Império Songhai Nomes : Aída Vidigal (1), Bárbara Gontijo (4), João Pedro             (17), Thamires Quintiliano (34)
Economia:   Setor comercial :   Saiam caravanas transaarianas do vale do Níger, em função de estabelecer rotas em    dir...
   O comércio contribuiu com o enriquecimento das cidades do vale do Níger, como por    exemplo, uma melhoria na vida dos...
Relação com muçulmanos:   Em 1492 Sunnl Ali o Grande dirigia um grande império que, centrado no Níger,    estendia-se des...
   O Askiya Muhammad era de origem soninke, do clã dos Turé ou Sylla, provenientes    do Takfür. Apesar de iletrado, era ...
Motivo da decadência e desagregaçãodo Reino   Quando soni Ali morreu em l492, foi substituído por seu filho que como Soni...
   Nas últimas décadas do Século XVI, os senhores muçulmanos do Marrocos voltaram    os olhos para as riquezas do Império...
Organização do Estado ecaracterísticas    A organização de Songai era muito elaborada, dividida em províncias. Uma     mo...
Império Songhai
Império Songhai
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Império Songhai

6,323 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
6,323
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
94
Actions
Shares
0
Downloads
54
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Império Songhai

  1. 1. Império Songhai Nomes : Aída Vidigal (1), Bárbara Gontijo (4), João Pedro (17), Thamires Quintiliano (34)
  2. 2. Economia: Setor comercial : Saiam caravanas transaarianas do vale do Níger, em função de estabelecer rotas em direção ao norte 28. O comércio transaariano dos séculos XV e XVI orientava-se principalmente para Marrocos, Argélia e Líbia, estava em mãos de mercadores árabo-berberes e dos sudaneses. Os pontos de encontro eram as cidades. O transporte de mercadorias da frota comercial do Níger era feita por camelos e bois. O Sudão importava tecidos, sal, armas, cavalos, cobre, artigos de vidro, açúcar, artesanato magrebino (sapatos, artigos de lã) etc. O comércio se fazia por trocas e mais freqüentemente por intermédio de moeda de transferência: cauris para os pequenos negócios, ouro, sal ou cobre. O sal era a “chave” deste comércio. Os artigos de exportação do Sudão eram ouro, escravos, marfim, especiarias, nozes- de-cola, artigos de algodão etc. O comércio interno sudanês baseava-se nos produtos locais. Em todas as aglomerações importantes, havia um mercado, lugar de encontro dos camponeses, que trocavam produtos agrícolas e compravam mercadorias vindas de mascates.
  3. 3.  O comércio contribuiu com o enriquecimento das cidades do vale do Níger, como por exemplo, uma melhoria na vida dos camponeses. Resumindo o comércio transaariano foi um sistema de trocas de produtos que era baseado numa economia de produção local. Com isso, não provocou mudança nas estruturas sociais e nem contribuiu com a revolução tecnológica. Abriu portas para um progresso material nas condições de vida das populações nigerianas e a ascensão de uma refinada aristocracia.
  4. 4. Relação com muçulmanos: Em 1492 Sunnl Ali o Grande dirigia um grande império que, centrado no Níger, estendia-se desde a região de Dendi até a de Macina. Organizou-o segundo o modelo manden. Criou novas províncias, confiadas a soberanos que se intitulavam fari ou farma (manden) e koy ou mondzo (songhai). Nomeou um cádi para Tombuctu e provavelmente para outras cidades muçulmanas. Sunni Ali Ber enfrentou grandes dificuldades junto à aristocracia muçulmana, principalmente em Tombuctu. Os motivos de sua oposição aos ulemás eram tanto políticos quanto ideológicos. Tendo sido educado no Faru (Sokoto), terra de sua mãe, nunca foi bom muçulmano, pois jamais abandonou os cultos tradicionais songhai. A morte de Sunni Ali provocou uma guerra civil. Sunni Baare recusou-se a se converter ao Islã. Um partido muçulmano, dirigido pelo hombori-loi Muhammad e seu irmão Umar Komdiãgho, revoltou-se contra o novo sunni e o derrotou em Anfao, na região de Gao. Muhammad Turé ou Sylla apossou-se do poder soberano com o título de askiya, fundando, assim, uma dinastia muçulmana.
  5. 5.  O Askiya Muhammad era de origem soninke, do clã dos Turé ou Sylla, provenientes do Takfür. Apesar de iletrado, era muçulmano fervoroso, homem equilibrado e moderado, além de político sagaz. Em 1496-1497, por motivos religiosos e políticos, o novo soberano visitou os lugares santos do Islã. Fez-se acompanhar de um exército de 800 cavaleiros e de numerosos ulemás, levando uma soma de cerca de 300 000 dinares para as despesas. No Cairo, visitou um dos pilares do Islã, o grão-mestre da mesquita de al- Azhar, al-Suyüti, de quem recebeu conselhos sobre a arte de governar.
  6. 6. Motivo da decadência e desagregaçãodo Reino Quando soni Ali morreu em l492, foi substituído por seu filho que como Soni Ali, era também o chefe do partido antimuçulmano. Entretanto dois anos depois, o poder foi tirado das mãos deste filho. Um ex-general de Soni Ali derrotou o novo senhor e tomou o poder. O Império de Songai Começou viver plenamente uma organização estatal com classes antagônicas e com um aparato administrativo que aos poucos se distanciava da organização gentílica e tribal. O Estado Gao possui pela primeira um exército profissional e uma arrecadação sistemática de impostos. É também sintomático que o fundador da dinastia Áskia tenha sido um Sarakolê e não um Songai, que continuou sendo a etnia base do império. Com 86 anos, o Áskia Mohammed foi destituído por seu filho O Império iniciava a sua decadência, apesar da grandeza que vivia. Songai controlava importantes territórios ao sul, o antigo reino de Mali, diversos Estados hauças, etc. Entretanto, a sua soberania era imposta às províncias estrangeiras através do terror. As populações dominadas esperavam a hora em que poderiam liberta-se. O Filho de Mohammed viu seu poder debilitar-se lentamente. O Império Songai desagregou-se durante o último reinado Áskia, Ishaq II (l588 –l591).
  7. 7.  Nas últimas décadas do Século XVI, os senhores muçulmanos do Marrocos voltaram os olhos para as riquezas do Império Songai, tentando responder à séria crise que Marrocos vivia.
  8. 8. Organização do Estado ecaracterísticas  A organização de Songai era muito elaborada, dividida em províncias. Uma monarquia que tinha centralização sistemática e absolutismo real.  Governo constituído por ministros e conselheiros nomeados. (A nobreza tinha vocação para as funções políticas e militares).  Gao era a capital com base de poder sobre a volta do rio Níger.  Estado pré-colonial africano e grande civilização oriental.  Espírito cosmopolita e universal.  População mestiça com antiga população e imigrantes do norte (Berberes, Tuareg e árabes)  Sociedade dividida em nobreza, homens livres, membros de castas de ofícios e escravos (bastante numerosos, com papel político e militar subalterno).  Na religião cultuavam os hole e os espíritos que habitavam a natureza, servindo à sociedade, protegendo-a, proporcionando-lhe equilíbrio psíquico e continuidade. A fé islâmica teve pouco impacto no começo, mas depois dominou toda a curva no Níger.  Tinha dois níveis de estudo: o elementar (escola corânica) que era centrado na leitura e recitação do Corão e o superior, que era a ciência islâmica.

×