, tais como os formatos das funções de produção, de demanda e oferta de trabalho, da propensão marginal a consumir e da sensibilidade do investimento a variação da taxa de juros.
  23. 23. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Suponha que o pleno emprego seja NF, e o valor (NF – N 0 ) seja muito elevado. </li></ul><ul><li>Para diminuí-lo, propõe-se o aumento dos gastos do governo, de g 0 para g 1 (  g = g 1 – g 0 ). </li></ul><ul><li>Se o preço permanecer em P 0 e a taxa de juros em r 0 , tem-se o produto de equilíbrio y 1 . </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 P 0 P y 0 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r y 0 y y 1 N 0 N N F j(P 0 , N) P 0 .f(N) W 0 W A A A Excesso de demanda por moeda
  24. 24. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A renda cresceu e é necessária mais moeda para transações. </li></ul><ul><li>Há venda de títulos para obter moeda e os preços dos títulos caem. </li></ul><ul><li>A alta dos preços diminui o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado, o que provoca o deslocamento da curva IS para a esquerda. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r y 0 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N N F j(P 0 , N) P 0 .f(N) W 0 W A B A B A I 2 S 2 Excesso de demanda
  25. 25. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A renda cresceu e é necessária mais moeda para transações. </li></ul><ul><li>Há venda de títulos para obter moeda e os preços dos títulos caem. </li></ul><ul><li>A alta dos preços diminui o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado, o que provoca o deslocamento da curva IS para a esquerda. </li></ul><ul><li>r   i   y  </li></ul><ul><li>O aumento de preços desloca a curva de demanda de trabalho para a direita mais do que a curva de oferta de trabalho para cima e à esquerda </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  26. 26. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Quanto tempo leva a passagem do ponto (y 0 , P 0 ) ao ponto (y 3 , P 3 )? </li></ul><ul><li>Segundo BRANSON & LITVACK (1978, p. 297), essa passagem, na economia norte-americana, pode levar de dois a três anos se for significativo o acréscimo nos gastos do governo. </li></ul><ul><li>Durante esse período podem ocorrer alguns aspectos interessantes. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  27. 27. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A demanda de trabalho pode reagir mais rapidamente do que a oferta de trabalho, tal que quando o preço sobe a P 3 a curva de demanda de trabalho desloca-se para direita, mas a curva de oferta de trabalho não se desloca. </li></ul><ul><li>Logo, no nível de preço P 3 o produto ofertado será temporariamente maior que y 3 , até a curva de oferta de trabalho se deslocar para a esquerda. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  28. 28. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>O mecanismo do acelerador (analisado no capítulo 11) cria a possibilidade de um ajustamento excessivo da demanda agregada. </li></ul><ul><li>O aumento nos gastos do governo eleva o produto, que gera um fluxo de investimento líquido que, por sua vez, aumenta ainda mais o produto. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  29. 29. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Isto abre a possibilidade da curva IS se deslocar, temporariamente, para a direita de I 2 S 2 até que o aumento dos preços diminua o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado e o investimento líquido seja zerado (estes dois efeitos fazem a curva IS se deslocar para a esquerda, atingindo a I 2 S 2 ). </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  30. 30. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Esses efeitos permitem a economia, no início, ultrapassar o nível de produto final y 3 , mas no final do período de ajustamento a ele voltar. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  31. 31. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>Uma alternativa de modelo macroeconômico é combinar as curvas IS e LM com a curva de oferta agregada geral dos novos keynesianos: </li></ul><ul><li>y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto </li></ul><ul><li>equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) </li></ul><ul><li>y = y(N,M,K) função de produção </li></ul><ul><li>equação de determinação dos salários </li></ul><ul><li>curva de oferta agregada </li></ul>
  32. 32. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) y = y(N,M,K) função de produção equação de determinação dos salários curva de oferta agregada Veja que temos um sistema de cinco equações para determinar cinco variáveis endógenas: produto (y), taxa de juros (r), nível geral de preços (P), salário nominal (W) e quantidade de trabalho (N).
  33. 33. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>A inclinação negativa da curva de demanda agregada no plano cartersiano y versus P já foi explicada. </li></ul><ul><li>A curva de oferta agregada geral dos novos keynesianos é positivamente inclinada no plano cartesiano y versus P porque: </li></ul><ul><li>y   desemprego   W   CD   P  </li></ul><ul><li>mark-up </li></ul>
  34. 34. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>O raciocínio por traz da curva de oferta agregada do modelo geral dos novos keynesianos é diferente do da curva de oferta agregada do modelo básico da Síntese Neoclássica. </li></ul><ul><li>Apesar de ambas serem positivamente inclinadas no plano cartesiano y versus P, para a Síntese Neoclássica é a elevação do nível de preços que gera o aumento do produto ofertado, ao implicar o aumento da quantidade de trabalho empregada. </li></ul><ul><li>Para os autores novos keynesianos, é o aumento da quantidade ofertada de produto que causa o aumento dos preços. </li></ul>
  35. 35. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos Em resumo, no modelo básico da Síntese Neoclássica tem-se: P   N   yo  Para os novos-keynesianos, yo   N   P  (sendo yo o produto ofertado, que é igual à renda em situação de equilíbrio).
