Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Modelos de negocios Digitais

1,530 views

Published on

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Modelos de negocios Digitais

  1. 1. Modelos de Negócios Digitais Bruno Shimizu 12.208.106-0 Caio S. Teixeira 12.106.437-2 Erick Buzzi 12.207.166-5
  2. 2. Agenda - Economia Digital - Produtividade e Internet - e-Business - e-Commerce - e-Procurement - e-MarketPlace
  3. 3. Internet & Economia Digital • Prof. de Economia da Univ. de Paris (2000) • Professor do Conservatório Nacional de Artes • Diretor da EconomiX um centro de e Comércio na Escola Politécnica. investigação conjunta entre o Centro Nacional de Pesquisa Científica CNRS e a • Academia Francesa de Tecnologia Universidade de Paris. (2005) • Sociedade Internacional de • Membro do Instituto de Universidade da Telecomunicações. França (2002) • Diretor da Escola Européia de Nova • Autor de vários livros nas Áreas de Economia Institucional ESNIE (2002) Telecomunicações e da Economia da • Diretor de Investigação da CNRS , Tecnologia Internet. da Informação e Sociedade TICS (2002)
  4. 4. Internet & Economia Digital Mundo das Redes • A nova estrutura da economia • Inicio nos anos 70 • Financeiro • Transporte aéreo • Energia • ICT(Evolução da Economia) • 1985 – Rede aberta a Comunidade Cientifica • 1995 – Aumento dos serviços on-line
  5. 5. Internet & Economia Digital The truth is not out there: an Enacted view of the Digital Economy • 1950-1970: previsão de aumento dos MainFrame nas empresas; • 1980-1990: previsão do aumento da descentralização, tendo melhor partilha de informação e expansão da colaboração; • A mesma tecnologia implementada em organizações diferentes pode resultar em diferentes práticas e resultados (Barley, 1986), que a implementação de uma nova tecnologia não significa necessariamente que ele será usado ou que usam a ocasião para a benefícios ou intenções dos projetistas (Orlikowski, 1992), e que os diferentes grupos sociais podem conceituar a mesma tecnologia em maneiras diferentes e muitas vezes contraditórias
  6. 6. Internet & Economia Digital The truth is not out there: an Enacted view of the Digital Economy • 1989: foi proposto a www por por Tim Berners-Lee, para compartilhar informações dentro da comunidade de investigação física de alta energia. Ninguém, muito menos o seu inventor (Berners-Lee, 1996), previu as mudanças associadas com esta tecnologia. Hoje a WWW continua a ser adaptada para as organizações ao redor do mundo; • Tecnologias em uso referem-se à formas no qual realmente usar recursos tecnológicos específicos de determinadas maneiras, dependendo de nossas habilidades, tarefas, atenção, e finalidades, e variando por hora do dia, a situação na mão, e as pressões do momento; • Novas tecnologias geradas por experiências de usuários pelo uso da Internet podem gerar diferentes contextos sociais e psicológicos.
  7. 7. Internet & Economia Digital The truth is not out there: an Enacted view of the Digital Economy • O domínio predominante na Internet é o das organizações comerciais e a expectativa é que transações comerciais serão responsáveis pela maior parte da atividade na economia digital. • 1998: 43.000 milhões de dólares foram gastos em operações de comércio eletrônico business-to-business, cinco vezes superior ao gasto em operações business-to-consumer. • Comércio eletrônico business-to-business vai crescer para US$ 1,3 trilhões em 2002, enquanto que no mesmo período de tempo de negócios e consumidores vai crescer para US$ 95 bilhões .
  8. 8. Internet & Economia Digital The truth is not out there: an Enacted view of the Digital Economy • Há duas respostas comuns à questão de por que as organizações estão envolvidas com a economia digital. • A mais freqüente é que a Internet abriu um novo mercado para compra e venda. • O enorme crescimento no número de usuários de Internet, e os baixos custos marginais associados à oferta de produtos ou serviços aos clientes através da Internet. • Toffler (1980) cunhou o termo “terceira onda economia“. • Tecnologia não é sinônimo de utilização eficaz.
  9. 9. Internet & Economia Digital Kevin Kelly e Steven Johnson Where Good Ideas Come From: The Natural History of Innovation Compara ambientes criativos com colméias que se relacionam como colônias interagindo e influenciando entre si mesmas. O assunto principal do livro é a invenção simultânea, casos em que várias pessoas têm a mesma idéia inovadora no mesmo tempo (bateria elétrica, telefone, máquina a vapor ou rádio). Sugere as idéias como conexões em nosso cérebros e entre as pessoas, não podem ser auto-contidas, devem viajar em grupos. Idéias que nascem de uma só cabeça geralmente dão um passo maior que a perna e não são implantadas. É o caso de Charles Babbage com sua "máquina analítica", que ele começou a projetar em 1830, era uma visão incrivelmente detalhada do que se tornaria o computador moderno, com uma CPU, RAM, e assim por diante. Mas não podia ser construída na época, e suas idéias tiveram de ser redescobertas cem anos mais tarde. Fonte: http://www.wired.com/magazine/2010/09/mf_kellyjohnson/all/1
  10. 10. Internet & Economia Digital Coordenação do Mundo das Redes • Troca de Informações • Aumento da Capacidade de Inovação • Influência na Economia • Integrar Produtor e Matéria-Prima • Alto nível de Informação em pouco tempo de espaço • Qualidade x Custo
  11. 11. Internet & Economia Digital “Invenção” da Internet • ISO (International Organization Standardization), ITU (International Telecomunication Union), IEC (International Eletronichical Commission) • Demora na criação de normas • Ideologia - idéias • Limitado aos EUA
  12. 12. Internet & Economia Digital Nova Visão da Internet • Plasticidade:Inclusão de novos participantes a rede, com o aumento do conteúdo, assim maior comparação com as redes; • Transversatilidade: integração do usuário; • Seletividade: troca de informações, buscando parcerias adequadas;
  13. 13. Internet & Economia Digital O “Modelo” da Economia Digital • Desmaterialização: Maior fluxo de informação e menos materialização, gerando mais confiabilidade e segurança do Produto • Tamanho da Informação: Quanto maior o número de informações oferecidas, maior será o valor agregado sendo um diferencial dos outros produtos/concorrentes
  14. 14. Internet & Economia Digital “Hoje, o SaveMe traz diariamente 115 ofertas de 39 sites de 25 cidades, para cerca de 60.000 usuários que freqüentam o site diariamente. Com a venda para o BuscaPé, o objetivo é atingir a marca de 240.000 usuários/dia até o final do ano” BuscaPé possuirá 75%
  15. 15. Internet & Economia Digital Estratégia da Internet VS Mídia Tradiconal Vantagens • Menos custo • Maior marketshare • Mais competição • Maior crescimento no mercado • Mais comodidade Desvantagens • Confiabilidade • Segurança
  16. 16. Internet & Economia Digital Concorrência no mercado • Uma determinada informação pode gerar competição para com o conteúdo; • Quanto maior a informação agregada, maior a fidelidade junto com o cliente; • Uma nova informação pode desalojar(quebrar) uma empresa, fazendo com que seus incentivos reduzam para com os concorrentes.
  17. 17. Internet & Economia Digital Agregação da Economia Novos conteúdos • Mais lucro; • Maior mercado de proteção; • Entrada em novos mercados; • Mais escopo de serviço/produtos/vendas; • Confiança no produto, faz ganhar novos consumidores. Ex: página de internet (uol, terra, globo), primeiro o consumidor descobre a qualidade para depois comprar o produto ou serviço.