  36. 36. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos g  r r 1 r 0 y 1 y 0 y S 1 I 1 S 0 M 0 I 0 E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda L 0 P P 0 y 1 y 0 y D 1 D 1 S 0 D 0 D 0 S 0 E F Curvas de oferta e de demanda agregada P  P 1 Excesso de demanda
  37. 37. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>P   diminui o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado. </li></ul><ul><li>P   m s  (ou M d  ) </li></ul><ul><li>Estes dois deslocamentos têm o efeito de diminuir a demanda agregada </li></ul><ul><li>O preço sobe até P 1 . </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y S 1 I 1 S 0 M 0 I 0 S 2 E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda G y 2 L 0 M 1 L 1 r 2 I 2 P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 1 D 1 S 0 D 0 D 0 S 0 E F Curvas de oferta e de demanda agregada G y 2
  38. 38. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>Para ser atendida uma demanda maior, ocorrerá uma produção maior. </li></ul><ul><li>Porém, para se gerar mais produto é necessário se empregar mais trabalho. </li></ul><ul><li>O aumento de N (quantidade de trabalho) leva à diminuição da taxa de desemprego. </li></ul><ul><li>A redução da taxa de desemprego permite aos trabalhadores requisitar maior salário por unidade de trabalho em relação ao que ganhavam no período anterior. </li></ul>
  39. 39. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>Há, assim, um aumento de W. </li></ul><ul><li>A alta dos salários causa um aumento dos custos de produção, que são repassados aos preços dos bens. </li></ul><ul><li>Assim, tem-se um deslocamento ao longo da curva de oferta agregada do ponto E de coordenadas (y 0 , P 0 ) para o ponto G de coordenadas (y 2 , P 1 ). </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y S 1 I 1 S 0 M 0 I 0 S 2 E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda G y 2 L 0 M 1 L 1 r 2 I 2 P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 1 D 1 S 0 D 0 D 0 S 0 E F Curvas de oferta e de demanda agregada G y 2
  40. 40. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>No modelo geral dos novos keynesianos aqui desenvolvido, uma política fiscal expansionista tem os mesmos efeitos sobre y, P, N, W e r que no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica. </li></ul><ul><li>Isto apesar dos fundamentos macroeconômicos das curvas de oferta agregada serem distintos. </li></ul>
  41. 41. Próxima Aula <ul><li>CAPÍTULO 15 – Modelos macroeconômicos para uma economia aberta </li></ul>15.1 O equilíbrio no mercado de produto; 15.2 A curva que representa o equilíbrio do Balanço de Pagamentos; 15.3 O ajustamento do saldo do balanço de pagamentos em uma situação da taxa de câmbio nominal fixa e inalterada; 15.4 Outras medidas para equilibrar o balanço de pagamentos; 15.5 Modelo estático geral da Síntese Neoclássica para uma economia aberta com taxa de câmbio nominal fixa; 15.6 Modelo geral dos novos keynesianos para um economia aberta com taxa de câmbio nominal fixa; 15.7 O ajustamento do balanço de pagamentos no caso da taxa de câmbio flexível; 15.8 Modelo estático geral da Síntese Neoclássica para uma economia aberta, supondo equilíbrio do balanço de pagamentos e taxa da câmbio flexível; 15.9 Modelo geral dos novos keynesianos para uma economia aberta, supondo equilíbrio do balanço de pagamentos e taxa de câmbio flexível.
  42. 42. Referências Bibliográficas <ul><li>BACHA, C.J.C.; LIMA, R.A.S. Macroeconomia : Teorias e Aplicações à Economia Brasileira. Campinas: Alínea, 2006 </li></ul><ul><li>BLANCHARD, O. Macroeconomia : teoria e política econômica. 2 ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001. </li></ul><ul><li>BRANSON , W.H. e LITVACK, J.M. Macroeconomia , São Paulo: Habra, 1978. </li></ul><ul><li>DORNBUSCH, R. & FISCHER, S. Macroeconomia . 5 a edição. São Paulo: Makron/Mcgraw-Hill, 1991. </li></ul><ul><li>MANKIW, N.G. Macroeconomia : Rio de Janeiro: LTC, 2004. </li></ul>

×