  18. 18. Produtividade e Internet Os 7 pilares da produtividade “Sete práticas caracterizam empresas altamente produtivas e ajudam a transformá-las em "organizações digitais.” (Erik Brynjolfsson – 2005) Só o computador já é sinônimo de produtividade? Só os computadores não tornam as pessoas mais produtivas. O hardware ajuda os indivíduos e as empresas a trabalharem de formas diferentes,[...] Costumamos dizer que para cada dólar gasto em tecnologia, são necessários de cinco a dez dólares para mudar a organização e fazer com que ela seja beneficiada pela computação. Estar preparado é a parte mais difícil. Fonte: http://portalexame.abril.com.br/tecnologia/computadores-elevam-produtividade-diz-professor-mit-411880.html
  19. 19. Produtividade e Internet Os sete pilares: 1. Movimento do analógico para o digital; 2. Acesso as informações; 3. Capacitação dos funcionários; 4. Mérito por iniciativa; A Geração Y nos cargos de liderança 5. Investimento em cultura corporativa; Brasil Mundo 21% 27% 6. Recrutamento das pessoas certas; 51% 41% 28% 32% 7. Investimento em capital humano. Sim Em pequena escala Não http://h6.com.br/blog/computadores-elevam-a-produtividade-diz-professor-do-mit/
  20. 20. e-Business Conceito Negócios manipulados por meios eletrônicos ** Negócios eletrônicos em geral Exemplos: - Comércio eletrônico; - Home banking; - Educação a distância; - Marketingt eletrônico; - Suporte a clientes; - Serviços de entretenimento; - Contato fornecedor/consumidor. Fonte: http://www.fromsoft.com.br/noticias/notecommerce.html
  21. 21. e-Business Vantagens - Rapidez na troca de informações; - Melhor visão da marca; - Mercado sem fronteiras; - Agilidade na comunicação consumidor/fornecedor; - Comodidade. Restrições - Inclusão digital; - Confiabilidade; - Conhecimento da plataforma; - Incompatibilidade de tecnologias. Fonte: http://www.fromsoft.com.br/noticias/notecommerce.html
  22. 22. e-Commerce Conceito - Transação comercial através de meios eletrônicos; - Baseado em compra, venda e transferências; - Produtos, serviços e informações são os bens negociados. “e-Commerce surgiu em 11 de agosto de 1994, quando um CD do Sting foi vendido pela NetMarket” http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  23. 23. e-Commerce e-Commerce Interorganizacional • Gerenciamento de Fornecedores • Gerenciamento de Estoque • Gerenciamento de Distribuição • Gerenciamento de Canal • Gerenciamento de Pagamento e-Commerce Empresa/Cliente • Informação de Produtos • Vendas • Serviços • Pagamento • Pesquisa de Mercado e-Commerce Intraorganizacional • Comunicação com grupo de trabalho • Publicações Eletrônicas • Produtividade da Equipe de Vendas Apresentação Internet B2B – Mateus Cozer
  24. 24. e-Commerce Tipos B2B – Business To Business B2C – Business To Consumer B2B2C – Business To Business To Consumer C2B – Consumer To Business C2C – Consumer To Consumer B2E – Business To Employee G2B/G2C m-Commerce http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  25. 25. e-Commerce B2B “Transação entre empresas” - Transação mais utilizada - Comércio por atacado - Preço baseado em quantidade http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  26. 26. e-Commerce B2C Consumer “Transação entre empresa e consumidor final” - Cresce agressivamente a cada ano - Comércio baseado em varejo - Principal modalidade e-Commerce - Utilização de portais http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  27. 27. e-Commerce Varejista Virtual ou Virtual Pura? Vantagens Varejistas Varejo Virtual operando e-Commerce • Fidelização da marca • Menor custo estrutural • Diversidade de mídia • Maior diversificação de • Menor custo no marketing produtos • Relacionamento direto com • Relacionamento indireto cliente com o cliente • Maior uso da tecnologia http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  28. 28. e-Commerce Gratificação Imediata Toque Contato Humano Conveniência Interatividade Informação Atualização Venda de Conceito Estilo de Vida Portabilidade Imagens de Alta Qualidade Fonte: Multivarejo na Próxima Economia – Marcos Gouvêa de Souza e Alberto Serrentino
  29. 29. e-Commerce C2C Consumer X Consumer Y “Transação entre consumidores” - Transações diretas Exemplos: -Ajuda/Intermediação de empresas http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  30. 30. e-Commerce B2E Self Service Apps Employee “Transação entre empresa e colaboradores” - Portais que atendem funcionários - Levam a diminuição dos custos de interação - Processos empresariais, serviços e gerenciamento de pessoal on-line http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  31. 31. e-Commerce m-Commerce “Transação por meio de mobile phones” http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  32. 32. e-Commerce Tipos de Modelos Negócios by Andreas - Ads - Sell Goods Andreas Weigend - One time Payment - Information Products - Virtual Currency - Ecosystem - Virtual Goods Fonte: http://stanford2009.wikispaces.com/2_Ecosystems+4.13
  33. 33. e-Commerce Alguns Números Evolução do Varejo Online (em Bilhões de R$) 13,6 14,0 12,0 10,6 10,0 8,2 8,0 6,4 6,0 4,4 4,0 2,5 1,75 2,0 1,2 0,85 0,55 0,0 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  34. 34. e-Commerce Alguns Números Perfil Consumidor e-Commerce
  35. 35. e-Commerce Alguns Números Representação das Classes (em % da População ) 100% 9,4% 9,7% 10,4% 10,6% 80% 44,9% 46,9% 49,2% 50,5% 60% 40% 45,7% 43,4% 40,4% 38,9% 20% 0% 2006 2007 2008 2009 D/E C A/B http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  36. 36. e-Commerce Alguns Números Penetração de Acesso à Internet (em % da População ) D/E 22% C 33% A/B 20% 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% 60,0% 70,0% 80,0% 90,0% 2006 2009 Revista Exame – Outubro/2010
  37. 37. e-Commerce Alguns Números O que a classe C compra na rede Viagens Proporçã o de i ndi víduos que rea l i za m pes qui s a de preço na i nternet a ntes Filmes e Músicas de compra r: C A/B Roupas e Acessórios 68% 82% Produtos de Informática e Computadores 42% D/E Livros e Revistas Eletrodomésticos Eletroeletrônicos 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50% Revista Exame – Outubro/2010
  38. 38. e-Commerce Vantagens - Disponibilidade 7dias/semana, 24hs/dia - Custo de Operação - Rapidez - Melhor Acesso a Informação - Sem Barreiras Geográficas - Comodidade Restrições - Riscos http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  39. 39. Internet x Varejo Frictionless Commerce? A Comparison of Internet and Conventional Retailers Erik Brynjolfsson – Michael D. Smith “A Internet é um mercado quase perfeito, porque a informação é instantânea e os compradores podem comparar ofertas dos vendedores do mundo todo. O resultado é uma concorrência feroz, diminuindo a diferenciação de produtos e desaparecendo fidelidade à marca.” Robert Kutter
  40. 40. Internet x Varejo Pesquisa • Fevereiro/1998 a Maio/1999 (15 meses) • Livros e Cds • 8.500 observações de preço • 41 pontos de vendas • Níveis de Preços • Menu Costs • Dispersão de Preços http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  41. 41. Internet x Varejo Níveis de Preço - Livros 15,5% - CDs 16,1% Comparação Full Price (Taxas, Manuseio e Transporte) - Livros 9% - CDs 13% “Preços de Livros e CDs são menores na Internet” http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  42. 42. Internet x Varejo Menu Costs/Price Changes • Levy (1997) – Grocery Stores Média US$0,52/price change Impacto – 35,2% Lucro Líquido • Dinamismo da Internet BOOKS CDs Varejo Varejo Internet Internet Convencional Convencional $0,35 - $8,00 $0,05 - $7,50 $1,00 - $7,00 $0,01 - $10,00 “Varejistas online realizam pequenos ajustes, em maior quantidade, para assim acompanhar melhor as mudanças de mercado.” http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  43. 43. Internet x Varejo Menu Costs/Price Changes Mudança Preço de Livros http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  44. 44. Internet x Varejo Menu Costs/Price Changes Mudança Preço de CDs http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  45. 45. Internet x Varejo “Dispersão de Preços na Internet é maior que no Varejo Convencional” - Dispersão Média Livros 33% CDs 25% Razões: • Marca influencia na aplicação de preços “premium” • Riscos das compras na Internet http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias
  46. 46. e-Procurement Conceito Métodos eletrônicos utilizados em cada estágio do processo da compra. Possibilidade de integração Direta entre estoque/fornecedor. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  47. 47. e-Procurement Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  48. 48. e-Procurement Vantagens - Redução de custos - Agilidade nas compras - Segurança - Ganhos financeiros - Maior foco no resultado - Automação nos processos - Comunicação direta cliente/fornecedor Restrições - Utilização de mesma plataforma - Custos de implementação Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  49. 49. e-Procurement Web-based ERP: Soluções de empresas tais como SAP, AG, ORACLE. Elaboradas para otimizar o planejamento de recursos de uma empresa. Em termos de processo de manufatura, elas podem gerar o agendamento de compras visando um ciclo ideal de produção. e-Sourcing ou Leilão Reverso: Trata-se do uso da Internet para a identificação de novos fornecedores. O maior benefício é a competição entre os fornecedores que dão lances acompanhados do detalhamento do serviço. e-Informing: Utilizado simplesmente para troca de informações de compras entre vendedores e compradores. Com o objetivo de formar um banco de dados e histórico de compras. Fonte: http://www.e-commerce.org.br/artigos/e-procurement.php
  50. 50. e-Procurement Solução completa para a Gestão de compras. Sistema 100% web capaz de trazer agilidade e transparência ao processo de compras. Permite fazer cotação web com fornecedores e mantém todos os envolvidos informados sobre o status de seus pedidos. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  51. 51. e-Procurement Exemplo: SAPHIRA Definindo perfis de acesso. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  52. 52. e-Procurement Exemplo: SAPHIRA Incluindo informações de fornecedores e materiais. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  53. 53. e-Procurement Exemplo: SAPHIRA Realizando requisições aos fornecedores. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  54. 54. e-Procurement Exemplo: SAPHIRA Troca de informações durante a negociação. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  55. 55. e-Procurement Exemplo: SAPHIRA Avaliando e realizando negociações com os fornecedores. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  56. 56. e-Procurement Exemplo: SAPHIRA Acompanhando a requisição. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  57. 57. e-Procurement Exemplo: SAPHIRA Realizando a assinatura digital. Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  58. 58. e-Procurement e-Procurement: Nesta modalidade de compra, são disponibilizados através do sistema informações referentes à empresa, tais como estoque, histórico de compras, quantidades previstas entre outras informações relevantes e sigilosas para a empresa. X Cotação eletrônica: Nesta modalidade os dados referentes ao processo de cotação, se limitam apenas às informações referentes a aquela cotação que está sendo realizada. http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  59. 59. e-Marketplace Conceito É um espaço virtual disponibilizado a partir da Internet com diversas funções possibilitando a integração entre fornecedores, compradores e parceiros comerciais. Modelos e exemplos: • B2B – www.me.com.br/MarketPlace.asp • B2C – www.submarino.com.br • C2C – www.mercadolivre.com.br Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  60. 60. e-Marketplace www.alibaba.com www.submarino.com.br www.mercadolivre.com.br Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  61. 61. e-Marketplace Pessoas Comerciais Educacionais B2C Governamentais B2B C2C e-Marketplace Internet Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  62. 62. e-Marketplace http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  63. 63. e-Marketplace Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  64. 64. e-Marketplace Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  65. 65. e-Marketplace Vantagens - Redução de custos - Maior centralização - Redução de horas em pesquisas - Agilidade nas compras e negociações - Comunicação direta Restrições - Sites que ofereçam boa credibilidade - Custos de implantação Fonte: http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php
  66. 66. Bibliografia -BRYNJOLFSSON, E.; SMITH, M. Frictionless Commerce? A Comparison of Internet and Conventional Retailers. Working Paper. 1999b - ORLIKOWSKI, W. The Truth is Not Out There: An Enacted View of the “Digital Economy” - Eric Brousseau et Nicolas Curien (ed.), “Internet and Digital Economics”, Cambridge University Press, 2007. Pp. 1-57; 311-345 - http://www.fromsoft.com.br/noticias/notecommerce.html - Apresentação Internet B2B – Mateus Cozer - http://www.scribd.com/doc/7631644/eCommerce-Conceitos-Evolucao-e-Tendencias - Revista EXAME, Edição 978 – Ano 44 – Nº19 – 20/10/2010 - http://www.guiadecompra.com/guia/e-procurement.php - http://www.e-commerce.org.br/artigos/e-procurement.php - http://stanford2009.wikispaces.com/2_Ecosystems+4.13

×